impermeabilização

impermeabilização

(Parte 1 de 6)

A umidade sempre foi uma preocupação para o homem desde o tempo em que habitava as cavernas. O homem primitivo passou a se refugiar em cavernas para proteger das chuvas, animais, frio. Percebeu que a umidade ascendia do solo e penetrava pelas paredes, o que tornava a vida dentro delas insalubre.

Esses problemas fizeram com que o homem fosse sempre aprimorando seus métodos construtivos e isolando a sua habitação. A água, o calor e a abrasão foram e serão os mais ponderáveis fatores de desgaste e depreciação das construções – a água em particular, dado o seu extraordinário poder de penetração.

A umidade ainda é um desafio para a construção civil e o homem procura a cada dia combatê-la.

Sendo assim, a impermeabilização se faz uma das etapas mais importantes na construção, propiciando conforto aos usuários finais da construção, bem como a eficiente proteção que deve ser oferecida aos diversos elementos de uma obra sujeitas às ações das intempéries.

2− 2− 2− 2− A importância da impermeabilização

Impermeabilização na construção civil tem como objetivo impedir a passagem indesejável de águas, fluidos e vapores, podendo conte-los ou escoá-los para fora do local que necessitamos proteger.

A importância da impermeabilização, além de permitir a habitabilidade e funcionalidade da construção civil, é relevada no objetivo de proteger a edificação de inúmeros problemas patológicos que poderão surgir com infiltração de água, integrada ao oxigênio e outros componentes agressivos da atmosfera (gases poluentes, chuva ácida, ozônio), já que uma grande quantidade de materiais constituintes da construção civil sofre um processo de deterioração e degradação, quando em presença dos meios agressivos da atmosfera.

Tem-se verificado com freqüência que a impermeabilização não analisada com a devida importância por parte dos engenheiros, construtores, arquitetos, projetistas e impermeabilizadores, tendo como conseqüência infiltração de água num primeiro instante, seguido de uma serie de conseqüências patológicas como corrosão de armaduras, eflorescência, degradação do concreto e argamassa, empolamento e bolhas em tintas, curtos circuitos, etc., gera altos custos de manutenção e recuperação.

0 custo de uma impermeabilização na construção civil e estimado em 1% a 3% do custo total de uma obra. No entanto, a não funcionalidade da mesma poderá gerar custos de reimpermeabilização da ordem de 5% a 10% do custo da obra envolvendo quebra de pisos cerâmicos, granitos, argamassas, etc., sem considerar custos de conseqüências patológicas mais importantes e outros transtornos ocasionados, depreciação de valor patrimonial, etc.

Portanto, é de suma importância o estudo adequado da impermeabilização de forma a utilizarmos todos os recursos técnicos que dispomos para executa-la da melhor forma possível.

2.1 ONDE SE APLICAM ATUALMENTE AS IMPERMEABILIZAÇÕES?

Partindo do princípio de que as estruturas nas edificações deverão ser dimensionadas para suportar diversos tipos de movimentos e cargas, inerentes ao meio em que vivemos, e de que este meio sofre mutações climáticas de acordo com a umidade relativa, a temperatura, o vento, a chuva, o calor, faz-se necessário protegê-las de infiltrações e do calor, para se obter maior vida útil dos materiais de construção, do concreto e dos materiais plásticos, dando melhor desempenho e conforto às habitações.

Em virtude deste fato, são inúmeros os locais onde se faz necessário a aplicação de impermeabilização, tais como:

Subsolos Playgrounds Lajes internas de cozinhas, banheiros, áreas de serviço, varandas, etc. Jardineiras Lajes superiores a pisos das casas de máquinas Lajes permanentes e rodapés de cobertura Caixas d’água e cisternas Piscinas Calhas Banheiras Terraços Marquises box de banheiro que interligam ambientes de temperatura diferentes tabuleiros de viadutos, pontes em áreas frias (piso banheiro, cozinha, área de serviço muros de arrimo coberturas, terraços lajes planas, rampas.

