Sistema Construtivo em Gesso Acartonado

Sistema Construtivo em Gesso Acartonado

Paredes Leves - Sistema Construtivo em Gesso Acartonado

INTRODUÇÃO

Paredes são elementos construtivos que tem como finalidade principal dividir e vedar ambientes.

As paredes podem funcionar exclusivamente com as funções descritas acima ou ainda serem portantes de carga, funcionando como elemento estrutural.

As paredes mais utilizadas, tanto em relação ao tempo quanto em quantidade, são as alvenarias: estruturas rígidas formadas pelo travamento entre si de blocos naturais ou artificiais, utilizando como elemento de ligação primeiramente o barro e atualmente as argamassas.

A evolução da construção civil caminha em direção a racionalidade, procurando cada vez mais utilizar sistemas construtivos modulados, visando a redução dos custos refletido tanto pela redução dos custos financeiros propriamente ditos, quanto na redução do tempo de execução das edificações. Neste contexto encontram-se as paredes leves, utilizando materiais pré-fabricados, que pela produção em larga escala tem um custo menor que àqueles produzidos artesanalmente, e pela forma de execução: montagem de elementos modulados alcança uma velocidade de execução e redução de desperdícios bastante grande.

Este trabalho tem como objetivo apresentar, e por conseqüência descrever o SISTEMA CONSTRUTIVO EM GESSO ACARTONADO, que tem como principais características: baixa densidade de massa, grande velocidade de execução, racionalidade quanto ao desperdício e entrosamento de projetos.

SISTEMA CONSTRUTIVO EM GESSO ACARTONADO

Concepção: sistema destinado a paredes internas de edifícios, constituído por placas de gesso acartonadas fixadas em perfis de aço galvanizados.

Sistema: constituído basicamente de uma estrutura leve em perfis de aço galvanizado formada por guias e montantes, sobre os quais são fixadas placas de gesso acartonado, em uma ou mais camadas, gerando uma superfície apta a receber o acabamento final (pintura, papel de parede, cerâmica, etc.).

Tais sistemas não devem ser aplicados em locais externos, sujeitos a intempéries. Sua aplicação em ambientes sujeitos a umidade, como cozinhas e banheiros, exige cuidados especiais, de forma a não expor a placa de gesso acartonado à ação direta da umidade ou água.

Componentes do Sistema:

Placas de gesso acartonado: uma placa de gesso de espessura de 7,50 a 15,50 mm é revestida em ambos os lados por múltiplas camadas de papel formando um filme de cartão de 1,25 mm de espessura, resultando em espessuras finais das placas de 10 a 18 mm. A massa de gesso tem como finalidade manter a rigidez das placas e resistir aos esforços de compressão, já o filme de cartão tem como finalidade proteger o gesso e resistir aos esforços de tração gerados pela flexão. As placas de gesso acartonado possuem bordas rebaixadas para execução das juntas, e podem ser de três tipos, de acordo com a utilização a qual se destinam:

Normal (padrão ou standard), para paredes sem exigência especifica;

Hidrófuga (placa verde), para paredes empregadas em ambiente sujeito à ação de umidade, tais como banheiros, cozinhas e áreas de serviço;

Resistente ao fogo, para paredes com exigências especiais de resistência ao fogo.

A seguir temos uma tabela com o resumo da dimensões das placas de gesso acartonado (tabela 1), e em seguida uma tabela com as exigências dimensionais e quanto as características das placas (tabela 2), segundo a norma francesa NF P 72 - 302 - Plaques de Parament en Plâtre:

Espessura (mm)

Largura (m)

Comprimento (m)

placa de gesso

7,5 a 15,5

filme de cartão

1,25x2 = 2,5

placa de gesso acartonado

10; 12,5; 15 e 18

1,20

2,40 a 3,00

tabela 1

Propriedades

Exigências

tolerância na espessura

± 0,4 mm

tolerância na largura

+ 0 / -5 mm

tolerância no comprimento

+0 / -5 mm

densidade superficial de massa

8,5 a 12,0 kg/m2

resistência à flexão transversal

0,21 kN

resistência à flexão longitudinal

0,60 kN

tabela 2

Perfis metálicos galvanizados: os perfis metálicos galvanizados possuem espessura média de 60 mm. Nas guias utilizam-se os perfis R48, R70 e R90, com largura nominal de 48, 70 e 90 mm, respectivamente. Para os montantes são utilizados os perfis M48-35, M70-35 e M90-35, com largura nominal de 47, 69 e 89 mm, respectivamente, e altura nominal de abas de 35 mm, estes montantes possuem furos a cada 60 cm por passam-se as instalações elétricas, hidráulicas, etc.

