As atuais brincadeiras das crianças

As atuais brincadeiras das crianças

COLÉGIO MOTIVO

ED. FÍSICA

ALLAN LAUZID

2º G

RECIFE, 05 DE DEZEMBRO DE 2008

INDÍCE

INTRODUÇÃO.............................................................................................03

AS ATUAIS BRINCADEIRAS DAS CRIANÇAS..........................................03

CONCLUSÃO..............................................................................................04

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS............................................................04

INTRODUÇÃO

Brincadeira de criança já foi algo a ser simplesmente interpretado como coisas bobas, criativas e educativas, feitas num parque, na rua. Sem pouco se preocupar com a questão da saúde tanto física quando mental, até por geralmente serem de um bom nível de exercício físico e melhorar seu convívio social dentre outras crianças ou adultos, adolescentes, idosos. Mas essa interpretação está cada vez mais atrasada e dissipada, pois por causa da falta de atenção dos pais sem tempo, da violência nas ruas dentre outros, brincadeira de criança resume-se somente em distrair-la e o que poucos sabem gerar serotonina e dopamina, neurotransmissores essenciais para a sensação do prazer, gerado tanto nas atividades físicas, quanto em videogames, essencial para a saúde do indivíduo.

AS ATUAIS BRINCADEIRAS DAS CRIANÇAS

A preocupação atual quanto as brincadeiras das crianças se dá pelo fato, de estarem cada vez mais vidradas aos videogames, se submetendo diretamente à miopia, dores músculo-esqueléticas, isolamento e sedentarismo. Tornando-se indefesas ao mundo exterior tanto na saúde mental quanto física. Obviamente que tal fato é referente à alienação da atividade, o que também é prejudicial caso fosse com brincadeiras regulares em grupo das crianças, mas é mais difícil de ocorrer por ela ser “menos produtiva” quanto ao aspecto negativo. Pois antes mesmo dela se alienar, já está desgastada quanto à brincadeira.

Já sabemos que em comum as duas atividades geram serotonina e dopamina, moléculas responsáveis pela sensação de prazer, dilatando vasos, aumentando freqüência cardíaca dentre outros, sendo obviamente, melhor produzida no ato da atividade física. Mas, o videogame, cada vez mais usado, e preocupante, tem seu lado positivo se bem usado.

Os pontos positivos do videogame são inúmeros, ainda mais com o decorrer da sua evolução, tornando mais realista e desafiador. Simuladores, RPGs, dentre outros, estimulam a concentração, memorização e coordenação, uma vez que para serem efetuados precisa-se desses fatores pra o videogame decorrer, aumentando seu hipocampo, e gerando mais serotonina com as conquistas perante o jogo. Sem contar o raciocínio lógico e determinação.

Sem contar das habilidades aderidas em simuladores ou nos próprios jogos regulares quanto ao manuseio de controle para efetuar atividades, no qual hoje, prepara médicos para se aprimorarem no manuseio de certas máquinas cirúrgicas, ou operários com máquinas de pequeno a grande porte, ou até pilotos de aeronaves.

Mas uma vez que o indivíduo se aliena a tal atividade, submetendo-se a horas e horas, ele não tem a oportunidade de se dedicar a outras atividades beneficiadas pelo seu desenvolvimento dentro do videogame, tornando-se literalmente inútil a dedicação ao videogame. Podendo então somente se observar aos pontos negativos.

Os pontos negativos são 100% quanto à saúde física, mental e social do indivíduo, que pelo sedentarismo, não gasta as calorias suficientes consumidas em seu dia, inclusive consumidas durante o uso do videogame, por exigir do seu raciocínio, quando exigem, sem contar o colesterol tendencioso e a obesidade. Ainda pelo mesmo fato, dores no corpo podendo gerar lesões como tendinite e osteoporose.

A miopia dentre outros estresses oculares, devido a refração, é o mais comum dentre as crianças, sendo muito perigoso para as crianças de até oito anos, por estarem ainda desenvolvendo a visão, podendo ter lesões permanentes.

Podendo-se então citar inúmeros exemplos, quanto à alienação ao videogame, mas ressaltando somente mais uma, quanto aos games que tanto geram tais malefícios físicos, quanto o mental. Quando não exigem o raciocínio lógico, nem memorização, mas dando a criança, ambições que ela não cumpre na vida real, como atropelar pessoas, trafegar drogas etc. Que se mal administrado, estimula a violência no mundo real, degradando-se ao máximo perante o videogame.

CONCLUSÃO

Portanto, conclui-se que devido à nossa sociedade cada vez mais insegura, violenta, intolerante, impaciente, isolamos cada vez mais nós mesmos e nossas crianças, e para que elas possam continuar a se distrair e se divertir (perante serotonina), submetemos elas aos videogames, que logo se alienam, e degradam-se cada vez mais perante essa alienação.

Mas se bem administrado, regulando-o e dando intervalos em seu tempo de uso, podemos aderir ao máximo de benefício quanto à vida da criança, melhorando seu raciocínio lógico e capacidade hábil, preparando-a para o nosso mundo movido a tecnologia. Sem esquecer as atividades em grupo, com outras crianças, até mesmo adolescentes a idosos, sem deixar com que ela se isole, e aprenda a desenvolver seu meio social. A alienação nunca é benéfica.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

+ Pinker, Steven, Como A Mente Funciona

+ Springer, Sally P., Deutsch, Georg, Cérebro Esquerdo, Cérebro Direito

+ Sites visitados: http://www.bonde.com.br/; http://diversaosadia.blogspot.com/; http://www.integral.br/noticias/; http://www.mundolusiada.com.br/; http://www.paranashop.com.br/.

Comentários