Paquimetro e micrômetro

Paquimetro e micrômetro

Paquímetro e Micrômetro

Introdução

Paquímetro

Paquímetro (grego: paqui (espessura) e metro (medida), por vezes também chamado de craveira em Portugal, é um instrumento utilizado para medir a distância entre dois lados simetricamente opostos em um objeto. Um paquímetro pode ser tão simples como um compasso. O paquímetro é ajustado entre dois pontos, retirado do local e a medição é lida em sua régua. Vernier, ou nónio, é a escala de medição contida no cursor móvel do paquímetro, que permite uma precisão decimal de leitura através do alinhamento desta escala com uma medida da régua.

Os paquímetros são feitos de plástico, com haste metálica, ou inteiramente de aço inoxidável. Suas graduações são calibradas a 20°C.

Ele apresenta uma precisão menor do que o micrômetro, sendo sua precisão dada por p = 1-C/n, onde C é comprimento do nônio e n é o numero de divisões do nônio

Descrição das principais partes:

  • Orelha fixa

  • Orelha móvel

  • Nônio polegada

  • Parafuso de trava

  • Nônio ou vernier mililitros

  • Escala fixa milímetros

  • Impulsor

  • Escala fixa polegadas

  • Haste de profundidade

Micrômetro

O micrômetro é um instrumento que medem com exatidão a espessura de revestimentos na construção civil, e têm grande uso na indústriamecânica, medindo toda a espécie de objetos, como peças de máquinas.

O micrômetro funciona por um parafuso micrométrico e é muito mais preciso que a craveira, que funciona por deslizamento de uma haste sobre uma peça dentada e permite a leitura da espessura por meio de um nônio ou de um mecanismo semelhante ao de um relógioanalógico.

O funcionamento do micrômetro baseia-se no deslocamento axial de um parafuso micrométrico com passo de alta precisão dentro de uma rosca ajustável. A circunferência de rosca ( tambor ) é dividida em 50 partes iguais, possibilitando leituras de 0,01mm

Descrição das principais partes:

  • Arco: é construído de aço especial e tratado termicamente, a fim de eliminar as tensões, e munido de protetor antitérmico, para evitar a dilatação pelo calor das mãos.

  • Isolante térmico: fixado ao arco, evita sua dilatação porque isola a transmissão de calor das mãos para o instrumento.

  • Parafuso micrométrico: é construído de aço de alto teor de liga, temperado, retificado para garantir exatidão no passo da rosca.

  • Faces de medição: Tocam a peça a ser medida e, para isso, apresentam-se rigorosamente planos e paralelos. Em alguns instrumentos, os contatos são de metal duro, de alta resistência ao desgaste.

  • Bainha: Onde é gravada a capacidade de medição do instrumento, sendo esta gravada de 1 em 1mm, e de 0,5 a 0,5mm.

  • Tambor: é onde se localiza a escala centesimal. Ele gira ligado ao fuso micrométrico.

  • Porca de ajuste: Quando necessário, permite o ajuste da folga do parafuso micrométrico.

  • Catraca: assegura a pressão de medição constante.

  • Trava: Permite imobilizar o fuso numa medida predeterminada.

Medidas diretas

Um experimentador que faz a mesma medida várias vezes não obterá, em geral, o mesmo resultado, não só por causas imponderáveis como variações imprevistas das condições de medida: temperatura, pressão, umidade, etc., também, pelas variações nas condições de observação do experimentador.

Se ao determinar uma grandeza por medida direta realizamos várias medidas com o fim de corrigir os erros aleatórios, os resultados obtidos são x1, x2, ... xn é adotado como melhor estimativa do valor verdadeiro, o valor médio <x>, que é dado por

O valor médio, se aproximará tanto mais do valor verdadeiro da grandeza quanto maior for o número de medidas, já que os erros aleatórios de cada medida vão se compensando uns com os outros. Na prática, o número de medidas deve ser em geral 10 ou mesmo 4 ou 5.

