fundamentos socio histórico da educação

fundamentos socio histórico da educação

(Parte 1 de 8)

Apresentação da disciplina: Fundamentos Sócio-históricos da Educação

Professora Dra. Maria do Socorro Xavier Batista. DFE\CE\UFPB Tutora de EAD Curso de Matemática UFPBVIRTUAL

Carga Horária: 60 horasCréditos: 04

Ementa

Estudo da contribuição das ciências sociais e humanas para a compreensão do fenômeno educativo e sua aplicação no processo de formação do educador.

Descrição Nesta disciplina teremos oportunidade de refletir sobre a educação e suas

determinações e influências do contexto social e histórico

inter-relações com a sociedade. Em sua ementa essa disciplina se propõe ao estudo da contribuição das ciências sociais e humanas para a compreensão do fenômeno educativo e sua aplicação no processo de formação do educador. As disciplinas Sociologia e História dispõem de um conjunto de proposições desses campos do saber e podem fornecer os fundamentos ou os princípios básicos dessas áreas de conhecimentos no sentido de fornecer o apoio, ou os subsídios para se entender a Educação como um fenômeno social e histórico e, com isso, pode contribuir para que o educador compreenda sua ação educativa como um processo que sofre

Objetivos

1. Propiciar ao estudante do Curso de Matemática o acesso e a aquisição de conhecimentos sobre os fundamentos sociais e históricos da educação;

2. Analisar a educação como um fenômeno que ocorre no tempo, no espaço e na rede complexa das relações sociais que tecem a história das sociedades humanas;

3. Conhecer as dimensões sociais e históricas do processo educativo no Brasil

Conteúdos

Unidade I Fundamentos Sócio-históricos na formação do Educador Importância dos conhecimentos sócio-históricos na formação do educador

Unidade I Conhecimento científico, sociedade e educação

1. A sociedade e a educação como objeto de estudo científico 2. A ciência e os diferentes tipos de conhecimentos

Unidade I A ciência da sociedade na visão do Positivismo

1. O Positivismo de Augusto Comte 2. Sociedade na Visão de Emile Durkheim

Unidade IV Sociedade na Visão de Emile Durkheim

Unidade V A educação segundo o positivismo de Durkheim A educação segundo o positivismo de Durkheim

Unidade VI Influência do positivismo na educação brasileira Influência do positivismo na prática escolar: Tendências Pedagógicas liberais

Unidade VII Sociedade no paradigma do Materialismo Histórico

Dialético

A sociedade capitalista segundo o materialismo de Karl Marx

Unidade VIII A educação e a escola na perspectiva do materialismo

A educação e a escola como Aparelho Ideológico na sociedade capitalista Educação e hegemonia no pensamento de Antonio Gramsci

Unidade IX A influencia do marxismo na educação brasileira

Tendências Pedagógicas progressitas

3 Unidade I Fundamentos Sócio-históricos na formação do Educador

1. Situando a Temática

A educação é uma prática eminentemente social que faz parte de todas as sociedades e em todos os tempos históricos os homens desenvolveram formas de educação adequadas ao seu desenvolvimento social, econômico, político e cultural. A educação como área de conhecimento científico é essencialmente interdisciplinar, e, portanto aglutina contribuições de vários campos de conhecimentos, especialmente das Ciências Humanas. Nesse sentido, as disciplinas Sociologia e História da Educação, trazem uma contribuição como fundamento da ciência da educação possibilitando um olhar sociológico e histórico sobre o fato educativo, contribuindo para entender as dinâmicas sociais que interferem e definem as formas e as práticas educativas, as políticas educativas e os processos pedagógicos que são adotados e como o fenômeno educativo tem sido efetivado nos diversos contextos históricos. Além disso, os conteúdos de tais disciplinas no currículo dos cursos de formação de educadores contribuem para a compreensão da realidade educacional no contexto da sociedade brasileira.

2. Problematizando da Temática

A Importância dos conhecimentos sócio-históricos na formação do educador é indiscutível, pois possibilita ao educador entender o universo social e histórico dos processos educativos, desperta o olhar do educador para os problemas sociais que envolvem o ato educativo. Tanto a Sociologia quanto a história contribuem para situar a dinâmica da sociedade, as relações de poder que interferem na educação, orientar a formação humana dos sujeitos na perspectiva do contexto social e histórico em que vivem. Também pode ser relevante para se entender as dimensões sociais, culturais e políticas, da matemática e da educação matemática.

A reflexão sociológica sobre a matemática já possibilitou a criação de um campo sociologia da matemática, como apresenta Antonio Miguel (2005, p.3). A expressão matemática parece ter sido empregada, pela primeira vez, na década de 40 do século X, mais precisamente em um artigo de autoria do historiador da matemática Dirk J. Struik, publicado, em 1942, na revista Science and Society, sob o título On the sociology of mathematics.

formação do educador, até mesmo no campo do ensino de Matemática

Explicita-se assim, a necessidade a reflexão histórica e sociológica na

3. Conhecendo a Temática

Diversos autores (TURA, 2001; SILVA, 2003; SOUZA, 2003) discutem o papel que Sociologia da Educação para uma compreensão crítica da realidade social, política, econômica e cultural na qual a escola e a educação estão inseridas e contribui para uma formação de educadores com uma visão crítica que possa formar indivíduos para compreenderem e transformarem a realidade onde vivem. Barcelos salienta aspectos da SE na formação para a emancipação, como base para outras disciplinas.

