Dispositivos de entrada e saida

Dispositivos de entrada e saida

Dispositivos de Entrada e Saida

Elton Aparecido Padilha <Elton.luccios@gmail.com>

Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) – Curso de Ciência da Computação – Campus Gravataí

Av. Itacolomi, 3.600 – Bairro São Vicente – CEP 94170-240 – Gravataí - RS

3 de Setembro de 2009

Resumo

Este artigo tem como objetivo descrever algumas funções ligadas aos dispositivos de entrada e saída, e abranger um pouco mais sobre sua historia.

Palavras-chaves: Dispositivos; Entrada e saída; Historia;

Abstract

Title: “Input and Output Devices”

This article aims to describe some functions related to the input and output devices, cover a little more about its history.

Key-words: Devices; Input and Output; History;

Introdução

Os dispositivos de entrada e saída (E/S) ou input/output (I /O) são também denominados periféricos. Eles permitem a interação do processador com o homem, possibilitando a entrada e/ou a saída de dados.O que todos os dispositivos de entrada têm em comum é que eles codificam a informação que entra em dados que possam ser processados pelo sistema digital do computador. Já os dispositivos de saída decodificam os dados em informação que pode ser entendida pelo usuário.Há dispositivos que funcionam tanto para entrada como para saída de dados, como o modem e o drive de disquete. Atualmente, outro dispositivo híbrido de dados é a rede de computadores.Os principais dispositivos de entrada de informações são: teclado, mouse, drive de CD / DVD-ROM, pen drive, scanner, etc.

  1. Dispositivos de Entrada

2.1 Touch-Pad

O Touchpad é um dispositivo sensível ao toque, utilizado em computadores portáteis, para substituir o mouse, utilizando células sensíveis ao toque. Atualmente, os touchpad identificam vetores x e y usando a capacitância proporcionada pela pele do dedo em sua superfície, então o microprocessador identifica o valor das cargas e sabe quais células foram pressionadas. Para gerar um movimento, ele identifica quais as primeiras e quais as últimas células pressionadas, gerando linhas retas em intervalos de milisegundos. Essas linhas geradas a cada milisegundo juntas formam o movimento do cursor.

Os modelos antigos utilizavam sensores de pressão, porém este sistema não é mais utilizado nos atuais touchpads - como os de notebooks, principalmente - por não possuírem a mesma qualidade e durabilidade das novas tecnologias.

Figura - Touch-Pad

    1. Joystick

Joystick é um periférico de computador e videogame pessoal ou um dispositivo geral de controle que consistem em uma vara vertical na qual os pivôs se aproximam de uma extremidade e transmitem seu ângulo em duas ou três dimensões a um computador.O joystick é usado freqüentemente para controlar os jogos de vídeo, e têm geralmente um ou mais botões de pressão cujo estado pode também ser lido pelo computador.

O termo joystick transformou-se em um sinônimo para controladores do jogo que podem ser conectados ao computador desde que o computador defina a entrada como uma "porta de jogos". Além de controlar jogos, os manches são usados também para controlar máquinas tais como elevadores, guindastes, caminhões. Os joysticks mais diminutos recentemente foram adotados como dispositivos navegacionais para equipamentos eletrônicos menores tais como telefones móveis.

Figura – Joystick

O joystick surgiu originalmente como controle de aeronaves e elevadores. Sua invenção é originalmente atribuída ao piloto francês Robert Esnault-Pelterie, existindo também reivindicações históricas entre os pilotos Robert Loraine, James Henry Joyce e Sr. A. E. George. Esse último foi pioneiro ao voar em um pequeno avião em Newcastle, na Inglaterra em 1910. É atribuído a ele a criação do "George Stick" o qual tornou-se populamente conhecido como joystick.

    1. Digitalizador

Digitalizador ou escâner (do inglês scanner) é um periférico de entrada responsável por digitalizar imagens, fotos e textos impressos para o computador, um processo inverso ao da impressora. Ele faz varreduras na imagem física gerando impulsos elétricos através de um captador de reflexos. É dividido em duas categorias:

  • digitalizador de mão - parecido com um rato/mouse bem grande, no qual deve-se passar por cima do desenho ou texto a ser transferido para o computador. Este tipo não é mais apropriado para trabalhos semi-profissionais devido à facilidade para o aparecimento de ruídos na transferência.

