Espermograma

Espermograma

ESPERMOGRAMA

  • ESPERMOGRAMA

O espermograma possibilita a obtenção de dados relativos a quantidade e qualidade dos espermatozóides

  • O espermograma possibilita a obtenção de dados relativos a quantidade e qualidade dos espermatozóides

  • é um conjunto de exames que são básicos para a avaliação inicial da esterilidade conjugal.

  • avaliação de varicocele e controle pós-vasectomia e tratamentos.

  • Em alguns casos um fator ambiental ou medicamentoso poderá estar alterando temporariamente a qualidade do sêmen.

Idade;

    • Idade;
    • Temperatura ;
    • Uso de drogas(entorpecentes ou terapêuticas);
    • Alcóol
    • Atividade sexual;
    • Nutrição;
    • Stress;

  • Produção ou excreção inadequada do espermatozóide

  • Infecção espermática

  • Anticorpos anti-espermatozóides

  • Varicocele

  • Anomalias genéticas

Forma de coleta

  • Forma de coleta

  • Tempo de entrega no laboratório

  • Perda de material (se houver)

  • Horário de coleta

  • Higiene

  • Proibição de lubrificantes

  • Tipos de recipientes a serem usados

  • Período de abstinência

  • Se faz uso de medicamentos

Ideal que seja feito no laboratório em dependência reservada e tranqüila

  • Ideal que seja feito no laboratório em dependência reservada e tranqüila

  • Abstinência sexual de 3 a 5 dias.

  • A amostra deve ser obtida por masturbação e ejaculada dentro de um recipiente de boca larga de vidro ou plástico

  • Preservativos comuns não devem ser usados na coleta, pois podem interferir com a viabilidade dos espermatozóides.

  • Evitar perda de material, principalmente o 1º jato, que contém a maior concentração de espermatozóides.

A maioria das provas devem ser realizadas dentro dos primeiros 30 minutos, pois com o passar do tempo os parâmetros se alteram.

  • A maioria das provas devem ser realizadas dentro dos primeiros 30 minutos, pois com o passar do tempo os parâmetros se alteram.

  • Imediatamente após a ejaculação, o esperma transforma-se em gel, adquirindo um aspecto heterogêneo, formando coágulos, para proteger os espermatozóides

A análise da amostra só deve começar após a liquefação, que deve ocorrer 30’ (até) após a coleta

  • A análise da amostra só deve começar após a liquefação, que deve ocorrer 30’ (até) após a coleta

  • a falta completa ou parcial de fatores da coagulação, situação conhecida como “liquefação primária”

  • Liquefação secundária- dissolução do coagulo com tempo acima de 30’ e a viscosidade elevada com presença de coagulos devido espermas com baixa concentração de proteases

  • As observações da coagulação devem ser constantes nos primeiros 10 min

No momento da ejaculação – espesso e gelatinoso

  • No momento da ejaculação – espesso e gelatinoso

  • Após liquefação – fluido e opalescente

  • Amostra normal tem aparência homogênea- só pode ser considerado assim após ter terminado o período de coagulação

  • Amostra anormal tem aparência heterogênea (grumoso) – devido a duração aumentada do tempo de coagulação que se da pela ausência de espermolisinas.

  • Normal: branco opaco ao cinza claro

  • Amarelo período prolongado de abstinência

  • Amarelo intenso: pode ocorrer na ictéricea

  • Amarelo purulento: processo piogênico agudos

  • Hemorrágico: avermelhado devido a presença de hemácias relacionados a problema da prostata e vesícula seminal ou rompimento de vasos durante a ejaculação

Caracteristico (amoniacal) deve-se a presença de três aminas

  • Caracteristico (amoniacal) deve-se a presença de três aminas

  • Espermina (> quantidade)

  • Espermidina

  • Putrescina

O volume total do esperma ejaculado é a soma das secreções das glândulas anexas com o liquido seminal vesicular (> porção), liquido prostático, das glândulas de cowper, littré, fluido epididimário, testicular e das ampolas

  • O volume total do esperma ejaculado é a soma das secreções das glândulas anexas com o liquido seminal vesicular (> porção), liquido prostático, das glândulas de cowper, littré, fluido epididimário, testicular e das ampolas

  • o volume é diretamente dependente da frequência de relações

  • Medido em tubo cônico graduado

  • Valor Normal : 2,0 a 5,0 ml (normospermia)

  • vol.< 2,0 hipospermia

  • Vol.> 5,0 hiperespermia (abst. ou tumor prostata)

  • Aspermia ausência do ejaculado

A viscosidade do sêmen depende da ação resultante de coagulação e liquefação.

