Avaliação nutricional

Avaliação nutricional

(Parte 1 de 8)

AVALIAÇÃO DA APTIDÃO FÍSICA Projeto de elaboração de sistema de informações

Leonardo de Arruda Delgado 2

1 INTRODUÇÃO3
2 AVALIAÇÃO DA INGESTÃO ALIMENTAR3
2.1 Pirâmide de orientação alimentar5
2.1.1 Recomendações dietéticas diárias7
2.1.1.1 Necessidades diárias de carboidratos9
2.1.1.2 Necessidades de gorduras9
2.1.1.3 Necessidades diárias de proteínas10
2.1.1.4 Necessidade de hídricas10
2.1.1.5 Necessidades minerais1
2.1.1.6 Necessidades vitamínicas1
3 AVALIAÇÃO DA QUANTIDADE ALIMENTAR12
3.1 Controle de massa corporal13
3.2 Calculo do gasto energético total (GET)14
3.2.1 Cálculo do efeito térmico do alimento (TEF)15
3.2.2 Termogênese facultativa15
3.2.3 Cálculo do gasto energético em repouso (GER)15
3.2.3.1 Fatores que afetam o GER18
3.2.4 Cálculo do consumo energético de trabalho (GET)19
3.2.5 Cálculo do gasto energético com atividade física (GAT)20
3.2.5.1 Demanda energética de algumas atividades esportivas20
3.2.6 Cálculo do GET2
4 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ALIMENTAÇÃO2
4.1 Avaliação antropométrica2
4.1.1 Relação peso estatura23
4.1.1.1 Estatura/Peso23
4.1.1.2 Peso/Estatura23
4.1.1.3 Relação Peso/Estatura²24
4.2 Avaliação dos sintomas referidos24
4.2.1 Fatores determinantes24
4.2.2 Classificação dos níveis de carência nutricional25
4.2.3 Sensações relacionadas à deficiência nutricional25
4.2.4 Patologias relacionadas à desnutrição25
4.2.4.1 KWASHIORKOR25
4.2.4.2 Marasmo26
4.2.4.3 Anemia26
4.2.4.4 Bócio endêmico27
4.2.4.5 Vitaminoses27

SUMARIO REFERÊNCIAS..................................................................................................... 27

AVALIAÇÃO DA APTIDÃO FÍSICA Projeto de elaboração de sistema de informações

Leonardo de Arruda Delgado 3

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL 1 INTRODUÇÃO

Um adequado estado nutricional é condição primária para realização de atividade física com características recreativas, terapêuticas ou competitivas. MACHADO NETO (1994, p.51) define o estado nutricional, como o grau, pelo qual as necessidades fisiológicas de nutrientes do indivíduo estão sendo atendidas através dos alimentos ingeridos.

Para realizarmos a avaliação do estado nutricional, lançamos mão de indicadores direitos e indicadores indiretos. Os indicadores diretos são:

- Estudo dietético dos hábitos alimentares: primeiramente conhecimento dos hábitos nutricionais e das necessidades nutricionais diárias e os gastos energéticos diários e com atividades físicas e diárias.

- Estudo antropométrico das variáveis: peso, altura, circunferência, pregas cutâneas e composição corporal.

- Estudo dos sinais clínicos: sinais e sintomas característicos de carência nutricional pele, unhas, cabelo, olhos, lábios e etc.

- Estudos bioquímicos: dosagem séricas de proteínas, vitaminas A, D e C, hemoglobina e hematócitos.

Os indicadores indiretos são:

- Estatísticas vitais: mortalidade infantil, índice de prematuridade, mutabilidade específica por doenças diarréicas (1 a 4 anos), mortalidade de 1 a 4 anos. - Folha de balanço de alimentos;

- Estudo sócio-econômico e cultural.

