Principais produtos usados em tratamento de feridas

Principais produtos usados em tratamento de feridas

Principais Produtos Usados em tratamento de feridas

AGUA OXIGENADA: Tem efeito oxidante que destroe a bacteria anaerobica. Ajuda na remocao de tecidos mortos, mas afetam o tecido de granulacao levando a um colapso da ferida. Irrigacoes podem levar a embolias; ACUCAR: Muito usado na decada de 80. Composicao: 89,5 de sacarose 7,6 de glixose vitaminas B2, B6, acido pantotenico e acido Nicotinico Pressupoe-se que a acao do acucar encontra-se na interacao da glicose com o exsudato da ferida, formando uma substancia hiperosmolar que possui poder bactericida ou bacteriostatico. Alguns autores acham que os cristais de sacarose poderiam ser hidrolizados em glicose e frutose quando colocados nas lesoes, aumentando, entao a oferta de nutrientes. O acucar tendo efeito higroscopico, faz ocorrer a diminuicao do edema e estimularia os macrofagos, ocorrendo a formacao mais rapida do tecido de granulacao. A acao antimicrobiana pode ser definida pelo seu poder osmotico exercido pela solucao concentrada de acucar, que faria os microorganismos desidratarem, causando sua destruicao. Alguns autores citam que, a partir da fermentacao do acucar, ocorra a producao de alcoois, tendo esses, efeitos anti-septicos sobre as lesoes. O mecanismo de acao mais aceito para explicar o efeito do acucar sobre as feridas esta relacionado a producao do meio hiperosmotico. Portanto quando se utiliza o acucar deve-se fazer trocas frequentes, para manter o meio sempre hiperosmotico, impedindo assim o crescimento bacteriano IODO: Citotoxico para os fibroplastos, retarda a epitelizacao e diminui a forca tensil da ferida. Prejudica a microcirculacao da ferida em processo de cicatrizacao; Deve ser usado na faze exsudativa macrofagica onde ha uma diminuicao da exsudacao em uma ferida com colonizacao, sem infeccao. CLOREXIDINA: Eficacia rapidamente reduzida na presenca de materia organica (pus, sangue). E altamente agressiva ao processo de cicatrizacao. Pode ser usada quando em veiculo aquoso. HIPOCLORITO DE SODIO: E apresentado em diferentes formas: solucao de Dakim, Eusol, Milton. Nao ha nada comprovado quanto a sua eficacia. SORO FISIOLOGICO 0,9%: Unico agente de limpeza totalmente seguro; nao deve ter diferencial de temperatura para evitar a vasoconstriccao. E o tratamento de escolha para a maioria das feridas. Cobertura nao Aderente esteril E uma cobertura nao aderente indicada como curativo primario de lesoes planas com a funcao de manter a ferida umida e proteger de trraumas por aderencia. Composicao: Tela de acetato de celulose, impregnada com emulsao de petrolatum, soluvel em agua, nao aderente e transparente. Mecanismo de acao: Proporciona a nao aderencia da ferida e permite o livre fluxo de exsudatos. Indicacao: Lesoes superficiais de queimaduras, ulceras, areas doadoras e receptorasde enxerto, abrasoes, laceracoes e demais lesoes com necessidade da nao aderencia do curativo a lesao. Contra-Indicacao: Feridas com cicatrizacao por primeira intencao e feridas infectadas. Periodicidade de troca: Trocar o curativo de contato sempre que apresentar aderencia a lesao ou de acordo com a saturacao do curativo secundario. Observacoes Produtos de hidrocarbonetos saturados derivados do petroleo podem causar irritacao e reacoes granulomatosas. Requer curativo secundario. PAPAINA: E uma enzima proteolitica retirada do leite da casca do mamao. Pode ser apresentada da forma de po ou gel.. Mecanismo de acao: - Tem como forma de acao o desbridamento quimico de crostas necroticas por produzir dissociacao das moleculas de proteina, resultando em desbridamento quimico - E bactericida, e bacteriostatico, e antiinflamatorio, - Estimula a forca tensil das cicatrizes (proporciona alinhamento das fibras de colageno promovendo crescimento tecidual uniforme). - Acelera o processo cicatricial. Indicacao: Tratamento de feridas abertas e Desbridamento de tecidos desvitalizados, Modo de usar I: - lavar a ferida com SF 0,9% abundantemente Na presenca de tecido