Na perspectiva de um currículo emancipador, a Sociologia da Eucação torna-se vital para provocar uma discussão científica, que faça uma interpretação competente, sistemática e orgânica da realidade, que possa permitir que as demais disciplinas de um curso de formação de magistério, como as didáticas, possam apontar para saídas de um projeto educacional formador de cidadania.

A Sociologia como um campo de conhecimento científico tem contribuído para outras áreas de conhecimento como a educação. Desde sua chegada no Brasil, nos anos 1920 que ela está presente nos currículos escolares, inicialmente na educação secundária e na escola normal e em seguida nos cursos superiores, especialmente nos cursos de formação de educadoras (es). Hoje a Sociologia faz parte dos currículos de quase todas as áreas profissionais, tendo em vista que ela contribui para se entender a vida social em todos os setores.

A importância dessa disciplina na formação da pessoa é definida tanto na

LDB 9.394/1996, quanto nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), no artigo 10, inciso I, parágrafo 2º, diz que: As propostas pedagógicas das escolas deverão assegurar tratamento interdisciplinar e contextualizado para (...) Conhecimentos de Filosofia e Sociologia necessários ao exercício da cidadania. Sua contribuição para a formação da cidadania é reconhecida nas orientações dos PCNs (Ensino Médio, volume 4, na página 1) quando afirma que "o objetivo foi afirmar que conhecimentos dessas (...) disciplinas são indispensáveis à formação básica do cidadão, seja no que diz respeito aos principais conceitos e métodos com que operam, seja no que diz respeito a situações concretas do cotidiano social". A inserção dessa disciplina numa política curricular, embora essa disciplina não tenha ainda sido concretizada em todas as escolas de ensino médio mostra como ela é importante para o desenvolvimento de uma compreensão social da realidade.

A educação entendida como uma prática social que busca formar indivíduos para a vida em sociedade deve proporcionar uma visão que os permita uma compreensão da sociedade em todas as suas dimensões. Para tanto se torna necessário um currículo que em seus conteúdos e em suas práticas possibilitem uma problematização e reflexão crítica das relações sociais, das relações de poder existentes na sociedade, pois como discute Bernstein, citado por Forquin (1993, p.85). " O modo como uma sociedade seleciona, classifica, distribui, transmite e avalia os saberes destinados ao ensino reflete a distribuição do poder em seu interior e a maneira pela qual aí se encontra assegurado o controle social dos comportamentos individuais".

Embora o campo de conhecimento da Sociologia não garanta por si o compromisso de promover uma educação crítica transformadora, pelo sua especificidade de analisar a sociedade sob o prisma de vários olhares que as diversas perspectivas analíticas ensejam já possibilita uma ampliação da compreensão da realidade social e da educação como um fenômeno fundamental na transmissão da herança cultural, dos modos de vida, das ideologias, na formação para o trabalho que guarda uma estreita relação com a realidade em cada contexto histórico. Daí a importância dessa disciplina no currículo dos cursos de formação de educadores.

Alguns autores destacados da Sociologia como Durkheim, Manheim, Parsons e Merton incluíram a educação entre seus objetos pesquisa e de reflexão teórica. Entre os marxistas destacam-se Althuesser, Gramsci. No Brasil Florestan Fernandes e Fernando Azevedo foram expoentes que tiveram a educação como foco de suas preocupações. A Sociologia ao chegar ao Brasil se desenvolveu no campo da Educação, nos cursos de nível médio e superior de formação de educadores e tem sido profícua a produção sociológica com foco nos procesos educativos e nas políticas educativas.

A importância dessa disciplina na formação geral do indivíduo é tão reconhecida que vários educadores vêm realizando um movimento em defesa da inclusão da Sociologia no ensino médio, por entender na percepção de Sarandy (2001, p. 2) que ela contribui para o desenvolvimento da pessoa.

O conhecimento sociológico certamente beneficiará nosso educando na medida em que lhe permitirá uma análise mais acurada da realidade que o cerca e na qual está inserido. Mais que isto, a sociologia constitui contribuição decisiva para a formação da pessoa humana, já que nega o individualismo e demonstra claramente nossa dependência em relação ao todo, isto é, à sociedade na qual estamos inseridos.

matemática

Até campos de conhecimento como na área de saúde, do ensino de matemática a sociologia está sendo incluída como campo de conhecimento a ser estudado e como fundamento e reflexão, como é o caso de Miguel (2005, p. 137) que incorpora uma Sociologia da Educação Matemática, caminhando junta com campos emergentes de investigação em história, filosofia que participariam juntas, de forma crítica e qualificadora, na formação inicial e continuada de professores de

Unidade I Conhecimento científico, sociedade e educação

1. Situando a Temática Conhecer a realidade natural ou social sempre foi uma necessidade do homem para que pudesse dominar e viver em comunhão com a natureza e com os outros homens da comunidade onde está situado. A partir de suas experiências os homens nos diferentes contextos desenvolveram meios ou tipos de conhecimento e formas de registrá-los, o conhecimento cientifico é apenas um tipo.

2. Problematizando da Temática

O ser humano como ser de cultura, ao longo de seu processo de formação está sempre produzindo conhecimentos, que são resultantes das experiências de vida, também ao longo da história tem desenvolvido formas de registrar e repassar os conhecimentos para as gerações seguintes. Os diferentes tipos de conhecimentos estão associados aos distintos grupos sociais e classes. O saber do senso comum também conhecido como saber popular são conhecimentos que resultam das diferentes experiências de vida, eles apesar de serem significativos para as práticas sociais não são considerados científicos. Os conhecimentos científicos só são adquiridos por aqueles que têm acesso à educação escolar, local privilegiado para sua transmissão.

3. Conhecendo a Temática

(Parte 1 de 8)

Comentários