Metodos estatistico I

Metodos estatistico I

(Parte 1 de 15)

Métodos Estatísticos I Pinho, ALS;

Spyrides, M

O objetivo desta unidade é introduzir alguns ele mentos que co m p r e e n d e m a t o mada de decisão usando a estatística, esti mulando o raciocínio crítico diante d e i n f o r mações apresentadas c o mo fato.

Pretende-se ensinar ao aluno a e x a m i n a r suposições, a avaliar a evidência dos fatos, a to mar u ma decisão, levando-se e m conta a incerteza presente na infor mação disponível.

Estatística ciência dos dados. A palavra ciência, que s i g n i f i c a c o n h e c i mento e m lati m, segundo o dicionário Folha/

Aurélio pode ser definida co m o :

“conjunto organizado de c o n h e c i mentos relativos a u d e t e r minado o b j e t o , e s p e c i a l mente os obtidos mediante a observação, a experiência dos fatos e u m m é t o d o próprio”. O método científico, por sua vez, é u ma maneira siste mática e iterativa de buscar c o n h e c i mento. Portanto, o uso da estatística, junta mente c o m o m é t o d o científico, proporciona u ma ga ma de princípios e procedi mentos para a obtenção e identificação de dados relevantes, auxiliando, assi m, a to mada de decisão.

A Figura 1.1, abaixo, mostra as etapas do método científico.

O ciclo co meça co m ma teoria, pre missa ou hipótese. Por exe mplo, suponha que os responsáveis pela produção de u ma caneta e m u ma fábrica e s t e j a m preocupados, pois ulti m a m e n t e a l g u mas unidades tê m retornado à fábrica devido a u m proble ma de resseca mento da tinta usada pela caneta.

Os gerentes de produção aproveita m essa oportunidade para melhorar o processo. As infor mações fornecidas pelos consu midores pode m ajudar a f o r mular u ma teoria sobre o que está causando o proble ma de resseca mento de tinta.

A s s i m, inicia-se u m experi mento para coletar os dados, que serão confrontados co m a teoria for mulada inicial m e n t e .

N o v o

D i c i o n á r i o

B á s i c o d a n g u a P o r t u g u e s a – o l h a / A u r é l i

E d i t o r a

N o v a

F r o n t e i r a ,

D e p a r t a m e n t o d e

E s t a t í s t i c a -

Métodos Estatísticos IPinho,

Spyrides, M

Figura 1.1: As etapas no método científico

As mudanças na produção feitas durante o experi mento são anotadas e as canetas resultantes são, então, medidas, produzindo, assi m, os dados.

Os dados são analisados, sintetizando os resultados. Interpreta m-se os resultados e utiliza m-se os dados produzidos no e x p e r i mento para c o n f i r mar ou refutar a teoria.

Se a p o r c e n t a g e m de canetas defeituosas reduz satisfatoria mente, pode-se concluir que a teoria te m funda mento.

Nessa situação, as mudanças na produção são efetuadas e t o r n a m-se a nova maneira de se fabricar canetas. Por outro lado, se não h o u v e r redução de defeitos a teoria será descartada.

Nessa outra situação, u ma nova teoria é f o r mulada e posta e m teste, repetindo, assi m, todo o ciclo.

Aprender estatística requer o aprendizado de u ma nova ter minologia. Essa nova t e r minologia envolve frases, s í mbolos e definições necessárias para que s e d e s e n v o l v a m os conceitos e ideias usados neste curso.

Nesta seção, s e r ã o apresentados os ter mos relativos ao processo de to mada de decisão, e n v o l v e n d o teorias, dados, possibilidade de erros, e u ma medida de plausibilidade.

D e p a r t a m e n t o d e

E s t a t í s t i c a -

S i n t e t i z a r o s r e s u l t a d o s n t e r p r e t a r m a r d e c i s ã o l e t a r d a d o s o r m u l a r t e o r i a s ( h i p ó t e s e s )

Métodos Estatísticos I Pinho, ALS;

Spyrides, M

Definição 1.1: População é a totalidade dos ele mentos de u

m grupo que estão sendo estudados e sobre os quais deseja-se obter infor mações, que tê m u ma característica m co m u m . Definição mostra é a parte da população que é efetiva mente usada para se obter infor m a ç ã o .

Definição 1.3: Inferência estatística é o processo de to mar u ma decisão a respeito de u ma população a partir de u ma a mostra dessa população.

Figura 1.2: Relação entre população, plano de a mostral, a mostra e inferência estatísticaNo exe mplo da seção anterior, a população é constituída de todas as canetas, daquele referido modelo, produzidas pela e mpresa. A a mostra consistiria as canetas produzidas durante o experi mento e a inferência seria a conclusão do experi m e n t o generalizada para a população.

No dia-a-dia, a s s i m c o mo no estudo das ciências, nos d e p a r a mos c o m q u e s t i o n a mentos acerca de nossas teorias. Nossos modelos mentais são construídos ao longo do te mpo, de for ma progressiva, confor me nós observa mos dados e tira m o s

D e p a r t a m e n t o d e

E s t a t í s t i c a - n f e r ê n c i a

E s t a t í s t i c a

P l a n o

P o p u l a ç ã o

A m o s t r a l

A m o s t r a

D a d o s o b s e r v á v e i s

1. Seleciono dados. 2.

A d i c i o n o s i g n i f i c a d o aos dados.

3. Crio pressupostos baseados no significado. 4. Tiro conclusões a partir dos pressupostos.

Adoto crenças. 6. To mo ações. 7.

(Parte 1 de 15)

Comentários