Intalaçao Indústria de Sabão

Intalaçao Indústria de Sabão

(Parte 4 de 6)

Em função dessa característica do sebo, recomenda-se manter um estoque com giro rápido (com ciclo médio de 25 dias por produção).

4.8 Fórmulas

A seguir têm-se algumas fórmulas para a fabricação do sabão. Lembrando que as formulações fornecidas são a título indicativo, sem qualquer garantia implícita ou declarada, nem qualquer responsabilidade assumida por quem as forneceu. Por conseqüência, todas as sugestões todas as fórmulas ou valores indicados, devem ser considerados como indicação orientadora sujeita a sucessivas elaborações e a desenvolvimentos ditados pela experiência de quem os utiliza.

- Fórmula A: 3 litros de óleo (sebo), 2 litros de água morna, 500 ml de pinho sol e 1 kg soda cáustica.

- Fórmula B: 75 kg de sebo, 25 kg de óleo de coco, 75 kg de soda cáustica a 35º Be e 125 kg de silicato de sódio.

- Fórmula C: 250 kg de sebo, 375 kg de óleo de palma, 312 kg de soda cáustica a 38ºBe, 37 kg de carbonato de potássio a 20º Be e 25 kg de solução de sal comum a 20º Be.

- Fórmula D: 100 kg de óleo de coco, 100 kg de óleo de palma, 250 kg de soda cáustica a 32º Be, 50 kg de silicato de sódio a 36º Be e 1 kg de álcool a 96º Be.

- Fórmula E: 3,5 partes (peso) lixívia de soda cáustica a 19ºBe, 2,5 partes (peso) gordura de coco, 0,25 partes (peso) óleo de rícino, 2,75 partes (peso) salmoura a 17ºBe e 1 parte (peso) silicato de sódio a 28-30ºBe.

- Fórmula F: 5 partes (peso) de gordura de coco e 3 partes (peso) de lixívia de soda a 30ºBe.

4.9 Plano de Investimento

Estão relacionados a seguir os itens a serem considerados no levantamento de recursos necessários para investimento e projeção anual de receitas, custos e lucros.

1. Investimento fixo (necessário para a operação da empresa):

  • terreno;

  • galpão;

  • máquinas e equipamentos;

  • móveis e utensílios;

  • veículos;

  • eventuais (10% do valor do investimento fixo).

2. Capital de giro (recursos necessários para a empresa iniciar e manter sua atividade operacional):

  • caixa mínimo (recursos para despesas rotineiras);

  • matérias-primas, embalagens e materiais secundários;

  • financiamento das vendas;

  • insumos e serviços básicos;

  • mão-de-obra.

3. Investimento total:

  • investimento fixo + capital de giro

4. Custos fixos anuais (ocorrem independentemente da produção e vendas):

  • salários + encargos sociais (mão-de-obra indireta)

  • “pró-labore”;

  • contabilidade;

  • depreciação;

  • aluguéis

  • manutenção

  • material de expediente

  • outros (3% sobre a soma).

5. Custos variáveis anuais (variam proporcionalmente ao volume de produção e vendas):

  • matérias-primas

  • mão-de-obra direta e encargos

  • materiais secundários

  • embalagens

  • insumos

  • impostos

  • fretes

  • comissões sobre vendas

6. Custos anuais totais:

  • custos fixos + custos variáveis.

7. Custo unitário do produto (rateio dos custos fixos e custos variáveis diretos):

  • compreende a soma entre: custo fixo unitário (custo fixo ÷ unidades produzidas) + custo variável direto unitário (matérias-primas, embalagens, mão-de-obra direta, insumos ÷ unidades produzidas).

8. Custo de comercialização (custos percentuais que incidem sobre o preço de venda):

  • (%) impostos;

  • (%) comissões;

  • (%) expedição.

9. Margem de lucro (lucro desejado)

  • percentual definido de acordo com a política de vendas da

  • empresa;

  • deve levar em conta aspectos de mercado e concorrência.

10. Preço de venda (PV): PV = custo unitário do produto 1 - (custo de comercialização em % + margem de lucro em %).

11. Receitas operacionais (resultam da projeção das vendas durante o ano):

  • quantidade de produtos destinados à venda x preço de venda estimado.

12. Lucro operacional:

  • receitas operacionais - custos anuais totais.

