Necrose liquefativa e caseosa

Necrose liquefativa e caseosa

Necrose de Liquefação

Necrose associada à infecção por agentes biológicos (principalmente bactérias) a um tecido, ou no caso específico da lesão por isquemia ou hipóxia no tecido cerebral (fenômeno ainda não muito bem compreendido).

Em tecidos infectados, forma-se um processo infamatório devido ao recrutamento de leucócitos para neutralizar os microorganismos. Neste caso pode haver lesão e morte celular mediada por toxinas bacterianas ou fúngicas ou então devido ao processo inflamatório, e como o tecido inflamado é rico em leucócitos as células mortas são rapidamente fagocitadas e digeridas. Em todo caso a digestão do tecido necrótico resultará na formação de uma massa residual amorfa, composta por pus caso a necrose seja resultado de uma infecção aguda e haja presença de leucócitos mortos.

Achados à microscopia óptica

  • Completa destruição da arquitetura tecidual.

  • Transformação do tecido em uma massa amorfa (daí o termo liquefação).

Necrose Caseosa

É uma forma bastante distinta de necrose de coagulação. Macroscopicamente o tecido se torna esbranquiçado, granuloso, amolecido, com aspecto de queijo friável. Esta necrose é encontrada em tecidos infectados com o bacilo da tuberculose e sua formação é fortemente mediada pelo sistema imune do indivíduo, que participa da formação de granulomas no tecido infectado.

Achados ao microscópio óptico

  • Perda da arquitetura tecidual

  • O tecido exibe uma massa amorfa composta predominantemente por proteínas (caseína - desnaturação protéica), e também formações granulomatosas de massas protéicas amorfas cercadas por uma borda inflamatória.

Calcificação Distrófica

O fenômeno da Calcificação distrófica na necrose está associado a lentidão na digestão dos restos celulares do foco necrótico, o que atrai sais de Ca++.

Comentários