Apostila Cronoanálise

Apostila Cronoanálise

(Parte 1 de 5)

1 PRO

Estudo de Tempos e Métodos Estudo de Tempos e Métodos Paulino G. FrancischiniPaulino G. Francischini

2 PRO

Objetivo do CursoObjetivo do Curso llFornecer os conceitos fundamentais do Estudo de Tempos e e Fornecer os conceitos fundamentais do Estudo de Tempos e e Projetos de MétodosProjetos de Métodos llFornecer noções teóricas e ferramentas de trabalho para a Fornecer noções teóricas e ferramentas de trabalho para a definição de análise de problemas de método de trabalhodefinição de análise de problemas de método de trabalho llApresentar metodologia sistemática para a execução de Projetos Apresentar metodologia sistemática para a execução de Projetos de Métodos e Medida do Trabalhode Métodos e Medida do Trabalho llExercitar as técnicas fundamentais a serem apresentadasExercitar as técnicas fundamentais a serem apresentadas

3 PRO

de mestrado de mestrado --Escola Politécnica da Universidade de São PauloEscola Politécnica da Universidade de São Paulo.
••BELASCO, K.S. BELASCO, K.S. BankBankproductivityproductivityIilinoisIilinois, , BankersBankersPublishingPublishingCompanyCompany. 1990. 1990

·•BANDEIRA, A. A. Indicadores de desempenho para gestão de uma usiBANDEIRA, A. A. Indicadores de desempenho para gestão de uma usina hidrelétrica. São Paulo, 1997. Dissertaçãona hidrelétrica. São Paulo, 1997. Dissertação ••BROWN, BROWN, MarkMarkGrahamGrahamKeepingKeepingScoreScore: : UsingUsingthe the RightRightMetricsMetricsto to DriveDriveWorldWorldClassClassPerformance Performance

••CHRISTOPHER, W.F. CHRISTOPHER, W.F. ThorThor, C.G. , C.G. HandbookHandbookof of productivityproductivitymeasurement and measurement and improvementimprovementPortlandPortland. . ProductivityProductivity. .

••FROST Bob; FROST Bob; MeasuringMeasuringPerformance “Performance “MassMassMarketMarket””

••GARVIN, D. GARVIN, D. --““CompetingCompetingon the on the EightEightDimensionsDimensionsof Quality” of Quality” --Harvard Harvard BusinessBusinessReviewReview, p 101, p 101--109, 109, nov/decnov/dec19871987

••GARVIN, D. GARVIN, D. --““WhatWhatDoes Does ProductProductQualityQualityReallyReallyMeanMean?”.?”.--SloanSloanManagementManagementReviewReview, p 25, p 25--43, 43, fallfall19841984

••GOLD, B. GOLD, B. --““FoundationsFoundationsof of EstrategicEstrategicPlanningPlanningfor for ProductivityProductivityImprovementImprovement”” --Interfaces, 15:3 Interfaces, 15:3 may/junmay/jun, p 15, p 15--30, 198530, 1985

••Harvard Harvard BusinessBusinessSchool Harvard Business Review on Measuring Corporate PerformancSchool Harvard Business Review on Measuring Corporate Performance (Harvard Business Review e (Harvard Business Review Series)Series)

••HAYES, R. H.; Wheelwright, S.C. Restoring our competitive edge. HAYES, R. H.; Wheelwright, S.C. Restoring our competitive edge. New York, John Wiley and Sons, 1984 New York, John Wiley and Sons, 1984

••HRONEC Steven m. Vital Signs : Using Quality, time, and Cost PerHRONEC Steven m. Vital Signs : Using Quality, time, and Cost Performance Measurements to Chart Yourformance Measurements to Chart Your Companys Future.Company´s Future.

BibliografiaBibliografia

4 PRO

BibliografiaBibliografia

·•HODGETTS Richard M.; HODGETTS Richard M.; MeasuresMeasuresof Quality and of Quality and HighHighPerformance: Performance: SimpleSimpleToolsToolsand and LessonsLessonsLearnedLearnedfromfrom AmericasAmericas MostMost SuccessfulSuccessful CorporationsCorporations

••ISHIWARA, A. Uma visão do modelo ISHIWARA, A. Uma visão do modelo japonesjaponesda produtividade. Curitiba, Instituto Brasileiro da Qualidade eda produtividade. Curitiba, Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade no Paraná, 1996.Produtividade no Paraná, 1996.

