ITA - Portugues - 2002

ITA - Portugues - 2002

(Parte 2 de 3)

Questão 43. Leia os seguintes textos, observando que eles descrevem o ambiente natural de acordo com a época a que correspondem, fazendo predominar os aspectos bucólico, cotidiano e irônico, respectivamente:

Texto 1Texto 2

Texto 3

Assinale a alternativa referente aos respectivos momentos literários a que correspondem os três textos:

A ( ) Romântico, contemporâneo, modernista. B ( ) Barroco, romântico, modernista. C ( ) Romântico, modernista, contemporâneo. D ( ) Árcade, contemporâneo, modernista. E ( ) Árcade, romântico, contemporâneo.

Marília de Dirceu

Enquanto pasta, alegre, o manso gado, minha bela Marília, nos sentemos À sombra deste cedro levantado. Um pouco meditemos Na regular beleza, Que em tudo quanto vive nos descobre A sábia Natureza.

E salte em cima dela.

Atende como aquela vaca preta O novilhinho seu dos mais separa, E o lambe, enquanto chupa a lisa teta. Atende mais, ó cara, Como a ruiva cadela Suporta que lhe morda o filho o corpo,

(GONZAGA, Tomás Antônio. Marília de Dirceu. In: Proença Filho, Domício. Org. A poesia dos inconfidentes. Rio de Janeiro, Nova Aguilar, 1996, p. 605.)

Bucólica nostálgica

Ao entardecer no mato, a casa entre bananeiras, pés de manjericão e cravo-santo, aparece dourada. Dentro dela, agachados, na porta da rua, sentados no fogão, ou aí mesmo, rápidos como se fossem ao Êxodo, comem feijão com arroz, taioba, ora-pro-nobis, muitas vezes abóbora. Depois, café na canequinha e pito. O que um homem precisa pra falar, entre enxada e sono: Louvado seja Deus!

(PRADO, Adélia. Poesia Reunida. 2. ed. São Paulo: Siciliano, 1992, p. 42.)

Cidadezinha qualquer

Casas entre bananeiras Mulheres entre laranjeiras Pomar amor cantar

Um homem vai devagar. Um cachorro vai devagar. Um burro vai devagar.

Devagaras janelas olham.

Eta vida besta, meu Deus.

(ANDRADE, Carlos Drummond. Obra Completa. Rio de Janeiro: José Aguilar Editora, 1967, p. 67.)

Questão 4. Leia os seguintes versos:

Assinale a alternativa que reúne as características simbolistas presentes no texto:

A ( ) Sinestesia, aliteração, sugestão. B ( ) Clareza, perfeição formal, objetividade. C ( ) Aliteração, objetividade, ritmo constante. D ( ) Perfeição formal, clareza, sinestesia. E ( ) Perfeição formal, objetividade, sinestesia.

As questões 45 e 46 referem-se aos dois textos seguintes:

Questão 45. No texto de Murilo Mendes, os versos “Banana que nem chuchu”, “Tem macaco até demais” e “Esmeralda é para os trouxas” exprimem a representação literária da visão do colonizador de maneira:

A ( ) séria
B ( ) irônica
C ( ) ingênua
D ( ) leal

E ( ) revoltada.

O som da tua voz deliciava

Mais claro e fino do que as finas pratas Na dolência velada das sonatas Como um perfume a tudo perfumava.

Brancas sonoridades de cascatas

Era um som feito luz, eram volatas Em lânguida espiral que iluminava, Tanta harmonia melancolizava.

(SOUZA, Cruz e. ”Cristais”, in Obras completas. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1995, p. 86.)

A terra

Esta terra, Senhor, me parece que, da ponta que mais contra o sul vimos até outra ponta que contra o norte vem, de que nós deste ponto temos vista, será tamanha que haverá nela bem vinte ou vinte e cinco léguas por costa. Tem, ao longo do mar, em algumas partes, grandes barreiras, algumas vermelhas, outras brancas; e a terra por cima toda chã e muito cheia de grandes arvoredos. De ponta a ponta é tudo praia redonda, muito chã e muito formosa. [...]

Nela até agora não pudemos saber que haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal ou ferro; nem lho vimos. Porém a terra em si é de muito bons ares, assim frios e temperados como os de Entre-Douro e Minho. [...]

Águas são muitas; infindas. E em tal maneira é graciosa que, querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo, por bem das águas que tem.

(CAMINHA, Pero Vaz de. A Carta de Pero Vaz de Caminha. Rio de Janeiro: Livros de Portugal, 1943, p. 204.)

Carta de Pero Vaz

A terra é mui graciosa, Tão fértil eu nunca vi. A gente vai passear, No chão espeta um caniço, No dia seguinte nasce Bengala de castão de oiro. Tem goiabas, melancias, Banana que nem chuchu. Quanto aos bichos, tem-nos muitos, De plumagens mui vistosas. Tem macaco até demais. Diamantes tem à vontade, Esmeralda é para os trouxas. Reforçai, Senhor, a arca, Cruzados não faltarão, Vossa perna encanareis, Salvo o devido respeito. Ficarei muito saudoso Se for embora daqui.

(MENDES, Murilo. História do Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1991, p. 13.)

As questões de 46 a 50 devem ser resolvidas no caderno de soluções.

Questão 46. Os dois textos da questão 45, representantes de dois períodos literários distantes, revelam duas perspectivas diferentes. Indique:

A) A diferença entre o texto original e o segundo, em função da descrição da terra;

B) O período literário a que corresponde cada texto.

Questão 47. Observe o estilo do texto abaixo:

A) Do ponto de vista redacional, que traços permitem considerar esse texto como contemporâneo? B) De que forma se revela o clima existente nesse breve texto descritivo-narrativo?

Questão 48. Leia com atenção a seguinte frase de um letreiro publicitário:

A) Identifique a preposição exigida pelo verbo e refaça a construção, obedecendo à norma gramatical. B) Justifique a correção.

As questões 49 e 50 referem-se ao seguinte texto:

Questão 49. O verbo “assistir”, empregado em linguagem coloquial, está em desacordo com a norma gramatical.

A) Reescreva o último período de acordo com a norma. B) Justifique a correção.

Questão 50

A) Por que não está adequada a vírgula empregada após a palavra “amanhã”?

B) A inclusão de uma vírgula após o termo “feminina” alteraria o entendimento da frase. Nesse caso, o que seria modificado em relação ao significado de “revista eletrônica feminina”?

Foi até a cozinha. Tomou um gole de chá com uma bolacha água-e-sal. Ainda pensou em abandonar o plano. Mas, como se salvaria? Lavou as mãos e o rosto. Saiu de casa. Trancou o minúsculo quarto-e-cozinha. Aluguel atrasado. Despensa vazia. Contava os trocados para pegar o ônibus.

(AUGUSTO, Rogério. “Flores”. Cult. Revista Brasileira de Literatura, n. 48, p. 34.)

Esta é a escola que os pais confiam.

O Programa Mulheres está mudando. Novo cenário, novos apresentadores, muito charme, mais informação, moda, comportamento e prestação de serviços. Assista amanhã, a revista eletrônica feminina que é a referência do gênero na TV.

(Parte 2 de 3)

Comentários