estrutura das demonstraçoes contabeis

estrutura das demonstraçoes contabeis

SUMARIO

1. Introdução 4

2. Estrutura das demonstrações Contábeis 6

2.1 Caso Pratico 6

2.1.1 Livro diário. 7

2.1.2 Razontes. 9

2.1.3 Balancete de Verificação 12

2.1.4 Demonstração do resultado do exercício (DRE). 13

2.1.5 Balanço Patrimonial. 15

2.1.5.1 Ativo 15

2.1.5.1.1 Ativo circulante 15

2.1.5.1.2 Ativo realizável a longo prazo. 15

2.1.5.1.3 Ativo permanente. 16

2.1.5.2 Passivo 17

2.1.5.2.1 Passivo circulante 17

2.1.5.2.2 Passivo exigível a longo prazo 17

2.1.5.2.3 Resultado de exercícios futuros (R.E.F.) 17

2.1.5.2.4 Patrimônio liquido. 18

Bibliografia 19

1. Introdução

A contabilidade, através dos seus relatórios, permite ao gestor compreender a estrutura patrimonial de qualquer entidade, com ou sem fins lucrativos, por reunir relevantes informações, necessárias para se administrar com competência suas atividades operacionais. Os mesmos relatórios, quando publicados, permitem ao público avaliar a situação da entidade, observando a qualidade da gestão que está sendo realizada na mesma. Contudo, empresas limitadas relutam em publicar suas informações contábeis, simplesmente por não serem “obrigadas” por determinação legal a fazê-lo, divulgando, quando muito, apenas o balanço patrimonial no final do exercício, deixando de lado as demais peças contábeis sonegando informações essenciais para que os usuários possam avaliar a consistência dos seus atos e como estes estão sendo administrados.

As empresas limitadas como representam grande parte das entidades privadas instituídas e ativas no mercado nacional possuem uma responsabilidade social elevada pois absorvem grande parte dos recursos gerados pela sociedade sendo esta sua preferencial usuária externa em vista da sua necessidade de informações confiáveis. Todavia, as empresas regidas por este tipo de sociedade, viveram muitos anos sem ter parâmetros que definissem a elaboração das publicações contábeis, prejudicando assim a qualidade da sua gestão. A contabilidade, ciência que tem como principal objetivo o controle das variações patrimoniais e está embasada em sete (7) princípios fundamentais vem, ao longo dos tempos, mensurando os ativos das entidades e agregando valores aos seus patrimônios.

Vê-se, portanto a importância da contabilidade como fonte de informações e como elemento que agrega valor através de seus relatórios para a gestão das empresas. Uma empresa comunica o seu desempenho aos usuários externos – mediante as demonstrações contábeis – pois são estas capazes de determinar o sucesso ou fracasso colaborando na sua continuidade. As informações divulgadas nos demonstrativos tais como: Balanço Patrimonial, Demonstração do Resultado do Exercício, Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados ou Demonstração das Mutações do Patrimônio Líquido e Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos, são elaborados para determinar as diretrizes que serão apreciadas para otimizar seus resultados Portanto a ciência contábil acompanhada dos seus relatórios é sem dúvida uma ferramenta gerencial extremamente útil para qualquer tipo de empresa

2. Estrutura das demonstrações Contábeis

Por ocasião do encerramento do exercício, as empresas devem elaborar as seguintes demonstrações:

  • Balanço patrimonial (BP)

  • Demonstração do resultado do exercício (DRE)

  • Demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados (DLPA)

  • Demonstração das mutações do patrimônio liquido (DMPL)

  • Demonstração de origens e aplicações de recursos (DOAR)

  • Notas explicativas

Mas apenas o BP, DRE e o DLPA são obrigatórias para todos os contribuintes sujeitos a tributação do imposto de renda com base no lucro real.

