Tecnologias de Armazéns

Tecnologias de Armazéns

(Parte 1 de 4)

Trabalho apresentado como requisito de nota para matéria Logística e Transporte, ministrado pela Professora Roseneide Honorato do Curso de

Engenharia de Produção da Faculdade de Ciência Exatas e Tecnológicas.

Este trabalho tem por objetivo apresentar as principais tecnologias envolvidas em um sistema de armazenamento moderno. Assim, apresentamos as funções básicas de armazenamento, os principais equipamentos de movimentação de cargas, os sistemas de separação, formas de alocação de cargas e a novas formas de armazenagem. Também são apresentados os recursos da tecnologia informação que podem ser utilizados no auxílio às atividades de armazenamento, e seus benefícios.

1. INTRODUÇÃO1
2. A IMPORTÂNCIA DA ARMAZENAGEM NA LOGÍSTICA4
2.1 Conceito de sistema de armazenagem4
3. ATIVIDADE LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM5
GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS (GCS)6
GERENCIAMENTO DE ARMAZÉNS)7
6. ALGUMAS UTILIZAÇÕES DO ARMAZENAMENTO10
7. MOVIMENTAÇÃO NO ARMAZÉM1
7.1 Esteiras1
7.2 Empilhadeiras12
7.3 Transelevadores13
7.4 AGV - Veículos guiados automaticamente13
8. SISTEMAS DE PICKING – SEPARAÇÃO14
8.1 A Frame Automatic Picking System14

SUMÁRIO 4. SISTEMAS DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT (SCM) OU DE 5. WMS – WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEMS (SISTEMAS DE 8.2 Carrossel……………………………………………………………………….14 8.3 Pick-to-Light System…………………………………………………………..14 8.4 Robotic Order Selection………………………………………………………15

8.5 Automatic Storage and Retrieval Systems………………………………….15

9. STORAGE MEDIUM – ESTANTERIAS……………………...……………………….16 9.1 Floor Stacking…………………………………………………………………..16 9.2 Standard Selective Pallet Rack……………………………………………….17 9.3 Double-Deep Rack……………………………………………………………..17 9.4 Drive-In…………………………………………………………………………..18

9.8 Carton Flow Rack19
9.9 Shelving19
1. ARMAZÉM INFLÁVEL21
12. SISTEMAS DE IDENTIFICAÇÃO AUTOMÁTICA2
12.1 Código de barras23
12.2 Cartão magnético23
12.3 Rádio freqüência24
12.4 Reconhecimentos por voz25
12.5 Vantagens do uso de novas tecnologias25
13. CONCLUSÃO26

1. INTRODUÇÃO

se na organização dos processos internos destes galpões

Armazém, depósito e/ou almoxarifado são palavras usuais na logística e ao mesmo tempo sinônimas. Apesar das constantes dúvidas e do emprego errado das terminologias no setor, o maior desafio do “gerenciamento de armazéns” encontra-

gerenciar seus estoques de qualquer maneira

Basicamente, um armazém tem como função principal a guarda de materiais, contra perdas, avarias, prejuízos e do tempo. Porém, as empresas insistem em

A atividade da armazenagem está relacionada, em um primeiro momento, com a movimentação horizontal e vertical de mercadorias por estruturas de armazenagem, por exemplo, porta paletes, cantilever, dinâmica, push-back, entre outras, das quais existem no mercado, empresas especialistas para o gerenciamento destas demandas empresariais. A movimentação de materiais pode ser feita manualmente, com a utilização de “roletes” e devido ao baixo volume dos produtos, ou através de empilhadeiras e/ou trans-elevadores, com capacidade variada e medida por tonelada. A atividade de armazenagem está relacionada com o ressuprimento de estoques, do qual as empresas devem utilizar técnicas adequadas de administração de materiais, para calcular com precisão, os níveis de estoque (máximo, médio e mínimo), ponto de ruptura, quantidade a comprar, estoque virtual, encomendas, lote econômico de compra e de produção, gestão por categoria, entre outros. Dentro do mesmo processo, as empresas executam a seleção do pedido e com a confirmação de venda, a separação de produtos, ou picking, da qual, 60% dos recursos financeiros de armazenagem são gastos na atividade, devido à necessidade de conferência e exatidão para a expedição, evitando falhas operacionais.

