Queimaduras

Queimaduras

Queimaduras

Definição:

  • Podem ser definidas como injúrias causadas quando o corpo recebe mais energia do que pode absorver; são lesões produzidas nos tecidos de revestimento do organismo, podendo ter origem térmica, química, elétrica e radioativa. As queimaduras podem lesar pele, músculos, vasos sanguíneos, nervos e ossos. E têm o potencial de desfigurar, causar incapacitações temporárias ou permanentes e até mesmo a morte.

Fisiopatologia:

  • Alterações cardiopulmonares (devido a perda de volume plasmático);

  • Disfunção renal (devido a queda na taxa de filtração glomerular;

  • Choque hipovolêmico e trauma tecidual (causado pela interação da hipovolemia e mediadores inflamatórios).

Tipos de queimaduras:

Queimaduras térmicas:

  • Podem ser causadas por exposição ao calor (fogo, vapores, líquidos, quentes ou objetos quentes) ou por exposição ao frio (gelo, objetos congelados).

  • Quanto ao grau de queimadura, a classificação se baseia na lesão, ou seja, do comprometimento a partir da superfície do corpo.

Queimaduras elétricas:

  • São conseqüência do contato com a eletricidade. Na verdade os danos na pele são causados pela produção de calor que ocorre à medida que a corrente elétrica atravessa o tecido. São difíceis de avaliar, e até mesmo as lesões que parecem ser superficiais podem causar danos profundos a músculos e nervos. A eletricidade ao atravessar o corpo pode causar parada respiratória ou cardiorespiratória, danos ao SNC (cefaléia, perda de consciência, convulsões, etc.) e lesões em órgãos internos.

Queimaduras Químicas:

  • São causadas pelo contato com substâncias tóxicas, normalmente ácidos ou bases fortes, ou seus vapores. Há necessidade de cuidados especiais com os olhos e vias respiratórias.

  • O atendimento de primeiros socorros assemelha-se ao das queimaduras térmicas, sendo que para parar o processo de queimadura, o produto deve ser removido da pele da vítima com água corrente abundante pelo menos por 10 minutos. A roupa da vítima deve ser retirada. Se a lesão for nos olhos, lavá-los por pelo menos 15 minutos com água corrente e depois cobrir com um curativo estéril úmido. Caso o produto seja em pó, escove os resíduos da pele antes da limpeza com água, pois algumas substâncias químicas quando dissolvidas em água geram importante calor ou mesmo quando são ativadas.

Queimaduras por radiação;

  • São resultantes da exposição solar (raios ultravioletas) ou fontes nucleares.

Classificação quanto a gravidade:

  • A gravidade de uma queimadura depende

  • de vários fatores como por exemplo:

  • Causa;

  • Profundidade;

  • Percentual da superfície corporal queimada;

  • Associação com outras lesões;

  • Comprometimento das vias aéreas.

Causas:

  • Podem ser térmicas, elétricas, químicas ou por radiações.

Profundidade:

  • Queimaduras de 1º Grau: envolvem apenas a camada superficial da epiderme. A região fica avermelhada (hiperemiada), inchada (edemaciada) e muito dolorosa. Ex.: queimadura por exposição ao sol.

  • Tratamento: hidratantes tópicos.

Profundidade:

  • Queimaduras de 2º Grau: envolvem a epiderme e a derme em graus variados mas sem atingir o tecido subcutâneo, caracteristicamente há a formação de bolhas (flictena) e também é bastante dolorosa.

Profundidade:

  • Queimaduras de 3º Grau: Ultrapassam a derme, atingindo o tecido subcutâneo, ou até mais profundamente. A área queimada apresenta-se ressecada e com anestesia pela destruição das terminações nervosas. Caracteriza-se pelo aparecimento de uma zona de morte tecidual (necrose) Ao contrário, a área circunjacente é extremamente dolorosa.

Localização:

  • O envolvimento de áreas críticas tem impacto óbvio sobre a gravidade de uma queimadura. Queimaduras nas mãos e pés podem causar incapacidade de movimentação, face podem causar obstrução das vias aéreas, desfiguração, cegueira. As queimaduras que atinjam a genitália tem alto índice de infecção, sendo de difícil tratamento.

Percentual da superfície corporal queimada:

  • A extensão da queimadura pode ser estimada pela Regra dos nove

Regra dos Nove:

  • Este sistema divide a superfície do corpo em seções, onde a cabeça e membros superiores representa 9% da superfície corporal, cada membro inferior 18%, o tronco 36% e a genitália 1%.

  • Em crianças deve-se atribuir um valor maior a cabeça (18%) e menor aos membros inferiores (14%).

  • Quando avaliamos a extensão da lesão, somente aquelas de 2º e 3º graus devem ser consideradas; pois as queimaduras de 1º grau só serão consideradas muito graves se atingirem mais da metade do corpo; ou quando atingirem áreas importantes como face e genitálias.

