Resumo de Anatomia Topográfica

Resumo de Anatomia Topográfica

(Parte 1 de 18)

Sebento Digital versão 2007 – © 2007 Alexandre Wahl Hennigen 1

Eixos e planos do corpo humano

Eixo longitudinal, vertical ou crânio-caudal: parte da cabeça e desce até os p s ao longo do organismo. Pode ser considerado tanto na posição média como lateralmente (sempre que for ao longo de uma determinada parte). É heteropolar.

Eixo sagital, de pronfundidade ou antero-posterior: parte do ventre e vai até o dorso. Perpendicularmente ao eixo longitudinal. É heteropolar.

Eixo transversal ou latero-lateral: atravessa o organismo de um ombro ao outro. É homopolar.

Plano frontal ou coronal

O eixo latero-lateral se desloca sobre o eixo longitudinal, dividindo o organismo em uma porção anterior (ventral) e outra posterior (dorsal), as quais são denominadas paquímeros (frente e trás). Paquímero anterior ou ventral: constituído pelas vísceras, por isso denominado esplâncnico. Paquímero posterior ou dorsal: constituído pelas estruturas relacionadas com o sistema nervoso, por isso denominado neural.

Paquimeria (frente e trás)

O corpo humano é formado pela justaposição dos planos frontais simétricos, um ventral e outro dorsal. No entanto, o paquímero ventral possui a parte superior menor que o paquímero dorsal, assim como o paquímero dorsal possui a parte inferior menor que o paquímero ventral.

Paquímero dorsal ou neural: cabeça, encéfalo e canal vertebral, medula espinhal.

Paquímero ventral ou esplâncnico: sistema visceral ou esplâncnico (extremidade superior dentro da boca e inferior no canal anal).

Os dois paquímeros estão envolvidos por um tegumento comum que é a pele.

Plano sagital ou de profundidade

O eixo sagital se desloca sobre o eixo longitudinal, dividindo o organismo em dois antímeros (direito e esquerdo) que, apesar de serem bastante semelhantes, apresentam diferenças importantes tanto à ectoscopia como à endoscopia. Tal assimetria pode ocorrer na forma de determinados órgãos, na posição, ou em ambos os casos. A simples presença de um órgão ímpar já ocasiona assimetria.

Antimeria Divisão do corpo em duas metades (direita e esquerda) pelo plano sagital.

Assimetrias normais De forma: quando a forma dos órgãos é diferente. Ex.: pulmões, lados das faces.

De posição: quando a posição em que os órgãos se encontram é desigual. Ex.: rins (o rim esquerdo é mais alto que o direito por causa da posição do fígado).

Assimetrias anormais De forma: inversão morfológica, crescimento anormal. Ex.: lobo de Riedel no fígado. De posição: distopia, deslocamento anormal.

• Transposição: um órgão desloca-se no sentido correto, mas não atinge o ponto normal. Ex.: apêndice, quando está mais para cima.

• Inversão: um órgão desloca-se no sentido contrário. Pode ser parcial, quando ocorre só com um órgão (fígado no lado esquerdo), ou total, quando ocorre com todos os órgãos da cavidade.

Sebento Digital versão 2007 – © 2007 Alexandre Wahl Hennigen 2

Plano transversal ou horizontal

O eixo sagital se desloca ao longo do eixo latero-lateral, dando origem a verdadeiras “fatias” ou metâmeros. Dermatômero: segmento de pele.

Metameria (fatias)

O corpo humano é formado pela justaposição de planos transversais simétricos. Manifesta-se na porção dorsal do ser humano. Ex.: artérias intercostais, nervos raquidianos.

Estratigrafia

O corpo humano é formado pela sobreposição de camadas e de tecidos. Estratigrafia é a construção do corpo em camadas. Histiotopia é a estratigrafia aplicada a uma víscera oca ou um órgão.

Localizações Holotopia: é a localização genérica dos órgãos. Ex.: o coração está no tórax.

Sintopia: é a localização em torno dos órgãos. Ex.: o coração está atrás do esterno, entre os pulmões, na frente das vértebras e acima do diafragma.

Esqueletopia: é a localização dos órgãos em relação ao esqueleto.

