Relatorio Final de Pratica de Ensino de Matemática I

Relatorio Final de Pratica de Ensino de Matemática I

(Parte 1 de 4)

ESCOLA NORMAL SUPERIOR
JEFFERSON CASTRO SILVA
do título de Licenciado em Matemática

Relatório de Estágio elaborado junto à disciplina Prática de Ensino de Matemática I e apresentado ao Curso de Licenciatura em Matemática da Universidade do Estado do Amazonas, como requisito parcial para a obtenção

Costa

Orientadora: Helisângela Ramos da

Jefferson Castro Silva
RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO

Manaus 2008

A meus amigos da época de Colégio Militar.

Agradeço a todos que me apoiaram nos momentos de maior dificuldade.

Introdução 1 Descrição das Atividades Desenvolvidas 2 O Cenária da Escola 2.1 HISTÓRICO 2.2 LOCALIZAÇÃO 2.3 VISÃO 2.4 MISSÃO 2.5 VALORES 2.6 OBJETIVOS INSTITUCIONAIS 2.6.1 Objetivo geral

2.6.2 Objetivos específicos

2.7 ENTIDADE MANTENEDORA 2.8 RECURSOS HUMANOS

2.8.1 Corpo discente

2.8.2 Corpo docente 2.8.3 Corpo administrativo 2.8.4 Corpo pedagógico 2.9 ESTRUTURA FÍSICA 2.10 CURSOS OFERECIDOS E TURNOS DE FUNCIONAMENTO 2.1 ÍNDICES DE APROVAÇÃO E REPROVAÇÃO 2.12 PROJETOS DESENVOLVIDOS E PARCERIAS 2.13 PLANEJAMETO DOS PROFESSORES 2.14 CARACTERIZAÇÃO DO PROFESSOR

3 Ação Pedagógica do Professor 3.1 OS CONTEÚDOS 3.2 ESTRATÉGIAS/PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS DE ENSINO 3.3 RECURSOS DIDÁTICOS, EQUIPAMENTOS E AMBIENTES DE ENSINO 3.4 AVALIAÇÃO 3.5 ATIVIDADES INTERDISCIPLINARES 3.6 HABILIDADES E ATITUDES

4 A Ação dos Alunos e suas Dificuldades de Aprendizagem 5 Os Relacionamentos 5.1 RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO 5.2 RELAÇÃO ALUNO-ALUNO 6 A Intervenção 6.1 CRITÉRIOS UTILIZADOS 6.2 OBJETIVOS 6.3 CONTEUDO PROGRAMÁTICO 6.4 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS 6.5 AÇÕES NÃO EFETIVADAS 6.6 ATITUDES, RELACIONAMENTOS E HABILIDADES 6.7 DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM

7 A Proposta 7.1 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 7.2 OBJETIVO GERAL 7.3 OBJETIVOS ESPECÍFICOS 7.4 METODOLOGIA DA PESQUISA 7.5 APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DOS RESULTADOS

7.5.1 Os Questionários Considerações Finais Referências Anexos

é um dos fatores que dificultam o ensino-aprendizagem de Matemática

O ensino da Matemática há algum tempo enfrenta problemas assim como o ensino de várias outras disciplinas. A construção do conhecimento matemático, através do professor, cuja formação acadêmica não foi adequada

[...] quando o jovem entra na faculdade, não teve uma boa formação, logo não conhece bem a Matemática que vai ensinar [...]. No final de tudo recebe seu diploma sem ter domínio das coisas que vai ensinar a seus alunos, como Decimais Infinitos, as proposições básicas da Geometria no Espaço, Divisibilidade, Análise combinatória, etc. (LIMA, 2002, p.156)

Mesmo quando o aluno da graduação em Matemática domina os conteúdos (nível fundamental e médio) que irá abordar, ele não tivera experiências em sua vida acadêmica que o fizessem adquirir maturidade quanto à prática da docência, ou seja, nada adianta ter um graduando que domine o conteúdo e não sabe utilizar metodologias de ensino adequadas que priorizem a construção do conhecimento, a contextualização e a participação ativa do aluno. Por isso é importante a realização do Estágio Supervisionado na sua formação.

O estágio supervisionado solidificará a sua formação, não apenas limitando a teorias de ensino, mas o estimulando o futuro profissional a aplicálas através de métodos iterativos, como Jogos e Técnicas de Ensino e outras metodologias para abordar os conteúdos em sala de aula: Investigação em Matemática, e contextualização do conhecimento obtido através da Modelagem Matemática e Etnomatemática.

