Visita técnica - Esgotamento Sanitário - Juazeiro-BA

Visita técnica - Esgotamento Sanitário - Juazeiro-BA

(Parte 2 de 2)

Figura 06 – Anéis do PV e tubulação de esgoto

Figura 07 – Poço de visita

Para PVs profundos, são utilizados tubos de queda para que a queda constante de água não danifique o fundo do PV através do desgaste de sua superfície devido à força constante da água. E, sobretudo, a altura máxima da tubulação que chega ao PV não pode ultrapassar 70 cm, visando facilitar ao operador de limpeza a execução de seus serviços sem o risco de ser atingido por lançamento de esgotos.

As tampas devem ser colocadas de modo que abram no sentido contrário ao fluxo de veículos.

Figura 08 – Tampa de ferro fundido para PV

O sistema de coleta da rede de esgotamento sanitário é feito por gravidade.

Para diferenças de cotas superiores a 5 metros é necessário o bombeamento hidráulico para levar os efluentes desde o ponto de coleta em cada residência, até as estações de tratamento de esgotos e lagoas de estabilização.

A declividade dada à tubulação ao longo de um trecho de 100 m é correspondente a 45 cm, ou seja, declividade é igual a 0,0045 m/m.

Em alguns locais onde há a presença de afloramento rochoso é necessário realizar o desmonte a fogo. Para isso, o engenheiro de minas da empresa é encarregado de providenciar a documentação e liberação no exército, prefeitura e polícia federal, e, além disso, realizar todos os procedimentos para indispensáveis para o sucesso da detonação.

Figura 09 – Escavação dos locais onde serão colocadas as dinamites

Outro procedimento consiste na visita às residências próximas ao local onde será feita a detonação para análise e arquivamento de fotos sobre a situação atual de cada edificação para possíveis dúvidas sobre a influência das detonações na estrutura da edificação.

A título de informação, o processo para realização da primeira detonação executada pela empresa em Juazeiro levou aproximadamente 4 meses e meio. Assim, segundo o engenheiro, é feito anteriormente um planejamento de logística de execução da obra, para realizar as redes de coleta em outros trechos enquanto o processo para uma detonação está em andamento. Isso é muito importante, pois, não atrasa o cronograma de execução da obra e contribui para a entrega do serviço no prazo esperado.

Na bacia do Piranga, mais especificamente no bairro Jardim Flórida, e no

Jardim Vitória, foram encontrados vários trechos com grande quantidade de rocha, sendo necessário o desmonte a fogo.

7. CONCLUSÃO

A visita realizada foi de grande importância para a compreensão de como são realizadas as obras de esgotamento sanitário e quais empecilhos pode-se enfrentar ao realizar uma obra de grande importância para a população.

8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

PEREIRA, José Almir Rodrigues. Rede coletora de esgoto sanitário: projeto, construção e operação. Belém: NUMA.UFPA, EDUFPA, GPHS/CT; 2006.

VON SPERLING, Marcos. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. – 3ª ed. – Belo Horizonte: Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental; Universidade Federal de Minas Gerais; 2005.

VAZ, Alexssandra Juliane. A importância da rede coletora de esgoto na promoção da qualidade sócio-ambiental. Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

PIMENTA, Handson Cláudio Dias. O esgoto: a importância do tratamento e as opções tecnológicas. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, UFRN. Departamento de Engenharia de Produção; 2002.

NBR 9649/86 - Projeto de Redes de Coletoras de Esgoto.

(Parte 2 de 2)

Comentários