Fundações - Aoki Veloso

Fundações - Aoki Veloso

Fundações Prof. Débora Felten

  • MÉTODO DE AOKI-VELLOSO

  • Aoki e Velloso (1975) apresentaram seu método de capacidade de carga de estacas

  • isoladas no V Congresso Panamericano de Mecânica dos Solos e Engenharia de

  • Fundações.

  • Segundo Aoki e Velloso (1975), tanto a tensão limite de ruptura (qp) quanto a de

  • atrito lateral (qs) são avaliadas em função da tensão de ponta (qc) do ensaio de

  • penetração do cone (CPT). Para se levar em conta as diferenças de comportamento

  • entre a estaca (protótipo) e o cone (modelo) foram definidos os coeficientes F1 e F2,

  • apresentados na tabela 02.

Fundações Prof. Débora Felten

    • Na ausência de ensaios de CPT, são utilizados os ensaios de SPT segundo a seguinte correlação:
    • qc= K. N
    • Onde os valores de K e  (coeficiente estabelecido por Begemann (1965) para correlacionar o atrito local do cone com a ponteira BEGEMANN com a tensão da ponta), em % são apresentados na Tabela 3.

Fundações Prof. Débora Felten

Fundações Prof. Débora Felten

    • O cálculo da capacidade de carga se dá pelas seguintes equações:
    •       Qu = Qs + Qp = Carga na ruptura
    •  
    •       Qs = U∑∆ ℓ x r ℓ = parcela de atrito lateral ao longo do fuste
    •  
    •       Qp = A. rp = Parcela de ponta
    • Onde:
    • U = Perímetro da seção transversal do fuste.
    • A = Área da projeção da ponta da estaca. No caso de estacas tipo Franki, assimilar o volume da base alargada a uma esfera e calcular a área da seção transversal.
    • ∆ ℓ = trecho onde se admite r ℓ constante.

Fundações Prof. Débora Felten

    • A diferença entre o métodos de AoKi e Velloso e Decourt-Quaresma está na estimativa dos valores r ℓ e de rp.
    • Segundo Aoki e Velloso:
    •         
    •  
    •      
    •  
    • Sendo N o valor do SPT

Comentários