Idiotopia: é a relação entre partes diversas de um mesmo órgão. Ex.: o coração tem quatro cavidades, o átrio direito está acima e atrás do ventrículo direito.

Osteologia (Sistema Ósseo)

Um osso é um órgão duro, esbranquiçado e rígido, que possui certa elasticidade. Tem como funções a sustentação do organismo, a proteção de partes moles, a movimentação (alavanca para os músculos), depósito de cálcio

(fosfato de cálcio, Ca3(PO4)2) e hematopoise (formação de células sanguíneas (glóbulos vermelhos, leucócitos, linfócitos e plaquetas).

Os ossos agrupados em conjuntos articulados formam o esqueleto, que possui na linha média posterior uma haste óssea formada pela sobreposição de vértebras (coluna vertebral) que constitui o esqueleto axial. As vértebras sofrem um estruturamento por dois ossos denominados sacro e cóccix (formados pela fusão de vértebras) contituindo a porçãofunal da coluna vertebral. O esqueleto apendicular é formado pelas extremidades (membros).

Classificação dos ossos

Ossos longos: o comprimento predomina sobre a largura e a espessura. Ex.: tíbia, úmero, fêmur, rádio e ossos dos dedos (falanges). Estão presentes nos membros. Apresentam duas porções bem definidas: epífise (proximal ou distal) e diáfise. Medula óssea é diferente de canal medular. A primeira existe em todos os ossos e a segunda apenas em ossos longos.

Ossos planos ou chatos: comprimento e largura equivalentes predominando sobre a espessura. Ex.: escápula, ossos do crânio, esterno, pelvo. Formam a parede das cavidades.

Ossos curtos: equivalência de comprimento, largura e espessura. Encontrados em regiões de pouca movimentação, mas que suportam muita pressão (força). Ex.: carpo, tarso, ossos sesamóides (patela)

Ossos irregulares: apresentam formas variadas. Ex.: coluna verteral, cintura pélvica.

Estruturas presentes nos ossos Saliência articular: mais lisas, pois servem de articulação entre um osso e outro (são lisas pelo atrito). Saliência não-articular: mais rugosas, pois servem para inserção de tendões ou ligamentos. Cavidade articular: serve para articular um osso ao outro. Recebe uma saliência articular. Cavidade não-articular

• De ressonância: serve para dar ressonância a voz (ar transita dentro dela). Ex.: seios da face.

• De inserção: serve para receber um tendão ou um músculo. Ex.: cavidade ilíaca.

• De recepção: serve para receber um órgão. Ex.: cavidade orbitária. Forames de transmissão: passagem de estruturas de um local para outro (artérias, verias, nervos)

Sebento Digital versão 2007 – © 2007 Alexandre Wahl Hennigen 3

Forames de nutrição (nutrícios): permite a entrada de uma artéria que levará sangue ao osso.

Composição óssea Osso compacto: lâminas ósseas justapostas (diáfise) Osso esponjoso: lâminas ósseas em rede (epífise). Parte orgânica (30%): fornece resistência à tração (elasticidade). Parte inorgânica (70%): fornece resistência à compressão (rigidez). Fratura solução de continuidade ocorre principalmente por tração. Medula óssea: formada por tecido conjuntivo.

• Vermelha: possui função hematopoiética (forma elementos do sangue). Quando nascemos, praticamente todos os ossos possuem medula óssea vermelha. Com o envelhecimento, ocorre a substituição por medula amarela. Ossos que persistem com medula vermelha: esterno, costela, corpos das vértebras, bordas superiores dos ossos do quadril, epífises proximais do úmero e do fêmur (ossos longos) e ossos da base do crânio.

• Amarela: é a degeneração gordurosa do tecido medular vermelho.

Periósteo: membrana de tecido conjuntivo que envolve os osso. Reveste todo o osso, exceto onde houver cartilagem (hialina) articular (zonas de articulação). É vascularizado e inervado. Dele partem fibras para o interior do osso que levam vasos sanguíneos, cuja função é fazer a nutrição do tecido ósseo. Na camada mais interna há pode osteogênico, ou seja, poder de formar ossos (regeneração, crescem em espessura). A camada mais externa é fibrosa. Na cartilagem articular não há periósteo.

(Parte 1 de 18)

Comentários