(Parte 1 de 3)

TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO

1903 - Teoria da Administração Científica

1909 - Teoria da Burocracia

1916 - Teoria Clássica

1932 - Teoria das Relações Humanas

1947 - Teoria Estruturalista

1951 - Teoria dos Sistemas

1953 - Teoria dos Sistemas Sociotécnicos

1954 - Teoria Neoclássica

1957 - Teoria do Comportamento Organizacional

1962 - Teoria do Desenvolvimento Organizacional

1972 - Teoria da Contingência

Cada teoria procurou dar respostas aos problemas empresariais à sua época.

TAYLOR E FAYOL BUSCAVAM:

AUMENTAR A EFICIÊNCIA DA INDUSTRIA ATRAVÉS DA RACIONALIZAÇÃO DO TRABALHO - ORGANIZAÇÃO

01. ESCOLA DA ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA - TAYLOR

o crescimento acelerado e desorganizado das empresas (Rev.Industrial)

preocupação básica: aumentar a produtividade da empresa através do aumento da eficiência no nível operacional

atenção com o método do trabalho

atenção com os movimentos necessários para executar as tarefas (tempo padrão)

ÊNFASE NAS TAREFAS

PRIMEIRO PERÍODO DE TAYLOR

Taylor iniciou seu trabalho com o operário e depois generalizou para a Administração geral (de baixo para cima)

Publicou o livro Shop Management (administração de Oficinas) em 1903

nesta fase sua preocupação era com as técnicas de racionalização do trabalho através dos Estudos de Tempos e Movimentos

verificou que os operários que produziam mais ganhavam a mesma quantia que os que tinham menor produção

SEGUNDO PERÍODO DE TAYLOR

Em 1911 publicou o livro Princípios de Administração Científica

a racionalização do trabalho deveria ser acompanhada de uma estruturação geral da empresa

para Taylor as empresas tinham 3 problemas básicos:

1. Vadiagem sistemática por parte dos operários (produziam apenas 1/3)

2. as empresas desconheciam as rotinas de trabalho e tempo necessários

3. não uniformidade de técnicas ou métodos de trabalho

como solução idealizou o sistema de Administração que ficou conhecido como:

Sistema de Taylor

Gerência Científica

Organização científica do trabalho

Organização racional do Trabalho

Conceito de homo economicus

- natureza do homem

a improvisação deve ceder lugar ao planejamento

pregava a especialização

unidade de comando (não convive com a especialização)

supervisão funcional

padronização de ferramentas e instrumentos

TEORIA CLÁSSICA

surgiu em 1916, na França

ênfase na estrutura

busca da eficiência das organizações

Precursor: Henry Fayol(1841-1925)

Engenheiro

Livro: Administration Industrielle et Généralle (1916)

Traduzido para o português em 1950

1. FUNÇÕES ESSENCIAIS DA EMPRESA

Funções técnicas: relacionadas a produção de bens ou serviços

Funções Comerciais: relacionadas com a compra, venda e troca

Funções Financeiras: relacionadas com a obtenção e gerência de capitais

Funções de Segurança: relacionadas com a proteção dos bens e pessoas

Funções Contábeis: relacionadas com inventários/ registros/ balanços/ custos

Funções Administrativas: coordenam e sincronizam as demais funções

2. CONCEITO DE ADMINISTRAÇÃO

"Prever, organizar, comandar, coordenar e controlar, todas as atividades desenvolvidas pelas funções técnicas, comerciais, financeiras, segurança e contábeis."

PREVER: visualizar o futuro e traçar o programa de ação

ORGANIZAR: constituir o duplo organismo material e social da empresa

COMANDAR: dirigir e orientar o pessoal

COORDENAR: ligar, unir, harmonizar todos os atos e todos os esforços coletivos

CONTROLAR: verificar que tudo ocorra de acordo com as regras estabelecidas e as ordens dadas

A FUNÇÃO ADMINISTRATIVA NÃO É EXCLUSIVA DA CÚPULA, MAS SE REPARTE EM TODOS OS NÍVEIS HIERÁRQUICOS

A característica básica da Teoria Clássica é o seu ENFOQUE PRESCRITIVO E NORMATIVO: isto é, quais as funções da administração e quais os princípios gerais que deveriam nortear as atividades do administrador.

Fayol ao definir os PRINCÍPIOS GERAIS DE ADMINISTRAÇÃO deixou claro que:

os princípios não são rígidos

nada é absoluto em matéria administrativa

tudo em administração é questão de medida, de ponderação e de bom senso

os princípios são maleáveis e adaptam-se a qualquer circunstância, tempo ou lugar

OS PRINCÍPIOS UNIVERSAIS DE FAYOL

1. DIVISÃO DO TRABALHO: consiste na especialização das tarefas e das pessoas para aumentar a eficiência.

2. AUTORIDADE E RESPONSABILIDADE: autoridade é o direito de dar ordens e o poder de esperar obediência; a responsabilidade é uma conseqüência natural da autoridade. Ambas devem estar equilibradas entre si.

