produção da borracha

produção da borracha

produção de borracha

A borracha é uma substância em partículas contida no látex de muitas plantas, sendo que 90% da produção mundial vem das plantações da árvore brasileira Hevea brasiliensis no sudeste da Ásia, principalmente na Malásia, a borracha é obtida pelo aquecimento até a coagulação do látex parecido com o leite e com a cor predominante branca produzido pela seringueira. A borracha natural não tinha muita utilidade até que o norte americano Charles Goodyear inventou o processo de vulcanização, o qual era feito adicionando enxofre à borracha e aquecendo a mistura. Esse processo evitava que a borracha se tornasse pegajosa quando aquecida e dura quando resfriada, ou seja, era obtida uma goma elástica que não se esfarelava e nem colava. Foi esse o ponto de partida para as aplicações práticas da borracha. A borracha sintética produzida por processos químicos industriais, não substitui inteiramente as aplicações da borracha orgânica, superior por sua elasticidade e densidade.

Borracha Natural: É o elastômero natural obtido do látex. Pode também ser obtida a partir de várias outras plantas. A borracha natural, a qual provém da coagulação do látex, contém ao lado de outras substâncias secundárias, um hidrocarboneto responsável pelas propriedades características do produto. Esse hidrocarboneto é a molécula do polipreno e pode ser considerada como uma cadeia formada pela junção de um grande número de elos do monômero isopreno , C5H8. É por isso que a borracha crua não vulcanizada, se torna plástica pela ação do calor. A borracha crua esticada e esfriada a temperatura muito baixa é quebradiça e, quando martelada, fragmenta-se em filamentos. Suas propriedades são semelhantes aos dos plásticos termoplásticos. A borracha deteriora-se na presença de luz solar direta por causa da sua reação com o oxigênio.

Para evitar que isso aconteça, é introduzido um pigmento negro carbôneo que desacelera este processo. Isso não impede que a borracha se deteriore, ela continua a se deteriorar, mas lentamente, especialmente na presença de óleo ou graxa. Como a borracha é um termofixo (torna-se flexível ao ser aquecida), pode adquirir forma por extrusão e moldagem. É utilizada em grande escala na produção de pneus e também na fabricação de tecidos impermeáveis utilizados na confecção de capas de chuva,forros de superfícies. Não podemos esquecer também de sua importância como componente principal na fabricação de mangueiras (setor automotivo). O látex é o leite colhido e preservado. Sob o ponto de vista físico-químico, é um sistema coloidal. Sua estabilidade é conservada com a adição de amoníaco. A sua preservação é auxiliada com fenóis. O paranitrofenol é o de maior emprego. Os agentes biológicos costumam manchar a borracha muitas vezes. O oxigênio é o principal causador da deterioração da borracha. A luz ultravioleta, em tempo muito curto, torna a borracha "melada", principalmente quando não defumada. Portanto, deve-se proteger a borracha crua da ação da luz, principalmente.

Borracha Sintética: É o conjunto de compostos produzidos com a finalidade de reproduzir as propriedades da borracha natural. A primeira borracha sintética foi um polímero de dimetil butadieno (C4H6), fabricado na Alemanha durante a Primeira Guerra Mundial. Mas esta borracha era de qualidade muito inferior à borracha natural. Muitos tipos diferentes de borrachas sintéticas estão agora em uso, sendo a mais difundida a borracha produzida pela polimerização do butadieno com o estireno. Em muitos casos esta borracha pode substituir a borracha natural já que resiste melhor ao envelhecimento, às rachaduras e à abrasão do que o produto natural.

Entretanto, sua resistência e flexibilidade são pobres e em algumas aplicações, principalmente bandas de rodagem de pneus, é misturada à borracha natural. Uma outra borracha sintética é aquela obtida a partir do butilo. É impermeável aos gases e é utilizada nas câmaras de ar e no revestimento interno dos pneus sem câmara. Outros exemplos de borrachas sintéticas incluem o policloropreno (neoprene), utilizado na indústria de fios e cabos, e borrachas derivadas de nitrilos resistentes ao óleo, utilizadas em juntas de vedação e nos cilindros que espalham a tinta das máquinas impressoras. Algumas formas de silicone, poliuretano e PTFE (politetrafluoretano) são utilizadas como borrachas sintéticas. As borrachas sintéticas, assim como as borrachas naturais, são compostas por pigmento negro, carbono e outros aditivos, tais como agentes corantes, plasticizadores, amaciantes e agentes vulcanizadores, para alterar ou melhorar as suas qualidades.

Vulcanização: A vulcanização da borracha é a sua combinação química com certos corpos que chamamos de agentes vulcanizantes, em virtude da qual a borracha adquire a propriedade de poder sofrer deformações, e cessadas as causas determinantes, retomar suas dimensões iniciais. Dos agentes vulcanizantes, o mais importante é o enxofre. É através da vulcanização que conseguimos transformar as propriedades plásticas da borracha, eliminar a sua sensibilidade ao calor, e obter um corpo elástico capaz de retomar as suas dimensões iniciais depois de uma deformação, mesmo em condições extremas de temperatura. O mecanismo pelo qual se dá a vulcanização da borracha pode ser imaginado como sendo a interligação das moléculas do hidrocarboneto através de átomos ou moléculas do agente vulcanizante, ligados a átomos de carbono que inicialmente apresentavam dupla ligação. A espuma de borracha produzida com espuma de látex e vulcanização, é utilizada como estofamento na fabricação de móveis e em outras aplicações. A vulcanização é o resultado de uma reação química. A combinação do enxofre é irreversível, atingindo o teor máximo de 32% que é o valor teórico para saturar todas as duplas ligações. Não existe ainda nenhum processo que permita a desvulcanização da borracha. A vulcanização pode ser processada a frio e a quente.

Comentários