Efeito da irrigação sobre a taxa de lotação em pastagens de capimtanzânia utilizadas para produção de leite em São Carlos, SP

Efeito da irrigação sobre a taxa de lotação em pastagens de capimtanzânia...

Efeito da irrigação sobre a taxa de lotação em pastagens de capimtanzânia utilizadas para produção de leite em São Carlos, SP

Patrícia Menezes Santos1 Danilo de Paula Moreira2 Celso Eduardo da Silva3 André De-Stefani Aguiar3 Rodrigo de Andrade Ferrazza3

80 ISSN 1981-206X

São Carlos, SPDezembro, 2007Técnico

Comunicado

Foto capa: Patrícia Menezes SantosPesquisadora da Embrapa Pecuária Sudeste, Rod. Washington Luiz, km 234, Caixa Postal 339, 13560-970, São Carlos, SP. Endereço eletrônico: <patricia@cppse.embrapa.br>Analista da Embrapa Pecuária Sudeste, Rod. Washington Luiz, km 234, Caixa Postal 339, 13560-970, São Carlos, SPEndereço eletrônico: <danilo@cppse.embrapa.br> Estagiários da Embrapa Pecuária Sudeste.

Piquete de tanzânia irrigados no período da seca

Introdução

A utilização da pastagem, como base da alimentação de bovinos de leite, é uma alternativa para reduzir o custo de produção e, conseqüentemente, tornar a atividade leiteira mais competitiva.

Um dos entraves à utilização do pasto como base da alimentação é a estacionalidade de produção de forragem. Dados experimentais mostram que, em áreas de sequeiro na região Sudeste, a produção de forragem no período seco representa cerca de 20% do total anual. Os primeiros experimentos relacionados à irrigação de pastagens no Estado de São Paulo foram desenvolvidos por Guelfi Filho (1972, 1978) em Piracicaba, SP. Esse autor observou que a irrigação proporcionava aumento na produção total de matéria seca do capim-elefante e do capim-colonião durante o ano, entretanto não alterava a curva de estacionalidade de produção de matéria seca. As irrigações efetuadas durante o “verão” (quente e úmido) eram mais vantajosas do que as irrigações feitas durante o “inverno” (frio e seco).

Na década de 1990, no entanto, experimentos realizados na Embrapa Pecuária Sudeste mostraram que o período de baixa produtividade do capim-tanzânia na entressafra foi reduzido de 150 a 160 dias para 65 a 70 dias com irrigação (Rassini, 2002). Estes resultados indicam que a amplitude de resposta das gramíneas tropicais à irrigação sob condições de decréscimo do fotoperíodo e da temperatura não é bem conhecida.

Tanto nos estudos de Guelfi Filho (1972, 1978) quanto nos de Rassini (2002) apenas a planta forrageira foi avaliada. A capacidade de suporte das

2 Efeito da irrigação sobre a taxa de lotação em pastagens decapim-tanzânia utilizadas para produção de leite em São Carlos, SP pastagens depende, além da taxa de acúmulo de forragem, de outros fatores, tais como consumo animal e eficiência de pastejo. O objetivo deste trabalho foi verificar o efeito da irrigação sobre a taxa de lotação em pastagens de capimtanzânia utilizadas para produção de leite em São Carlos, SP.

Condução do trabalho

As taxas de lotação animal em pastagens de capim-tanzânia com e sem irrigação foram comparadas na Embrapa Pecuária Sudeste, em São Carlos, SP (22o01’ S e 47o53’ W), entre dezembro de 2003 e janeiro de 2005. O trabalho foi conduzido em área de 6 ha de capimtanzânia implantado em 1993, utilizada desde então para pastejo por vacas e por novilhas da raça Holandesa Preta e Branca.

A área foi subdividida em 56 piquetes de 1.0 m2. Metade dos piquetes foi irrigada por aspersão convencional, utilizando-se um sistema composto por dois conjuntos de seis aspersores com vazão de 8 a 10 m/h e uma bomba elétrica de 25 HP de potência. O solo predominante do local era Latossolo Vermelho Amarelo de textura média, com as características químicas em julho de 2003 e em julho de 2004 apresentadas na Tabela 1.