3. DISCIPLINA: Depende da obediência, aplicação, energia, comportamento e respeito aos acordos estabelecidos.

4. UNIDADE DE COMANDO: cada empregado deve receber ordens de apenas um superior. É o princípio da autoridade única.

5. UNIDADE DE DIREÇÃO: uma cabeça e um plano para cada grupo de atividades que tenham o mesmo objetivo.

6. SUBORDINAÇÃO DOS INTERESSES INDIVIDUAIS AOS INTERESSES GERAIS: os interesses gerais devem sobrepor-se aos interesses particulares.

7. REMUNERAÇÃO DO PESSOAL: deve haver justa e garantida satisfação para os empregados e para a organização em termos de retribuição.

8. CENTRALIZAÇÃO: refere-se à concentração da autoridade no topo da hierarquia da organização.

9. CADEIA ESCALAR: é a linha de autoridade que vai do escalão mais alto ao mais baixo. É o princípio do comando.

10. ORDEM: um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar. É a ordem material e humana.

11. EQUIDADE: amabilidade e justiça para alcançar lealdade do pessoal.

12. ESTABILIDADE E DURAÇÃO (NUM CARGO) DO PESSOAL: a rotação tem um impacto negativo sobre a eficiência da organização. Quanto mais tempo uma pessoa permanecer num cargo, tanto melhor.

13. INICIATIVA: a capacidade de visualizar um plano e assegurar seu sucesso.

14. ESPÍRITO DE EQUIPE: harmonia e união entre as pessoas são grandes forças para a organização.

ORGANIZAÇÃO RACIONAL DO TRABALHO

Empregados Realizavam O Trabalho De Maneiras Diferentes

os empregados escolhiam os métodos e os instrumentos

Melhor método e melhor instrumento levam a maior eficiência

os métodos e os instrumentos podem ser aperfeiçoados cientificamente

o supervisor deveria definir os métodos e os instrumentos

o empregado deveria executar

separação cérebro e mão

alienação

ANÁLISE DO TRABALHO E ESTUDO DOS TEMPOS E MOVIMENTOS

Estudo de Tempos e Movimentos é o Instrumento Para a Racionalização

análise do trabalho (divisão e subdivisão dos movimentos)

decompor a tarefa em vários movimentos simples

movimentos inúteis eram eliminados

finalidade de determinar o tempo médio de execução de cada tarefa

TEMPO MÉDIO + TEMPO MORTO = TEMPO PADRÃO

FRANK B. GILBRETH - MOVIMENTOS ELEMENTARES - THERBLIG

definir os movimentos necessários para a execução de uma tarefa

Decompor e analisar as tarefas

Exemplo: 1. Pegar o parafuso 2. transportá-lo até a peça 3. posicioná-lo

4. pegar e transportar a chave de fenda até o parafuso 5. utilizá-la

6. posicioná-la na situação anterior

E= P/R

E= eficiência P= produtos resultantes R=recursos utilizados

O ESTUDO DA FADIGA HUMANA

1. FINALIDADE DO ESTUDO DOS MOVIMENTOS (GILBRETH):

EVITAR MOVIMENTOS INÚTEIS NA EXECUÇÃO DAS TAREFAS

EVITAR O DESGASTE FISIOLÓGICO

ORDENAR OS MOVIMENTOS

2. A FADIGA GERA:

DIMINUIÇÃO DA PRODUTIVIDADE E DA QUALIDADE

PERDA DE TEMPO

AUMENTO DA ROTAÇÃO DE PESSOAL

DOENÇAS

ACIDENTES

DIMINUIÇÃO DA CAPACIDADE DE ESFORÇO

A FADIGA REDUZ A EFICIÊNCIA

3. DECORRÊNCIA DO ESTUDO DE TEMPOS E MOVIMENTOS

3.1. DIVISÃO DO TRABALHO

decomposição das atividades em tarefas simples

3.2. ESPECIALIZAÇÃO DO OPERÁRIO

cada trabalhador deveria executar somente uma tarefa

o trabalhador deveria se adaptar ao trabalho

objetivo: buscar a eficiência

4. DESENHOS DE CARGOS E TAREFAS

tarefa = menor unidade possível dentro da divisão do trabalho

cargo = conjunto de tarefas executadas de maneira cíclica e repetitiva

cargo simples: uma só tarefa

cargo complexo: variedade de tarefas diferentes

desenhar um cargo é especificas seu conteúdo (tarefas)

