Psicologia aplicada à administração

Psicologia aplicada à administração

(Parte 1 de 13)

PSIQUE - Alma, Vida. PSICO - Termo de composição que se emprega a fim de indicar a idéia de mente, espírito, alma. LOGOS - Estudo, teoria.

PSICOLOGIA: Psico + logia. Ciência que estuda as idéias, as determinações e sentimentos, cujo conjunto forma o espírito do homem; ciência dos fatos da consciência e de suas leis; tratado sobre a alma e as faculdades intelectuais e morais.

Psicologia Animal - A que estabelece o que o homem tem de comum com os animais e o que deles o distingue.

Psicologia Coletiva - Conjunto de fenômenos mentais, morais, sociais, etc., que constituem a maneira de ser de cada agrupamento humano e o caracterizam.

Psicologia Comparada - Parte da Psicologia que se aplica a seguir fatos psicológicos nas variações que apresentam de acordo com os caracteres da espécie humana, o estudo da saúde mental, o grupo étnico a que pertence o indivíduo e outros índices comparativos.

Psicologia da Forma - A que, nas vivências dos sentidos, dá primazia à totalidade estrutural dos dados sensoriais, sobre a vivência de cada uma das partes.

Psicologia do Subconsciente - A que explora a camada profunda que, sob a camada superficial consciente, influi de modo decisivo na vida humana.

Psicologia Empírica - A que estuda os fenômenos psíquicos, descreve-os e lhes formula as leis.

Psicologia Experimental - A que faz variar determinados fenômenos, a fim de individualizar as condições psicológicas.

Psicologia Fisiológica - A que estuda os fenômenos fisiológicos que acompanham os fenômenos psicológicos.

Psicologia Individual - A que explica a vida anímica do indivíduo, pelo sinergismo de dois impulsos fundamentais: a vontade de poder e o sentimento social.

Psicologia Infantil - Parte da Psicologia que estuda o desenvolvimento psíquico da criança.

Psicologia Moral - Parte da Teologia moral que se ocupa das operações da vontade ou dos atos humanos, como manifestações da natureza do homem.

Psicologia Social - A que investiga o instinto, os impulsos da vontade e os sentimentos que levam o homem a formar a sociedade ou a prejudicá-la.

PSICÓLOGOS: Pessoas que, em sua profissão, se ocupam com experiência psíquica e comportamento, com os variados modos de sua expressão e com as causas e condições do psíquico. As tarefas do psicólogo que atua na prática dos mais diversos campos de psicologia aplicada podem ser classificadas em três ramos de atividades, a saber: Psicodiagnóstico (reconhecimento das particularidades individuais, inclusive condições responsáveis pela atualização de tais características); Aconselhamento (orientação profissional, orientação educacional, etc.,); Psicoterapia (tratamento, mudanças no indivíduo ou por influência ambientais às quais ele está sujeito). A designação “Psicólogo Diplomado” é um título acadêmico que só se confere após concluído o curso de psicologia em escola superior.

Psicólogo - Indivíduo que se dedica à Psicologia, que se notabiliza pela observação e análise dos estudos da alma. No sentido mais amplo, o objeto de estudo da Psicologia é o HOMEM.

(Verhalten; Behavior). Os *teólogos consideram comportamento, o mais das vezes, modelos de contrações musculares de que resultam determinados movimentos de tipo constante (Ação Instintiva).

K.Fiedler.

Pode tratar-se de ações como de reações.

1.Atividade de um organismo;

Como pequena amostra dos numerosos pontos de vista sobre esse, que é o objeto da psicologia, seguem algumas definições de Comportamento: 2.Atividade observável de um organismo específico; 3. Atividade mensurável de um organismo específico; 4.Respostas do indivíduo, da espécie ou do grupo, aos estímulos; 5.Resposta específica de um organismo específico; 6.Resposta particular de um modelo de resposta; 7.Movimento; 8.Atividade total, subjetiva e objetiva, não observável e observável, de um indivíduo ou grupo.

Comportar + mento Procedimento, modo de se comportar ou de proceder. Esta palavra foi introduzida na linguagem filosófica para indicar o objeto da psicologia de reação, chamada impropriamente muitas vezes de psicologia objetiva. Claparede propõe a palavra conduta para indicar as reações não estereotipadas da espécie, mas que caracterizam o indivíduo, e provêm do hábito. Em Psicologia, entende-se como comportamento o conjunto de reações que resultam da experiência individual e que não se transmitem à espécie. A escola do behaviorismo, ou da psicologia do comportamento, preconiza a observação como norma de comportamento, porquanto somente as ações humanas podem ser observadas, e despreza a introspecção como método psicológico.

COMPORTAMENTO: O termo Comportamento vem de: com - PORT - a - mento. O termo PORT, que deu origem também à palavra porto, significa levar, conduzir daí com - PORT - ar, exportar, transportar. Logo, o que leva uma pessoa a agir é com - PORT - a - mento, ou melhor, você leva (carrega) com você modos de agir que se expressam em situações de estímulo.

COMPORTAMENTO: São as respostas de uma pessoa ou de um animal diante de uma situação.