2.2 TECNOLOGIA DA IMPERMEABILIZAÇÃO

O desempenho adequado da impermeabilização é obtido com interação de vários componentes, diretamente relacionados entre si, pois a falha de um deles pode prejudicar o desempenho e durabilidade da impermeabilização.

Os principais componentes são:

a) Projeto de impermeabilização

O projeto de impermeabilização deve fazer parte integrante dos projetos de uma edificação, como hidráulica, elétrica, cálculo estrutural, arquitetura, paisagismo, formas, etc., pois a impermeabilização necessita ser estudada e compatibilizada com todos os componentes de uma construção, de forma a não sofrer ou ocasionar interferências.

b) Qualidade de materiais e sistema de impermeabilização

Existem no Brasil diversos produtos impermeabilizantes, de qualidade e desempenho variáveis, de diversas origens e métodos de aplicação, normalizados ou não), que deverão ter suas características profundamente estudadas para se escolher um adequado sistema de impermeabilização.

Como exemplo, existem produtos cancerígenos utilizados em impermeabilização de reservatórios, produtos que sofrem degradação química do meio a que estão expostos, produtos de baixa resistência a água, baixa resistência a cargas atuantes, não suportam baixas ou altas temperaturas, dificuldade ou impossibilidade de aplicação em determinados locais ou situações, baixa resistência mecânica, etc.

Deve-se sempre procurar conhecer todos os parâmetros técnicos e esforços mecânicos envolvidos para a escolha adequada do sistema impermeabilizante.

c) Qualidade da execução da impermeabilização

Por melhor que seja o material ou o sistema de impermeabilização, de nada adianta se o mesmo e aplicado por pessoa não habilitada na execução da impermeabilização.

Deve-se sempre recorrer a equipes especializadas na aplicação dos materiais impermeabilizantes. A mesma devera ter conhecimento do projeto de impermeabilização; ser recomendado pelo fabricante do material; que possua equipe técnica e suporte financeiro compatível com o porte da obra; que ofereça garantia dos serviços executados, etc.

d) Qualidade da construção da edificação

A impermeabilização deve sempre ser executada sobre um substrato adequado, de forma a não sofrer interferências que comprometam seu desempenho, tais como: regularização mal executada, fissuração do substrato, utilização de materiais inadequados na área impermeabilizada, (como tijolos furados, enchimentos corn entulho, passagem inadequada de tubulações elétricas e hidráulicas), falhas de concretagem, cobrimento de armadura insuficiente, sujeira, resíduos de desmoldantes, ralos e tubulações mal chumbados, detalhes construtivos que dificultam a impermeabilização. etc.

e) Fiscalização

0 rigoroso controle da execução da impermeabilização e fundamental para seu desempenho, devendo esta fiscalização devendo ser feita não somente pela empresa aplicadora, mas também responsável pela obra.

Deve-se sempre obedecer o detalhamento do projeto de impermeabilização e estudar os possíveis problemas durante o transcorrer da obra, verificando se a preparação da estrutura para receber a impermeabilização está sendo bem executada, se o material aplicado está dentro das especificações no que tange a qualidade, características técnicas, espessura, consumo, tempo de secagem, sobreposição, arremates, testes de estanqueidade, método de aplicação, etc.

f) Preservação da impermeabilização

Deve-se impedir que a impermeabilização aplicada seja danificada por terceiros, ainda que involuntariamente, por ocasião da colocação de pregos, luminárias, pára-raios, antenas coletivas, play-ground, pisos e revestimentos, etc.