A pessoa jurídica devera observar o disposto na lei n° 6404/76 (lei das S/A), para fins de elaboração das demonstrações financeiras; e para fins de publicação, estas demonstrações devem ser apresentadas de forma comparativa de dois períodos consecutivos.

2.1 Caso Pratico

Para melhor explicação usarei uma empresa fictícia para elaboração das demonstrações contábeis, o nome da empresa e Pitomba LTDA, por não precisar aprofundar muito no conteúdo só será elaborado o Balanço Patrimonial e o DRE, e para complementar usarei alguns complementos como lançamentos no livro diário, razonetes e balancete de verificação.

A empresa Pitomba LTDA terminou seu exercício em 29/02/xx com os seguintes saldos:

Saldos do exercício anterior – Empresa Pitomba LTDA

Caixa

R$ 75.000,00

Bancos

R$ 110.000,00

Imóveis

R$ 50.000,00

Veículos

R$ 150.000,00

Mercadorias para revenda

R$ 200.000,00

Duplicatas a receber

R$ 150.000,00

Financiamentos a curto prazo

R$ 400.000,00

Duplicatas a pagar

R$ 60.000,00

Lucro ou prejuízo acumulado

R$ (70.000,00)

Capital subscrito

R$ 315.000,00

Capital a integralizar

R$ 30.000,00

Percebe-se que esta empresa terminou seu ultimo exercício com um prejuízo de R$ 70.000,00.

2.1.1 Livro diário.

O livro diário e o único livro obrigatório pelo novo código civil (Lei 10.406/02), estando sujeito a certas formalidades quanto a sua apresentação e registro.

A seguir estão os lançamentos do mês de março no livro diário da empresa Pitomba LTDA:

LIVRO DIARIO

01/03/XX

D

Mercadoria para revenda

R$ 30.000,00

C

Duplicatas a pagar

R$ 30.000,00

Compra de mercadoria conforme NF 1234 a prazo para 30 dias

06/03/xx

D

Duplicatas a pagar

R$ 31.500,00

C

Caixa

R$ 31.500,00

Pagamento de 35% das duplicatas a pagar

10/03/xx

D

Caixa

R$ 230.000,00

C

Capital a integralizar

R$ 230.000,00

integralização de capital

11/03/XX

D

Caixa

R$ 202.400,00

C

Venda de mercadoria

R$ 202.400,00

D

CMV

R$ 92.000,00

C

Mercadoria para revenda

R$ 92.000,00

Venda de mercadoria conforme nota fiscal de saida numero 1235

12/03/XX

D

devolução de vendas

R$ 1.350,00

C

Caixa

R$ 1.350,00

D

Mercadoria para revenda

R$ 613,64

C

CMV

R$ 613,64

Devolução de mercadoria com defeito NF 1654

13/03/XX

D

material de escritorio

R$ 8.000,00

C

Caixa

R$ 8.000,00

Compra de material de escritorio NF 1478

15/03/xx

D

material de escritorio consumido

R$ 8.000,00

C

material de escritorio

R$ 8.000,00

material de escritorio consumido

17/03/xx

D

Caixa

R$ 150.000,00

C

duplicatas a receber

R$ 150.000,00

Recebimento de todas duplicatas a receber apurado ate o momento

18/03/xx

D

emprestimo a diretores

R$ 100.000,00

C

Caixa

R$ 100.000,00

Emprestimo concedidos a diretores da empresa

19/03/xx

D

Terrenos

R$ 45.000,00

C

Caixa

R$ 45.000,00

Compra a vista de terreno para futura utilização

20/03/xx

D

Salario do pessoal da area adm.