Infelizmente, sempre há limitações durante a prática do estágio: pouco tempo para se trabalhar em sala de aula, falta de estrutura na escola e principalmente a indisposição do corpo pedagógico em auxiliar o estagiário.

[...] apesar de todas essas deficiências, há algumas pessoas que por seu esforço, sua persistência, seu talento e sua grande vocação conseguem superar obstáculos e se tornarem grandes professores. (LIMA, 2002, p.157)

Para superar esses obstáculos, além do seu esforço, é necessário que o estagiário trace objetivos, um plano que contemple todas as suas metas no estágio, onde as metas básicas serão: o engajamento à realidade da escola, a aquisição de maturidade, o conhecimento mais profundo quanto a prática da docência e o esforço para mudar a realidade do ensino da Matemática na escola onde se realizará o estágio, e isso se dará através da elaboração e aplicação de metodologias como Jogos, Técnicas de Ensino e Modelagem Matemática.

1. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS

Neste relatório serão analisadas todas as informações coletadas no estágio proposto e tão necessário ao graduando em Licenciatura em Matemática, explorado através de uma pesquisa qualitativa, caracterizando as principais deficiências observadas e propondo (e por seguinte aplicando) soluções aos problemas presenciados (e relatados) em sala de aula.

grupo pesquisado

Será importante o uso da pesquisa qualitativa, por que este tipo de pesquisa se adapta mais a realidade se comparada a um “amontoado” de dados estatísticos que não expressam as particularidades encontradas no

auto-expressão. (REGO, 1992, p.p. 2 – 20)

A realidade social possui dimensões qualitativas, [...] o lado qualitativo tem a vantagem de ser palpável visível e manipulável. [...] a avaliação qualitativa não é uma iniciativa externa [...]. Só é factível, em profundidade, como forma de

Durante o estágio serão desenvolvidas as seguintes atividades, divididas em fases, sendo que cada fase tem um objetivo específico e ao final serão analisados os dados coletados durante todas essas fases através de análise qualitativa.

Diagnóstico: avaliar a estrutura física e pedagógica da escola. Analisar se os objetivos e crenças da escola realmente conduzem com a realidade local e verificar se as metas da escola estão sendo realmente alcançadas. Nesta fase que serão coletados os dados, e analisados documentos como o projeto político-pedagógico da escola.

trabalho do professor, e mostrar os seus pontos “positivos” e “negativos”

Observação: analisar as relações interpessoais entre professor e aluno, as suas características sociais e psicológicas. Verificar a metodologia de

A observação é usada para que o estagiário analise uma determinada prática pedagógica, em funções de quadros teóricos que o fundamentam. [...] o valor da observação dependerá do domínio, pelos observadores, dos conhecimentos teóricos que deverão ser comprovados ou questionados, e da postura científica que os observadores assumirão. (REGO, 1992, p.2)

Auxílio Regência: auxiliar o professor em atividades com a turma (exercícios em sala de aula, avaliações, aplicações de técnicas, jogos e etc.). Ajudar a eliminar determinadas falhas que foram observadas no seu processo metodológico. “O estagiário colabora com o professor da classe do estágio, dirigindo pequenas atividades de acordo com o planejamento deste professor”. (Ibid., p.24).

metodologias, os recursos e a avaliação

Regência Compartilhada: serão ministradas aulas para uma turma específica (9º03) durante um período mínimo (20h), onde os conteúdos serão expostos e desenvolvidos de maneira dinâmica, através de jogos, técnicas, uso de tecnologia e contextualização de conteúdos. Conforme os planos de aula elaborados, onde estarão definidos os objetivos, os conteúdos, as estratégias e

[...] o estagiário auxilia e, por vezes, substitui o professor regente da classe, desde que evidencie condições para isso. [...] permite ao estagiário maior integração com os alunos já que ele trabalha numa mesma classe diariamente, tendo a possibilidade de acompanhar e participar do desenvolvimento do currículo, em seus variados aspectos. (Ibid., p.25)

E finalmente, para realizar a coleta de dados (referente às avaliações das atividades realizadas) após todas essas fases serão utilizados os seguintes métodos: questionário misto e entrevista.

