Ética, computação e engenharia ambiental

Ética, computação e engenharia ambiental

1- Conceito de ética

A palavra ética originou-se do grego ethos (caráter, modo de ser de uma pessoa), ela consiste em um conjunto de valores morais e princípios que norteiam a conduta humana dentro da sociedade, com base nos seus valores históricos e culturais.

A ética serve para que haja um equilíbrio e um bom funcionamento social, possibilitando que ninguém saia prejudicado, nesse sentido ela se assemelha às leis, embora haja diferença entre elas, já que ninguém é obrigado a cumprir as normas éticas e nem pode ser punido caso as descumpra.

Além dos princípios gerais que norteiam o bom funcionamento social, existe também a ética de determinados grupos ou locais específicos. Neste sentido, podemos citar: ética médica, ética de trabalho, ética empresarial, ética educacional, ética nos esportes, ética jornalística, ética na política, etc.

2- Atividades em que engenheiro ambiental utiliza os recursos da computação

Tanto na sua formação quanto no exercício da profissão, o engenheiro ambiental utiliza-se de recursos computacionais, para uma maior agilidade, praticidade e eficácia no resultado de suas atividades.

Dentre essas atividades que se beneficiam com os recursos computacionais estão:

· Realização de cálculos complexos e construção de gráficos

Ao realizar cálculos complexos e construir gráficos, o engenheiro utiliza programas como o MATLAB, software que integra análise numérica, cálculo com matrizes, processamento de sinais e construção de gráficos, sistemas como esse permitem a resolução de muitos problemas numéricos em apenas uma fração de tempo.

· Elaboração de projetos

Ao elaborar projetos e desenhos técnicos o engenheiro utiliza programas do tipo CAD (computer aided design) ou em português “projeto assistido por computador”, alguns deles permitem a elaboração de projetos em três dimensões, o que dá uma visão mais completa do modelo.

· Reconhecimento de área

Ao fazer o reconhecimento da área a ser trabalhada, muitas vezes o engenheiro utiliza programas que reúnem imagens de satélites e de aeronaves e um sistema de informações geográficas (SIG) 3D, que proporcionam uma visão em três dimensões do globo terrestre. O Google Earth é um exemplo desse tipo de programa, ele permite ao engenheiro visualizar uma determinada área e perceber nela informações que podem lhe ser úteis.

3- Problemas de ética podem ocorrer quando o engenheiro ambiental utiliza recursos computacionais

O engenheiro pode ter problemas de ética, ao utilizar recursos computacionais quando:

· Usar programas piratas

Devido à facilidade de encontrar e utilizar, e principalmente pelo fato de serem mais baratos ou não terem custo algum, muitos profissionais usam programas piratas (cópias dos originais não autorizadas), o que acaba por ferir os direitos autorais de quem produziu tal programa.

· Abusar no uso de programas que reproduzem partes do globo terrestre através de imagens de satélites

Há uma grande questão no uso destes programas, já que alguns possuem uma eficácia tão grande que acabam por invadir a intimidade alheia, ou por revelar informações particulares o que se caracteriza como invasão de privacidade.

4- O que o CREA (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) /CONFEA (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia) diz sobre ética que tenha relação com o meio ambiente

Segundo o código de ética do CREA/CONFEA:

“3 - Dos princípios éticos

Art. 8º - A prática da profissão é fundada nos seguintes princípios éticos aos quais o profissional deve pautar sua conduta:

Da intervenção profissional sobre o meio

VI - A profissão é exercida com base nos preceitos do desenvolvimento sustentável na intervenção sobre os ambientes natural e construído e da incolumidade das pessoas, de seus bens e de seus valores;”

“4 - Dos deveres

Art. 9º - No exercício da profissão são deveres do profissional:

V- Ante ao meio:

a. orientar o exercício das atividades profissionais pelos preceitos do desenvolvimento sustentável;

b. atender, quando da elaboração de projetos, execução de obras ou criação de novos produtos, aos princípios e recomendações de conservação de energia e de minimização dos impactos ambientais;

c. considerar em todos os planos, projetos e serviços as diretrizes e disposições concernentes à preservação e ao desenvolvimento dos patrimônios sócio-cultural e ambiental”

“5 - Das condutas vedadas

Art. 10 - No exercício da profissão são condutas vedadas ao profissional:

V - Ante ao meio:

a. prestar de má-fé orientação, proposta, prescrição técnica ou qualquer ato profissional que possa resultar em dano ao ambiente natural, à saúde humana ou ao patrimônio cultural”

Referências

· Wikipédia, a enciclopédia livre.

· CONFEA, Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia.

· Sua Pesquisa.com.

· Recursos Computacionais na Integração de Disciplinas em Curso de engenharia, Prof.ª Patrícia Guimarães Abramof e Prof.ª Ana Clara da Mota.

4

Comentários