necrotico cobrir a area com fina camada de papaina em po. Na presenca de necrose espessa (riscar a crosta com bisturi- para facilitar a absorcao. Remover exsudato e tecido desvitalizado se necessario. Colocar "gaze contato" embebida com solucao de papaina. Ocluir com cobertura secundaria. Fixar. Modo de usar II - Na presenca de tecido de granulacao a concentracao devera ser de 2%. - Na presenca de necrose de liquefacao devera ser lavada em jatos com solucao de papaina de 4 a 6% diluida em SF. Podera ser aplicado na ferida gazes embebidas nesta solucao. - Na presenca de necrose de coagulacao na concentracao de 8 a 10%, apos efetuar a escarectomia (corte em tecido necrotico longitudinal para diminuir a forca tensil- e facilitar a penetracao dos agentes proteoliticos. Periodicidade de trocas: No maximo a cada 24 horas ou de acordo com a saturacao do curativo secundario Concentracoes de papaina Ferida necrotica (por coagulacao 10%- Ferida com exsudato purulento 4 a 4% Ferida com tecido granulado 2% Diluicoes 1g 100 ml 1% 1g 50 ml 2% 2g 50 ml 4% 3g 50 ml 6% 4g 50 ml 8% 5g 50 ml 10% 6g 50 ml 12% 7g 50 ml 14% 8g 50 ml 16% 9g 50 ml 18% 10g 50 ml 20% Deve ser diluida em agua ou soro fisiologico Nao acondicionar em recipientes metalicos pois e inativada por agentes oxidantes: ferro, iodo e oxigenio. Deve ser colocada somente no local onde ha lesao Colocar sobre a pele integra o produto pode macera-la causando dor intensa.

CURATIVO UMIDO COM SOLUCAO SALINA 0,9% Mecanismo de acao Mantem a ferida umida favorecendo o processo de autolise (dregradacao natural do tecido desvitalizado pela acao de enzimas tais como as hidrolases acidas) favorecendo com isto a formacao do tecido de granulacao. Indicacoes Feridas limpas com leve ou moderada quantidade de exsudato. Contra-indicacao: Feridas com cicatrizacao por primeira intensao. Modo de usar Limpar o leito da ferida com grande quantidade de solucao fisiologica atraves de pequenos jatos. Quando for necessaria a remocao do exsudato, utilizar gaze embebida em solucao salina 0,9% com o cuidado de executar o procedimento com movimentos leves e lentos para nao prejudicar o processo cicatricial. Apos a limpeza rigorosa, colocar gazes estereis embebidas em solucao fisiologica em todo o leito da ferida (gaze primaria ou de contato: Rayon-. Ocluir a ferida com um curativo secundario de gaze esteril seca (cobertura). Trocar o curativo secundario sempre que o mesmo estiver umido ou no maximo a cada 24 horas. O aquecimento da solucao salina e recomendado para evitar o choque termico com consequente trauma da ferida. Este deve ser feito somente sob aquecimento seco para a temperatura do frasco atingir a temperatura corporea. ACIDOS GRAXOS ESSENCIAIS AGEs Formulacao Sao oleos derivados dos vegetais poli-insaturados. A composicao do produto comercializado para o tratamento de feridas e: Acido Linoleico, Acido Caprilico, Acido Caprico, Vitaminas A e E e Lecitina de Soja. Indicacoes Prevencao e tratamento de ulceras de pressao e tratamento de lesoes abertas com ou sem infeccao. Contra-Indicacoes Lesoes com necrose tecidual sem desbridamento. (nao encontrada- Mecanismo de acao Os AGEs possuem acao quimiostatica. Sao precursores de substancias farmacologicamente ativas envolvidas no processo divisao celular e diferenciacao epidemica (tromboxanes e prostaglandinas- e possui capacidade de modificar reacoes inflamatorias e imunologicas, alterando funcoes leucocitarias e acelerando o processo de granulacao tecidual. Modo de usar - Se necessario, remover o tecido fibrotico ou necrotico da lesao. - Limpar o leito da ferida com grande quantidade de solucao fisiologica atraves de pequenos jatos - Quando necessario a remocao do exsudato utilizar gaze esteril embebida em solucao salina com o cuidado de executar o procedimento com movimentos leves e lentos para nao prejudicar o processo cicatricial. - Apos limpeza rigorosa, colocar gazes estereis embebidas em AGEs em todo o leito da ferida. - Ocluir a ferida com um curativo secundario de gaze esteril seca. - Trocar o curativo sempre que o curativo