Apostila de desenho tecnico

Apostila de desenho tecnico

(Parte 2 de 4)

- Organograma: quadro geométrico que representa os níveis hierárquicos de uma organização, ou de um serviço, e que indica os arranjos e as inter-relações de suas unidades constitutivas.

(2) Quanto ao grau de elaboração:

- Esboço: representação gráfica aplicada habitualmente aos estágios iniciais de elaboração de um projeto, podendo, entretanto, servir ainda à representação de elementos existentes ou à execução de obras.

- Desenho preliminar: representação gráfica empregada nos estágios

intermediários da elaboração do projeto, sujeita ainda a alterações e que

corresponde ao anteprojeto.

- Croqui: desenho não obrigatoriamente em escala, confeccionado normalmente à mão livre e contendo todas as informações necessárias à sua finalidade.

- Desenho definitivo: desenho integrante da solução final do projeto, contendo os elementos necessários à sua compreensão.

(3) Quanto ao grau de pormenorização:

- Desenho de componente: desenho de um ou vários componentes representados separadamente.

- Desenho de conjunto: desenho mostrando reunidos componentes, que se associam para formar um todo.

- Detalhe: vista geralmente ampliada do componente ou parte de todo um

complexo.

(4) Quanto ao material empregado:

Desenho executado a lápis, giz, carvão ou outro material adequado.

(5) Quanto à técnica de execução:

Se executado manualmente (à mão livre ou com instrumento) ou à máquina.

(6) Quanto ao modo de obtenção:

Desenho matriz que serve para reprodução.

- Original: desenho matriz que serve para reprodução.

- Reprodução: desenho obtido a partir do original mediante cópia (reprodução na mesma escala do original), ampliação (reprodução maior que o original) ou redução (reprodução menor que o original).

METODOS DE DESENHOS E MÃO LIVRE

Para o desenho a mão-livre são necessários alguns instrumentos para realizar tal atividade:

  1. Lápis ou lapiseira;

  2. Borracha branca;

  3. Régua T e paralela

  4. Prancha de Desenho;

  5. Esquadros:

  6. Escalas

Normas da ABNT

A execução de desenhos técnicos é inteiramente normalizada pela ABNT. Os procedimentos para execução de desenhos técnicos aparecem em normas gerais que abordam desde a denominação e classificação dos desenhos até as formas de representação gráfica, como é o caso da NBR 5984 – NORMA GERAL DE DESENHO TÉCNICO (Antiga NB 8) e da NBR 6402 – EXECUÇÃO DE DESENHOS TÉCNICOS DE MÁQUINAS E ESTRUTURAS METÁLICAS (Antiga NB 13), bem como em normas específicas que tratam os assuntos separadamente, conforme os exemplos seguintes:

NBR 10647 – Desenho técnico – Norma Geral.NBR 10068 – Folha de desenho – leiaute e dimensões.NBR 10582 – Conteúdo da folha para desenho técnico.NBR 13142 – Dobramento de cópia de desenho técnico.NBR 8196 – Emprego de escala em desenho técnico.NBR 8402 – Execução de caracteres para escrita em desenho técnico.NBR 8403 – Aplicação de linhas em desenhos – Tipos de linhas – Larguras de Linhas.NBR 10126 – Cotagem em desenho técnico.NBR 6492 – Representação de projetos de arquitetura.

NBR 12298 – Hachuras .

As normas focadas no curso serão as seguintes:

• NBR 10647 – DESENHO TÉCNICO – NORMA GERAL, cujo objetivo é definir os termos empregados em desenho técnico. A norma define os tipos de desenho quanto aos seus aspectos geométricos (Desenho Projetivo e Não-Projetivo), quanto ao grau de elaboração (Esboço, Desenho Preliminar e Definitivo), quanto ao grau de pormenorização (Desenho de Detalhes e

Conjuntos) e quanto à técnica de execução (À mão livre ou utilizando computador)

• NBR 10068 – FOLHA DE DESENHO LAY-OUT E DIMENSÕES, cujo objetivo é padronizar as dimensões das folhas utilizadas na execução de desenhos técnicos e definir seu lay-out com suas respectivas margens e legenda.

As folhas podem ser utilizadas tanto na posição vertical como na posição horizontal, conforme mostra a Figura 1.2.