R$ 40.000,00

D

Salario do pessoal da area de vendas

R$ 45.000,00

C

Caixa

R$ 85.000,00

pagamento de salarios

22/03/XX

D

Caixa

R$ 50.000,00

D

duplicatas a receber

R$ 170.000,00

C

Venda de mercadoria

R$ 220.000,00

D

CMV

R$ 100.000,00

C

Mercadoria para revenda

R$ 100.000,00

Venda de mercadoria conforme nota fiscal de saida numero 51654

23/03/xx

D

Mercadoria para revenda

R$ 180.000,00

C

Duplicatas a pagar

R$ 180.000,00

Compra de mercadoria para revenda conforme NF 1649

31/03/xx

D

Aluguel so predio da administração

R$ 6.000,00

C

Caixa

R$ 6.000,00

Pagamento do aluguel do predio da administração

31/03/xx

D

Despesas com vendas

R$ 12.000,00

C

Caixa

R$ 12.000,00

pagamento das despesas de viagens e estadia dos vendedores

31/03/xx

D

Energia eletrica

R$ 16.000,00

C

Energia eletrica a pagar

R$ 16.000,00

Despesa com energia eletrica

2.1.2 Razontes.

Como já vimos anteriormente em nosso curso, o Razonete, que também é denominado de Gráfico em T ou Conta em T, consiste numa forma gráfica de representação das contas contábeis. Cada uma das contas do Livro Razão pode ser representada por seu respectivo razonete. Vale relembrar que o Livro Razão é o livro mais importante do ponto de vista contábil, pois é nele onde constam as movimentações de cada conta. Essa característica do Livro Razão é imprescindível para a elaboração dos demonstrativos contábeis.

Dentro desse contexto, podemos dizer que o Razonete funciona como uma simplificação do Livro Razão através de gráficos na forma de T.

Razonetes da empresa Pitomba LTDA:

CAIXA

BANCOS

R$ 75.000,00

R$ 31.500,00

R$ 110.000,00

R$ 230.000,00

R$ 8.000,00

 

R$ 202.400,00

R$ 100.000,00

 

R$ 150.000,00

R$ 45.000,00

 

R$ 50.000,00

R$ 85.000,00

 

 

R$ 6.000,00

 

 

R$ 12.000,00

 

 R$ 418.550,00

R$ 1.350,00

 R$ 110.000,00

IMOVEIS

VEICULOS

R$ 50.000,00

R$ 150.000,00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

R$ 50.000,00

R$ 150.000,00

MERCADORIAS P/ REVENDA

DUPLICATAS A PAGAR

R$ 200.000,00

R$ 92.000,00

R$ 31.500,00

R$ 60.000,00

R$ 30.000,00

R$ 100.000,00

 

R$ 30.000,00

R$ 180.000,00

 

R$ 180.000,00

R$ 613,64

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

R$ 218.613,64

 

R$ 238.500,00

CAPITAL SUBSCRITO

CAPITAL A INTEGRALIZAR

 

R$ 315.000,00

 

R$ 30.000,00

 

 

R$ 230.000,00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

R$ 315.000,00

 

R$ 260.000,00

CMV

MATERIAL DE ESCRITORIO

R$ 92.000,00

R$ 613,64

R$ 8.000,00

R$ 8.000,00

R$ 100.000,00

R$ 191.386,36

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EMPRESTIMOS A DIRETORES

TERRENOS

R$ 100.000,00

R$ 45.000,00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

R$ 100.000,00

R$ 45.000,00

SALARIO PESSOAL DA AREA DE VENDA

ALUGUEL DO PREDIO DA ADM.

R$ 45.000,00

R$ 45.000,00

R$ 6.000,00

R$ 6.000,00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ENERGIA ELETRIACA

ENERGIA ELETRICA A PAGAR

R$ 16.000,00

R$ 16.000,00

 

R$ 16.000,00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

R$ 16.000,00

DEVOLUCAO DE VENDAS

A.R.E.