2. A IMPORTÂNCIA DA ARMAZENAGEM NA LOGÍSTICA

Há algum tempo, o conceito de ocupação física se concentrava mais na área do que na altura. Em geral, o espaço destinado à armazenagem era sempre relegado ao local menos adequado. Com o passar do tempo, o mau aproveitamento do espaço tornou-se um comportamento antieconômico.

Não era mais suficiente apenas guardar a mercadoria com o maior cuidado possível. Racionalizar a altura ocupada foi a solução encontrada para reduzir o espaço e guardar maior quantidade de material.

A armazenagem dos materiais assumiu, então, uma grande importância na obtenção de maiores lucros. Independente de como foi embalado o material, ou de como foi movimentado, a etapa posterior é a armazenagem. Os termos "armazenagem" e "estocagem" são freqüentemente usados para identificar coisas semelhantes. Mas, alguns preferem distinguir os dois, referindo-se à guarda de produtos acabados como "armazenagem" e à guarda de matérias-primas como "estocagem".

A armazenagem aparece como uma das funções que se agrega ao sistema logístico, pois na área de suprimento é necessário adotar um sistema de armazenagem racional de matérias-primas e insumos. No processo de produção, são gerados estoques de produtos em processo, e, na distribuição, a necessidade

exigências e flutuações do mercado

de armazenagem de produto acabado é, talvez, a mais complexa em termos logísticos, por exigir grande velocidade na operação e flexibilidade para atender às 2.1. CONCEITO DE SISTEMA DE ARMAZENAGEM

É a perfeita disposição das partes de um todo, coordenadas entre si e que devem, funcionar como estrutura organizada. Para caracterizarmos um "Sistema de Armazenagem" é necessária uma perfeita integração entre estrutura metálica, equipamento de movimentação, prédio/armazém, produtos a serem estocados, etc. tudo isso para que se satisfaçam as necessidades de cada organização.

A importância da "Armazenagem" na Logística é que ela leva soluções para os problemas de estocagem de materiais que possibilitam uma melhor integração entre:

Suprimento – Produção - Distribuição.

O planejamento desta integração deve ser efetuado segundo os seguintes fatores:

Estratégico – através de estudos de localização. Técnico – através de estudos de gerenciamento. Operacional – através de estudos de equipamentos de movimentação, armazenagem e layout.

3. ATIVIDADE LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM

As atividades logísticas absorvem uma parcela significativa dos custos envolvidos nos processos organizacionais, sendo em média 25% das vendas e 20% do produto nacional bruto (PNB). No entanto, para que se possa obter sucesso no processo logístico é de suma importância ter um sistema de informações que possa atender a todos os requisitos que compõem sua estrutura, atendendo assim a rapidez das respostas ao desejo do consumidor. A administração de materiais, o planejamento da produção, o suprimento e a distribuição física integram-se para formar este novo conceito de gerenciar os recursos fundamentais para atender aos desejos do cliente que é a Logística Empresarial ou Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. (POZO, 2002)

A armazenagem é considerada uma das atividades de apoio ao processo logístico, que segundo Pozo (2002), são as que dão suporte ao desempenho das atividades primárias propiciando às empresas sucesso, mantendo e conquistando clientes com pleno atendimento do mercado e satisfação total do acionista em receber seu lucro. Envolve a administração dos espaços necessários para manter os materiais estocados que pode ser na própria fábrica, como também em locais externos (centros de distribuição). Essa atividade envolve localização, dimensionamento, arranjo físico, equipamentos e pessoal especializado, recuperação de estoque, projeto de docas ou baías de atracação, embalagens, manuseio, necessidade de recursos financeiros e humanos, entre outros.

De acordo com Arbache, Santos, Montenegro e Salles (2004), uma instalação de armazenagem pode desempenhar vários papéis dentro da estrutura de distribuição adotada por uma empresa: recepção e consolidação de produtos de vários fornecedores, para posterior distribuição a diversas lojas de uma rede; recepção de produtos de uma fábrica e distribuição diversos clientes. A armazenagem possui quatro atividades básicas: recebimento, estocagem, administração de pedidos e expedição.