  • digitalizador de mesa - parecido com uma fotocopiadora, no qual deve-se colocar o papel e abaixar a tampa para que o desenho ou texto seja então transferido para o computador. Eles fazem a leitura a partir dispositivos de carga dupla.

O digitalizador cilíndrico é o mais utilizado para trabalhos profissionais. Ele faz a leitura a partir de fotomultiplicadores. Sua maior limitação reside no fato de não poderem receber originais não flexíveis e somente digitalizarem imagens e traços horizontais e verticais. Ele tem a capacidade de identificar um maior número de variações tonais nas áreas de máxima e de mínima.

Devido aos avanços recentes na área da fotografia digital, já começam a ser usadas câmeras digitais para capturar imagens e texto de livros.

Figura - Digitalizador (Scanner)

    1. Trackball

O trackball é um dispositivo apontador, similar ao mouse (como usado no Brasil) ou rato (como usado em Portugal). Diferentemente do mouse tradicional (que deve ser movido sobre um mousepad ou tapete), o trackball permanece imóvel enquanto o usuário manipula uma grande esfera geralmente localizada em sua parte superior para mover o cursor na tela ou ecrã do computador.

Muitos usuários preferem o trackball por causa da sua maior facilidade de uso e por causa da menor incidência de dores nos pulsos (LER) em relação ao rato tradicional.

Figura – Trackball

3 Dispositivos de Saída

    1. Plotter

Uma plotter ou lutter é uma impressora destinada a imprimir desenhos em grandes dimensões, com elevada qualidade e rigor, como por exemplo plantas arquitetônicas, mapas cartográficos, projectos de engenharia e grafismo.

Primeiramente destinada a impressão de desenhos vetoriais, actualmente encontram-se em avançado estado de evolução, permitindo impressão de imagens em grande formato com qualidade fotográfica, chegando a 2400 dpis de resolução.Conhecidas como plotters de impressão, dão saída como as impressoras desktop convencionais, utilizando programas específicos que aceitam arquivos convencionais de imagem como TIF, JPG, DWG, EPS e outros.

Essas impressoras podem usar diversos suportes como papel comum, fotográfico, Pelicula, Vegetal, auto-adesivos, lonas e tecidos especiais.Uma outra variação é a plotter de recorte, na qual uma lâmina recorta adesivos de acordo com o que foi desenhado previamente no computador, através de um programa vectorial. O material assim produzido é utilizado por exemplo na personalização de frotas de veículos e ambientes comerciais, como fachadas, vitrines, confecção de banners, luminosos, placas, faixas, entre outros.

Figura - Plotter

    1. Fax

Fax (abreviatura do termo latino facsimile ou telefacsimile) ou telecópia é uma tecnologia das telecomunicações usada para a transferência remota de documentos através da rede telefônica.

A idéia de transmitir e reproduzir documentos a longa distância foi patenteada por Alexander Bain em 1843. Da união da idéia de Bain com aparelho telefônico criado por Alexander Graham Bell, o primeiro protótipo do fac-símile, mais conhecido como fax, foi criado nos Laboratórios Bell em 1926.Em 1947 Gabriel Casotti, especialista em telegrafia sem fio, produziu o primeiro aparelho de fax com a ajuda da agência de notícias Associated Newspapers.Em 1949, a Muirhead instalou o primeiro sistema de fax no Japão. E em 1973 ele começou a ser produzido em grande escala.

Uma "máquina de fax" normalmente consiste de uma scanner, um modem, uma impressora e uma linha telefônica em um só equipamento. A scanner converte o arquivo impresso em imagem digital, o modem envia esta imagem pela linha telefônica para outra máquina de fax e impressora desta máquina produz uma cópia do documento rececebido.O grande sucesso do fax deve-se principalmente à sua grande vantagem sobre os correios quando a comunicação é a longa distância, uma vez que a tranferência de documentos daquele é quase instantânea.