Acessórios: são os elementos complementares utilizados para fixação da estrutura e dos painéis (placas), tratamento das juntas entre painéis e ainda preenchimentos internos das paredes, visando aumento e adição de algumas características à parede. Os acessórios básicos são:

- Parafusos para fixação das placas de gesso acartonado a estrutura;

- Fita de papel reforçada, empregada nas juntas entre placas ou em reforços e acabamentos de cantos;

- Cantoneiras metálicas para acabamento e proteção das placas nos cantos de paredes e bordas cortadas;

- massa especial para rejuntamento, à base de gesso e aditivos, inclusive resinas, que conferem maior trabalhabilidade e plasticidade. As massas vem prontas em baldes, ou em pó em sacos para mistura com água na obra;

- lã de vidro, para preenchimento do interior da parede visando melhor desempenho térmico e acústico;

Especificação das Paredes: as paredes são especificadas basicamente de acordo com as dimensões da estrutura, e do tipo e quantidade de placas em cada face da parede. de acordo com o esquema a seguir;

72/48/600 NBA13/NBA13 LV16/50

Desempenho das paredes: são especificadas as características de desempenho acústico e resistência ao fogo, além de limitações de altura das paredes para efeito de esforços mecânicos , em função da composição e distribuição da estrutura e do tipo e quantidade de placas empregadas.

Os dados de especificação básica e desempenho das paredes é apresentado no anexo 1 (Cadernos de Especificações dos Sistemas PlacostilÒ ).

Juntas de movimentação: devem ser adotadas em paredes de grandes dimensões, de forma a evitar problemas de fissuração por movimentações higrotérmicas. para parede simples, com uma camada de placas de gesso acartonado em cada face, recomenda-se uma junta de movimentação a cada 50 m2. No caso de paredes duplas, com duas camadas de placas de gesso acartonado em cada face, recomenda-se uma junta a cada 70 m2. Em qualquer caso, a distância máxima entre juntas deve ser de 15 m.

Montagem: as paredes leves em gesso acartonado são montadas com a utilização de algumas ferramentas básicas, e seguindo uma seqüência de montagem, como descrito a seguir:

Ferramentas básicas: para execução de paredes de gesso acartonado são necessárias algumas ferramentas básicas, como:

- faca retrátil ou estilete, serrote normal e de bico, e plaina, para corte e acabamento das placas de gesso acartonado;

- tesoura para corte dos perfis metálicos (montantes e guias);

- furadeira ou pistola finca-pinos para fixação das guias;

- alavanca levantadora para posicionamento das placas;

- parafusadeira para fixação das placas à estrutura metálica;

- espátulas e desempenadeira metálicas para tratamento das juntas entre placas e cabeças dos parafusos;

- níveis, linhas, trena e prumo;

- brocas tipo copo, para execução de aberturas nas placas de gesso acartonado;

Procedimento de Montagem:

- Marcação e fixação das guias: é realizada a marcação no teto e piso da localização das guias e os pontos de referência dos vãos de porta e dos locais de fixação de cargas pesada, reserva-se um espaçamento entre as guias nas junções de parede em "L" ou "T" para colocação das placas de gesso acartonado. As guias são fixadas no piso e teto com buchas e parafusos ou pinos de aço.

- Colocação dos montantes: os montantes devem ter a dimensão do pé-direito menos 5 mm. Quando os montantes são duplos, eles devem ser solidarizados entre si com parafusos espaçados de no máximo 40 cm. Fixa-se os montantes de partida nas paredes laterais e nas guias . Os demais são colocados verticalmente no interior das guias e posicionados a cada 40 ou 60 cm.