••JOHNSON, H. T. Performance measurement at JOHNSON, H. T. Performance measurement at companycompanylevellevel: The : The japanesejapaneseexperienceexperienceAmsterdamAmsterdam, , ElsevierElsevier, ,

••KAPLAN Robert S., NORTON David P. The Balanced Scorecard : KAPLAN Robert S., NORTON David P. The Balanced Scorecard : TranslatingTranslatingStrategyStrategyintointoActionAction

••KAYDOS, W. Operational performance measurement: KAYDOS, W. Operational performance measurement: increasingincreasingtotal total productivityproductivity. New YorkNew York. StSt. . LucieLuciePressPress. 1998. 1998

••MIYAKE, D. I. Programas de melhoria de Produtividade e QualidadeMIYAKE, D. I. Programas de melhoria de Produtividade e Qualidade: um estudo comparativo dos modelos “: um estudo comparativo dos modelos “JustJust inin--Time” (JIT), “Total Time” (JIT), “Total qualityqualitycontrolcontrol” e “Total ” e “Total productiveproductivemainterancemainterance” (TPM). São Paulo, 1993. Dissertação de ” (TPM). São Paulo, 1993. Dissertação de Mestrado Mestrado ––Escola Politécnica, Universidade de São Paulo.Escola Politécnica, Universidade de São Paulo.

••MOREIRA, D.A. Os benefícios da produtividade industrial. São PauMOREIRA, D.A. Os benefícios da produtividade industrial. São Paulo, Pioneira, 1994.lo, Pioneira, 1994.

••MUSCAT, A. R. N. Modelo para integração de decisões sobre sistemMUSCAT, A. R. N. Modelo para integração de decisões sobre sistemas de operações. São Paulo 1993. Teseas de operações. São Paulo 1993. Tese (Doutorado) (Doutorado) ––Escola Politécnica, Universidade de São Paulo.Escola Politécnica, Universidade de São Paulo.

·•MUSCAT, A. ; Fleury, A. MUSCAT, A. ; Fleury, A. --“Indicadores da Qualidade e Produtividade na Indústria Brasilei“Indicadores da Qualidade e Produtividade na Indústria Brasileira” ra” --Revista IndicadoresRevista Indicadores da Qualidade e Produtividade, nº 02, da Qualidade e Produtividade, nº 02, pp82pp82a 107, 1993a 107, 1993

5 PRO

BibliografiaBibliografia

·•JURAN, J; JURAN, J; GrynaGryna,F. ,F. --“Quality “Quality PlanningPlanningand Analysis” and Analysis” --McGrawMcGraw--HillHill, USA, 1993., USA, 1993. ••KAPLAN Robert S., Norton David P. The Balanced Scorecard : KAPLAN Robert S., Norton David P. The Balanced Scorecard : TranslatingTranslatingStrategyStrategyintointoActionAction

••KAYDOS, W. Operational performance measurement : KAYDOS, W. Operational performance measurement : increasingincreasingtotal total productivityproductivity. New YorkNew York. StSt. . LucieLuciePressPress..
••KUROSAWA, K. KUROSAWA, K. ProductivityProductivitymeasurement and management at measurement and management at companycompanylevellevel: The : The japanesejapaneseexperienceexperienceAmsterdamAmsterdam,,

ElsevierElsevier, 1991, 1991

••SLACK, N. SLACK, N. --“Vantagem Competitiva em Manufatura” “Vantagem Competitiva em Manufatura” --Atlas, São Paulo, 1993Atlas, São Paulo, 1993

••SLACK et SLACK et aliialii--“Administração da Produção”“Administração da Produção”--(Edição compacta) (Edição compacta) --Atlas, São Paulo, 1999Atlas, São Paulo, 1999

••SINK, D.S. Tuttle, T.C.SINK, D.S. Tuttle, T.C. PlanningPlanningand measurement and and measurement and evaluationevaluation, , controlcontroland and improvementimprovement. New York, John . New York, John WileyWiley, 1985., 1985.

