Cristais e Cálculo Renal

Cristais e Cálculo Renal

Estagiária: Inaê MontibellerCavalca LaboratóriodeAnálises Clínicas Verner Willrich o Limitado significado clínico; o Propriedadesde solubilidadeencontram-sealteradas; o Sobresaturadascom um composto cristalino particular; o Formas patológicas são raramente encontradas; o Implicam a composição de cálculosrenais.

¢ Precipitação de sais na urina; ¢ Alteração do pH;

¢ Alteração de temperatura;

¢ Alteração de concentração.

¢ Normal

- Cristais ácidos ( 6,5 ) - Cristais alcalinos ( 7 ) ¢ Anormal - Origem metabólica

- Iatrogênica (Drogas)

¢ Ácido Úrico

• Formalosangular/ quadrada • Amerelo / castanhado

• Estado normal

• Gota, nefrites crônicas, febres agudas, metabolismo das purinas aumentado.

¢ Oxalato de cálcio • Urina ácida/ básica;

• Alimentação (tomate, cacau, laranja);

• Oxalose familiar, doenças pancreáticas ;

• Associadas com fosfato: litíase renal;

• Causador do cálculo renal.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

¢ Urato Amorfo • Castanho amarelados;

• Podem transmitir cor rosada na urina;

• Organizados em grumos;

• Sem significado clínico.

¢ Fosfato triplo/ fosfato amoníaco magnesiano (FAM)

• Tampa de caixão;

• Dietas vegetarianas ou maré alcalina;

• Infecções por urease, infecções crônicas, medicamentos alcalinizantes.

¢ Fosfato amorfo • Incolor;

• Aparência granular;

• Maiores que os uratos amorfos;

• Alimentação.

¢ Biurato de Amônio

• Ouriço do mar; • Cor amarelada

¢ Leucina • Estado patológico

• Amarelo escuro;

• Hepatopatia;

• Não é comum.

¢ Cistina • Patológico

• forma hexagonal e incolores

• Rosa claro

• É um aminoácido;

• Cistinúria, litíase, intoxicação por fósforo;

• São facilmente decompostos pelas bactérias

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

¢ Colesterol

• Placas retangulares com chanfraduras em vários pontos;

• Urinas quilúricas (aspecto leitoso);

• Tumor de pâncreas.

• Muito solúveis em clorofórmio e solúveis em éter.

¢ Sulfonamidas;

¢ Ampicilina;

¢ Aciclovir.Presença de “pedras" em algum local do sistema urinário;Locais mais freqüentes de instalação do cálculo são no rim e o ureter;Uma aglomeração de cristais no aparelho urinário acaba levando a uma

precipitaçãodos mesmos formando uma pequena pedra.Os cristais que se aglomeram são considerados micro-cálculos;Aformação de pedras pode ser reduzida com uma dieta simples: água

¢ Homens têm três vezes mais chances que as mulheres de desenvolver pedra nos rins;

¢ Normalmente ocorre em indivíduos na faixa etária dos 30 aos 50 anos;

¢ Se algumas substâncias se concentram excessivamente na urina, vêm o riscos de se formarem-seos cristais;

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

¢ Causas InternasHerança genética: tendência familiar que determina a ocorrência dos cálculos;·Distúrbios no metabolismo: alterações na função renal podem desencadeara formação dos cristais;· Infecção urinária: pode favorecer o crescimento de cálculos. Além disso, a presença da pedra pode prender a urina e facilitar as infecções.

¢ Causas externas • Suar demais sem repor líquidos

• Sedentarismo

• Quem ingere cálcio ou ácido úrico exageradamente

¢ Assintomática;

¢ Cólica néfrica, a qual é caracterizada por dor severa na região lombar e irradiada para a virilha;

¢ Hematúria, no caso de uma obstrução pélvica ou uretral ;

¢ Náuseas;

¢ Vômitos.

¢ Oxalato de cálcio; ¢ Fosfato de Cálcio;

¢ Fosfatoduplo de Magnésio e amônio;

¢ Ácido úrico;

¢ Carbonato;

¢ Dosagens no sangue e/ou na urina de cálcio, fósforo, ácido úrico, cistina, fosfatase alcalina

¢ Alimentos que contenham esses elementos devem ser evitados ou não consumidos em exagero.

¢ ingerir uma quantidade de água o suficiente para produzir dois litros de urina por dia.

¢ Medicações específicas Exames da urina:

v Urinálise de rotina, v Teste qualitativo para a cistina e urocultura. • Cistina- Usar ácido acético 8M, 20mL/Lde urina. -Manter em local fresco durante a coleta.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

v Amostra urinária de 24 horas: sódio, cálcio, fósforo, acido úrico, oxalato e creatinina.

• Sódio- Urina 24h ou urina recente

-Usar HCl 50% 20mL/Ldeurina ou refrigerar;

• Cálcio-Urina 24h ou urina recente

-Usar HCl 50% 20mL/Lde urina facultativo refrigerar;

• Fósforo- Urina 24h ou urina recente

-Usar HCl 50% 20mL/Ldeurina ou refrigerarfacultativo; Ácido Úrico- 5 ml de urina(jato médio da 1ª urinada manhã)

- Urina 12 h – urina 24h - Usar bicarbonatode sódio 5g/Lde urinaOxalato- Urina recente

- Usar HCl 50% 20ml/Lde urina ou congelarCreatinina- Jato médio da 1ª urina da manhã - Urina 12 h ou 24h

- Refrigerar desde o início da coleta ou usar HCl 50% 20mL/LDeterminação do pH urinário

¢ Química sérica - Cálcio, fósforo, acido úrico e eletrólitos.

¢ Análise dos cálculos

¢ Exames radiológicos.

¢ Análise Física • Dimensão

• Peso

• Forma

• Cor

• Superfície (irregular, lisa)

• Consistência (pétrea, macia)

¢ AnáliseQuímica o Análise do Precipitado • Carbonato

• Oxalato

• Cálcio

• Magnésio

¢ AnáliseQuímica o Análise do Sobrenadante • Urato

• Cistina

• Amônio

• Fosfato

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

6Analgésicos;Líquidos;Remédios que ajudamna dissoluçãode certas substânciasda urina, como o cálcio; (medicamentos alcalinizantes– urodinol) Cirurgia;Bisturi;Litotripsia extracorpórea – • Há aindainstrumentosquesão introduzidospelavias urinárias e que são capazes de eliminar ou retirar as pedras, sem necessidade de cirurgia

¢ Henrys Clinical chemistry 21st edition

¢ BURTIS, C.A.;ASHWOOD,E.R. Tietz :

Fundamentos de QuímicaClínica, 4ª ed. Ed Guanabara Koogan. Rio de Janeiro , 1998.

¢ RINGSRUD, K.M.; LINNÉ, J.J. Urinalysis and body Fluids:A Color Text and Atlas.

Easy PDF Creator is professional software to create PDF. If you wish to remove this line, buy it now.

Comentários