- Colocação das placas de gesso acartonado: o comprimentos das placas deve ser 1 cm menor que o pé direito. As placas devem ter ar aberturas para caixas elétricas e outras instalações . Posiciona-se as placas de encontro aos montantes, encostadas no teto, deixando a folga na parte inferior. As juntas de um lado da parede devem ser desencontradas em relação às do outro lado. No caso de paredes com placas duplas, as juntas da segunda camada devem ser defasadas em relação a primeira. Faz-se as juntas entre placas sempre sobre os montantes. As placas são parafusadas aos montantes, com espaçamento de 30 cm entre os parafusos, no mínimo a 1 cm da borda da placa. Quando os montantes são duplos, parafusa-se alternadamente sobre cada montante. Deve-se ter o cuidado para que o parafuso não perfure totalmente o cartão, e para que seja introduzido de forma inclinada em relação ao montante, na região rebaixada da borda da placa. Após a colocação das placas em uma das faces da parede são executadas as instalações elétricas e hidráulicas (realizando o teste das instalações), a colocação da lã mineral quando for o caso, e a colocação de eventuais reforços para fixação de peças suspensas pesadas, passando-se então a fixação das placas da outra face da parede. Deve ser executada primeiramente a face da parede que receberá a fixação de cargas pesadas, para que possam ser instalados os reforços previstos em projeto. As tubulações em cobre devem ser isoladas quando passarem nos furos existentes nos montantes. As fiações elétricas devem ser colocadas em eletrodutos, principalmente quando passarem nos furos dos montantes.

- Tratamento das juntas entre placas: o tratamento das juntas entre as placas de gesso acartonado é realizada com uma primeira aplicação de massa de rejuntamento sobre a região da junta. Em seguida, coloca-se a fita de papel reforçado sobre o eixo da junta, impregnando-se com massa e pressionando firmemente, de forma a eliminar o material excedente com a espátula. Com a desempenadeira metálica, é dado o acabamento à junta, de modo que a massa de rejuntamento fique faceando a superfície das placas contíguas. Após a secagem, geralmente depois de 6 horas, é dado o acabamento final na junta aplicando uma fina camada de massa com desempenadeira metálica.

Detalhes Construtivos:

Juntas em "L" ou "T" : os encontros internos podem são acabados utilizando-se fita de papel reforçado e massa de rejunte. Os encontros externos devem ser protegidos da ação de choques mecânicos adotando-se perfis metálicos especiais ou fitas de papel com reforço em chapa de aço, ou mesmo com perfis curvos, quando se quer evitar a formação de cantos vivos.

Fixação de marcos de portas: os marcos de porta devem ser fixados sempre sobre montantes, preferencialmente enrijecidos internamente com madeira, em particular no caso de marcos em trechos intermediários da parede. No caso da fixação de topo, tanto a guia inferior como o trecho de guia imediatamente sobre o marco devem ter abas viradas em 90o, com 20 cm de altura, de forma a conferir maior estabilidade aos montantes. Na parte superior, entre o marco e a estrutura do edifício, na região da ‘bandeira’ da porta, deve ser colocado pelo menos um trecho de montante intermediário, para fixação das placas de gesso acartonado. Os montantes de fixação dos marcos devem ser fixados às guias superior e inferior. As ombreiras dos marcos são fixadas aos montantes metálicos em pelo menos três pontos, de cada lado, preferencialmente de forma alternada e não em linha. Podem ser empregados marcos metálicos, de PVC ou de madeira.

Paredes em ambientes molháveis: para as paredes em ambientes molháveis, como cozinha, banheiro e área de serviço, devem ser empregadas placas especiais hidrófugas (placas verdes). Além disso, devem ser previstos detalhes especiais de impermeabilização no encontro com o piso, de forma a não haver contato entre a placa de gesso acartonado e a água. Como revestimento das paredes, devem ser empregados azulejos ou pinturas impermeáveis, principalmente na região do box do banheiro e ‘barras impermeáveis sobre pias, lavatórios e tanques.