2 AVALIAÇÃO DA INGESTÃO ALIMENTAR

É importante diferenciar dois conceitos relacionados à ingestão alimentar, o conceito de alimentação e nutrição. De acordo com GUEDES & GUEDES (2003, p. 155):

“A alimentação é um processo que se identifica com a seleção e a ingestão de produtos que, de acordo com a disponibilidade e as preferências de paladar, procuram atender às necessidades orgânicas manifestadas pela fome. Nutrição, por sua vez, é um conceito amplo e complexo, no qual intervêm uma série de mecanismos orgânicos à

AVALIAÇÃO DA APTIDÃO FÍSICA Projeto de elaboração de sistema de informações

Leonardo de Arruda Delgado 4 transformação e á utilização das diversas substâncias contidas nos alimentos”.

Portanto, alimentação e nutrição não são expressões equivalentes que podem ser utilizadas indistintamente. Alimentação constitui procedimentos em que predomina o desejo de satisfação sobre o de necessidade, podendo ser considerada uma arte. Ao passo que nutrição, por estarem implícitos conhecimentos quanto aos princípios que regulam os nutrientes, tem mais a ver com investigações e evidências científicas.

A boa nutrição resulta de uma dieta em que os alimentos são ingeridos nas quantidades apropriadas e com a distribuição necessária de nutrientes para manter boa saúde no presente e no futuro.1

Uma avaliação nutricional, prévia ao início de um programa de exercício, deverá interferir com o tipo, volume e intensidade da atividade preconizada para o indivíduo. Antes de planejar um programa de atividade física, muitas vezes é útil saber, além das qualidades físicas relacionadas com a saúde, o número de calorias necessárias para suportar seu peso corporal e como deve ser composta a alimentação para o funcionamento adequado do organismo.

Examinar os hábitos dietéticos de uma pessoa permite ao avaliador dar sugestões sobre como melhor alcançar metas nutricionais e sobre perda, manutenção ou ganho de massa corporal. Uma ferramenta bastante utilizada por nutricionistas é a anamnese alimentar, esse instrumento serve para obter informações tais como horários, hábitos, gostos, por quem e como foi preparada a sua comida quantidade de alimentos consumidos, atividades físicas praticadas e, muitos outros dados e registros de sua vida pessoal. Essas informações podem ser colhidas através do diário alimentar em que o aluno registra tudo que consome e faz durante 1, 3 ou 7 dias.

O questionário de 24 horas é possivelmente o mais simples. Consiste na aplicação de um questionário ou da realização de uma entrevista, onde o avaliado informa o que ingeriu nas últimas 24 horas ou no dia anterior. Erros freqüentemente comprometem esse método. Logo concluímos que, um registro alimentar de 1 dia pode não fornecer informações suficientes para desenvolver o perfil dos hábitos nutricionais de uma pessoa, no entanto nos da uma vaga idéias. Devido ao tempo e ao esforço necessários para registrar a ingestão alimentar, muitas pessoas preferem registros alimentares de 3, em vez de 7 dias.

Se um registro de 3 dias for mantido, é importante que um dos dias seja um dia de fim de semana, porque muitas pessoas nos finais de semana comem de forma diferente em relação aos dias de semana. Embora diários alimentares forneçam informações importantes, há problemas com essa prática:

1 HOWLEY & FRANKS. Manual do instrutor de condicionamento físico para saúde, 2000, p.136.

AVALIAÇÃO DA APTIDÃO FÍSICA Projeto de elaboração de sistema de informações

Leonardo de Arruda Delgado 5

- As pessoas tendem a relatar menos do que comem; - As pessoas não fazem anotações específicas o suficiente para fornecerem informações de qualidade;

- As pessoas muitas vezes modificam temporariamente a forma como comem quando são solicitadas a registrar sua ingestão alimentar.

