Aspiraçao traqueo

Aspiraçao traqueo

UNIVERSIDADE SALGADO DE OLIVEIRA CURSO DE ENFERMAGEM  

  •  

  • Aspiração

  • Traqueobrônquica  

  • Cláudia Aires Vasconcelos  

  • GOIÂNIA

  • 2008

NERVO CRANIANO

  • NERVO VAGO - X

  • - MOTOR: Faringe, coração, pulmões, brônquios, trato GI

  • - SENSITIVAS: Coração, pulmões, brônquios, traquéia, laringe, faringe, ouvido externo, trato GI

ASPIRAÇÃO TRAQUEOBRÔNQUICA

  • PROCEDIMENTO INVASIVO

  • RECURSO MECÂNICO

  • REMOÇÃO DE SECREÇÕES PULMONARES

  • MELHORA NA PERMEABILIDADE DAS VIAS ÁEREAS, MELHORANDO A VENTILAÇÃO PULMONAR

ASPIRAÇÃO TRAQUEOBRÔNQUICA

  • INDICAÇÕES

  • Pacientes que não conseguem tossir ou expelir naturalmente o acúmulo de secreções pulmonares:

          • em coma ou mentalmente confusos
          • pós-operatório
          • politraumatizados
          • Com doenças pulmonares
          • Traqueostomizados
          • tuboendotraqueal

ASPIRAÇÃO TRAQUEOBRÔNQUICA

  • BENEFÍCIOS

  • Evitar ou reverter uma atelectasia

  • Aumentar a capacidade residual funcional

  • Facilitar as trocas gasosas

  • Melhorar o conforto respiratório

ASPIRAÇÃO TRAQUEOBRÔNQUICA

  • TIPOS DE ASPIRAÇÃO

  • Orotraqueal – potencialmente mais perigosa

          • pode ocorrer espasmo – hipoxemia e morte
  • Nasotraqueal – também perigosa

          • pode ocorrer espasmo – hipoxemia e morte
  • Traqueostomia (endotraqueal) – importante na remoção de grande quantidade de secreção purulenta

TÉCNICAS DE ASPIRAÇÃO ORO ou NASOTRAQUEAL

  • Adequar o paciente confortavelmente

  • Lavar as mãos

  • Explicar o procedimento ao paciente

  • Colocar o paciente em flexão de pescoço e hiperextensão de cabeça com a boca aberta e a língua para fora; quando necessário, o paciente deverá estar com os braços fixados no leito

TÉCNICAS DE ASPIRAÇÃO

  • Utilizar luvas estéreis

  • Fixe o regulador da aspiração em 100 a 120 mmhg

  • Mão enluvada, fixe o cateter ao tubo de aspiração

  • Introduzir o cateter pela via aérea, sem vácuo, até que o reflexo da tosse seja provocado ou encontrar uma resistência

  • Introduzir a sonda ou cateter, sem contaminar, o mais rápido possível

  • - Suporte de oxigenoterapia de acordo com o quadro clínico do paciente

TÉCNICAS DE ASPIRAÇÃO

PROCEDIMENTO

  • PROCEDIMENTO

  • Duração não superior a 15 segundos, retirada gradualmente

  • Instalação na via aérea de 3 a 5 ml de H2O estéril, facilita liberação de secreções espessas

  • Pequenas quantidades de soro fisiológico (10 a 20 ml): fluidificar e mobilizar as secreções, estimulando a tosse e facilitando a remoção das secreções espessas

  • Uso de ambu para remoção de rolhas

  • INTERCORRÊNCIAS

  • Fechamento glótico: impede que a sonda continue a ganhar trajeto na laringe e traquéia; aguardar o paciente relaxar ou abrir a glote

  • Retirada brusca: lesa a parede traqueal

  • Formação de rolha de secreção: leva a atelectasias

SONDAS

  • SONDAS

  • Traqueais maleáveis, descartáveis

        • Três orifícios na extremidade distal, dispostos lateralmente e na ponta: para que não haja colabamento da traquéia e nem aspiração da mucosa traqueal.
          • Ulcerações
          • Sangramentos

RESULTADOS

  • - A ausculta pulmonar deve apresentar diminuição dos ruídos adventícios

  • A radiografia de tórax deve apresentar evolução positiva progressiva do quadro

  • A gasometria arterial deve indicar melhora na relação ventilação/perfusão

RESULTADOS

  • O aspecto da secreção (espessa, fluída, espumosa) aspirada indica o nível de hidratação e umidificação

  • A cor (clara, amarela, purulenta) e o resultado da amostra encaminhado para cultura indicam a ausência ou melhora da infecção

  • A quantidade de secreção aspirada serve de parâmetro para prescrever a frequência das próximas aspirações

  • A aspiração pode ser seguida de uma drenagem postural e técnicas manuais e o treinamento respiratório.

ASSITÊNCIA DA ENFERMAGEM

  • PACIENTE ENTUBADO

  • Fazer higiene oral em intervalos de 4 horas ou sempre que necessário

  • Fixar o tubo endotraqueal

  • Trocar fixação sempre que necessário

  • Efetuar aspiração oro e endotraqueal

  • Colocar cânula oral (Guedel), nos pacientes agitados que estiverem mordendo o tubo endotraqueal

  • -Não aspirar os pacientes rotineiramente

  • Realizar avaliacao antes e após o procedimento

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  • OBRIGADO

Comentários