(Parte 2 de 6)

Dispositivo que permite variar os limites da faixa de regulação de carga especificada para a usina;

    1. Capacidade:

Quantidade de energia elétrica que pode ser gerado, num intervalo de tempo especificado e em condições especificadas.

    1. Casa de máquinas:

Edifício onde são instaladas as unidades geradoras de uma usina;

    1. Controlador-mestre:

Dispositivo que, de uma posição central, determina as ações corretivas a serem executadas por uma ou mais usinas, em reposta ao erro de controle de área;

    1. Equipamento de operação conjunta (das unidades):

Equipamento que ajusta a potência ativa de todas as unidades geradoras de uma usina, ligadas em operação conjunta;

    1. Esquema mímico:

Esquema unifilar de um sistema ou parte de um sistema elétrico, desenhado em painel, constituído de símbolos que, atuados manual ou automaticamente, mostram o estado atualizado em que se encontram as linhas e equipamentos. Um esquema mímico pode incorporar chaves de comando, para acionar os dispositivos de manobra das linhas e equipamentos;

    1. Faixa de regulação:

Intervalo de variação de potencia, dentro do qual uma usina participa do controle suplementar;

    1. Fiação:

Conjunto dos condutores e suas ligações que interliga e alimenta os dispositivos de controle, proteção e supervisão de uma subestação ou usina.

    1. Mesa de controle:

Estrutura com uma face plana horizontal ou ligeiramente inclinada, na qual são instalados os dispositivos necessários ao controle e/ou à supervisão de uma subestação ou usina. A mesa de controle é comumente completada, na parte posterior, por uma superfície plana vertical, com a mesma finalidade anterior;

    1. Motor primário:

Máquina motriz que aciona um gerador elétrico;

    1. Operação conjunta das unidades:

Operação de uma usina como se fosse constituída por uma única unidade geradora;

    1. Painel de controle:

Estrutura com uma face plana vertical, na qual são instalados os dispositivos necessários ao controle e/ou à supervisão de uma subestação ou usina. O painel de controle é comumente associado a uma mesa de controle, formando um conjunto unitário;

    1. Participação da usina:

Parâmetro que define a porcentagem da contribuição de uma usina, para o controle suplementar da área;

    1. Ponto-base de usina:

Valor de geração definido por um programa de despacho econômico, ou por algum outro critério operativo, e correspondente a um determinado valor de geração total da área;

    1. Potencia final:

Soma das potências instaladas de todo grupo de geradores da usina.

    1. Produtividade:

É a soma de toda produção gerada pelo grupo de geradores.

    1. Sala de controle:

Sala na qual são instalados as mesas e os painéis de controle de uma subestação ou usina;

    1. Sala de relés:

Sala na qual são instalados, de maneira centralizada, os equipamentos de proteção e de automatização de uma subestação ou usina

    1. Sistema de geração:

Conjunto dos meios de geração de energia elétrica de um sistema. Podem ser considerados subconjuntos definidos dentro do sistema, por exemplo, "sistema de geração térmica";

    1. Transformador de serviços auxiliares:

Transformador destinado a alimentar os circuitos auxiliares de uma subestação ou usina;

    1. Unidade geradora:

Associação de máquinas girantes destinada a converter energia mecânica ou térmica em energia elétrica.

    1. Unidade hidrelétrica:

Unidade geradora constituída por uma turbina hidráulica, acoplada mecanicamente a um gerador elétrico.

    1. Unidade termelétrica:

Unidade geradora constituída por maquina motriz térmica, acoplada mecanicamente a um gerador elétrico.

CLASSIFICAÇÃO

Normalmente as usinas são classificadas de acordo com o tipo de energia que é transformada em energia elétrica.

6.1 Energia Potencial Gravitacional.

São as estações geradoras que aproveitam à energia potencial gravitacional da água convertendo essa energia em energia elétrica, quando a água é represada, a energia potencial dela aumenta, pois a altura que a água está armazenada aumenta. Também por esses motivos que elas são instaladas em quedas da água.

Figura 6.1 – Esquema da energia potencial gravitacional da água.

6.2 Energia Solar.

São usinas que aproveitam a radiação do Sol para gerar energia elétrica, esse aproveitamento pode ser através do calor, no caso das usinas termo solares, ou através do efeito fotoelétrico da luz, no caso das usinas fotovoltaicas.

Figura 6.2 – Usina Solar PS10, na Espanha.

6.3 Energia Eólica.

São usinas geradoras que utiliza a energia mecânica dos ventos para movimentar suas hélices.

Figura 6.3 – Hélices movimentadas pela ação do vento, energia eólica.

6.4 Energia Térmica.

São usinas que utilizam do calor para gerar energia elétrica, esse calor é, normalmente, proveniente da queima de combustíveis fosseis.

6.5 Energia Nuclear.

São estações geradoras que aproveitam a energia da fissão de núcleos de elementos radioativos, normalmente urânio, para gerar energia elétrica.

6.6 Energia Geotérmica.

São usinas que geram energia elétrica aproveitando as altas temperaturas das camadas inferiores à crosta terrestre.

Figura 6.6 – Os gêiseres, exemplo de energia geotérmica aproveitada pelas usinas.

6.7 Energia Maremotriz.

São usinas que aproveitam a energia do movimento das águas do mar devido ao fenômeno das marés.

6.8 Energia da Biomassa.

(Parte 2 de 6)

Comentários