Os tamanhos das folhas seguem os Formatos da série “A”, e o desenho deve ser executado no menor formato possível, desde que não comprometa a sua interpretação.

Tabela 1: Os Formatos da série “A” seguem as seguintes dimensões em milímetros:

Os formatos da série “A” têm como base o formato A0, cujas dimensões guardam entre si a mesma relação que existe entre o lado de um quadrado e sua diagonal (841 2 =1189), e que corresponde a um retângulo de área igual a 1 m2.

Havendo necessidade de utilizar formatos fora dos padrões mostrados na tabela 1, é recomendada a utilização de folhas com dimensões de comprimentos ou larguras correspondentes a múltiplos ou a submúltiplos dos citados padrões.

A legenda deve conter todos os dados para identificação do desenho (número, origem, título, executor etc.) e sempre estará situada no canto inferior direito da folha, conforme mostra a Figura 1.2.

Espaço para desenho:

- Os desenhos são dispostos na ordem horizontal ou vertical.

- O desenho principal é colocado acima e à esquerda, na área para desenho.

Espaço para texto:

- Todas as informações necessárias ao entendimento do conteúdo do espaço para desenho são colocadas no espaço para texto.

- O espaço para texto é colocado à direita ou na margem inferior do padrão de desenho.

- Quando o espaço para texto é colocado na margem inferior, a altura varia

conforme a natureza do serviço.

- A largura do espaço de texto é igual a da legenda ou no mínimo 100 mm.

- O espaço para texto é separado em colunas com larguras apropriadas de forma que possível, leve em consideração o dobramento da cópia do padrão de desenho, conforme padrão A4.

- As seguintes informações devem conter no espaço para texto: explanação (identificação dos símbolos empregados no desenho), instrução (informações necessárias à execução do desenho), referência a outros desenhos ou documentos que se façam necessários, tábua de revisão (histórico da elaboração do desenho com identificação/assinatura do responsável pela revisão, data, etc).

Legenda:

- Usada para informação, indicação e identificação do desenho, a saber:

designação da firma, projetista, local, data, assinatura, conteúdo do desenho, escala, número do desenho, símbolo de projeção, logotipo da firma, unidade empregada, escala, etc.

- A legenda deve ter 178 mm de comprimento nos formatos A2, A3 e A4, e 175 mm nos formatos A0 e A1.

- Os desenhos são executados, se possível, levando em consideração o

dobramento das cópias do padrão de desenho, conforme formato A4.

NBR 10582 – APRESENTAÇÃO DA FOLHA PARA DESENHO TÉCNICO, que normaliza a distribuição do espaço da folha de desenho, definindo a área para texto, o espaço para desenho etc.. Como regra geral deve-se organizar os desenhos distribuídos na folha, de modo a ocupar toda a área, e organizar os textos acima da legenda junto à margem direita, ou à esquerda da legenda logo acima da margem inferior.

• NBR 13142 – DESENHO TÉCNICO – DOBRAMENTO DE CÓPIAS, que fixa a forma de dobramento de todos os formatos de folhas de desenho: para facilitar a fixação em pastas, eles são dobrados até as dimensões do formato A4.

• NBR 8402 – EXECUÇÃO DE CARACTERES PARA ESCRITA EM DESENHOS TÉCNICOS que, visando à uniformidade e à legibilidade para evitar prejuízos na clareza do desenho e evitar a possibilidade de interpretações erradas, fixou as características de escrita em desenhos técnicos.Caracteres para escrita em desenho técnico, mostrado na figura 1. Algarismos usados no desenho técnico, mostrado na figura 2.

• NBR 8403 – APLICAÇÃO DE LINHAS EM DESENHOS – TIPOS DE LINHAS – LARGURAS DAS LINHAS

Tipos de linhas, mostrado no quadro abaixo.

• NBR10067 – PRINCÍPIOS GERAIS DE REPRESENTAÇÃO EM DESENHO TÉCNICO

• NBR 8196 – DESENHO TÉCNICO – EMPREGO DE ESCALAS

• NBR 12298 – REPRESENTAÇÃO DE ÁREA DE CORTE POR MEIO DE HACHURAS EM DESENHO TÉCNICO

• NBR10126 – COTAGEM EM DESENHO TÉCNICO

(Parte 2 de 4)

Comentários