  • A viscosidade do sêmen depende da ação resultante de coagulação e liquefação.

  • Viscosidade Diminuída: a amostra se desprende da pipeta em gotas.

  • Viscosidade Normal: a amostra se alongará em filetes com menos de 2 cm

  • Viscosidade Aumentada: a amostra se alongará em filetes com mais de 2 cm de comprimento, diminue a motilidade – astenospermia

Normal de 7,0 a 8,0

  • Normal de 7,0 a 8,0

  • pH acima de 8,0 – deficiência da glândula prostática, ausência de liquefação secundária

  • pH acido – deficiência de vesículas seminais, ausência de coagulação

  • Deve se manter o frasco bem fechado, pois o ar, altera o pH que tende a elevar-se ao desprendimento de CO2, pela ação da anidrase-carbonica elevando o pH ate 9,0

Motilidade

  • Motilidade

  • Vitalidade

  • contagem dos espermatozóides

  • contagem de leucócitos e hemáceas

  • morfologia dos espermatozóides

  • morfologia células germinativas imaturas

A motilidade deve ser feita até 60 minutos após a coleta exame de amostra não diluída

  • A motilidade deve ser feita até 60 minutos após a coleta exame de amostra não diluída

  • Divide-se em 4: a - motilidade progressiva linear rápida; b - motilidade progressiva linear lenta; c - não progressivos; d - imóveis.

  • A varicocele pode causar uma alteração de motildade. Além dela, podemos encontrar alterações nestes parâmentros em pacientes tabagistas, obesos, usuários de alguns tipos de medicamentos ou drogas ou com alterações genéticas.

Proporção de espermatozóides que estão vivos, determinado pela exclusão do corante (eosina) já que a membrana plasmática de sptz mortos, permite a passagem do corante

  • Proporção de espermatozóides que estão vivos, determinado pela exclusão do corante (eosina) já que a membrana plasmática de sptz mortos, permite a passagem do corante

  • Normal: acima de 50% de sptz vivos

  • Necrospermia: acima de 50% de sptz mortos. Ocorre na deficiência de frutose

Valor normal: >10.000.000/ml

  • Valor normal: >10.000.000/ml

  • < Oligozoospermia

  • Azoospermia-ausência sptz no sêmem

  • Contagem na câmara de Neubauer (5 quadrantes)

  • Multiplica o valor encontrado por 80.000 e tem-se a concentração dos sptz por ml

O sistema de contagem é o mesmo para as do sptz, valor encontrado depois multiplica por 80

  • O sistema de contagem é o mesmo para as do sptz, valor encontrado depois multiplica por 80

  • No exame à fresco é difícil diferenciar leucócitos de células germinativas imatura, elas serão contadas como células redonda

  • Normal de leucócitos: até 1.000/mm3

  • Normal de Hemácias: até 1,000/mm3

Stranger, Susan king. UROANÁLISE E FLUIDOS BIOLÓGICOS. 2° edição, São Paulo Ed. Editorial Médica Panamericana.

  • Stranger, Susan king. UROANÁLISE E FLUIDOS BIOLÓGICOS. 2° edição, São Paulo Ed. Editorial Médica Panamericana.

  • Disponivél em http://www.unifesp.br/grupos/rhumana/spm.htm acesso dia 01 de outubro 2008

  • Disponivél em http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=434313&indexSearch=ID> acesso dia 01 de outubro 2008

  •   Disponivél em http://www.drfernando.med.br/esperm.htm acesso dia 01 de outubro 2008

Comentários