·•SUMANTH, D.J. SUMANTH, D.J. ProductivityProductivityengineeringengineeringand management. and management. McGrawMcGraw––Hill, 1984.Hill, 1984.

••MUSCAT, A. R, N. Produtividade e Gestão da Produção. São PauloMUSCAT, A. R, N. Produtividade e Gestão da Produção. São Paulo1987. 1987. ––Escola Politécnica, Universidade de SãoEscola Politécnica, Universidade de São Paulo.Paulo.

6 PRO

ConceitosConceitos

Estudo de Tempos e Métodos (ET&M) é o estudo sistemático Estudo de Tempos e Métodos (ET&M) é o estudo sistemático dos sistemas de trabalho com os seguintes objetivos:dos sistemas de trabalho com os seguintes objetivos:

üüDesenvolver o método mais adequado, geralmente aquele de Desenvolver o método mais adequado, geralmente aquele de menor customenor custo üüPadronizar este métodoPadronizar este método üüDeterminar o tempo gasto por uma pessoa qualificada e Determinar o tempo gasto por uma pessoa qualificada e devidamente treinada, trabalhando em um ritmo normal, para devidamente treinada, trabalhando em um ritmo normal, para executar uma tarefa ou operação específicaexecutar uma tarefa ou operação específica üüOrientar o treinamento no método especificadoOrientar o treinamento no método especificado

7 PRO

Partes do ET&MPartes do ET&M llProjeto de MétodosProjeto de Métodos üüEncontrar o Encontrar o melhormelhormétodométodode se executar uma tarefade se executar uma tarefa llEstudo de Tempos ou Medida do TrabalhoEstudo de Tempos ou Medida do Trabalho üüDeterminar o Determinar o tempotempo--padrãopadrãopara executápara executá--lolo

8 PRO

Perguntas a serem respondidasPerguntas a serem respondidas ...

Qual a melhor maneira de se executar uma determinada tarefa?Qual a melhor maneira de se executar uma determinada tarefa? Método PadrãoMétodo Padrão

Qual deveria ser o tempo necessário para executar um ciclo do Qual deveria ser o tempo necessário para executar um ciclo do Método Padrão?Método Padrão?

Tempo PadrãoTempo Padrão

9 PRO

Aplicações do ET&MAplicações do ET&M llAvaliação do desempenho atual ou passadoAvaliação do desempenho atual ou passado üüMedida de produtividadeMedida de produtividade üüPlano de incentivosPlano de incentivos üüAvaliação de métodos de trabalho alternativosAvaliação de métodos de trabalho alternativos ü ControleControle llPrevisão do desempenho futuroPrevisão do desempenho futuro üüEstimativa de custos (interno ou terceirizado)Estimativa de custos (interno ou terceirizado) üüSeleção de recursosSeleção de recursos üüOrganização das tarefasOrganização das tarefas üüArranjo físico das instalaçõesArranjo físico das instalações

10 PRO

O que é Tempo Produtivo?O que é Tempo Produtivo? llTempo Produtivo (Agregação de Valor)Tempo Produtivo (Agregação de Valor) ü OperaçõesOperações llTempo Improdutivo (Sem Agregação de Valor)Tempo Improdutivo (Sem Agregação de Valor) ü InspeçõesInspeções ü EsperasEsperas ü ArmazenamentoArmazenamento ü TransporteTransporte

1 PRO

Eliminar o Tempo que Eliminar o Tempo que NÃONÃOAgrega Agrega ValorValor llSolução EficienteSolução Eficiente: : fazer certo a coisa fazer certo a coisa üüDesempenho: fez o que Desempenho: fez o que esperavaesperavaque fizesse?que fizesse? llSolução EficazSolução Eficaz: : fazer a coisa certafazer a coisa certa üüAbordagem críticaAbordagem crítica üüPor quê fazemos o que fazemosPor quê fazemos o que fazemos üüPor quê fazemos desta maneiraPor quê fazemos desta maneira

12 PRO

Metodologia de Solução de Metodologia de Solução de ProblemasProblemas

(Parte 1 de 5)

Comentários