Questionário misto: uma lista de perguntas consistindo de perguntas objetivas (9) e objetivas (1), onde o aluno avaliará a qualidade, o grau de interesse e a produtividade da atividade.

Entrevista: semelhante ao questionário, porém será mais explorada subjetivamente a opinião de professor e alunos (2) quanto à atividade desenvolvida.

Os resultados obtidos por esses processos serão analisados de maneira qualitativa, avaliando de maneira sutil os resultados obtidos e verificando se os objetivos estabelecidos inicialmente no estágio foram alcançados.

2. O CENÁRIO DA ESCOLA

2.1 HISTÓRICO

A Escola Estadual Altair Severiano Nunes foi construída para atender as necessidades de um número razoável de jovens moradores das áreas de seu entorno, ansiosos em dispor de um estabelecimento de ensino capaz de oferecer um trabalho de qualidade na área educacional. O nome Altair Severiano Nunes deu-se em homenagem póstuma ao notável farmacêutico, que ofereceu ao estado do Amazonas, ao longo de sua carreira profissional, excelentes serviços voltados à população carente de saúde pública. A Escola foi criada através do decreto nº 5.442 de 29 de dezembro de 1980, na administração de Governador José Bernardino Lindoso, tendo iniciado suas atividades escolares em 15/03/1978. A Escola teve como seus diretores os seguintes profissionais: Jefferson Marques de Souza (1978), Olindina Souza da Silva (1980), Josué Rocha de Freitas (1985), Maria de Fátima dos Santos Benigno (1988).

Atualmente a Escola dispõe de onze salas de aula, biblioteca, laboratório móvel de ciências em implantação e uma quadra de esportes coberta, tendo como modalidade o Ensino Fundamental de 6º ao 9º ano, EJA (Educação de Jovens e Adultos) 1º Segmento Especial, Projeto Avançar 1ª, 2ª e 3ª fase do Ensino Fundamental e EJA 1º segmento 1ª e 2ª Etapas, 2ª Segmento de 5ª a 8ª série e EJA – Ensino Médio atendendo a uma tola de 932 alunos, com corpo docente composto de 31 professores e 25 administrativos. A Escola. Visando à integração harmônica com a comunidade e dispõe também de Associação de Pais e Mestres, desde 07/12/1995. A E. E. Altair S. Nunes é administrado por José Augusto Cordeiro Barata Filho e tem como base de seu trabalho contribuir na formação de cidadãos conscientes de seu papel na sociedade, para que façam da educação um instrumento norteador de suas ações, respeitando a liberdade do próximo onde a igualdade seja capaz de agir na transformação do mundo moderno.

2.2. LOCALIZAÇÃO

Conjunto Eldorado, Parque Dez de Novembro, Zona Centro-Sul, Distrital 3

A E. E. Altair S. Nunes está situado à Rua Altair Severiano Nunes, s/nº,

2.3 VISÃO

A E. E. Altair S. Nunes almeja que em 4 anos seu índice de abandono seja reduzido e o índice de aprovação alcance níveis satisfatórios. Com base numa visão de mundo e sociedade mais justa e solidária, onde o conhecimento é o princípio básico da evolução humana pelo seu potencial transformador do contexto social e onde a escola tenha a função de oportunizar o desenvolvimento das aptidões do educando através de uma ação conjunto de toda a equipe envolvida no processo de ensino aprendizagem.

2.4 MISSÃO

Assegurar a todos os educandos uma Educação de Qualidade, com foco na formação do cidadão reflexivo, crítico, participativo, solidário, responsável e que conheça seus direitos e deveres na sociedade, garantido acesso a permanência na Escola e proporcionando um ambiente agradável e acolhedor.

2.5 VALORES

Temos como valores essenciais que norteiam nossa prática pedagógica: A Ética, Moral, Justiça, Responsabilidade, Respeito, Participação e Companheirismo.

2.6 OBJETIVOS INSTITUCIONAIS

direitos e deveres perante a sociedade como um todo

Formar cidadãos críticos, reflexivos, responsáveis, e conscientes de seus

2.6.1 Objetivo geral

Oferecer ao educando uma educação com o foco no desenvolvimento pleno do indivíduo, ajudando na construção de sua autonomia, na preparação para o exercício pleno da cidadania e na continuidade de seus estudos, observando as determinações da Lei nº 9394/96 e demais disposições legais vigentes.

