Introduçao Dispensação Farmacêutica

Introduçao Dispensação Farmacêutica

Dispensação Farmacêutica

A dispensação farmacêutica é dividida em quatro etapas:

  1. Abordagem ao paciente:

-Saber se a pessoa abordada é a pessoa a quem a receita se destina, qual o nome da pessoa, o que está sentindo, qual idade (é uma criança, é um idoso...)

-Apresentação física (-Olha, eu sou o farmacêutico, meu nome é ...., estar sempre bem vestido, de branco ou jaleco bem branco, afinal somos profissionais da saúde).

-Peguar nas mãos, cumprimentar, estar sempre com um semblante agradável. As pessoas gostam de ser bem tratadas.

  1. Análise de prescrição médica: Lei 5991(17/12/1973)

- É um documento

-Não pode ser rasurado, não deve escrever no verso, no final usar o seu carimbo com o seu CRF...

-Tem que ser a caneta, preferencialmente digitalizado (evita erros)

-Tem que ter identificação

-Tem que ter data, assinatura, endereço, n. de inscrição do profissional.

  1. Análise física do medicamento

-Se tiver alguma alteração física implica em uma possível alteração química, ocorrendo alteração do efeito.

Obs: Em caso de dúvidas, nunca dispensar o medicamento. Se possível entrar em contato com o médico. Se identificar como o farmacêutico responsável...

  1. Orientação ao paciente

Dispensação é um ato farmacêutico onde é fornecido o medicamento juntamente com a orientação, geralmente ocorre mediante a prescrição de receitas, mas pode ocorrer sem elas.

O que é importante durante a orientação?

-Enfatizar o cumprimento do regime de doses;

-A interação com alimento (Existem fármacos que quando tomados concomitantemente com alimento o efeito aumenta, já outros o efeito diminui). Interação fármaco-fármaco, fármaco-doença (existem medicamentos que podem piorar o quadro da doença, exemplo, uma pessoa asmática fazendo o uso de propanolol). Existe por exemplo um fármaco, o metildopa usado para hipertensão, mas que causa boca seca. É importante que o paciente seja informado de forma que diminua as chances de interrupção do tratamento, e se interrompido bruscamente, pode acontecer uma crise hipertensiva. Sulfato ferroso ocorre o escurecimento das fezes... Existem informações que não são necessárias que o paciente tenha conhecimento. Mas sempre deixar as portas abertas para que ele possa tirar qualquer dúvida a possíveis reações adversas que venham surgir.

-Reconhecimento de reações adversas

A dispensação farmacêutica é uma relação direta face a face entre o farmacêutico e o paciente. É necessário que o farmacêutico saiba ouvir o paciente, ver o que ele sabe a respeito do tratamento, da doença... O farmacêutico irá apenas complementar as informações.

Qual a relação entre atenção farmacêutica e dispensação farmacêutica? Em termos brasileiros que é a atenção farmacêutica integral, consiste todas as etapas acima. O primeiro momento de atenção farmacêutica é a dispensação, onde é ocorre o primeiro contato com o paciente.

Atendimento farmacêutico é uma avaliação do farmacêutico para que o paciente use ou não medicamentos.

  1. Registro das atividades realizadas

É necessária que orientação dada ao paciente seja anotada, em uma folha a parte, nunca na receita.

O que se espera com a dispensação????

-Fonte de informação para o paciente sobre medicação. É interessante que quando você dá uma orientação, na segunda vez que o paciente volta, já vem com outras dúvidas. Pois se cria uma relação.

-Possa detectar situações em que haja risco de problemas relacionado ao medicamento. Falta de segurança, problemas relacionados à eficácia...

-Fonte de informação para o farmacêutico sobre a decisão mais benéfica para o paciente. Exemplo sugerir o genérico. Farmacêutico pode trocar medicamentos de referência por genérico.

Durante a dispensação o farmacêutico deverá verificar sempre:

-Objetivo do tratamento

-Forma de administração correta do medicamento: Ajustar sempre ao horário do paciente.

-Inadequação: Pacientes gestantes

Cuidado com as perguntas perigosas:- O senhor sabe para que serve este medicamento?

Modo correto:- falaram para que serve o medicamento? E para que serve? Nunca faça perguntas onde a resposta será sim ou não... Sempre jogue perguntas para o paciente, às vezes ele já sabe algumas informações.

Obs: Em farmácia ocorre muita falsificação de receita, usuários de drogas. O farmacêutico é quem detecta muitas vezes essas fraudes.

Análise da prescrição do ponto de vista farmacocinético e farmacodinâmico

-Se a via e técnica de administração estão explícitas na receita.

-Interações clínicas importantes: Exemplo, antiácido e antifúngico. É sabido que os antiácidos diminuem a absorção de antifúngicos. No momento de orientação ao paciente é necessário que haja um intervalo de forma que impossibilite a interação entre os fármacos.

-Super ou subdosagem

NUNCA desqualificar outros profissionais de saúde. Questão de ética. Se o paciente questionar:- Mas o médico não me falou isso! Ele não te falou isso porque quem tem a obrigação de lhe dar essa informação é o farmacêutico.

Exame físico do medicamento

-Nome, concentração, forma farmacêutica, data de validade, estado físico da forma farmacêutica visível...

Obs: Sempre que possível treine seus funcionários.

Cuidados importantes durante o aconselhamento farmacêutico

-Tempo é dinheiro. Pergunte se a pessoa tem tempo para conversar com você

-Vê o que o paciente já sabe. O paciente tem que saber: qual o objetivo, para que serve, quanto tempo dura o tratamento, formas de utilização, cuidados específicos (se é um anti-hipertensivo e eu vou fazer um exame laboratorial, é necessário que continue fazendo o uso do medicamento. Captopril, por exemplo, tem interação com alimento).

-NUNCA faça pergunta de sim ou não

-Estar atento a sinais corporais, se a pessoa está realmente interessada nas orientações

-Observar sempre a linguagem verbal. Uma boa comunicação você entende e é entendido.

-Evite falar errado.

-Falar difícil é diferente de falar “clássico”. Sempre que possível use linguagens simples de fácil etendimento. Olhe nos olhos do paciente, seja humano!

-Orientação não farmacológica de fácil compreensão. Por exemplo, se um paciente está com dor de cabeça e sintomas de gripe, pode ser dengue. Comprou sulfato ferroso, relembre quais as fontes naturais de ferro pressentes na alimentação. Sulfato ferroso sem mudança nos hábitos alimentares não resolve. Pergunte se o paciente quer que você anote.

Elementos indispensáveis para uma boa dispensação

-Para uma boa dispensação é necessário se identificar, e se colocar a disposição do paciente.

-Ser seguro, ter conhecimento, cordialidade, habilidade, ser paciente, incentivar o paciente (“Talvez você seja a única pessoa que acredita nele”), qualquer coisa é muito positivo, ser convincente.

-É importante que os funcionários sejam treinados, sobre aspectos básicos.

-Estar atento a técnicas de comunicação. Saiba ouvir!

As expectativas que os pacientes têm hoje em dia são resultados do que foi feito por eles no passado...” -> nenhuma!

As expectativas que os pacientes desenvolverão no futuro serão resultado do trabalho que se faz hoje” -> Depende de mim!

Comentários