No período de outubro a abril, tanto a área irrigada quanto a não irrigada receberam 133 kg/ha de uréia a cada ciclo de pastejo (60 kg/ha de nitrogênio). Já no período de maio a setembro, apenas a área irrigada foi adubada com 6 kg/ha de uréia (30 kg/ha de nitrogênio) a cada ciclo de pastejo.

Tabela 1. Características químicas do solo da área experimental em julho de 2003 e em julho de 2004.

A água de irrigação foi manejada pelo método EPS (Rassini, 2002). Neste método, a freqüência de irrigação é determinada com base nas ocorrências climáticas de evaporação (evaporímetro de Pichè) e de precipitação pluvial (pluviômetro), que foram monitoradas periodicamente no posto meteorológico da Embrapa Pecuária Sudeste. Além disso, considerou-se a média da capacidade de armazenamento de água disponível de 20 m na camada de solo de 0 a 20 cm. A irrigação era efetuada toda vez que a diferença acumulada entre a evapotranspiração e a precipitação atingia 30 m, conforme preconizado pelo método. Em setembro de 2004, devido a problemas no sistema de irrigação, o balanço hídrico na área irrigada foi negativo (Tabela 2).

MO = matéria orgânica; S = soma de bases; CTC = capacidade de troca catiônica em pH 7,0; V = saturação por bases; TI = tratamento irrigado; TNI = tratamento não-irrigado. Obs.: As amostras de solo foram coletadas com trado do tipo sonda, na profundidade de 0 a 20 cm.

3 Efeito da irrigação sobre a taxa de lotação em pastagens decapim-tanzânia utilizadas para produção de leite em São Carlos, SP Tabela 2. Balanço hídrico mensal no período experimental, em São Carlos, SP.

Os piquetes foram pastejados por vacas em lactação da raça Holandesa Preta e Branca, com ciclo de pastejo de 28 dias (1 dia de ocupação e 27 dias de descanso). O peso vivo das vacas era, em média, de 540 kg. O número de animais colocados em cada piquete foi ajustado diariamente com base na avaliação visual da massa de forragem do próximo piquete a ser pastejado e do resíduo pós-pastejo do piquete anterior. Outros detalhes sobre o experimento podem ser vistos em Silva (2005). A taxa de lotação foi calculada considerando-se que uma unidade animal (UA) corresponde a um animal que consuma 12 kg de matéria seca (MS) de forragem por dia. O consumo total de matéria seca foi estimado utilizando-se o Cornell Net Carbohydrate and Protein System (CNCPS 3.1 - Fox et al., 1999). O consumo de forragem, utilizado para a estimativa da taxa de lotação, foi calculado subtraindo-se o consumo de concentrado do consumo total de matéria seca.

a Evaporação de referência (evaporímetro de Pichè). b Saldo mensal = [(precipitação + irrigação) - evaporação]. c Quantidade de água disponível, considerando-se a capacidade de água disponível do solo de 100 m (1,3 m/ cm e 80 cm de profundidade do sistema radicular). Fonte: Silva (2005).

4 Efeito da irrigação sobre a taxa de lotação em pastagens decapim-tanzânia utilizadas para produção de leite em São Carlos, SP

Resultados

A intensidade de pastejo foi semelhante nos sistemas com e sem irrigação. Isto indica que as diferenças observadas na taxa de lotação entre os dois sistemas não foram reflexo do manejo dos pastos. O resíduo pós-pastejo dos piquetes na área irrigada foi semelhante àquele observado na área não irrigada e não variou ao longo dos ciclos de pastejo (média de 5.600 kg/ ha de MS). Também não houve efeito da irrigação sobre a massa de folhas (média de 1.500 kg/ha de MS), de hastes (média de 2.900 kg/ha de MS) e de material morto (média de 1.300 kg/ha de MS) no resíduo pós-pastejo.

A média anual da taxa de lotação foi de 4,0 e de 4,4 UA/ha no período de janeiro de 2004 a janeiro de 2005 nas áreas com e sem irrigação, respectivamente. De abril a setembro de 2004 e em novembro de 2004 não houve diferença entre os tratamentos. A maior vantagem da irrigação ocorreu em janeiro, outubro e dezembro de 2004 e janeiro de 2005 (Figura 1). Essa figura mostra ainda que a irrigação proporcionou a redução de 30 dias no período em que a taxa de lotação animal da pastagem ficou abaixo da média anual (outubro de 2004).

