Castellani - A historia que nao se conta

Castellani - A historia que nao se conta

CHEGADA NO BRASIL EM 1810 -ACADEMIA REAL MILITAR 1874 -ESTENDIDA ÀS MULHERES

FASE HIGIENISTA -ATÉ 1930

FASE DA MILITARIZAÇÃO (1930 -1945)

FASE DA PEDAGOGIZAÇÃO (1945 -1964) FASE COMPETITIVISTA (1964)

FASE HIGIENISTA -EUGENIA (até 1930)

EUGENIA: Estudo de medidas sócio-sanitárias, sociais e educacionais que influenciam física e mentalmente, o desenvolvimento das qualidades hereditárias dos indivíduos e portanto das gerações. 1822 - Rui Barbosa defende parecer. Crítica da elite dominante. Trabalho físico x trabalho intelectual. Rui e Fernando de Azevedo colocavam o físico a serviço do intelecto.

Ressaltavam a importância da eugenização.

Visão da mulher frágil que deveria se tornar forte e sadia para gerar filhos. Liberação da Educação física para mulheres com prole. (Só em 1979 o CND derrubou deliberação de sua autoria que proibia a mulher de praticar determinados esportes). 1929 - Anteprojeto do ministério da guerra passava ao Conselho Superior de Ed. Física (subordinado a ele) o papel de centralizar, coordenar e fiscalizar as atividades relativas à Educação Física e ao Desporto.

FASE DA MILITARIZAÇÃO (1930 -1945)

A Educação Física era vista como poderoso auxiliar no fortalecimento do Estado e possante meio para o aprimoramento da raça.

Constituição de 1937 - Finalidade de promover a disciplina moral e o adestramento físico de maneira a prepara-lo para o cumprimento dos seus deveres para com a economia e a defesa da nação.

Defesa contra o comunismo e assegurar o processo de industrialização.

Militarização do corpo: - Moralização do corpo pelo exercício físico - O aprimoramento incorporado à raça

- Ação do Estado sobre o preparo físico e suas repercussões no trabalho.

Sugeriu-se inclusive a esterilização de doentes para impedir a geração de prole FASE DA MILITARIZAÇÃO

Exemplo da Juventude Hitlerista e Avanguardisti (Itália)

1942 - Declaração de Guerra. Começou a haver desmentidos em relação a filosofia da Educação Física.

1942 - Volta-se para o desenvolvimento econômico. Criação do SENAI. O dono da indústria não era apenas o patrão do seu empregado, mas também o seu educador. Além do desporto servir para solidificar a unidade da empresa, desenvolvia a saúde e consequentemente a sua capacidade de trabalho.

1938 - Proibição de matrícula no secundário para alunos cujo estado patológico impedissem que freqüentassem aulas de educação física.

FASE DA PEDAGOGIZAÇÃO (1945 -1964)

Fim do Estado Novo, pré-elaboração de uma carta magna, que gerou um debate por parte de diversos educadores sobre os rumos da educação. Na prática houve apenas uma regulamentação do funcionamento e controle do que já estava estabelecido. A Educação Física passou a ser vista como uma prática meramente educativa.

A formação acadêmica na Educação Física era bastante diferenciada das demais faculdades, pois para essa exigia-se apenas o curso secundário e tinha a duração de dois anos, diferentemente de outras faculdades criadas à mesma época (Pedagogia, Filosofia e Letras) que tinha a duração de quatro anos. A habilitação do profissional de Educação Física também era diferenciada dos demais cursos. Formavam-se profissionais nos seguintes níveis: técnicos, especialistas, monitores e professores.

Em 1945 o curso de Educação Física passa de 2 para 3 anos e em 1950 passa-se a exigir para a prestação do vestibular, o certificado de conclusão do curso clássico ou científico.

FÍSICA NO BRASIL FASE COMPETITIVISTA (1964)

Esta fase tem um caráter altamente tecnicista.

Educação Física = Desporto de alto nívelAtleta herói Seleção de 1970 (México). Atletas militares medalhistas em olimpíadas.

Eleva o espírito ufanista Brasileiro.

Propaganda mostra a força do povo Brasileiro e a necessidade de se acreditar no País.

Teve início com a revolução. Existia uma censura a imprensa e as artes que contradiziam os interesses militares. Expoentes da política, literatura, artes, música e intelectuais das mais diversas áreas eram vigiados e perseguidos, sendo muitos deles obrigados a se exilarem.

FASE POPULAR (APÓS A ABERTURA DEMOCRÁTICA) Sem linha teórica definida

Ligada a modismos (academia, testes físicos, novas modalidades desportivas)

Ludicidade Filosofia que visava a organização e mobilização dos trabalhadores

Crise de identidade da educação física

TENDÊNCIA SOCIAL Busca de uma socialização da educação física

Estudo de teorias

Preocupação com uma educação física voltada para os deficientes e terceira idade, meninos de rua, etc.

CASTELLANI FILHO, Lino. Educação Física no Brasil: A história que não se conta. 4ª Edição. Campinas, SP -Papirus, 1994.

Comentários