4. SISTEMAS DE SUPPLY CHAIN MANAGEMENT (SCM) OU DE GERENCIAMENTO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS (GCS)

De acordo com Chopra e Meindl (2003), os sistemas de tecnologia da informação

(TI), são muito importantes em todo estágio da cadeia de suprimentos, pois permitem que as empresas reúnam e analisem as informações. Eles podem ser segmentados de acordo com os estágios da cadeia de suprimentos e possuem níveis diferentes de funcionalidade que podem receber e apresentar informações e analisá-las para solucionar problemas a curto ou em longo prazo que podem ser utilizados para tomar decisões de estratégia, planejamento ou operação.

Para Arozo (2003), existe hoje uma nova onda de implantação de pacotes de tecnologia da informação: a dos Sistemas de Supply Chain Management (SCM) e segundo informações da consultoria Mckinsey, entre 1999 e 2002, foram vendidos mais de US$ 15 bilhões em licenças para esses tipos de sistemas, não estando incluídos neste valor os gastos referentes aos processos de implantação e aos custos de manutenção. Apesar do grande investimento já realizado em âmbito mundial, esse movimento ainda está em fase inicial aqui no Brasil.

Segundo Banzato (1998), atualmente a armazenagem, uma das atividades dentro de uma cadeia de suprimentos, exige muito mais do que simples procedimentos automatizados, ela necessita de sistemas de informação que possam tomar decisões rápidas e inteligentes. A rentabilidade das empresas também é afetada diretamente pela eficiência de seu processo de armazenagem, logo as melhores práticas devem ser praticadas.

O WMS (Warehouse Management System) ou Sistema de Gerenciamento de Armazéns é apenas uma parte dos Sistemas de Informação voltados à

Armazenagem, que compreendem também o DRP – Distribution Requirements Planning (Planejamento das Necessidades de Distribuição), TMS – Transportation Management Systems (Sistemas de Gerenciamento de Transportes), EDI – Eletronic Data Interchange (Intercâmbio Eletrônico de Dados), Automatic Identification – Auto ID (Identificação Automática – Código de Barras), RFDC – Radio Frequency Data Collection (Coleta de Dados por Radiofreqüência), entre outros mais específicos e customizados, que garantem qualidade e velocidade de informações, racionalizando e otimizando a Logística de Armazenagem (BANZATO, 1998).

5. WMS – WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEMS (SISTEMAS DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉNS)

Para Arozo (2003), os sistemas de WMS são responsáveis pelo gerenciamento da operação do dia-a-dia de um armazém. Apesar de possuírem alguns algoritmos, sua utilização está restrita a decisões totalmente operacionais, tais como: definição de rotas de coleta, definição de endereçamento dos produtos, entre outras.

De acordo com Banzato (1998), um WMS é um sistema de gestão de armazéns, que otimiza todas as atividades operacionais (fluxo de materiais) e administrativas (fluxo de informações) dentro do processo de armazenagem, incluindo recebimento, inspeção, endereçamento, estocagem, separação, embalagem, carregamento, expedição, emissão de documentos, inventário, entre outras, que integradas atendem às necessidades logísticas, maximizando os recursos e minimizando desperdícios de tempo e de pessoas.

O gerenciamento de depósitos e armazéns, ou WMS, como é conhecido no mercado, para Arbache, Santos, Montenegro e Salles (2004), agiliza o fluxo de informações dentro de uma instalação de armazenagem, melhorando a operacionalidade da armazenagem e promovendo a otimização do processo, pelo gerenciamento eficiente de informação e recursos, permitindo à empresa tirar o máximo proveito dessa atividade. As informações podem ter origem dentro (sistema ERP) ou fora da empresa (clientes, fornecedores, etc.). O sistema utiliza essas informações para executar as funções básicas do processo de armazenagem: receber, estocar, separar.

O WMS possui diversas funções para apoiar a estratégia de logística operacional direta de uma empresa, segundo Banzato (1998), entre elas:

- Programação e entrada de pedidos; - Planejamento e alocação de recursos;

- Portaria;

- Recebimento;

- Inspeção e controle de qualidade;

- Estocagem;

- Transferências;

- Separação de pedidos;

- Expedição;

- Inventários;

- Controle de contenedores e

- Relatórios.

As funções do WMS tradicional, bem como as sugestões do mesmo para o gerenciamento da logística direta em armazéns são descritas no Quadro 1.

WMS Logística Direta

(Parte 1 de 4)

Comentários