R$ 1.350,00

R$ 1.350,00

R$ 1.350,00

R$ 422.400,00

 

R$ 191.386,36

 

R$ 8.000,00

 

R$ 40.000,00

 

R$ 45.000,00

 

R$ 6.000,00

 

R$ 12.000,00

 

R$ 16.000,00

 

saldo-->

R$ 102.663,64

 

R$ 102.663,64

DUPLICATAS A RECEBER

MATERIAL DE ESCRITORIO CONSUMIDO

R$ 150.000,00

R$ 150.000,00

R$ 8.000,00

R$ 8.000,00

R$ 170.000,00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

R$ 170.000,00

 

FINANCIAMENTO A C.P.

SALARIO DO PESSOAL DA AREA ADM.

 

R$ 400.000,00

R$ 40.000,00

R$ 40.000,00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

R$ 400.000,00

 

LUCRO/PREJUIZO ACUM.

DESPESAS COM VENDAS

R$ 70.000,00

R$ 102.663,64

R$ 12.000,00

R$ 12.000,00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

R$ 32.663,64

 

VENDA DE MERCADORIAS

R$ 422.400,00

R$ 202.400,00

 

 

R$ 220.000,00

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

2.1.3 Balancete de Verificação

O balancete de verificação é elaborado com base nos saldos de todas as contas do razão. Segundo o método das partidas dobradas, a cada debito corresponde a um credito de igual valor, de forma que, apurando-se os is saldos das contas do razão num determinado momento, a soma dos saldos devedores deve, obrigatoriamente, ser igual a soma dos saldos credores.

O principal objetivo do balancete de verificação é o de testar se o método das partidas dobradas foi respeitado; portanto, o único erro de escrituração que o mesmo aponta ou representa e o da troca de saldos.

A seguir esta o balancete de verificação da empresa Pitomba LTDA:

Balancete de verificação da empresa Pitomba LTDA em 31/03/xx

CONTAS

DEBITO

CREDITO

Caixa

R$ 418.550,00

 

Bancos

R$ 110.000,00

 

Imóveis

R$ 50.000,00

 

Veículos

R$ 150.000,00

 

Financiamento a curto prazo

 

R$ 400.000,00

Mercadoria para revenda

R$ 218.613,64

 

Duplicatas a receber

R$ 170.000,00

 

Duplicatas a pagar

 

R$ 238.500,00

Lucro ou prejuízo acumulado

R$ 70.000,00

 

Capital subscrito

 

R$ 315.000,00

Capital a integralizar

 

R$ 260.000,00

Venda de mercadorias

 

R$ 422.400,00

CMV

R$ 191.386,36

 

Material de escritório consumido

R$ 8.000,00

 

Empréstimos a diretores

R$ 100.000,00

 

Terrenos

R$ 45.000,00

 

Salário do Pessoal da área administrativa

R$ 40.000,00

 

Salário do Pessoal da área vendas

R$ 45.000,00

 

Aluguel do prédio da administração

R$ 6.000,00

 

Despesas com vendas

R$ 12.000,00

 

Energia elétrica

R$ 16.000,00

 

Energia elétrica a pagar

 

R$ 16.000,00

Devolução de vendas

R$ 1.350,00

 

TOTAL

R$ 1.651.900,00

R$1.651.900,00

2.1.4 Demonstração do resultado do exercício (DRE).

O DRE deve apresentar deve apresentar resumo das variações positivas e negativas, acorridas em determinado período de tempo, normalmente no exercício social, em função da exploração das atividades da empresa.

A finalidade básica do DRE e descrever a formação do resultado gerado no exercício, mediante especificação das receitas, custos e despesas por natureza dos elementos componentes, ate o resultado liquido final, lucro ou prejuízo. Esse resultado liquido final, se lucro, representa o ganho efetivo obtido pela empresa, que tem por finalidade remunerar os sócios ou acionistas e manter e/ou desenvolver o patrimônio da empresa. Se prejuízo liquido do exercício, representa a parcela de desgaste sofrido pelo patrimônio no período, significando que as receitas geradas foram insuficientes para cobrir os custos e despesas incorridas para obtenção de tais receitas.

