Álcool e Açúcar - Unidade IV - Centrifugação

Álcool e Açúcar - Unidade IV - Centrifugação

(Parte 1 de 3)

109

Unidade IV – Centrifugação

  1. Centrifugação

O objetivo da centrifugação consiste basicamente na separação do mel que envolve os cristais de açúcar em uma massa cozida.

A centrifugação do açúcar é uma etapa fundamental para obtenção de um produto de qualidade. O conhecimento das máquinas, equipamentos e técnicas corretas envolvidas é fundamental para obter desta operação o máximo de eficácia, qualidade e segurança.

2. Tipos de Centrífugas

Podem ser classificadas em dois tipos:

  • Centrifugas Intermitentes (Descontínuas);

  • Centrifugas Contínuas.

2.1 Centrífuga Descontínua

Este tipo de centrifuga é normalmente utilizada para centrifugação de massa A para produção de açúcar cristal, demerara e VHP.

Figura 2.1.1 – Centrífuga Descontínua

2.1.1 Capacidade de Produção

A capacidade de produção de açúcar deste equipamento depende de três fatores principais:

  • Conteúdo do cesto em volume;

  • Duração do ciclo;

  • Conteúdo de cristais na massa cozida.

2.1.2 Ajustes Operacionais

  • Pressão e temperatura da água superaquecida;

  • Bicos de lavagem de açúcar entupidos;

  • Carregamento completo do cesto com massa;

  • Mínimo de açúcar no fundo e tela da centrífuga após descarga;

  • Ajuste mínimo do tempo de lavagem de açúcar;

  • Ajuste mínimo do tempo de carregamento (válvula);

  • Limpeza da tela da centrífuga;

  • Vazamento e gotejamento de mel na bica de jogo;

2.1.3 Conteúdo do Cesto em Volume

2.1.4 Duração do Ciclo

  • Rotação.

  • Tempo de operação de cada etapa do ciclo.

2.1.5 Conteúdo de Cristais na Massa Cozida

A espessura da camada de massa cozida é dada em função do diâmetro interno.

2.1.6 Ciclos de uma Operação

Variam muito dependendo de:

 

  • Tipos de centrifugas;

  • Controle automático das diversas etapas do ciclo;

  • Qualidade da massa cozida;

  • Qualidade do açúcar desejado.

2.1.7 Composição Típica de um Ciclo

  • Carregamento

  • Tempo de Retirada de Mel (centrifugação)

  • Lavagem com Água (Normalmente durante a aceleração)

  • Lavagem com Vapor (Logo após lavagem com água até o fim da frenagem caso não seja água superaquecida)

  • Frenagem e Descarregamento

  • Lavagem do Cesto.

2.1.8 Condições para uma Boa Centrifugação

Quanto mais uniformes forem os cristais e quanto menor for a viscosidade do mel (varia com a pureza) mais rápido será seu escoamento entre os cristais.

Porém, a massa cozida é constituída de três frações de mel:

Excesso de mel: É facilmente eliminado pela força centrifuga.

Mel entre espaços vazios dos cristais: É a retirada mais difícil.

Película fina de mel que envolve os cristais: É aderente ao cristal por forças capilares, dificilmente removíveis por simples centrifugação necessitando de operações de lavagens.

A lavagem com água consiste na pulverização uniforme sobre a parede do açúcar e deve ser utilizada a mínima quantidade possível de água para evitar a dissolução do açúcar.

Lavagem com Vapor tem como função elevar a temperatura diminuindo a fluidez do mel residual caso não seja água superaquecida.

Um sinal característico de um cristal não homogêneo é o aparecimento de uma película de mel sobre a parede do cesto, isto porque pequenos cristais fecham os furos da tela dificultando a passagem do mel.

Observação: É importante salientar que muitas vezes a qualidade do açúcar depende de uma centrifugação muito bem conduzida.

2.1.9 Cesto

É construído em chapas de ferro fundido revestido com pintura epóxi ou em aço inox perfurado.

Possui a extremidade inferior raiada onde é fixado o eixo de acionamento, nos cestos são fixadas as contra tela, que são de latão ou inox, tendo a tela furações de 0,5 mm de diâmetro e a contra tela 0,5 mm de lado.

Figura 2.1.9 – Cesto

a) Impureza do Cesto

Caso ocorra de se encontrar na massa grande quantidade de bagaço, este ficará aderido na extremidade inferior do cesto.

2.1.10 Cabeçote de Acionamento

Onde está fixado o eixo de acionamento juntamente com os rolamentos e o acoplamento do motor elétrico da centrifuga. Possuem sistema de lubrificação manual.

Figura 2.1.10 – Cabeçote de Acionamento

2.1.11 Descarregador Automático

A finalidade deste componente é retirar o açúcar retido na tela e dirigi-lo à bica de jogo. É constituído de um eixo quadrado com rosca interna onde numa das extremidades está a raspadeira e na outra, a polia do motor.

Figura 2.1.11 – Descarregador Automático

2.1.12 Sistema de Água Superaquecida

É composto de válvulas automáticas que tem por finalidade:

  • Lavar o açúcar.

  • Lavar o Chute-Bajar (bandeja).

  • Lavar a articulação do cônico de fechamento do cesto (BMA).

  • Lavar o cesto.

Figura 2.1.12 – Fluxograma do Produto, Água-Mãe e Águas de Lavagem

2.1.13 Sistema de Vapor

É constituído de uma válvula com a finalidade de desentupir a comporta de alimentação de massa e outra para vaporização da caixa do cesto a fim de limpar suas paredes do mel remanescente.

Figura 2.1.13 – Sistema de Vapor

(Parte 1 de 3)

Comentários