Pubalgia

Pubalgia

1º Descrição Spinelli (1932)

Condição dolorosa da Sínfise, na maioria das vezes auto-limitante, de causa traumática, inflamatória ou infecciosa.

PUBALGIA quadro inflamatório na região púbica, originada por desequilíbrio muscular.

FINA CAMADA DE CARTILAGEM hialina ou fibrocartilagem

NA SÍNFESE PÚBICA OCORREM MOVIMENTOS DE ATÉ2 m DE TRANSLAÇÃO E 3 GRAUS DE ROTAÇÃO

ALTERAÇÃO DA ARTICULAÇÃO DO PÚBIS processo degenerativo

INFLAMAÇÃO CRÔNICA (ARNHEIM; PRENTICE, 2000)

TUBEROSIDADES ISQUIÁTICAS (GOMES, 1997)

MANOBRA DE SENSIBILIZAÇÃO (ARNHEIM; PRENTICE, 2000)

Manobra de Grava Teste de força Abdominal Excêntrica

Tratamento cirúrgico X conservador

Multidisciplinar: Médico, Fisioterapeuta e Preparador Físico

Tto. Inicial com repouso relativo e AINES Médico.

O Tto. Conservador com boa resposta de 2 a 3 meses.

Outros autores: 6 a 12 semanas

Cirurgia insucesso do tto. Conservador.

Trata mento Fisioterapêutico Considerar aspecto evolutivo da patologia;

Fase Aguda ou Inicial

Fase de Reabilitação (treinamento aeróbio, fortalecimento e flexibilidade)

Fase de Retorno ao Esporte (propriocepção específica atéretorno total àatividade)

Trata mento Fisioterapêutico

Repouso das atividades e modalidades anti-inflamatórias e cicatriciais

Eletroterapia, sínfise e adutores;

Ter moterapia

Correntes Crioterapia.

Cinesioterapia

Assim que dor permitir Alongamento de adutores, quadríceps, isquiotibiaise abdominais.

Observar limiar do paciente.

Movimentos excessivos Forças de cisalhamento dor.

Exercícios de estabilização e reequilíbriomuscular central concentram tensão nos músculos ao redor da sínfise púbica controlando movimentos excessivos;

Trata mento Fisioterapêutico Fase Reabilitativa

Após reavaliação do quadro álgico Início de trabalho aeróbio (bicicleta, piscina) além de reforço muscular progressivo (respeitar cargas/repetições)

Incremento do trabalho de estabilização central

Reforço abdominal (oblíquos e transversos) Propriocepção geral (apoio unipodal, solo estável)

Propriocepção específica para esporte:

cones mudanças de direção

Incremento de fortalecimento abdominais Posturas para musculatura profunda mais complexas

Trata mento Fisioterapêutico

Trata mento Fisioterapêutico Fase Esportiva

Reavaliação:

Contrações rápidas de abdominais;

Agachamentos de grande amplitude; Propriocepção, exercícios de agilidade, chute, etc;

Liberado para depto de fisiologia do exercício realização testes aptidão física (VO 2MAX , limiares anaeróbios, potência anaeróbia, outros);

Adaptação aos esforços anaeróbios láticos e aláticos; Ênfase a posturas mais complexas.

Trata mento Fisioterapêutico

Após evolução controlada

Considerar aspecto evolutivo da patologia;

Desaparecimento dos sintomas: liberado para reavaliação Médica e fisioterapêutica e reintegração àequipe treino normal

Cuidado com a perda de controle Cuidado com a perda de controle

Comentários