A seguir, DRE da empresa Pitomba LTDA:

DRE da empresa Pitomba LTDA em 31/03/xx

RECEITA OPERACIONAL BRUTA

Venda de mercadoria

R$ 422.400,00

(-)

DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA

Devolução de Vendas

R$ 1.350,00

(=)

RECEITA OPERACIONAL LIQUIDA

R$ 421.050,00

(-)

CUSTO DAS VENDAS

CMV

R$ 191.386,36

(=)

RESULTADO OPERACIONAL BRUTO

R$ 229.663,64

(-)

DESPESAS OPERACIONAIS

Material de escritório consumido

R$ 8.000,00

Salário do pessoal da área adm.

R$ 40.000,00

Salário do pessoal da área de vendas

R$ 45.000,00

Aluguel do prédio da adm.

R$ 6.000,00

Despesas com vendas

R$ 12.000,00

Energia elétrica

R$ 16.000,00

(=)

RESULTADO OPERACIONAL LÍQUIDO

R$ 102.663,64

(+/-)

RESULTADOS NÃO OPERACIONAIS

(=)

LUCRO/PREJUIZO LIQUIDO ANTES O IR E CSLL

R$ 102.663,64

(-)

PROVISÃO PARA IR E CSLL

(=)

RESULTADO LIQUIDO DO EXERCICIO

R$ 102.663,64

2.1.5 Balanço Patrimonial.

É a demonstração que tem por objetivo expressar os elementos financeiros e patrimoniais de uma entidade, através da apresentação ordenada de suas aplicações de recursos e das origens desses recursos.

No balanço patrimonial, os elementos do patrimônio serão agrupados de modo a facilitar o conhecimento e a analise da situação financeira das entidades.

2.1.5.1 Ativo

No ativo, as contas serão dispostas em ordem decrescente do grau de liquidez, ou seja, quanto mais próximo estiver de se transformar em dinheiro, maior liquidez possuirá.

O ativo se subdivide em três grandes grupos;

  • Ativo circulante

  • Ativo realizável a longo prazo

  • Ativo permanente

2.1.5.1.1 Ativo circulante

Esse grupo contempla os investimentos circulantes, ou seja, as aplicações em disponibilidades financeiras, bem como direitos de credito sobre clientes e outros devedores por operações realizadas a prazo, os estoques e outro bens e direitos realizáveis no curso do exercício seguinte.

2.1.5.1.2 Ativo realizável a longo prazo.

Representa os valores de longo prazo, ou seja, direitos realizáveis, inclusive empréstimos compulsórios, estoques, adiantamentos ou empréstimos a sociedades coligadas, controladas, diretores, acionistas ou participantes no lucro e as aplicações de recursos em despesas antecipadas, realizáveis após o termino do exercício social subseqüente.

2.1.5.1.3 Ativo permanente.

São classificadas nesse grupo as aplicações de recursos em elementos que se destinem ao uso por prazo indeterminado, ou que a empresa não tenha a intenção de alienar e, ainda, as aplicações em despesas que serão apropriadas aos resultados de mais de um exercício social.

Esse grupo e subdividido em três subgrupos:

  1. Investimentos – compreende as participações permanente em outras sociedades e os direitos de qualquer natureza, não classificáveis no ativo circulante ou ativo realizável a longo prazo, que não constituam negócios usuais na exploração do objeto da companhia.

  2. Imobilizado – compreende os direitos que tenham por objeto bens destinados a manutenção das atividades da companhia e da empresa, ou exercidos com essa finalidade, inclusive os de propriedade industrial ou comercial.

  3. Diferido – compreende as aplicações de recursos em despesas que contribuirão para a formação do resultado de mais de um exercício social.