Existem medidas que o avaliador pode tomar para minimizar esses problemas. Primeiro, certifique-se de que o aluno compreende a importância de registrar complemente e honestamente o que é ingerido. Enfatize ao cliente que a precisão e a utilização da reposta dependem das informações que ele fornece e que não será criticado ou julgado pelo que come. O avaliador deve fornecer modelos ou descrições de tamanhos de porções. Devem ser dadas ao cliente instruções explicitas sobre como preencher o registro alimentar. Além disso, o diário alimentar deve servir de auxílio ao usuário e incluir sugestões para induzir a repostas completas. Uma vez copilados os registros, há vários pacotes de softwares que podem fornecer uma analise da dieta.

2.1 Pirâmide de orientação alimentar

É um sistema elaborado pelo Departamento de Agricultura dos

Estados Unidos para proporcionar escolhas alimentares saudáveis. Da mesma forma que no caso do binômio alimentação e nutrição, também é necessário diferenciar o que se entende por alimento e nutriente. Alimento são produtos obtidos na natureza, seja de procedência animal ou de origem vegetal, consumidos para atender às necessidades orgânicas manifestadas pela fome.

AVALIAÇÃO DA APTIDÃO FÍSICA Projeto de elaboração de sistema de informações

Leonardo de Arruda Delgado 6

Nutrientes, por sua vez, são componentes que constituem ou integram os alimentos.

Os nutrientes se dividem em macro e micronutrientes. Carboidratos, gorduras, proteínas e água são considerados macronutrientes. Vitaminas e sais minerais, os micronutrientes. As fibras vegetais, ainda que carentes de propriedades nutritivas, são destacadas como macronutrientes pelos seus efeitos benéficos ao melhor funcionamento orgânico.

A pirâmide alimentar classifica os alimentos em: energéticos, reguladores, construtores e energéticos extras. Esses alimentos devem ser consumidos em ordem decrescente, ou seja, devemos consumir em maior quantidade os energéticos, seguidos dos reguladores, dos construtores e por último os energéticos extras, de consumo limitado.

- Os alimentos energéticos: são os responsáveis por gerar energia (combustível) para que nosso organismo possa realizar suas funções normais. Eles são os carboidratos complexos, como farinhas, pães, tubérculos, massas, cereais, trigo. Deve-se consumir 6 a 1 porções ao dia.

- Os reguladores: legumes, frutas e verduras - fornecem vitaminas, minerais e fibras. Deve-se consumir 3 a 5 porções de vegetais e 2 a 4 porções de frutas ao dia.

- Os construtores: são os ricos em proteínas, como o leite e derivados, carnes, ovos e leguminosas, e são responsáveis pela construção dos novos tecidos, pelo crescimento e pela reparação do desgaste natural dos tecidos. Devem ser consumidas 2 a 3 porções de leite e derivados, e 2 a 3 porções de carne ou equivalentes ao dia.

- Energéticos extras: os açúcares e doces devem ser consumidos com moderação. As gorduras, por sua vez, são necessárias em uma quantidade mínima no organismo, pois realizam isolamento térmico, proteção contra choques e transporte de algumas vitaminas.

A vantagem do uso da pirâmide alimentar é que se pode comer de tudo, sem enjoar da dieta, tornando os hábitos alimentares mais saudáveis. A maior quantidade de porções é recomendada para os grupos de alimentos que estão na base da pirâmide, e quantidades menores para os que estão situados em seu topo. Os alimentos situados na base da pirâmide são considerados nutricionalmente mais densos, por apresentarem maior proporção de nutrientes por calorias ingeridas que os alimentos de baixa densidade.

A compreensão quanto ao papel dos diferentes nutrientes torna-se de grande importância na prescrição e orientação de programas de controle do peso corporal, na medida em que uma dieta deficiente nesse campo poderá interferir decisivamente no melhor funcionamento orgânico.

AVALIAÇÃO DA APTIDÃO FÍSICA Projeto de elaboração de sistema de informações

Leonardo de Arruda Delgado 7

2.1.1 Recomendações dietéticas diárias

Vários planos diferentes vêm sendo sugeridos para orientar a ingestão alimentar, o DAEU (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) apresenta as seguintes dicas de alimentação:

(Parte 1 de 8)

Comentários