Apostila Esgotos

Apostila Esgotos

(Parte 2 de 4)

O íon sulfato é um dos principais ânions presentes em águas naturais. Em ambiente anaeróbio, os sulfatos geram sulfetos que são responsáveis por problemas de corrosão, pela emissão de odor desagradável e que, dependendo da concentração podem causar inibição a determinados processos biológicos.

Óleos e Graxas

O termo óleos e graxas aplica-se a grande variedade de substâncias orgânicas que são extraídas das soluções ou suspensões aquosas por hexano ou triclorofluoretano (Freon). Hidrocarbonetos, ésteres, óleos, gorduras, ceras e ácidos orgânicos de cadeia longa são os principais materiais que são dissolvidos por esses solventes. É muito comum a origem nos restaurantes industriais. As oficinas mecânicas, casa de caldeiras, equipamentos que utilizem óleo hidráulico além de matérias primas com composição oleosa (gordura de origem vegetal, animal e óleos minerais).

Metais

Os metais são analisados de forma elementar. Os que apresentam toxicidade são os seguintes: alumínio; cobre; cromo; chumbo; estanho; níquel; mercúrio; vanádio; zinco. A toxicidade dos metais é função também de seus números de oxidação (cromo trivalente e hexavalente, etc). Outros metais tais como o sódio, cálcio, magnésio, e potássio são analisados principalmente em casos de reuso de águas ou em casos nos quais a salinidade do efluente influencie significativamente em processos de corrosão, incrustação e osmose.

a) Indicação de tratamento biológico ou físico – químico:

DBO/DQO > 0,6Tratamento por processo biológico; 0,2 < DBO/DQO < 0,6 Tratamento biológico possível; DBO/DQO < 0,2Tratamento biológico muito difícil.

b) Indicação de processo biológico aeróbio ou anaeróbio:

Processos aeróbios:DBO:N:P de 100:5:1.

As relações nutricionais entre carbono, nitrogênio e fósforo são de extrema importância como verificação prévia da necessidade de se adicionar nutrientes à água residuária a ser tratada por processo biológico. Processos anaeróbios: DQO:N:P de 500:5:1 c) Balanço de sólidos:

ST = SST + SDT = SSV + SSF + SDV + SDF = SVT + SFT; SVT = SSV + SDV e SFT = SSF + SDF; SST = SSV + SSF e SDT = SDV + SDF;

A vazão que deve entrar numa estação de tratamento de esgoto é um dos principais parâmetros para se projetar estações de tratamento de esgoto. A vazão tanto serve para o dimensionamento das unidades do sistema de tratamento, quanto para o estudo de autodepuração e enquadramento na legislação vigente.

Sólidos Totais (ST)

Sólidos Dissolvidos Totais ( SDT) Sólidos Suspenso Totais (SST)

Sólidos Suspensos

Voláteis (SSV)

Sólidos Suspenso

Fixos (SSF)

Sólidos Dissolvido

Voláteis (SDV)

Sólidos Dissolvidos

Fixos (SDF)

Sólidos Voláteis Totais (SVT) Sólidos Fixos Totais (SFT)

Anteriormente a vazão de esgoto afluente a ETE é importante conhecer também os principais tipos de sistemas de esgotamento sanitário existentes: a.Sistema de esgotamento Unitário ou Combinado: águas residuárias (domésticas e industriais), águas de infiltração (água do solo que penetra nas tubulações) e águas pluviais são coletadas pela mesma tubulação. b.Sistema separador absoluto: as águas residuárias e águas de infiltração veiculam por tubulação independente da água de chuva.

No Brasil, devido a quantidade de chuvas, é adotado o sistema separador absoluto. Os problemas encontrados são os das ligações clandestinas de água de chuva nas redes de esgoto, causando um aumento na vazão de projeto.

Existem os sistemas locais de tratamento de esgoto que não necessitam de rede coletora, pois os mesmos são tratados no local da sua geração. Este tipo de sistema tem sido ótima solução para várias localidades.

Para o projetar as Estações de Tratamento de Esgoto deve-se quantificar e qualificar o melhor possível tanto o esgoto doméstico quanto o industrial.

Processos de tratamento de efluentes líquidos O tratamento dos efluentes é classificado em função de níveis de tratamento:

• Tratamento preliminar;

• Tratamento primário;

• Tratamento secunário;

•Tratamento terciário – mais raro.

Tratamento preliminar

Destinado principalmente a remoção dos sólidos grosseiros e areia, utilizam processos físicos: Gradeamento; Peneiramento; Separação de óleos e gorduras; Sedimentação; Flotação;

Além da grade e caixa de areia para remoção dos sólidos grosseiros e areias presentes no efluente inclue-se também um medidor de vazão, A calha Parschall, onde o nível do liquido na calha e relacionado com a vazão. Finalidade:

•Proteção dos dispositivos de transporte do efluente ( bombas e tubulações);

•Abrasão dos equipamentos e tubulações;

•Problemas de obstruções em tanques e tubulações.

Tratamento primário

Esse tratamento é destinado a remoção dos sólidos em suspensão e sólidos flutuantes. Este processo pode ser realizado através de tanques de decantação primário ou tanques sépticos (fossa)

Tratamento secundário

O objetivo do tratamento secundário é a remoção da matéria orgânica tanto dissolvida quanto em suspensão. A essência do tratamento secundário no tratamento dos efluentes domésticos é a inclusão de uma etapa biológica ou seja a remoção da matéria orgânica é realizada pela ação de microorganismos.

Processos biológicos

Os processos biológicos de tratamento reproduzem em escala de tempo e área os fenômenos de autodepuração que ocorrem na natureza. Os tratamentos biológicos de esgotos e efluentes têm como objetivo remover a matéria orgânica dissolvida e em suspensão, através da transformação desta em sólidos sedimentáveis (flocos biológicos), ou gases.

Os processos de tratamento biológicos têm como princípio utilizar a matéria orgânica dissolvida ou em suspensão como substrato para microorganismos tais como bactérias, fungos e protozoários, que a transformam em gases, água e novos microorganismos.

Os microorganismos, através de mecanismos de produção de exopolímeros, formam flocos biológicos mais densos que a massa líquida, da qual separam-se com facilidade.

A fração da matéria orgânica transformada em sólidos situa-se na faixa de 6 a 60%, dependendo de diversos fatores, tais como, o processo adotado e a relação alimento / microorganismos (A/M). A outra parte da matéria orgânica é transformado em gases, notadamente o gás carbônico e/ ou em metano nos sistemas anaeróbios. Os flocos biológicos em excesso, chamado de excesso de lodo, são retirados dos sistemas de tratamento e submetidos a processos de secagem natural ou mecanizada.

O grau de tratamento requerido é função da legislação ambiental, ou seja, das características ou pelo uso preponderante atribuído ao corpo receptor. Os principais processos são: • Lagoas anaeróbias e fotossintéticas;

• Os processos aeróbios são normalmente representados por lodos ativados e suas variantes: aeração prolongada; lodos ativados convencionais; lagoas aeradas facultativas; aeradas aeróbias;

• Os processos facultativos são bem representados pelos processos que utilizam biofilmes (filtros biológicos, biodiscos e biocontactores) e por algumas lagoas (fotossintéticas e aeradas facultativas). • Os processos anaeróbios ocorrem em lagoas anaeróbias e biodigestores.

Sistemas de lodos ativados

(Parte 2 de 4)

Comentários