2.6.2 Objetivos específicos

- Proporcionar ao educando o previsto no Artigo 32 da Lei 9394/96 de 20/12/2006.

- Oferecer ao educando atividades pedagógicas integradas, contínuas e progressivas que possibilitam o desenvolvimento de suas potencialidades.

- Capacitar o educando através das ações dinâmicas para que ela crie autonomia permitindo sua atuação de forma participativa no contexto social.

2.7 ENTIDADE MANTENEDORA SEDUC (Secretaria de Educação e Cultura).

2.8 RECURSOS HUMANOS

2.8.1 Corpo discente

A E. E. Altair Severiano Nunes possui atualmente 516 alunos, com faixa etária de idade de 1 a 15 anos.

2.8.2 Corpo docente

O Corpo Docente é composto atualmente por 31 professores, distribuídos em três turnos, com as mais diversas formações. A maioria dos professores não é habilitada nas áreas que estão atuando, ou seja, formaramse em áreas de conhecimento adjacentes a que atuam (por exemplo, professor formado em Contabilidade ministrando Matemática).

2.8.3 Corpo administrativo

Cargo Quantidade Formação

Gestor 01 Não informado Secretária 01 Contabilidade (Médio–Profissionalizante)

Agente

Administrativo 02 Médio

Médio

Serventes 01 Médio Vigia 01 Não informado Merendeira 02 Não informado

2.8.4 Corpo pedagógico

Cargo Quantidade Formação Pedagogo 01 Não informado

Bibliotecário 01 Pedagoga

Letras

Coordenadora do Projeto

Segundo Tempo 01 Não informado

2.9 ESTRUTURA FÍSICA Dependências Descrição Quantidade

Sala de aula

As salas possuem as seguintes dimensões: 7,0m x 5,0m x 4,0m. Em média tem-se 35 alunos por sala, na maioria temos climatização (regular), iluminação (boa), quadro branco (médios), e mesa (média) para professor.

Temos 1 salas (total), onde 07 estão em funcionamento para aulas convencionais, 01 para o Laboratório de Informática e 03 estão ociosas.

Sala da direção

Sala de dimensões 5,0m x 5,0m, boa climatização e iluminação, a sala é equipada com computador, telefone com fax, televisão e etc.

Sala dos professores

Sala com pequenas dimensões (aproximadamente 5,0m x 5,0m), ínfima para comportar o quantitativo de professores.

Sala da secretaria

Sala com grandes dimensões (8,0m x 5,0m x 4,0m), boa climatização e iluminação, a sala é equipada com três computadores.

Sala da administração

A Sala da administração funciona no mesmo espaço da sala da Secretaria. 01

Sala da reprografia

A Sala da Administração funciona no mesmo espaço da sala de Reprografia. Tem-se 2 impressoras para serem feitas as impressões e cópias de documentos.

Sala de reunião Não existe. 0

Cozinha

Sala com pequenas dimensões (aproximadamente 5,0m x 5,0m), iluminação regular, higiene não observada, não fora discriminado os eletrodomésticos.

Cantina Cantina aberta de pequenas 01 dimensões, e as mesas para a alimentação dos alunos estão localizadas entre dois blocos, impossibilitadas de uso em dias de chuva. Nela trabalham dois funcionários em cada turno de funcionamento da escola, e são vendidos alimentos de baixo valor nutritivo, como salgados, refrigerantes e salgadinhos industrializados.

Banheiro

Existem 04 banheiros, 02 para uso de alunos e 02 para uso de professores, a higiene no banheiro dos alunos deixa a desejar e no banheiro dos professores é apenas regular.

Ginásio

Ginásio (Quadra) de pequenas dimensões (10m x 8m), abaixo do regulamentar (18m x 11m) e não existe cobertura, ou seja, não pode ser usada em dias de chuva.

Biblioteca

A Biblioteca possui 4 mesas (2 grandes e 2 pequenas), 4 cadeiras por mesa. O acervo é composto apenas por livros distribuídos pela SEDUC, o acervo de Matemática não fora discriminado.

Laboratório de informática

Sala de aula improvisada como laboratório, não existe laboratorista de informática na escola, existem 12 computadores, todos em funcionamento (foram usados poucas vezes), e o grau de liberdade para uso dos professores e alunos é restrito, o uso será liberado mediante futura permissão da SEDUC.

(Parte 1 de 4)

Comentários