Considerar, como precaução, a possibilidade de ocorrência de tais problemas quando da execução do projeto. Caso isto não seja possível, providenciar a compatibilização em época oportuna, evitando escolher as soluções paliativas. 3. Α ΙΜΠΟΡΤℜΝΧΙΑ ∆ΟΣ ΠΡΟϑΕΤΟΣ Ε ∆ΟΣ ∆ΕΤΑΛΗΕΣ3. Α ΙΜΠΟΡΤℜΝΧΙΑ ∆ΟΣ ΠΡΟϑΕΤΟΣ Ε ∆ΟΣ ∆ΕΤΑΛΗΕΣ3. Α ΙΜΠΟΡΤℜΝΧΙΑ ∆ΟΣ ΠΡΟϑΕΤΟΣ Ε ∆ΟΣ ∆ΕΤΑΛΗΕΣ3. Α ΙΜΠΟΡΤℜΝΧΙΑ ∆ΟΣ ΠΡΟϑΕΤΟΣ Ε ∆ΟΣ ∆ΕΤΑΛΗΕΣ

De todos os aspectos que envolvem a impermeabilização, a ausência de projetos específicos parece ser a raiz principal do problema.

A impermeabilização ocupa um espaço importante na medida em que influi e altera uma estrutura, um gabarito de obra, um projeto elétrico e hidráulico, ou seja, interfere em todas as fases da obra. O projeto de impermeabilização deverá ser desenvolvido conjuntamente com o com o projeto geral e os projetos setoriais de modo a serem previstas as correspondentes especificações em termos de dimensões, cargas e detalhes.

Porém a realidade é bem diferente. Na maioria dos casos, inexiste o projeto de impermeabilização, e a firma impermeabilizadora é chamada quando o edifício já está quase concluído; em geral não foram previstos os caimentos, proteções, rebaixos e outros detalhes, fundamentais para o bom funcionamento da impermeabilização. Por vezes não foi sequer prevista, no cálculo da laje a sobrecarga, geralmente significativa , provenientes dos enchimentos e proteções necessários.

A falta de um projeto específico de impermeabilização, especificando os detalhes necessários, que tenha sido desenvolvido de maneira coordenada com o projeto do edifício, prevendo-se as interações com a estrutura, instalações, etc., implica uma série de improvisações na obra, que além de bastante onerosa leva geralmente a soluções que não são satisfatórias. Além disso, a falta de uma especificação clara e precisa dos materiais e serviços leva a uma série de problemas na contratação e na definição das responsabilidades das diversas partes envolvidas (projetistas, executor da obra, executor da impermeabilização, outros empreiteiros, etc.). Os custos de um projeto de impermeabilização são inúmeras vezes menores que os custos decorrentes de eventuais desperdícios, reparos, danos a diversas partes da construção etc. , que podem ser ocasionados por falta desse mesmo projeto.

-Unificação dos orçamentos;

3.1 VANTAGENS DO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO - Facilidade durante a fiscalização;

- Antecipação dos possíveis problemas que possam vir a ocorrer durante a execução da impermeabilização - Definição de etapas de execução de serviços;

- Prevenção dos possíveis problemas patológicos ou escolha do sistema de impermeabilização inadequada;

- Compatibilidade entre todos os projetos inerentes de uma obra (estrutura, arquitetura, hidráulica e elétrica, paisagismo, etc.)

3.2 PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO

0 projeto de impermeabilização tem como função elaborar, analisar, planificar, detalhar, descriminar e adotar todas as metodologias adequadas visando o bom comportamento da impermeabilização, compatibilizando os possíveis sistemas im-permeabilizantes a serem adotados com a concepção da edificação.

Elaboração de Projeto de Impermeabilização

Condições gerais:

Segundo a norma NBR9574 – Execução de impermeabilização- o executante da impermeabilização deve receber uma série de documentos técnicos para possibilitar a execução da impermeabilização:

a) Memorial descritivo e justificativo b) Desenhos e detalhes específicos c) Especificações dos materiais a serem empregados e dos serviços a serem executados d) Planilha de quantidade de serviços a serem realizados e) Estimativa de custos dos serviços a serem realizados f) Indicação da forma de medição dos serviços a serem realizados

A fim de se ter um bom resultado os elementos básicos que deve conter um projeto de impermeabilização são:

a) A solução de todos os problemas de impermeabilização possíveis; b) Os materiais que serão utilizados em cada caso; c) A técnica de aplicação desses materiais, em cada local; d) Os serviços complementares à impermeabilização.

(Parte 1 de 6)

Comentários