A escada do sucesso em atos

A escada do sucesso em atos

A Escada do sucesso - At 11:19-26 – ESTA MENSAGEM PODE SER PREGADA NA IGREJA ( MUDANDO OS PARADIGMAS)

INTRODUÇÃO:

  • Dentro da visão celular que estamos implantando, a escada do sucesso representa a própria síntese que orienta cada um dos elementos da visão.

  • O processo, embora simples e claramente explicado e exemplificado na bíblia, não é aplicado pela maior parte dos cristãos.

  • Mesmo na igreja primitiva, Deus precisou intervir e força-los através da perseguição a cumprirem seu propósito.

  • A escada do sucesso e a visão celular não são novidades ou modismos, mas o modo de Deus agir através de sua igreja desde o início. Somente os nomes são novos.

  • Seja pela oposição humana (a carne), pela influência do mundo ou diretamente por oposição espiritual a igreja tem se desviado dos princípios de Deus. O que buscamos é justamente uma volta aos princípios da Palavra de Deus.

  • Neste texto podemos observar o processo se desenvolvendo e a efetiva atuação de Deus em estabelece-los na vida da igreja.

I - EVANGELIZAR

  • A ordem de Jesus tinha sido muito clara mas não estava sendo cumprida.

  • Atos 1:8 falava do mundo todo, mas eles só viam Jerusalém.

  • Mesmo impulsionados pela perseguição a sair pelo mundo continuavam a pregar somente aos judeus.

  • Deus teve que usar os estrangeiros que estavam entre eles.

  • Os discípulos já estavam cheios do Espírito. O que os impedia de obedecer?

  • Seria a carne (tradições, comodismo...), seria um espírito de engano, ou o que?

  • O fato é que Deus cumpre seus propósitos e demonstra sua aprovação para a evangelização:

  1. através da perseguição permitida.

  2. Vs 21 ...a mão do Senhor era com eles.

  3. manifestando sua graça.

  4. dando fruto abundante vs 24..."muita gente se uniu ao Senhor".

II - CONSOLIDAR - vs 22 a 24

  • Este é outro ponto da estratégia de Deus que infelizmente tem sido negligenciado.

  • Nos damos por satisfeitos quando alguém acena com a mão dizendo que quer Jesus como seu salvador.

  • Nossas muitas atividades infrutíferas não nos permitem ter tempo para investir nestas vidas e consolidá-las, confirmando-as na fé.

  • A maioria sequer volta a igreja na próxima reunião. Outros seguem tateando, procurando entender algo do linguajar crentês e firmar-se na fé.

  • Muitos dos que se firmam sofrem por não terem um acompanhamento correto nos primeiros meses de vida.

  • Comparar com a situação dos recém nascidos subnutridos ou mal alimentados e as conseqüências por toda a vida.

  • Barnabé parece ter sido enviado como um fiscal da igreja, mas ao ver a graça de Deus, seu coração bom, cheio de fé e do Espírito, logo se dedicou à consolidação.

  • Ler vs 23 e 24.

  • Por todo o restante da bíblia a estratégia da consolidação permanece clara no esforço de Paulo e seus companheiros de confirmar a fé dos novos crentes.

  • Isto se dava através de: oração, ensino, exemplo, cartas, contato pessoal.

III - DISCIPULAR - vs 25 e 26

  • O discipulado é o passo seguinte na escada do sucesso.

  • Não basta confirmar a decisão de seguir a Jesus. Temos um ministério a desenvolver e precisamos ser treinados e preparados para isto.

  • Barnabé não quis fazer o trabalho sozinho, nem construir um império pessoal.

  • Sua primeira atitude foi chamar Saulo, pois já o conhecia e acompanhara em sua conversão e agora via a oportunidade de investir em seu ministério.

  • Grande parte do que Paulo foi deve-se ao discipulado feito por Barnabé.

  • O discipulado é uma estratégia para formação e multiplicação do potencial que Deus confiou a cada um de nós.

  • Enfatiza tanto o desenvolvimento prático do ministério como a formação do caráter.

  • Ao se falar em multiplicação é importante lembrar do caráter, pois podemos multiplicar problemas em vez de virtudes.

  • Veja também a ênfase no treinamento - permaneceram 1 ano ensinando.

  • Não por acaso foi em Antioquia que os discípulos foram primeiramente chamados de cristãos.

IV - ENVIAR - 13:1-3

  • O objetivo do discipulado e treinamento não se resume ao indivíduo, mas visa prepará-lo para ser enviado a outros.

  • Sem o envio o processo se torna estéril, deixando de existir a multiplicação.

  • É o envio que realimenta o processo.

  • Depois de consolidado o trabalho em Antioquia, Paulo e Barnabé são enviados a outros desafios.

  • Os discípulos de Antioquia permaneceram em sua cidade, mas repetindo o processo de evangelizar, consolidar, discipular e enviar.

  • Enviar não significa ir para outro local. Mesmo em Antioquia alguns ficaram e outros saíram. O importante é a concretização do ministério.

  • Em vez de enviar a igreja costuma armazenar, envolvendo a pessoa em atividades no templo e sem contato com as pessoas que necessitam de Jesus.

CONCLUSÃO:

  • Precisamos ter muito empenho neste momento de implantação desta visão. Os primeiros discípulos, mesmo cheios do Espírito, falharam.

  • Até que ponto minha visão já foi mudada?

  • Até que ponto tenho sido fiel em transmitir esta visão?

99

Comentários