Figura 1. Taxa de lotação de vacas da raça Holandesa Preta e Branca em pastagens de capim-tanzânia com e sem irrigação em São Carlos, SP (média ± erro padrão).

1 Temperatura abaixo da qual a planta não se desenvolve ou se desenvolve a taxas muito reduzidas.

Em setembro de 2004, apesar de a média da temperatura mínima do ar ser de 16,1oC (a temperatura-base inferior1 das gramíneas tropicais é de aproximadamente 15oC), falhas ocorridas no sistema de irrigação limitaram o desenvolvimento do capim e, conseqüentemente, a taxa de lotação utilizada (Tabela 2 e Figura 1). Para confirmar se a irrigação de pastagens é vantajosa em setembro, seria necessário repetir as avaliações em outro ano agrícola. Os resultados já obtidos, no entanto, indicam que, a partir de setembrooutubro, quando a temperatura começa a se elevar, o pasto pode ser utilizado como principal fonte de alimento volumoso para rebanhos leiteiros com o uso da irrigação, prolongando assim o período de utilização das pastagens de capim-tanzânia em 30 a 60 dias.

Em fevereiro e março de 2004, a taxa de lotação foi mais elevada no tratamento sem irrigação. Este resultado não era esperado e sugere a necessidade de estudos para aprimorar o manejo da irrigação, evitando tanto a falta quanto o excesso de água que podem prejudicar o desenvolvimento das plantas.

5 Efeito da irrigação sobre a taxa de lotação em pastagens decapim-tanzânia utilizadas para produção de leite em São Carlos, SP

Conclusão

A irrigação possibilita o uso do pasto de capim-tanzânia como principal fonte de alimento volumoso para rebanhos leiteiros a partir de setembro-outubro na região de São Carlos, SP, prolongando dessa forma o período de utilização das pastagens em 30 a 60 dias. É necessária a coleta de dados em mais um ano agrícola para verificar o efeito da irrigação sobre o desenvolvimento do pasto em setembro.

Referências bibliográficas

FOX, D. G.; TYLUTKI, T. P; PELL, A. N.; VAN AMBURGH, M. E.; CHASE, L. E; PITT, R. E.; RASMUSSEN, C. N; TEDESCHI, L. O.; DURBAL, V. J. The Net Carbohydrate and Protein System for evaluating herd nutrition and nutrient excretion. Model documentation 1. Version 3.1. Ithaca: Cornell University, 1999.

GUELFI FILHO, H. Efeito da irrigação sobre o capim colonião (Panicum maximum Jacq.). O Solo, v. 68, n. 1, p. 12-15, 1978.

GUELFI FILHO, H. Efeito da irrigação sobre a produtividade do capim elefante (Pennisetum purpureum Schum.) variedade napier. 1972. 7 p. Tese (Doutorado em Agronomia) - Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba, SP, 1972.

RASSINI, J. B. Irrigação de pastagens: frequência e quantidade de aplicação de água em latossolos de textura média. São Carlos: Embrapa Pecuária Sudeste, 2002. 7 p. (Circular Técnica, 31).

SILVA, C. E. da. Respostas produtivas do capim-tanzânia (Panicum maximum Jacq. cv. Tanzânia) com e sem a utilização da irrigação. 2005. 65 p. Dissertação (Mestrado em Agronomia) - Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Botucatu, SP, 2005.

Exemplares desta edição podem ser adquiridos na: Embrapa Pecuária Sudeste Endereço: Rod. Washington Luiz, km 234 Fone: (16) 3361-5611 Fax: (16) 3361-5754 Endereço eletrônico: sac@cppse.embrapa.br

1 edição on line (2007)

Presidente: Alberto C. de Campos Bernardi. Secretário-Executivo: Edison Beno Pott Membros: Carlos Eduardo Silva Santos, Odo Primavesi, Maria Cristina Campanelli Brito, Sônia Borges de Alencar.

Revisão de texto: Edison Beno Pott Editoração eletrônica: Maria Cristina Campanelli Brito.

Comitê de publicações

Expediente

Comunicado Técnico, 80

Ministério da Agriculura, Pecuária e Abastecimento

Comentários