A seguir esta o ativo do balanço patrimonial da empresa Pitomba LTDA:

1

ATIVO

1.1

CIRCULANTE

 

1.1.1

DISPONIBILIDADE

 

1.1.1.1

Caixa

R$ 418.550,00

1.1.1.2

Bancos

R$ 110.000,00

1.1.2

REALIZAVEL A CURTO PRAZO

 

1.1.2.1

CREDITOS

 

1.1.2.1.1

Duplicatas a receber

R$ 170.000,00

1.1.2.2

ESTOQUES

 

1.1.2.2.1

Mercadoria para revenda

R$ 218.613,64

1.2

REALIZAVEL A LONGO PRAZO

 

1.2.1

Emprestimo a diretores

R$ 100.000,00

1.3

PERMANENTE

 

1.3.1

INVESTIMENTO

 

1.3.2

IMOBILIZADO

 

1.3.1.1

Imoveis

R$ 50.000,00

1.3.1.2

Veiculos

R$ 150.000,00

1.3.1.3

Terrenos

R$ 45.000,00

1.3.3

DIFERIDO

 

 

 

 

 

SALDO =

R$ 1.262.163,64

2.1.5.2 Passivo

No passivo, as contas serão dispostas em ordem decrescente do grau de exigibilidade, em quatro grandes grupos.

2.1.5.2.1 Passivo circulante

Compreende as obrigações ou dividas de curto prazo, ou seja, quando o vencimento ocorrer no exercício social seguinte.

2.1.5.2.2 Passivo exigível a longo prazo

Compreende as obrigações de longo prazo, inclusive empréstimos de sócios, acionistas, administradores ou créditos de pessoas físicas ou jurídicas ligadas, ou seja, quando o vencimento ocorrer após o termino do exercício social seguinte.

2.1.5.2.3 Resultado de exercícios futuros (R.E.F.)

Compreende as receitas de exercícios futuros, diminuída dos custos e despesas a elas correspondentes.

Representa uma apuração antecipada de resultados que deverão ocorrer futuramente, por isso o seu uso e bastante restrito a um numero ilimitado de operações. Via de regra, somente poderão ser classificadas, nesse grupo, os recebimentos perfeitamente caracterizados como receita e em que não se exija, sob hipótese alguma, devolução da importância recebida ou a obrigação de entregar bens ou serviços em exercícios futros.

2.1.5.2.4 Patrimônio liquido.

Integram o patrimônio liquido as contas representativas dos capitais próprios, que registram os recursos proveniente de sócios ou acionistas, bem como suas variações em decorrência dos resultados da gestão econômica-financeira da empresa.

A seguir esta o passivo do balanço patrimonial da empresa Pitomba LTDA.

2

PASSIVO

2.1

CIRCULANTE

 

2.1.1

EXIGIVEL A CURTO PRAZO

 

2.1.1.1

Duplicatas a pagar

R$ 238.500,00

2.1.1.2

Financiamento a curto prazo

R$ 400.000,00

2.1.1.3

Energia eletrica a pagar

R$ 16.000,00

2.2

EXIGIVEL A LONGO PRAZO

 

2.3

R.E.F.

 

 

 

 

2.4

PATRIMONIO LIQUIDO

2.4.1

CAPITAL SOCIAL

 

2.4.1

Capital subscrito

R$ 315.000,00

2.4.2

Capital a integralizar

R$ 260.000,00

 

 

 

2.5

Lucro ou prejuizo acumulado

R$ 32.663,64

 

 

 

 

SALDO =

R$ 1.262.163,64

Bibliografia

NEVES, Silvério das. Contabilidade geral e estrutura das demonstrações financeiras. 12ª ed. São Paulo: Frase, 2004.

BRAGA, Hugo Rocha. Demonstrações Contábeis: estrutura, analise e interpretação. 5ª ed. São Paulo: Atlas, 2003.

MARION, José Carlos. Analise das Demonstrações Contábeis: Contabilidade empresarial. 3ª ed. São Paulo: Atlas, 2005.

Comentários