Apostila de laboratório de eletrônica analógica

Apostila de laboratório de eletrônica analógica

(Parte 7 de 8)

Protocolo de recebimento de Relatório – esta parte fica no caderno de Laboratório

Relatório Recebido em : _/_/_ Aluno:_ Turno: _ Professor:_

Cortar aqui - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Esta parte deve ser anexada no relatório.

Aluno:_ Turno: _ Relatório Recebido em : _/_/_

1) Projeto:_ Visto:_

Centro de Educação Profissional Irmão Mário Cristóvão Laboratório de Eletrônica Analógica

41 ANEXO – Material de apoio

Centro de Educação Profissional Irmão Mário Cristóvão Laboratório de Eletrônica Analógica

PROJETO DA FONTE REGULADA VERSÃO 2 FONTEC

Curso Técnico em Mecatrônica

Disciplina de Eletrônica Analógica Prof. Marcelo do C. C. Gaiotto

Centro de Educação Profissional Irmão Mário Cristóvão Laboratório de Eletrônica Analógica

Funcionamento

O primeiro passo para construção de uma fonte de alimentação é saber qual a tensão de saída que se deseja ter. Neste projeto de fonte possuímos 2 tensões, 1 regulada e uma fixa de 5V/1A. A tensão regulada será aborda mais à frente.

Como a rede elétrica possui sua tensão eficaz muito mais alta que a grande maioria dos equipamentos eletrônicos opera, necessitamos de um componente que reduza este valor de tensão alternada. Como estamos considerando uma fonte de alimentação linear utilizaremos um transformador, para realizar este serviço. O Diagrama em blocos da figura 1 representa esta seqüência.

Figura 1. Diagrama de blocos de acoplamento com transformador.

Toda fonte de alimentação de corrente contínua possui um bloco de retificação. A configuração utilizada no bloco retificador é do tipo retificador de onda completa com dois diodos (D1 e D2). Este é responsável em tornar a tensão alternada entregue pelo transformador em contínua, ou seja, elimina a mudança de polaridade da tensão. Vejamos agora como fica esta alteração no diagrama da figura 2.

Figura 2. Diagrama de blocos da etapa de retificadores.

Embora a tensão de saída do retificador seja contínua, ela ainda é pulsada, ou seja, muda de zero até o valor máximo. Para que esta oscilação (RIPPLE) não prejudique o funcionamento nem os componentes de um circuito que possa ser conectado nesta fonte devemos inserir uma nova etapa, a etapa de filtragem, que será composta pelo capacitor eletrolítico (C1). O novo diagrama de blocos está apresentado na figura 3.

Figura 3. Diagrama de blocos com a etapa de filtragem.

Centro de Educação Profissional Irmão Mário Cristóvão Laboratório de Eletrônica Analógica

Este projeto possui ainda capacitores cerâmicos adicionados ao circuito para aumentar o coeficiente de filtragem.

Até este ponto não temos novidades e dificuldades quanto à configuração e funcionamento. Para possibilitar a variação da tensão de saída de forma regulada e controlada utilizamos uma etapa reguladora, como por exemplo, a do diagrama em blocos da figura 4.

Figura 4. Diagrama de blocos da etapa de Regulagem.

O circuito regulador de tensão utilizado para desempenhar esta função é o

LM317. Este possibilita o acionamento de uma carga com consumo de até 1,5A em sua saída. Repare que a saída do regulador possui um capacitor eletrolítico, possibilitando uma segunda filtragem, tornando nossa saída mais estável. O diagrama em blocos da parte regulada da fonte é apresentado na figura 5.

Figura 5. Diagrama em blocos da parte regulada da fonte.

O circuito básico de configuração do regulador utilizado foi extraído das folhas de dados dos fabricantes que estão em anexo neste manual.

A fonte fixa é composta por outro regulador de tensão LM317, porém com seus resistores de ajuste fixos para que a tensão em sua saída seja de 5V, e também um capacitor eletrolítico após o regulador, possibilitando uma segunda filtragem, tornando nossa saída mais estável, como é desejável para qualquer circuito de alimentação para circuitos digitais da família TTL.

1. Procedimentos para cálculos dos resistores das fontes reguladas

Podemos alterar as características de nossa fonte se calcularmos os valores dos resistores que realizam a configuração do regulador, utilizando a seguinte fórmula fornecida pelo fabricante:

Centro de Educação Profissional Irmão Mário Cristóvão Laboratório de Eletrônica Analógica

Onde: Vo- tensão de saída ; Iadj – corrente de ajuste. POT – Valor do potenciômetro utilizado.

Através deste cálculo, podemos alterar o valor de tensão máximo que o regulador apresentará em sua saída. Este procedimento deve ser realizado com bastante cuidado e atenção, pois serão necessárias alterações de componentes do circuito como:

• Adequar os Capacitores eletrolíticos – tensão de operação;

• Transformador – tensão e corrente de saída para o valor que se deseja trabalhar, levando em consideração as quedas de tensão dos componentes envolvidos (***calcular o transformador***)

• Fusível – redimensionar o fusível para o novo circuito;

• Re-projetar placa se for necessário;

Esquema elétrico da fonte da FonTec V2.

Centro de Educação Profissional Irmão Mário Cristóvão Laboratório de Eletrônica Analógica

Esquema de ligação do fusível, da chave de seleção de tensão, da chave liga/desliga ao transformador e a rede elétrica.

Placa de Circuito impresso da fonte de tensão vista dos componentes, não invertida e fora da medida real.

Placa de Circuito impresso da fonte de tensão vista dos componentes com as trilhas, não invertida e fora da medida real.

Centro de Educação Profissional Irmão Mário Cristóvão Laboratório de Eletrônica Analógica

Exemplo de Caixa de montagem Patola PB209 e PB211.

Exemplo de disposição dos itens do painel frontal. (não está em tamanho real é apenas um exemplo)

Exemplo de disposição dos itens do painel traseiro. (não está em tamanho real é apenas um exemplo)

Centro de Educação Profissional Irmão Mário Cristóvão Laboratório de Eletrônica Analógica

Loja:Fone:_

Lista de componentes da Fonte Regulada FONTEC V2 Atendente:_

(Parte 7 de 8)

Comentários