Com a popularização da Internet nos anos 2000, um novo serviço aparece no meio das telecomunicações: o fax pela internet, chamado também Internet Fax ou ainda Fax to Mail. O serviço funciona através de um Servidor de Fax, um software que permite o envio de fax a partir do computador via conexão na Internet.Em muitos ambientes corporativos, as máquinas de fax foram substituídas pelos servidores de fax e outros sistemas computadorizados capazes de receber e armazenar fax eletrônicos que podem ser impressos ou reenviados via e-mail para terceiros. Tais sistemas têm a vantagem de reduzir custos uma vez que diminuem impressões desnecessárias e gastos com ligações telefônicas das máquinas de fax.

Figura - FAX

    1. Placa de Vídeo

Placa de vídeo ou Placa. Gráfica. é um componente de um computador que envia sinais deste para o monitor, de forma que possam ser apresentadas imagens ao utilizador. Normalmente possui memória própria, com capacidade medida em bytes.

Nos computadores de baixo custo, as placas de vídeo estão incorporadas na placa-mãe, não possuem memória dedicada, e por isso utilizam a memória RAM do sistema, normalmente denomina-se memória (com)partilhada. Como a memória RAM de sistema é geralmente mais lenta do que as utilizadas pelos fabricantes de placas de vídeo, e ainda dividem o barramento com o processador e outros periféricos para acessá-la, este método torna o sistema mais lento. Isso é notado especialmente quando se usa recursos tridimensionais.

Já em computadores aprimorados o hardware de vídeo pode ter um processador próprio, o GPU ou acelerador gráfico. Trata-se de um processador capaz de gerar imagens e efeitos visuais tridimensionais, aliviando o trabalho do processador principal e gerando um resultado final melhor e mais rápido. Esse processador utiliza uma linguagem própria para descrição das imagens tridimensionais, algo como "crie uma linha do ponto x1,y1,z1 ao ponto x2,y2,z2 e coloque o observador em x3,y3,z3" é interpretado e executado, gerando o resultado final que é a imagem da linha vista pelo observador virtual. O resultado final normalmente é medido considerando-se o número de vezes por segundo que o computador consegue redesenhar uma cena, cuja unidade é o FPS (Frames per second). Comparando-se o mesmo computador com e sem uma placa com processador de vídeo os resultados (em FPS) chegam a ser dezenas de vezes maiores quando se tem o dispositivo.

Tais processadores, em geral, estão disponíveis apenas em hardware a ser adicionado ao computador (placas de vídeo), embora existam motherboards ou mesmo notebooks que possuam esse recurso.Também existem duas tecnologias voltadas aos usuários de softwares 3D e jogadores: SLI e CrossFire. Essa tecnologia permite juntar 2 placas de vídeo para trabalharem em paralelo, duplicando o poder de processamento gráfico e melhorando seu desempenho. SLI é o nome adotado pela nVidia, enquanto CrossFire é utilizado pela ATI. Apesar da melhoria em desempenho, ainda é uma tecnologia cara, que exige além das duas placas, uma placa-mãe que aceite esse tipo de arranjo. E a energia consumida pelo computador se torna mais alta, muitas vezes exigindo uma fonte de alimentação melhor.

Figura - Placa de Vídeo

    1. Impressoras

Uma impressora ou dispositivo de impressão é um periférico que, quando conectado a um computador ou a uma rede de computadores, tem a função de dispositivo de saída, imprimindo textos, gráficos ou qualquer outro resultado de uma aplicação.

Herdando a tecnologia das máquinas-de-escrever, as impressoras sofreram drásticas mutações ao longo dos tempos. Também com o evoluir da computação gráfica, as impressoras foram-se especializando a cada uma das vertentes. Assim, encontram-se impressoras optimizadas para desenho vectorial e para raster, e outras optimizadas para texto.A tecnologia de impressão foi incluída em vários sistemas de comunicação, como o fax.

Figura -Impressora

  1. Conclusão

Esse artigo mostrou uma breve introdução sobre dispositivos de entrada e saida, tentando usar uma linguagem simples e coloquial para que o leitor possa sem duvidas se satisfazer e despertar sua cusiosidade sobre o assunto,como foco buscamos mostrar um pouco sobre seu funcionamento, uso, e historia.

Referências

Wikipédia – A enciclopédia Livre - http://pt.wikipedia.org

4

Comentários