Segurança dentro de empresa de transporte coletivo

Segurança dentro de empresa de transporte coletivo

CURSO: TÉCNICO EM SEGURANÇA NO TRABALHO

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL

CET-FL - CENTRO DE EDUCAÇÃO TÉCNICA FRANCISCO LEITE

ANÁLISE DE SEGURANÇA NO TRABALHO APLICADA DENTRO DA EMPRESA DE TRANSPORTE COLETIVO VIBRA

Deyvid Lopes Félix

George Costa de Araújo

Merilânia Gonçalves Pimentel

Natália Milhomem Alcântara

Vicente Peres Leitão

Índice

  • Especificações da empresa;

  • Análise de segurança e saúde do trabalho na empresa de acordo com as NR’s;

  • Avaliação de risco por setor da empresa;

  • O motorista de ônibus.

Especificações da Empresa

  • 173 funcionários;

  • 48 veículos fazem transporte urbano;

  • 10 veículos fazem transporte rodoviário.

Tabela 01: Numero de funcionários por Função

Tabela 01: Numero de funcionários por Função

Tabela 02: Horários de Trabalho

Atividades Complementares

  • Manutenção;

  • Lavagem;

  • Abastecimento de veículos;

  • Serviços gerais;

  • Administrativo.

ANÁLISES DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO NA EMPRESA DE ACORDO COM AS NR’S.

NR 4 - SESMT

  • Grau de risco 03;

  • CNAE - 49.21-3 (transporte rodoviário coletivo de passageiros com itinerário fixo municipal e em região metropolitana);

  • Composto por 01 técnico de segurança;

NR 5 - CIPA

  • Composição : 02 titulares e 02 suplentes do empregador e 02 titulares e 02 suplentes dos empregados, de acordo com o quadro 03 da NR 05, grupo C-24c;

NR 6 - EPI

  • Na empresa, praticamente não se utiliza EPI’s, os poucos que pudemos visualizar, estão em péssimo estado de conservação;

  • Protetor auditivo, protetor ocular, máscaras, macacão de brim, avental, luvas, botas, são alguns dos que não poderiam faltar.

NR 7 - PCMSO

  • Deve ser elaborado por um médico do trabalho;

  • Como a empresa é desobrigada a mantê-lo, deve ser elaborado através de Consultoria e implementado pelo SESMT;

  • Maioria dos exames estão vencidos e não são realizados exames de mudança de função, periódicos admissional e demissional. A justificativa do SESMT é que a diretoria acha uma despesa excedente nos custos.

NR 9 - PPRA

  • O PPRA desta empresa está sem sofrer atualizações desde 2006, porém o técnico de segurança da empresa informou que já está sendo feito um estudo para atualização do programa.

NR 12 – Máquinas e Equipamentos

  • Pequeno número em bom estado de conservação;

  • Maioria com estado de conservação de regular a precário;

  • Instalações incorretas e existência de muitos arranjos técnicos.

NR 17 - ERGONOMIA

  • Não possui nenhum tipo de planejamento para prevenção de riscos ergonômicos;

NR 23 - PROTEÇÃO CONTRA INCENDIOS

  • 70% dos extintores estão com lacres violados, ou fora do prazo de validade;

  • Não há treinamento de combate a incêndio.

Tabela 03 – Dimensionamento dos extintores

NR 24 - CONDIÇÕES SANITÁRIAS E DE CONFORTO NOS LOCAIS DE TRABALHO

  • Áreas destinadas ao vestuário e aos banheiros são desorganizadas, sujas e com pouca iluminação;

  • número de armários é insuficiente;

  • Bebedouros mal dispostos e em péssima condições de uso;

  • Refeitório com poucas mesas e cadeiras e condições de uso precárias.

AVALIAÇÃO DE RISCO POR SETOR DA EMPRESA

Tabela 04 – Manutenção

Tabela 04 – Manutenção

Tabela 04 – Manutenção

Tabela 05 – Lavagem Automotiva

Tabela 06 – Abastecimento de Veículos

Tabela 07 – Serviços Gerais

Tabela 08 – Administrativo

O MOTORISTA DE ÔNIBUS

Problemas apontados por motoristas

O ruído:

  • barulho oriundo do motor;

  • Campainha;

  • porta automática;

  • trânsito

Clima:

Clima:

  • variações climáticas (sol e chuva) são referidas como causas de doenças do aparelho respiratório.

As reclamações de passageiros ameaça constante para os motoristas;

  • As reclamações de passageiros ameaça constante para os motoristas;

  • Os passageiros cobram do motorista uma autoridade que, na realidade, muitas vezes ele não possui;

  • incidentes com passageiros são constantes e refletem-se no bem-estar do motorista e na qualidade do serviço prestado.

A importância de se transportar vidas humanas é o que confere ao trabalho uma maior cobrança social;

  • A importância de se transportar vidas humanas é o que confere ao trabalho uma maior cobrança social;

  • A inadequação dos pontos terminais é de grande incômodo;

  • A ausência de instalações sanitárias, de água potável e de local adequado para as refeições são causas de constrangimento para os motoristas.

  • Risco de assaltos e o contato com passageiros agressivos.

Importante

  • A jornada diária dos motoristas de ônibus urbano desta empresa é de nove horas. Entretanto, seu prolongamento com a realização de horas extras é constante. Esta prática possui para os motoristas um significado duplo: ao mesmo tempo em que reclamam de cansaço, desejam fazê-las para aumento de renda.

Tabela 09 – Principais causas de afastamento

Reversão do quadro atual

  • Diminuição da jornada de trabalho;

  • Melhoria das condições dos veículos;

  • Melhorias dos terminais nos finais de linha;

  • Uso de EPI’s adequados ( protetor auditivo tipo plug, protetor solar)

  • Uso de óculos de sol;

  • Acompanhamento psicológico;

  • Roupas confortáveis;

  • Campanhas de conscientização a população.

Conclusão

A melhoria das condições de trabalho dos funcionários da empresa é fundamental para que se possa ter um serviço satisfatório para a população. A elaboração de propostas e a implementação de mudanças, entretanto, é uma decisão que extrapola a dimensão essencialmente técnica da questão.

"O sábio antevê o perigo e protege-se, mas os imprudentes passam e sofrem as conseqüências."

"O sábio antevê o perigo e protege-se, mas os imprudentes passam e sofrem as conseqüências."

Obrigado a todos pela atenção.

Boa tarde!

Comentários