secundario estiver umido ou no maximo a cada 24 horas. ALGINATO DE CALCIO Composicao Sao sais de polimero natural acido alginico derivado de algas marinhas marrons. Os curativos de alginato de calcio sao compostos pelos acidos guluronico e manuronico com ions de calcio e sodio incorporados as suas fibras durante o processo de fabricacao. Estes curativos apresentam-se em embalagens individuais estereis. Mecanismo de acao O sodio presente no exsudato e no sangue interage com o calcio presente no curativo promovendo uma troca ionica que auxilia no desbridamento autolitico, tem alta capacidade de absorcao e resulta na formacao de um gel que mantem o meio umido para cicatrizacao. Indicacoes - Feridas abertas altamente exsudativas com ou sem infeccao e lesoes cavitarias com necessidade de estimulo rapido de do tecido de granulacao. Contra-indicacoes - Lesoes por queimaduras ou lesoes superficiais e feridas sem ou com pouca exsudacao. Modo de Usar - Se necessario, remover o tecido fibrotico ou necrotico da lesao. - Limpar o leito da ferida com grande quantidade de solucao salina atraves de pequenos jatos. - Quando necessario a remocao do exsudato utilizar gaze esteril embebida em solucao salina 0,9% com o cuidado de executar o procedimento com movimentos leves e lentos para nao prejudicar o processo cicatricial. - Apos a limpeza rigorosa, colocar o alginato de calcio assepticamente em todo o leito da ferida com o cuidado de nao deixar as fibras sobre as bordas da lesao. Utilizar solucao fisiologica 0,9% como auxiliar para modelacao do curativo ao leito da ferida. - Ocluir a ferida com um curativo secundario de gaze esteril seca. - Trocar o curativo sempre que o curativo secundario estiver umido ou no maximo a cada 24 horas. - Quando reduzir a quantidade de exsudato e a ferida estiver granulado, deve-se substituir o curativo de alginato por hidrocoloide, AGEs ou para curativo tradicional com solucao salina 0,9% (criterio dependente do local, tamanho e profundidade da lesao-. HIDROCOLOIDES Composicao Sao curativos estereis compostos por duas camadas: uma externa de espuma de poliuretano e uma interna de polimeros elastomericos associados a tres hidrocoloides: gelatina, pectina e carboximetilcelulose (C.M.C.- sodica, protegidos por um papel protetor de silicone. Mecanismo de acao - A camada externa tem a propriedade de servir como barreira termica, aos gases, a liquidos, microbiana e mecanica. A camada interna tem as propriedades de absorcao do exsudato (gel), manutencao do PH acido, manutencao do ambiente umido (granulacao- estimulando a angiogenese e o desbridamento autolitico, alivia a dor pela protecao das terminacoes nervosas e nao aderencias ao leito da ferida, e auto aderente dispensando curativo secundario. Indicacoes - Prevencao ou tratamento de ulceras de pressao nao infectadas. Tratamento de feridas abertas leve a moderadamente exsudativas nao infectadas. Contra-indicacoes - Qualquer lesao com processo infeccioso local. Modo de Usar - Limpar o leito da ferida com grande quantidade de solucao salina atraves de pequenos jatos. - Quando necessario a remocao do exsudato utilizar gaze esteril embebida em solucao salina 0,9% com o cuidado de executar o procedimento com movimentos leves e lentos para nao prejudicar o processo cicatricial. - Enxugar bem a pele periulceral. - Selecionar um curativo que ultrapasse a borda da ferida em pelo menos 3 cm. - Segurar as bordas do curativo e aplica-lo sobre a ferida. - Pressionar levemente as bordas do curativo. - Trocar o curativo sempre que o gel extravasar e o curativo deslocar ou no maximo em 7 dias. Observacoes A interacao do exsudato com o hidrocoloide produz um gel amarelo viscoso (semelhante a secrecao purulenta) e nas primeiras trocas podera ocorrer odor desagradavel devido a remocao de tecidos desvitalizados. SULFADIAZINA DE PRATA Descricao: E um composto soluvel e com acao adstringente derivado de sais de prata com propriedades anti-septica local. Mecanismo de acao O ion prata causa precipitacao de proteinas e age diretamente na parede celular e membrana