Aprenda a interpretar uma forma de onda

Aprenda a interpretar uma forma de onda

Aprenda a interpretar uma onda

Temos na imagem abaixo um exemplo de uma onda senoidal comum, ela se encontra dentro da tela do osciloscópio, a única diferença esta no numero de divisões de amplitude que no aparelho teriamos 8 div, e na imagem temos somente 6, mas isso não implicará em nada nesta aula.

Pois o que vamos analizar é o trajeto da onda e como ela deve ser transformada em tensão e em frequencia na somatória das divisões aqui disponíveis.

Note que só temos a parte da onda que nos interessa analizar, uma senóide perfeita. Onde ela começa e onde ela termina é o que vamos entender e saber inerpreta-la.

Veja na tabela ao lado (amarela) as posições que supostamente estaria o seletor do Oscioscópio, a escala de Volts por divisão, a escala de Periodo ou segundos por divisão e a escala de AC/DC.

Mais abaixo temos outra tabela (vermelho e verde), esta mostra o resultado final de cada trajéto da onda, como por exemplo as 4 divisões ocupadas pela amplitude de cada pico da onda senoidal.(parte vermelha).

Sendo que cada divisão equivale a 1v, como mostra na tabela amarela(posição)

Então teremos duas divisões pra baixo e duas pra cima do ponto zero, somando 4 divisões pico a pico, ou 4v p.

Outro exemplo é a somatória das divisões ocupadas pela onda no sentido horizontal, ou seja, o tempo que ela levou pra se completar(sec/div).

Veja que temos 7 divisões ocupadas sendo que como mostra na tabela amarela, cada divisão corresponde a 1ms, então somando as 7 divisões logicamente teremos o tempo de 7ms ao termino da onda.

Até ai tudo bem, essa é a parte facil. Vamos para a conversão para saber a frequencia desse sinal amostrado. Primeiro vamos etender a fórmula usada na conversão:

f =Hz f= 1\T

Frequencia F é igual a 1 dividido pelo tempo T.

Bem, agora vamos usar os valores amostrados no primeiro exemplo e usar a formula pra descobrir qual a frequencia do sinal, já que temos os valores de tensão e de tempo da senóide.

A medida que nos interessa interpretar neste grafico é só a de tempo, pois todos sabemos que independente da tensão (amplitude) amostrada não implicará na frequencia final.

Como vimos anteriormente a maneira de descobrir o tempo percorrido pela senóide completa, saberemos aqui usar os valores na fórmula:

Na tabela abaixo temos alguns exemplos das principais potencias utilizadas na leitura de frequencia ou de qualquer tipo de medida em modo geral.

7 milisegundos é o tempo total desta senóide o que equivale a 7 dividido por 1000, ou seja 7\1000 = 0,007.

Este é o valor que nos enteressa para usar na fórmula, então teremos: 1 dividido por 0,007, ou 1\0,007 = 142,8571 Hz f = 142,8571 Hz

Esta é a frequencia do sinal amostrado no nosse exemplo!

Usamos nessa pequena aula um exemplo de onda senoidal, mas poderiamos ter usado qualquer outro tipo de forma de onda, quadrada por exemplo.

Basta saber onde começa e onde termina cada ciclo, como no exemplo da tela abaixo:

Com essa forma de onda nada mudaria nos calculos e no resultado final.

Claro que não foi citado nada com respeito a sincronização do sinal nem de onde foi retirado o sincronismo do mesmo, pois esta aula foi com o único objetivo de entender e saber interpretar a forma de onda mostrada na tela do osciloscópio.

Lembrando que neste exemplo usamos uma determinada escala de leitura conforme a regulagem do seletor de tempo e de amplitude, mas isso não implicará no resultado final e sim na visualização da forma de onda amostrada, quanto menor a escala de amplitude, maior será a forma de onda amostrada, e quanto menos a escala de tempo(sec/div), mais longa será a forma no sentido horizontal.

Ricardo JRC

Comentários