Tendências futuras da biotecnologia perspectivas

Tendências futuras da biotecnologia perspectivas

(Parte 2 de 5)

Essa nova organização metodológica em Genética, pode ser observada na Figura 1.

Figura1. Integração de metodologias genômicas aplicadas ao melhoramento genético

Melhoramento genético

Características quantitativas Controle da recombinação

Seleção assistida por marcadores

Melhoramento gênico DNA shuffling technology Evolução direcionada

Expressão gênica

Interação genótipo x ambiente em tempo real Análise massiva de genes

O perfil de investimento privado em pesquisa biotecnológica pode ser classificado de acordo com:

Proteção vegetal: - Controle de ervas daninhas, pragas e doenças

Gerenciamento de soluções para o ciclo de vida de produtos: - Atualização da linha de produtos por meio de soluções genéticas (o mesmo para a indústria farmacêutica)

- Desenvolvimento de produtos-plataforma, contendo mais de uma solução em apenas um produto, como por exemplo, tolerância a herbicida, resistência a insetos e alto teor de proteína

Características agronômicas superiores - Produtividade

Produtos de qualidade alimentar superior para humanos e animais domésticos

- Segurança quanto à alergenicidade

Derivados vegetais - Amidos, proteínas e óleos

- Anticorpos e polímeros (“molecular farming”)

Desenvolvimento de plataformas tecnológicas integradas (vide Figura 1)

- Compostos ativos : Descoberta, caracterização, otimização, formulação e desenvolvimento - Desenvolvimento de germoplasma

- Tecnologia gênica

Conhecimento, patentes e comercialização de empresas emergentes de alta tecnologia

Tecnologias fundamentais: - Genômica (sequenciamento, expressão, função)

- Análise massiva de genes

Toxicogenômica (favorece o registro de produtos, a aceitação de produtos e estende o ciclo de vida dos mesmos) - Identificação de genes-alvo importantes em mamíferos

- Identificação de genes afetados por pesticidas (alterações na expressão de genes em resposta a tratamentos químicos) - Análise massiva de toxicidade

Agilidade em análises - Robótica

- Análise massiva

Formulação avançada de produtos

- Substituição de soluções agronômicas para processos industriais (como por exemplo, modificações na fibra do algodão)

Especialidades - Amidos modificados

- Produtos com maturação uniforme - Inibidores de germinação (brotamento) em tubérculos

Produção florestal

No que tange à espécies florestais, é importante lembrar que madeira representa um negócio global no valor de US$ 300 bilhões. E madeira representa também uma outra forma de fixação biológica de Carbono.

Espécies florestais estão em seus estágios iniciais de domesticação. Mudanças de porte, associadas com domesticação, não foram ainda desenvolvidas em espécies florestais, e nisso a biotecnologia aplicada à produção industrial de madeira oferece soluções importantes para questões como:

- Quais são as razões dos altos níveis de variabilidade genética natural em espécies florestais?

- Quais são as bases genéticas do porte e da longevidade dessas espécies, e no que o sequenciamento genômico de Arabidopsis pode auxiliar?

- Qual a melhor estratégia de mapeamento de fatores genéticos importantes para as propriedades da madeira?

- Quais são as bases qualitativas e quantitativas da síntese de lignina em espécies florestais, uma vez que a lignina está fundamentalmente relacionada com resistência mecânica, defesa contra patógenos e impermeabilização de superfície? Essas características da lignina representam também um desafio para a indústria de papel e celulose, uma vez que variantes que reduzem e modificam a lignina, modificam as propriedades da madeira, podendo facilitar a produção de polpa (economia de US$ 4/acre, dados dos EUA), promovendo redução do impacto ambiental.

Aliança estratégica entre a indústria alimentícia e a cadeia de distribuição de alimentos: influência nas linhas de pesquisa privada em biotecnologia

No início de 2001, a UNILEVER consolidou suas operações com a aquisição da

BestFoods, que no Brasil é proprietária da Arisco e da Refinações de Milho, Brasil, definindo uma nova estratégia para os negócios na área de alimentos. O faturamento global da empresa anglo-holandesa é de US$ 45 bilhões, e a companhia estrutura-se para exercer papel predominante na área de bens de consumo, com posições equivalentes em higiene e alimentos.

As aquisições realizadas pela empresa, envolvendo marcas como Hellman’s,

Knorr, Tarantella, Cica, Maizena, Kibon, Doriana e Becel, demonstraram o valor agregado das grifes associadas aos produtos, e ampliam a área de atuação da companhia. A própria transição do nome Gessy Lever para UNILEVER, demonstra a importância do negócio de alimentos para a empresa.

Como exemplo das modificações estratégicas realizadas, a produção de atomatados e legumes será concentrada na fábrica da Arisco, no Brasil Central, havendo a tendência de se transferir a linha Cica para a fábrica goiana, dado o volume de produção agrícola lá realizado. A Companhia planeja também construir um centro de pesquisas sobre alimentos no Brasil. Isso certamente trará reflexos para a empresas de sementes, tanto no que se refere a volumes, quanto à características de valor agregado.

Mais e mais se observa a aproximação entre as indústrias alimentícias e as grandes distribuidoras de alimentos. Mais e mais se observa que as grandes “tradings” já possuem estratégias diferenciadas de comercialização internacional de “commodities“ agrícolas, sejam elas convencionais ou transgênicas ( a Cooperativa de imigração holandesa Castrolanda, de Castro, PR, realizou uma avaliação prospectiva, detectando que apenas uma parcela do “premium price” pago pela produção de soja não transgênica, ficaria de fato com o produtor).

Isso colocará a indústria de insumos agrícolas (defensivos, fertilizantes e sementes) sob pressão por produtos que apresentem maior valor agregado, sejam “commodities” ou “specialties “. Oportunidade muito significativa para a Biotecnologia, com sua capacidade de rápida agregação de valor, na forma de “output traits”.

Dessa forma, a inteligência do mercado e os canais de circulação de produtos até o consumidor, passam a ser elementos fundamentais para a definição de estratégias de pesquisa em Biotecnologia. Realizar prospecção de mercados e de tendências qualitativas e quantitativas de consumo, passa a ter relação estreita com a definição e cronograma físico-financeiro de programas de pesquisa, se se quer manter a competitividade comercial (isso é aplicável tambem em nível de estratégias nacionais).

Em 26 de janeiro de 2001, o Torrey Mesa Research Institute (TMRI), o centro de pesquisa genômica da Syngenta, anunciou que havia completado o mapa genômico do arroz, em colaboração com a empresa Myriad Genetics, Inc. Além dos aspectos relativos à significativa contribuição para a pesquisa básica em genética vegetal, por ser o arroz um modêlo para outros cereais, a possibilidade de ampliar a agregação de valor à cultura do arroz merece uma análise em detalhes.

A Companhia planeja utilizar a informação genômica em aplicações comerciais novas e inovadoras. A política de transferência de tecnologia proprietária para países em desenvolvimento admite o fato de que a utilização dessa tecnologia a agricultores de subsistência não é central nos atuais negócios da Companhia. O mesmo ocorre com o “Golden Rice”, desenvolvido para fornecer vitamina A.

Assim, a Companhia é capaz de estabelecer dois critérios de comercialização e partição dos benefícios da tecnologia por ela desenvolvida, tanto no que se refere a “specialties” (genes homólogos identificados ou transferidos a outras espécies podem conferir significativo valor agregado), como no que se refere a alimentação básica de populações de menor poder aquisitivo.

(Parte 2 de 5)

Comentários