citoplasmatica da celula bacteriana, exercendo acao bactericida imediata e acao bacteriostatica residual pela liberacao de pequenas quantidades de prata ionica. Indicacoes Prevencao de colonizacao e tratamento de queimaduras. Modo de Usar - Limpar o leito da ferida com grande quantidade de solucao salina atraves de pequenos jatos. - Quando necessario a remocao do exsudato utilizar gaze esteril embebida em solucao salina 0,9% com o cuidado de executar o procedimento com movimentos leves e lentos para nao prejudicar o processo cicatricial. - Aplicar o creme em toda extensao da lesao manualmente com tecnicas assepticas. - Cobrir com curativo secundario oclusivo de gaze esteril. CURATIVO NAO ADERENTE ESTERIL Descricao E uma cobertura para ferimentos, nao aderente esteril, composta de uma tela de acetato de celulose, impregnada com uma emulsao de petrolato. Indicacoes E indicado como cobertura primaria de queimaduras, ulceras, areas doadoras e receptoras de enxerto, abrasoes e laceracoes onde seja necessaria a nao aderencia do curativo a ferida. Modo de usar - Limpar o leito da ferida com grande quantidade de solucao salina atraves de pequenos jatos. - Quando necessario a remocao do exsudato utilizar gaze esteril embebida em solucao salina 0,9% com o cuidado de executar o procedimento com movimentos leves e lentos para nao prejudicar o processo cicatricial. - Aplicar o curativo sobre a ferida manuseando o produto com tecnica asseptica. - Cobrir com curativo secundario esteril. - Devera ser substituido sempre que for observada a diminuicao de sua caracteristica nao aderente ou de acordo com as condicoes de exsudato da lesao. HIDROGEL Descricao E um composto de agua, carboximetil-celulose (CMC- e propileno-glicol (PPG- que forma um hidrogel transparente e incolor com funcao de remover tecidos necroticos atraves do desbridamento autolitico. Mecanismo de acao A agua (77,7%- mantem o meio umido, a CMC (2,3%- facilita as propriedades reidratantes e de desbridamento e o PPG (20%- estimula a liberacao do exsudato. Indicacao Indicado para remocao de tecido necrotico em lesoes cavitarias. Modo de usar - Limpar o leito da ferida com grande quantidade de solucao salina atraves de pequenos jatos. - Quando necessario a remocao do exsudato utilizar gaze esteril embebida em solucao salina 0,9% com o cuidado de executar o procedimento com movimentos leves e lentos para nao prejudicar o processo cicatricial. - Introduzir o gel na cavidade da ferida com tecnica asseptica. - Cobrir a lesao com curativo secundario esteril. - Trocar diariamente o curativo em lesoes infectadas ou sempre que houver saturacao do curativo secundario. Em lesoes com necrose seca o curativo pode permanecer no maximo por 72 horas. CURATIVO DE CARVAO ATIVADO Descricao Uma cobertura esteril para ferimentos, de baixa aderencia, envolto por uma camada de tecido selado em toda sua extensao, com uma almofada impregnada por carvao ativado e prata a 0,15%. Mecanismo de Acao O carvao ativado adsorve o exsudato e filtra o odor enquanto a prata exerce poder bactericida local pela liberacao de prata. Contra-Indicacoes Nao deve ser utilizado em queimaduras pois a prata pode provocar dor. O curativo nao deve ser cortado para nao ocorrer liberacao do carvao ativado na lesao. Modo de usar - Se necessario remover o tecido fibrotico ou necrotico da lesao. - Limpar o leito da ferida com grande quantidade de solucao salina atraves de pequenos jatos. - Quando necessario a remocao do exsudato utilizar gaze esteril embebida em solucao salina 0,9% com o cuidado de executar o procedimento com movimentos leves e lentos para nao prejudicar o processo cicatricial. - Colocar o curativo de carvao ativado sobre a ferida com o cuidado de nao corta-lo. - Ocluir a ferida com um curativo de gaze esteril seca. - Trocar o curativo sempre que o curativo secundario estiver umido ou no maximo a cada 7 dias, se a ferida nao estiver infectada. - Quando reduzir a quantidade de exsudato e a ferida estiver granulando e sem odor, deve-se substituir o curativo de carvao ativado para AGEs ou para curativo