Manual de Normas da ABNT

Manual de Normas da ABNT

(Parte 3 de 8)

→ Inglês – Abstract; → Espanhol – Resumen;

→ Francês – Résumé.

3.1.12 Lista de Ilustrações (opcional): Referem-se à desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, que devem ser elaborados de acordo com a ordem apresentada no texto, acompanhados do respectivo número de página. Quando necessário recomenda-se uma lista para cada tipo de ilustração.

Exemplo:

200213

GRAFICO 01 - Estatística de emprego no Estado de São Paulo no ano

à 200416

GRAFICO 02 – Crescimento da economia brasileira no período de 2002

3.1.13 Lista de Tabelas (opcional): Elemento demonstrativo de síntese que constitui unidade autônoma, elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto, acompanhado do respectivo número de página.

Exemplo:

200213

TABELA 01 - Estatística de emprego no Estado de São Paulo no ano

200416

TABELA 02 – Crescimento da economia brasileira no período de 2002 à ...

3.1.14 Lista e Abreviaturas e Siglas (opcional): Consiste na relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto, recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo.

Exemplo:

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas ABEMA - Associação Brasileira de Órgãos Estaduais do Meio Ambiente IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística LTDA - Limitada (sociedade por quotas e responsabilidade limitada) PANECO - Panorama Econômico

3.1.15 Lista de Símbolos (opcional): Elaborada de acordo com a ordem em que os símbolos aparecem no texto, com o devido significado.

Exemplo:

C - Conjunto dos números complexos dab - Distância euclidiana O(n) - Ordem de um algoritmo Psp - Projeção sobre um espaço linear fechado Xt - Variável aleatória

3.1.16 Sumário (obrigatório): Enumeração das principais divisões, seções e outras partes do trabalho, na mesma ordem e grafia em que aparece no texto, acompanhados dos respectivos números das páginas.

Exemplo:
1 INTRODUÇÃO07
2 DESENVOLVIMENTO16
2.1 Revisão de Literatura17
3 PESQUISA DE CAMPO29
3.1 Universo de Pesquisa30
3.1.1 População Alvo3
3.1.2 Amostra e os sujeitos de pesquisa3
3.2 Coleta de Dados36
3.2.1 Instrumento de Pesquisa36
3.2.2 Pré Teste37
3.2.3 Procedimento de coleta de dados37
3.2.4 Análise dos resultados37
4 CONSIDERAÇÕES FINAIS51
REFERÊNCIAS53

3.2 Elementos Textuais

3.2.1 Introdução

Introdução é a parte inicial do texto, onde devem constar a delimitação do assunto tratado de forma breve e objetiva.

3.2.2 Desenvolvimento

A partir do levantamento bibliográfico, desenvolve-se o corpo do trabalho, onde se analisa a idéia principal, destacando, formulando e discutindo hipóteses.

Divide-se em seções ou capítulos, e concentra a maior parte do total de páginas da monografia.

3.2.3 Conclusão

Parte final do texto onde são apresentados os resultados finais da pesquisa, correspondentes aos objetivos ou hipóteses.

É importante apresentar novas idéias, abrindo caminho a outros pesquisadores que poderão trabalhar no assunto.

3.3 Elementos Pós-Textuais

3.3.1 Referências (obrigatório)

Monografia no todo (livro, manual enciclopédia, dicionário, tese, dissertação, trabalho acadêmico etc.)

Elementos essenciais: autor(es), título, edição, local, editora e data de publicação. Exemplos:

→ Um autor GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

DAMIÃO, Regina Toledo; HENRIQUES, Antonio. Curso de direito jurídico. São Paulo:

→ Dois autores Atlas, 1995.

→ Três autores

PASSOS, L. M. M; FONSECA, A; CHAVES, M. Alegria de saber: matemática, segunda série, 2, primeiro grau: livro do professor. São Paulo: Scipione, 1995. 136 p.

URANI, A. et al. Constituição de uma matriz de contabilidade social para o Brasil.

→ Mais de três autores Indica-se apenas o primeiro, acrescentando-se a expressão et al. Brasília: IPEA, 1994.

→ Autor desconhecido Quando não existir autor, a entrada é feita pelo título com a primeira palavra em maiúscula. DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro, 1993.

→ Pseudônimo

Deve-se considerar o pseudônimo para entrada, desde que seja a forma adotada pelo autor.

DINIZ, Julio. As pupilas do senhor reitor. 15. ed. São Paulo: Ática, 1994. 263 p. (Série Bom Livro).

→ Organizadores (Org.), compiladores (Comp.), editores (Ed.), coordenadores (Comp.) etc.

FERREIRA, Leslie Piccolotto (Org.). O fonoaudiólogo e a escola. São Paulo: Summus, 1991.

MARCONDES, E; LIMA, I. N. de (Coord.). Dietas em pediatria clínica. 4.ed. São Paulo: Sarvier, 1993.

→ Tradutores, revisores, ilustradores etc.

Podem ser acrescentados após o título.

ALBERGARIA, Lino de. Cinco anos sem chover: história de Lino de Albergaria. Ilustrações de Paulo Lyra. 12. ed. São Paulo: FTD, 1994.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos. Tradução Vera da Costa e Silva et al. 3.ed. rev. e aum. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1990.

→ Autor entidade (associações, empresas, instituições).

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: Informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002.

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Catalogo de teses da Universidade de São Paulo, 1992. São Paulo, 1993.

Quando a entidade tem uma denominação genérica, seu nome é precedido pelo nome do órgão superior, ou pelo nome da jurisdição geográfica à qual pertence.

(Parte 3 de 8)

Comentários