4.10 Legislação Específica

Torna-se necessário tomar algumas providências, para a abertura do empreendimento, tais como:

- Registro na Junta Comercial;

- Registro na Secretária da Receita Federal;

- Registro na Secretária da Fazenda;

- Registro na Prefeitura do Município;

- Registro no INSS;(Somente quando não tem o CNPJ – Pessoa autônoma – Receita Federal)

- Registro no Sindicato Patronal;

O novo empresário deve procurar a prefeitura da cidade onde pretende montar seu empreendimento para obter informações quanto às instalações físicas da empresa (com relação à localização), e também o Alvará de Funcionamento.

Além disso, deve consultar o PROCON para adequar seus produtos às especificações do Código de Defesa do Consumidor (LEI Nº 8.078 DE 11.09.1990).

Algumas leis que o futuro empreendedor deve ter conhecimento:

Nível Federal:

- LEI 6.360/76. Dispõe sobre a vigilância a que ficam sujeitos os produtos de limpeza e higiene.- LEI 9.782/99. Cria a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, órgão fiscalizador.

4.11 Layout

  1. MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

O avanço da tecnologia vem trazendo, a cada dia, maiores facilidades no que diz respeito ao desenvolvimento de processos produtivos essenciais ao conforto e a qualidade de ida dos seres humanos.

Como visto anteriormente, a fabricação de sabão é um dos mais importantes processos produtivos de todos os tempos, uma vez que, está relacionado, não só com o conforto, mas com a higiene e saúde dos seus consumidores.

Desta forma, modernos equipamentos estão à disposição de empreendedores que desejem ingressar neste mercado, seja para a montagem de grandes indústrias, seja para pequenas fábricas familiares. E muitos avanços tecnológicos de equipamentos para este ramo vêm sendo desenvolvidas a cada dia.

Fabricar sabão, sabonete, detergente e demais produtos de limpeza, além de ser um excelente negócio é uma atividade altamente lucrativa, pois estes são produtos de consumo e uso diário independe de classe social ou de qualquer mudança na área econômica, e sua necessidade é permanente.

O nosso projeto permite fabricar uma linha completa de produtos nas áreas: domésticas, automotiva, industrial, farmacêutica, hospitalar, cosmética e outras, sendo de fácil manejo, móvel, silencioso, não poluente, com mão-de-obra reduzida, fácil reposição de peças, gasto mínimo de energia e com assistência técnica permanente.

O processo de produção pode ser resumido da seguinte forma: faz-se a massa no reator, derrama nas caixas de resfriamento, corta-se os blocos após cinco horas na cortadeira com manivela, passa-se a barra no moldador, corta-se o comprimento padrão no cortador com fio, imprime-se o nome por meio de carimbo, sendo embalado na seqüência. Produção inicial de 1000 pedaços/dia. Serve para todos os tipos de sabão, com acabamento igual extrusado.

A seguir, temos a descrição dos equipamentos básicos escolhidos para a montagem da fábrica.

5.1 Reator

Sendo o sabão produzido através de uma reação química, o reator a ser utilizado constitui o principal equipamento do processo podendo ser considerado como o “coração” da fábrica.

O equipamento apresentado na Figura 1 é um Reator para Sabão Motorizado. Trata-se de um misturador motorizado com dois tanques em aço carbono: o primeiro tanque possui uma capacidade de 250 kg para homogeneização da massa e o segundo possui uma capacidade de 130 kg para aquecimento de gorduras, com sistema de aquecimento a gás para fazer a massa e um motor de ½ Cv trifásico.

Figura 1: Reator para Sabão Motorizado.

Este equipamento constitui-se em uma estrutura metálica móvel com capacidade de produção de 2000 peças por dia utilizando-se uma mão-de-obra de apenas duas pessoas e ocupando em espaço físico de 30m2 50m2.

A seguir, alguns dados adicionais do equipamento:

  • Comprimento: 1.45 m;

  • Largura: 0.80 m;

  • Altura: 2.00 m;

  • Peso: 230 Kg;

O reator escolhido mostrou-se o mais adequado para o objetivo desejado, sendo que serve para todos os tipos de sabão, com acabamento igual extrusado.

5.2 Caixas para Resfriamento

Após constituída a massa do sabão, ela precisa ser resfriada de modo que tome a forma e a consistência adequada ao uso. Para isto, são utilizados equipamentos denominados caixas de resfriamento.

(Parte 4 de 6)

Comentários