Influência da Igreja Católica na Administração

Influência da Igreja Católica na Administração

1 HISTÓRIA E ORGANIZAÇÃO DA IGREJA CATÓLICA

A história do catolicismo está associada à expansão do Império Romano. A partir do século XVI, sua difusão se acentua com a colonização européia da Ásia e da América. A administração está estruturada em regiões geográficas autônomas, as dioceses, dirigidas por bispos subordinados ao papa.

É o maior ramo do cristianismo e o mais antigo como igreja organizada. O termo católico deriva do grego katholikos e significa universal. A expressão "Santa Sé" significa o conjunto do Papa e dos dicastérios da Cúria Romana, que o ajudam no governo de toda a Igreja. A sede da Igreja fica no Vaticano. Sua estrutura é altamente hierarquizada, sendo o seu Chefe o Papa.

A estrutura hierárquica de títulos está em ordem descendente, como pode ser observada no fluxograma abaixo:

2 INFLUÊNCIA DA ORGANIZAÇÃO DA IGREJA CATÓLICA NA ADMINISTRAÇÃO

Na evolução histórica da administração a Igreja Católica Romana pode ser considerada a organização formal mais eficiente da civilização ocidental.

A Igreja Católica absorveu ao longo do tempo normas administrativa e princípios de organização pública das Instituições de Estado como Atenas, Roma, etc. Empregou na sua organização, a hierarquia de autoridade, o estado maior (assessoria) e a coordenação funcional.

Segundo James O. Mooney, “entre todas as formas de atividades humanas, a Igreja Católica constitui um dos exemplos mais destacados de aplicação e funcionamento de todos os princípios de organização”.

Ela aproveitou e aperfeiçoou toda a técnica administrativa que os romanos desenvolveram para fazer administração à distância. Como exemplo de eficiência e de coordenação administrativa e departamental. Através dos séculos vem mostrando e provando a força de atração de seus objetivos, a eficácia de suas técnicas organizacionais e administrativas, espalhando-se por todo mundo e exercendo influência, inclusive sobre os comportamentos das pessoas, seus fiéis.

Conforme Megginson, Mosly e Pietri, Jr. (1998) a Igreja Católica Romana contribuiu bastante para evolução administrativa. À proporção que o cristianismo se expandia ocasionava muitos conflitos, fazendo surgir novas seitas, por senti-se pressionadas a Igreja passou a definir com mais clareza as suas missão, objetivos, diretrizes, regras e regularmente, assim como a sua hierarquia organizacional. Desenvolveu uma relação altamente centralizada de autoridade e responsabilidade, ocasionou em muitos conflitos entre centralização e descentralização existentes até hoje. Essas características além do grau de imposições de diretrizes, doutrinas, procedimentos, entre outros são uns dos principais fatores de diferenças de seitas cristãs.

Hoje a Igreja Católica tem uma organização tão simples e eficiente que sua enorme organização mundial pode operar satisfatoriamente sob o comando de uma só pessoa, o Papa. Tem atravessado séculos e sua forma primitiva tem permanecido mais ou menos a mesma: um chefe executivo, um colégio de conselheiros, arcebispos, bispos, párocos e a congregação de fiés. Apoiada não só na força de atração de seus objetivos, mas também na eficácia de suas técnicas organizacionais e administrativas, a igreja tem sobrevivido às revoluções do tempo e oferecido um exemplo de como conservar e defender suas propriedades, suas finanças, rendas e privilégios.

3 CONCLUSÃO

A Igreja Católica contribuiu para o desenvolvimento da Administração com a sua estrutura, seu método de organização, por ser considerada a organização formal mais eficiente da civilização ocidental. Conclui-se que esta estrutura eclesiástica serviu de modelo para várias outras instituições que por sua vez aplicaram diversas normas, princípios administrativos utilizados na Igreja.

4 REFERÊNCIAS

HIERARQUIA DA IGREJA CATÓLICA. Disponível em: http://formacaodecatequistas.blogspot.com/2008_03_01_archive.html. Acesso em: 30 agosto 2009.

CHIAVENATO, Ildaberto. Administração nos Novos Tempos. 2.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 1983.

MEGGINSON, Leon C., MOSLEY, Donald C., JR, Paul H. Pietro. Administração – Conceito e Aplicação. 4.ed. São Paulo: Harbra, 1998.

Comentários