* ETOLOGIA - Ciência ou tratado do caráter, caracterologia. Estudo das adaptações dos animais e dos vegetais ao ambiente; parte da Ecologia que estuda o comportamento dos seres vivos.

BEHAVIORISMO 2

(Psicologia Do Comportamento)

O Behaviorismo nasce com Watson e tem um desenvolvimento grande nos

Estados Unidos, em função de suas aplicações práticas; tornou-se importante por ter definido o fato psicológico, de modo concreto, a partir da noção de Comportamento (Behavior).

BEHAVIORISMO: Designação de uma forma radical da psicologia objetiva. O método de “Introspecção” é recusado, só os conceitos de “Estímulo” e “Reação” tem importância para a discussão dos fatos psicológicos (J.B. Watson).

O PSICOLÓGO COMPORTAMENTAL: Ele está interessado em descobrir as variáveis que controlam o comportamento e em determinar as relações precisas que existem entre elas.

A Escola Behaviorista ou Comportamental segue as propostas de B.F. Skinner. Define o COMPORTAMENTO como qualquer movimento observável ou mensurável feito por um organismo, incluindo movimento externos e internos e seus resultados, bem como as secreções glandulares e seus efeitos.

Comportamento Respondente
Comportamento Operante

Skinner (l938) distinguiu duas espécies de comportamento:

COMPORTAMENTO RESPONDENTE: uma espécie específica de resposta é eliciada por uma espécie específica de estímulo, e o estímulo sempre precede a resposta. Ex.: reflexos da salivação, da transpiração, reflexo patelar, reflexo pupilar.

COMPORTAMENTO OPERANTE: comportamento fortalecido ou enfraquecido por eventos posteriores à resposta. O comportamento operante é controlado por suas conseqüências. É um comportamento voluntário, inclui todos os movimentos de um organismo dos quais se possa dizer que, em algum momento, tem um efeito sobre ou fazem algo ao mundo ao redor.

O Comportamento Respondente, conforme Pavlov descobriu, pode ser

CONDICIONADO, ou seja, pode-se fazer com que um novo evento elicie a resposta. Assim, se um estímulo neutro for associado, um certo número de vezes, a um estímulo eliciador, o estímulo previamente neutro irá evocar a mesma espécie de resposta (uma resposta semelhante ao REFLEXO). O novo REFLEXO, ( exemplo da apresentação da carne ao cão), em que a campainha sozinha elicia a salivação é chamado REFLEXO CONDICIONADO, a campainha que elicia a resposta constitui o ESTÍMULO CONDICIONADO.

ESTÍMULO INCONDICIONADO: é o estímulo que por si só elicia uma resposta.ESTÍMULO INCONDICIONADO: é o estímulo que por si só elicia uma resposta. As conseqüências que fortalecem o comportamento são chamados REFORÇOS.

operanteEx.: o animal privado de comida pode emitir uma ampla variedade de respostas

REFORÇO: é qualquer evento que aumenta a força de qualquer comportamento e qualquer uma delas que seja seguida por alimento será fortalecida.

Um reforço fortalece uma resposta no sentido de que aumenta a probabilidade com que a resposta ocorrerá novamente.

O aumento na freqüência do comportamento reforçado é chamado CONDICONAMENTO.

Se o reforço é interrompido, a freqüência de uma resposta condicionada declina até que não ocorra numa freqüência maior do que a nível operante. O decréscimo na força de uma resposta condicionada quando não reforçada é chamada EXTINÇÃO.

Um fato importante sobre a definição operacional de Reforço é que as propriedades reforçadoras não estão no estímulo em si, mas sim nos efeitos deste sobre o comportamento. . Há também uma classe de estímulo chamado REFORÇO NEGATIVO ou ESTÍMULO AVERSIVO, eles enfraquecem o comportamento.

EXTINÇÃO: Eliminação dos comportamentos indesejáveis ou inadequado. Se dá através da retirada do reforço que fortalece um dado comportamento ou através da PUNIÇÃO.

Os Reforços podem ser aplicados sob a forma Constante ou Intermitentemente. INTERMITENTES: o que não é contínuo, que tem intervalos, acontece de quando em quando; ou CONSTANTES quando incessante, contínuos.

BEHAVIORISMO, SUA APLICAÇÃO A principal área de aplicação dos conceitos apresentados tem sido a educação.

São conhecidos os métodos de ensino programado e o controle e organização das situações de aprendizagem, bem como a elaboração de uma tecnologia de ensino.

Entretanto outras áreas também tem recebido a contribuição das técnicas e conceitos desenvolvidos pelo Behaviorismo, como Treinamento em Empresas, a Clínica, o trabalho educativo de crianças excepcionais, a Publicidade e outros mais.

Na verdade, a análise experimental do comportamento pode auxiliar-nos a descrever nossos comportamentos em qualquer situação, ajudando-nos a modificá-los.

(M. 27/ 02/ l936, em Leningrado).

Ivan Petrovich Pavlov (N. 14/ 09/ l849 em Riasan (Rússia);

Pavlov primeiro estudou fisiologia animal e depois medicina na Universidade de

Petersburgo.

(Parte 1 de 13)

Comentários