Revestimentos: as paredes, após o tratamento das juntas e dos cantos, podem receber o acabamento sobre o cartão. No caso de colocação de azulejos, recomenda-se o assentamento com argamassas colantes especiais, mais flexíveis que as usuais e com maior poder de aderência sobre o cartão (argamassas com teores mais elevados de resinas). Texturas podem ser aplicadas diretamente sobre o cartão. No caso de pintura lisa, a tinta não deve ser diluída, podendo haver necessidade da aplicação de massa corrida ou massa acrílica, em função do acabamento final desejado.

Peças Suspensas: as peças suspensa podem ser aplicadas diretamente nas placas de gesso acartonado, desde que sejam respeitados os limites de cargas recomendados pelos fabricantes. Deve-se observar um coeficiente de segurança da ordem de 3, para as cargas de uso, ou seja, limita-se a carga de uso, por ponto, a um terço do valor da carga limite para um determinado tipo de fixação. Quando da fixação de peças mais pesadas, que ultrapassem os valores recomendados para fixação direta nas placas, devem ser previstos reforços internos, como sarrafos ou placas de madeira, ou mesmo perfis metálicos complementares. Preferencialmente, tais pontos de fixação devem ser previstos em projeto, sendo o reforço executado na etapa de montagem das paredes. caso haja necessidade da execução de um reforço com a parede pronta, procede-se à remoção de um trecho de placa para execução do reforço; a recolocação da placa é feita sobre o montante.

Vantagens e Desvantagens:

Ganho de área útil: a menor espessura das paredes (96 mm) possibilita a ganhos de área útil da ordem de 4%;

Estética: as paredes podem ter qualquer forma, e são aptas a receber qualquer tipo de acabamento;

Peso: as paredes pesam 25 kg/m2, diminuindo portanto a carga da estrutura, permitindo a adoção de estruturas mais esbeltas, com redução e supressão de alguns elementos, tais como vigas sob as paredes;

Resistência Mecânica: as paredes foram testadas e aprovadas pelo IPT nos ensaios de impacto de corpo mole, corpo duro e corpo suspenso, comprovando a segurança do sistema construtivo em gesso acartonado;

Isolamento Térmico: com resistências térmicas médias o sistema possui isolamento térmico bastante elevado, além da possibilidade de melhora com a adoção de lãs minerais;

Isolamento Acústico: por ser formado por três meios, placa de gesso acartonado - ar ou lã mineral - placa de gesso acartonado, constitui-se num sistema massa-mola-massa, funcionando a massa (gesso) como isolante e o vazio (ar ou lã mineral) como amortecedor, obtendo-se altas performances de isolamento acústico de 36 dB a 68 dB;

Resistência ao Fogo: as placas são formadas por 20% de água, portanto incombustível; o filme de cartão da face exposta ao fogo é queimado sem propagar a chama, a massa de gesso começa a perder água através da evaporação até decompor-se em pó. As paredes em gesso acartonado possuem RF 30 até RF 180.

Facilidade de Instalação: por se tratar de um sistema pré-fabricado modulado é de instalação (montagem) rápida e fácil, reduzindo o tempo de execução da obra reduzindo os custos de mão-de-obra, tanto de montagem quanto de administração técnico-financeira ;

Parede Seca: evita perdas com massas e entulhos, além de higiene e limpeza;

Entrosamento entre os projetos: os projetos de instalações elétricas, hidráulicas, gás, telefone e outras são instaladas e testadas simultaneamente à execução das paredes, evitando reabertura das mesmas, o que resultaria em desperdício de materiais, tempo, mão-de-obra;

BIBLIOGRAFIA:

- TÉCHNE, no 30, Set/Out 97, Editora PINI;

- TÉCHNE, no 34, Mai/Jun 98, Editora PINI;

- VEJA, no , 22 de Junho 98, Editora ;

- Manual Técnico dos Sistemas Placostil, Placo do Brasil;

- Cadernos de Especificações das Paredes Placostil, Placo do Brasil;

© 2000 - 2001 Engenharia On Line. Todos os direitos reservados.

Webmaster - Rômulo Neckel

Comentários