tradicional com solucao salina 0,9% (criterio dependente do local, tamanho e profundidade da lesao- PROTETORES CUTANEOS PARA OSTOMIAS Descricao Sao compostos de gelatina, pectina, carboximentilcelulose sodica e polisobutileno de uso topico com a mesma funcao de proteger e regenerar a epiderme peri-ostomias e peri-fistulas. Apresentacao Po - indicado em lesoes umidas e escoriadas da pele peri-ostomal. Sua funcao e secativa e forma uma pelicula protetora para fixacao da placa. Pasta - indicada para correcao de imperfeicoes do estoma. Sua funcao e de selante da pele com o estoma atraves da formacao de um anel ao redor do estoma. Placa - indicada para a protecao e regeneracao da pele peri-ostomal e fixacao da bolsa. Indicacoes - Peri-fistulas ou peri-ostomias. Modo de usar - Limpar a regiao peri-ostomia ou peri-fistula com solucao fisiologica a 0,9%. - Secar cuidadosamente com gaze seca e esteril. - Aplicar o po ou a pasta sobre a area peri-ostomal, se necessario. - Fixar a placa (conectar a bolsa quando a apresentacao for em pecas individuais-. - Remover somente quando perder a aderencia. BOTA DE UNA Descricao Consiste de uma gaze elastica contendo oxido de zinco. A comercializada e acrescida de glicerina, acacia, oleo de castor e petrolato branco para evitar o endurecimento. No H.C. ela e manipulada no servico de farmacia e consiste de uma massa composta de oxido de zinco, glicerina, gelatina em po e agua. Indicacao Tratamento ambulatorial e domiciliar de ulceras venosas de perna e edema linfatico. Contra-indicacao Ulceras arteriais e ulceras mistas (arterio-venosas-. Mecanismo de acao Evita o edema dos membros inferiores, facilita o retorno venoso e auxilia na cicatrizacao das ulceras. Observacoes - O produto deve ser utilizado somente com prescricao medica (vascular-. - A ausencia de repouso adequado e da elevacao da perna podem aumentar o edema e retardar a cicatrizacao - Devem ser observados sinais de infeccao local ou sistemico com o uso da bota.- - Devem ser seguidas as orientacoes de uso. Modo de usar - Fazer repouso com MMII elevados na vespera Para o produto de manipulacao - Aquecer a massa da bota em banho Maria - Higienizar o membro inferior - Enfaixar a perna com atadura de gaze (12 cm- - Pincelar a massa com movimentos circulares por todo o membro (sentido caudal/ cefalico- - Enfaixar com atadura de gaze; - Apos 5 minutos enfaixar com atadura de crepe - Manter repouso por 20 minutos para secagem. Para produto comercializado - Preparar a perna para aplicacao da bota com repouso e cuidados com a lesao - Aplicar na perna totalmente sem edema pela manha. - Aplicar a bandagem pela base do pe envolvendo a perna sem deixar enruga-la. - Aplicar ate a altura do joelho. - Colocar uma bandagem elastica para compressao. MEMBRANAS OU FILMES SEMI-PERMEAVEIS E um material esteril com possibilidade de uso como cobertura primaria ou secundaria indicado principalmente para oclusao de lesoes planas pouco exsudativas. Sao transparente, facilitando a visualizacao das caracteristicas da lesao e permitindo maior mobilidade ao paciente. composicao - filme de poliuretano, transparente, elastico, semi-permeavel, aderente a superficies secas. Mecanismo de acao - Proporciona ambiente umido, favoravel a cicatrizacao permeabilidade seletiva, permitindo a difusao gasosa e evaporacao de agua. impermeavel a fluidos e microorganismos. Indicacao - Fixacao de cateteres vasculares; protecao de pele integra e escoriacoes; prevencao de ulceras de pressao por friccao, cobertura de incisoes cirurgicas limpas com pouco ou nenhum exsudato; cobertura de queimaduras de 1 e 2 grau; cobertura de areas doadoras de enxerto. Contra indicacoes - Feridas com muito exsudato; Feridas infectadas. Trocar quando perder a transparencia. POMADAS ENZIMATICAS Sao compostos de enzimas especificas para determinados substratos com o objetivo de auxiliar no desbridamento da lesao, entretanto nao ha dados conclusivos sobre sua acao como estimulador do processo cicatricial. Composicao - colagenase lostridiopeptidase A e enzimas proteoliticas. Mecanismo