Associação com outras lesões:

  • Em algumas ocasiões as queimaduras podem se associar a outras lesões como traumatismos na cabeça, coluna cervical e fraturas. A gravidade dessas lesões pode, em alguns casos, influenciar mais no estado geral da vítima do que a queimadura propriamente dita. A idade e o estado geral da vítima devem ser considerados. Pois crianças pequenas e idosos têm um sistema de defesa contra infecções diminuído, assim como desnutridos e diabéticos.

Comprometimento das vias aéreas:

  • A inalação de fumaça é a principal causa de óbito precoce após a queimadura. A inalação de gazes superaquecidos pode causar pbstrução de vias aéreas. A combustão de determinados materiais produz substâncias químicas tóxicas que podem envenenar a vítima. O caso mais comum de é intoxicação por monóxido de carbono (CO). O monóxido de carbono se liga a hemoglobina, formando a carboxi-hemoglobina, impedindo o transporte de oxigênio. A lesão nos tecidos é então provocada pela falta de oxigenação.

Lesões inalatórias:

  • Podem aparecer nas primeiras 24 a 72 horas após a exposição ao agente causador. Momento em que se iniciam as trocas gasosas.

Intoxicação por monóxido de carbono:

Queimaduras Críticas em adultos:

  • Complicações por fraturas;

  • Em que há injúria respiratória;

  • Queimaduras de 3º grau envolvendo mãos, pés, genitália ou face;

  • Queimaduras de 3º grau envolvendo mais de 10% da superfície corporal;

  • Queimaduras de 2º grau envolvendo mais de 25% da superfície corporal;

  • Queimaduras moderas em idosos.

Queimaduras moderadas em adultos:

  • Queimaduras de 3º grau que envolvem de 2 a 10% da superfície corporal, exceto mãos, pés, genitália ou face;

  • Queimaduras de 2º grau que envolvem de 15 a 25% da superfície corporal;

  • Queimaduras de 1º grau que envolvem mais de 50% da superfície corporal.

Em crianças:

  • São consideradas queimaduras críticas todas de 3º grau e as de 2º grau que comprometam mais de 20% da superfície corporal. As queimaduras de 2º grau que envolvem de 10 a 20% da superfície corporal são consideradas como moderadas.

Primeiros Socorros:

  • Parar o processo de queima e evitar mais lesões;

  • Cobrir a área com um tecido estéril e molhado, para amenizar e diminuir a temperatura da região afetada, que com o calor ainda pode estar efetivando a queima e evitar o risco de infecção;

  • Retirar anéis e objetos que possam armazenar calor antes que a zona atingida inche, mas somente se o local não estiver queimado;

  • Dar suporte as funções vitais da vítima;

  • Transportar a vítima o mais rápido possível para o hospital.

Tratamento medicamentoso:

  • Sulfadiazina de prata a 1%;

  • Analgésicos: Morfina e Fentanil EV

  • Ringer lactato para ressuscitação volêmica.

Monitorar:

  • PA;

  • FC

  • Débito Urinário.

Curativo:

  • Lavar a área queimada com água abundante e corrente;

  • Desinfectar com clorexidina;

  • Aplicar grossa camada de sulfadiazina de prata 1%

  • Realizar curativo 2 X ao dia.

  • Curativos oclusivos, exceto em face, orelhas e genitália.

Nutrição:

  • Recomendada nutrição enteral nas primeiras 24 horas após a queimadura.

  • Para prevenir a diminuição da resistência à infecções e da cicatrização

Não se deve:

  • Apertar ou estourar bolhas;

  • Tocar na parte queimada;

  • Arrancar os tecidos colados a queimadura;

  • Usar pomadas, cremes, pasta de dente, borra de café.

Insolação:

  • Pode manifestar-se de diversas maneiras; subitamente, quando a pessoa cai desacordada, mantendo a pulsação e a respiração, ou após o aparecimento de sinais e sintomas como: tonturas, enjôos, dor de cabeça, pele seca e quente, rosto vermelhado, febre alta, pulso rápido, respiração difícil.

Primeiros socorros:

  • Colocar a vítima a sombra, fazer compressas frias sobre a cabeça e envolver o corpo em toalhas molhadas. Isto é feito para baixar a temperatura. Deitar a vítima com a cabeça elevada.

Conclusões:

  • Todo paciente queimado deve ser avaliado como paciente traumatizado. ABC do trauma (intubação, ventilação, acesso vascular e ressuscitação;

  • O estado de imunização contra o tétano deve ser avaliado e suplementado se possível.

Queimadura solar:

Fotos de Queimaduras Elétricas

Fotos de Queimaduras Químicas

Fotos de Queimaduras Químicas

Fotos de Queimaduras Elétricas

Comentários