5. INCENTIVOS SALARIAIS E PRÊMIOS DE PRODUÇÃO

A REMUNERAÇÃO DEVERIA SER POR PRODUÇÃO

PRODUÇÃO DE 100%

ACIMA DE 100% A REMUNERAÇÃO PASSOU A SER ACRESCIDA DE UM PRÊMIO OU INCENTIVO SALARIAL

6. PADRONIZAÇÃO DE MÉTODOS, PROCESSOS, MÁQUINAS, FERRAMENTAS, MATÉRIA PRIMA

7. SUPERVISÃO FUNCIONAL

DIVERSOS SUPERVISORES E UM SÓ TRABALHADOR

PRINCÍPIOS DE EFICIÊNCIA DE HARRINGTON EMERSON (1853-1931)

Um dos principais seguidores de Taylor

Engenheiro

procurou simplificar os métodos de estudos e de trabalho de Taylor

mesmo prejudicando a organização era preciso diminuir as despesas na análise do trabalho

desenvolveu os primeiros trabalhos sobre seleção e treinamento de empregados

livro He Twelve Principles os Efficiency

Antecipou-se à Administração por Objetivos proposta por Drucker na década de 60

Traçar um plano objetivo e bem definido, de acordo com os ideais

Estabelecer o predomínio do bom senso

Manter orientação e supervisão constantes

Manter disciplina

Manter honestidade nos acordos, ou seja, justiça social no trabalho

Manter registros precisos, imediatos e adequados

Fixar remuneração proporcional ao trabalho

Fixar normas padronizadas para as condições de trabalho

Fixar normas padronizadas para o trabalho

Fixar normas padronizadas para as operações

Estabelecer instruções precisas

Fixar incentivos eficientes ao maior rendimento e à eficiência

1. CARACTERÍSTICAS DA ABORDAGEM CIENTÍFICA

CARACTERÍSTICAS

CONCEPÇÃO DA ORGANIZAÇÃO ORGANIZAÇÃO FORMAL

RELAÇÕES ADMINISTRAÇÃO/ IDENTIDADE DE INTERESSES

EMPREGADOS

SISTEMA DE INCENTIVOS INCENTIVOS MONETÁRIOS

CONCEPÇÃO DA NATUREZA HOMO ECONOMICUS

HUMANA

RESULTADOS MÁXIMOS

2. APRECIAÇÃO CRÍTICA DA ABORDAGEM CIENTÍFICA

2.1. Segundo Simon, no livro Comportamento Administrativo:

para cada princípio de administração existe outro que lhe é contraditório

o princípio da especialização é incompatível com o princípio da Unidade de Comando

o princípio da amplitude do controle choca-se com a idéia de mínimos níveis hierárquicos no processo decisório

natureza do homem é muito mais complexa

"a única maneira certa de realizar um trabalho" leva a desumanização do homem (máquina), a longo prazo não aumenta a produtividade; provoca atitudes negativas

a motivação do homem não se dá somente pelo dinheiro

o controle por supervisão (policiamento) era uma violência para a Escola das Relações Humanas que pregava o controle por resultados

TEORIA DA ORGANIZAÇÃO

A teoria Clássica vê a Organização como uma estrutura

Concepção influenciada pela organização militar e pela organização da Igreja

- tradicionais

- rígidas

- hierarquizadas

A teoria Clássica trouxe grande contribuição à TGA: a primeira teoria sobre a organização e a preocupação com seu estudo científico.

ADMINISTRAÇÃO COMO CIÊNCIA

Todos os autores da Teoria Clássica afirmam que se deve tratar a organização e a Administração cientificamente, substituindo o empirismo pelo racional

pretendia-se elaborar uma ciência da Administração

para que um determinado campo de conhecimentos seja considerado ciência é necessário que tenha objeto próprio e isso a Administração possui

A Escola Clássica considerava a Administração uma ciência com princípios próprios

- de um lado a experiência científica no trabalho

- de outro lado no método lógico-dedutivo

Os princípios estavam assentados na idéia de homo econômicus, que foram por terra com a crítica da Escola de Relações Humanas, quanto a natureza do homem

percebeu-se que a administração não era uma ciência pronta, mas estava ainda na sua infância

não poderia pretender a administração a mesma exatidão das ciências naturais

entre as ciências sociais a Administração deveria ser considerada como a mais dependente das demais, visto que usa grandemente da Sociologia, Psicologia e Economia.

CRITICAS

ABORDAGEM SIMPLIFICADA DA ORGANIZAÇÃO FORMAL

AUSÊNCIA DE TRABALHOS EXPERIMENTAIS

EXTREMO RACIONALISMO NA CONCEPÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO

TEORIA DA MÁQUINA

ABORDAGEM INCOMPLETA DA ORGANIZAÇÃO

ABORDAGEM DE SISTEMA FECHADO

ABORDAGEM HUMANÍSTICA DA ADMINISTRAÇÃO

(Parte 1 de 3)

Comentários