de acao - age seletivamente degradando o colageno nativo da ferida. Indicacao - desbridamento enzimatico suave e nao invasivo de lesoes CI - Feridas com cicatrizacao por primeira intencao. Nao utilizar por mais de 15 dias trocar o curativo a cada 8 horas. observacoes: ha controversias quanto a eficacia das pomadas enzimaticas como estimulador da granulacao e epitelizacao, visto que com o aumento dos niveis de acao das proteinases, temos a degradacao dos fatores de crescimento e dos receptores de membrana celular, que sao importantes para o processo de cicatrizacao observacoes: a utilizacao de antibioticos topicos nao apresenta efetividade no tratamento local de infeccoes e pode ser indutor de resistencia bacteriana CURATIVOS COM SOLUCOES IMPREGNADAS COM SOLUCAO ANTI-SEPTICA As solucoes anti-septicas nas concentracoes clinicas sao toxicas para as celulas envolvidas no processo de cicatrizacao de feridas in vitro. A capacidade bactericida destas solucoes e comprometida na presenca de sangue e exsudatos e esta diretamente relacionada a concentracao, que quanto mais elevada, maior capacidade de citotoxidade. Curativo Iodado nao aderente Composicao: Rayon viscose impregnada com emulsao polivinilpirrolidona-Iodo a 10%. Mecanismo de acao: Bactericida topico nao aderente. Indicacao: Curativo primario de feridas infectadas. Tipo de ferida: Lesoes superficiais contaminadas ou infectadas. (nao usar em tunel- Contra-Indicacao: Feridas Limpas (abertas ou fechadas- e ostomias. Periodicidade da troca: A cada 24 horas , na alteracao da cor alaranjada. Observacoes: Solucoes anti-septicas sao citotoxicas para diversas celulas envolvidas no processo cicatricial (leucocitos, fibrobastos, monocitos, etc- A efetividade bactericida depende da concentracao e pode ser alterada na presenca de materiais organicos. Curativo com gaze parafinada impregnado com acetato de clorexidina a 0,5% Composicao: Gase de malha aberta impregnada com parafina e acetato de clorexidina a 0,5% Mecanismo de acao: Bactericida topico nao aderente. Indicacao: Curativo primario de feridas infectadas. Tipo de ferida: Lesoes superficiais contaminadas ou infectadas. (nao usar em tunel- Contra-Indicacao: Feridas Limpas (abertas ou fechadas- e ostomias. Periodicidade da troca: No maximo a cada 24 horas. Observacoes: Solucoes anti-septicas sao citotoxicas para diversas celulas envolvidas no processo cicatricial (leucocitos, fibrobastos, monocitos, etc- A efetividade bactericida depende da concentracao e pode ser alterada na presenca de materiais organicos. CURATIVO ADESIVO COM HIDROPOLIMEROS Composicao E um curativo altamente absorvente para feridas com baixa a moderada exsudacao e que proporciona um ambiente umido facilitador do processo de granulacao. Este curativo e mais aderente devido a presenca de uma camada de hidropolimero com capacidade de expansao e manutencao da adesao do curativo a lesao. Mecanismo de acao - Proporciona um ambiente umido e estimula o desbridamento autolitico. Absorve o exsudato e expande-se delicadamente a medida que absorve o exsudato. Indicacoes - Tratamento de feridas abertas nao infectadas. Contra-indicacoes Queimadura de 3 grau; Lesoes com vasculite ativa; Feridas colonizadas e infectadas, com tecido desvitalizado. Modo de Usar - Limpar o leito da ferida com grande quantidade de solucao salina atraves de pequenos jatos. - Quando necessario a remocao do exsudato utilizar gaze esteril embebida em solucao salina 0,9% com o cuidado de executar o procedimento com movimentos leves e lentos para nao prejudicar o processo cicatricial. - Enxugar bem a pele perilesional - Segurar as bordas do curativo e aplicar a parte central sobre a ferida - Remover o protetor das borda do curativo e remover a protecao. - Pressionar levemente as bordas do curativo. - Trocar o curativo sempre que o gel extravasar e o curativo deslocar ou no maximo em 7 dias. Observacoes Talco sobre o curativo e a pele integra circundante aumenta o poder de adesao do curativo e vaselina nos bordos da do curativo aumenta a resistencia do curativo a agua.

Comentários