Quando a sensibilidade do método ou dos aparelhos utilizados é pequena comparada com a magnitude dos erros aleatórios, pode ocorrer que a repetição da medida nos dê sempre o mesmo resultado; neste caso, está claro que o valor médio coincidirá com o valor medido em uma só medida, e não é obtido nada de novo na repetição da medida e do cálculo do valor médio, por isto somente será necessário neste caso fazer uma só medida.

Podemos ter erros sistemáticos que ocorrem quando há falhas no método empregado, defeito dos instrumentos, etc... e erros acidentais que ocorrem quando há imperícia do operador, erro de leitura em uma escala, erro que se comete na avaliação da menor divisão da escala utilizada etc...

Em qualquer situação deve-se adotar um valor que melhor represente a grandeza e uma margem de erro dentro da qual deve estar compreendido o valor real.

ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS.

Ao realizar uma medida, devemos avaliar a confiança que ela merece, isto é, escrevê-la com um número apropriado de algarismos, denominados algarismos significativos. Este critério de confiança, por sua vez, depende da precisão do aparelho utilizado.

Nos instrumentos analógicos, esta precisão depende do número de subdivisões apresentadas na sua escala, só nos sendo permitido estimar um único algarismo submúltiplo da menor divisão da escala. Este algarismo é denominado algarismo duvidoso.

OBJETIVOS

O objetivo deste experimento foi calcular o volume de um cilindro utilizando a seguinte expressão.

Também foi objetivo deste experimento avaliar qual instrumento (paquímetro ou micrômetro) é mais preciso.

Descrição da prática

Com um paquímetro e um micrômetro foram realizadas dez medições da altura e diâmetro de um cilindro, sendo que cada um dos dez componentes do grupo realizou uma medição com os instrumentos supracitados.

Os seguintes resultados foram obtidos:

Tabela de valores obtidos nas dez medições

Paquímetro

Micrômetro

Diâmetro

Altura

Diâmetro

Altura

24,70

24,80

24,70

24,80

24,70

24,90

24,70

24,80

24,50

24,80

24,75

24,70

24,70

24,80

24,75

24,70

24,70

24,90

24,78

24,70

24,80

24,90

25,74

23,80

24,70

24,90

24,77

24,80

24,70

24,80

24,70

24,80

24,70

24,90

24,75

24,70

24,60

24,80

24,76

24,80

Após os resultados obtidos foram feitos os cálculos necessários para obtenção dos valores da altura e diâmetro do cilindro.

Após os cálculos serem feitos obteve-se o valor de (609,1024 + 3,45) mm2 para altura do cilindro medido com o paquímetro e ( 11,806228 + 90,6258) mm3 para diâmetro do cilindro medido com o paquímetro.

O valor do cálculo da altura do cilindro medido com o micrômetro foi de (612,0676 + 1,48) mm2 e o diâmetro foi de (11,815963 + 19,1253) mm2 .

Resultados e discussão

Com os resultados obtidos nos cálculos é correto afirmar que o micrômetro é o instrumento mais preciso utilizado nesta prática. O paquímetro apresenta uma precisão menor do que o micrômetro, sendo sua precisão dada por p = 1/n, onde n é o numero de divisões do nônio. Já o micrômetro tem circunferência de rosca (tambor) dividida em 50 partes iguais, possibilitando leituras de 0,01mm.

Sem dúvida o micrômetro é o instrumento correto a ser utilizado quando a precisão da medida é necessária, pois a margem de erro da medida é muito pequena.

Conclusão

Conclui-se que a prática obteve sucesso em mostrar que o micrômetro é o instrumento mais preciso e o melhor a ser utilizado nas medidas que exigem grande precisão

Observamos que houve uma certa variação ou diferença entre os valores calculados independentemente para cada instrumento. Tais diferenças na medição podem ser explicadas por vários fatores, como a habilidade do indivíduo em utilizar o instrumento de medição, imprecisão do ajuste da esfera no instrumento. Porém, as variações, não foram tão altas, visto que todos os valores encontram-se dentro de uma única amplitude, acreditamos ter sido de pleno proveito o estudo de Medidas Físicas como um conhecimento adicional e importante para ser utilizado na nossa atuação principalmente quando lidando com experimentos físicos.

 

 

 

 

Referências bibliográficas

Nussenzveig H . Moysés

Física geral para ensino médio

www.demec.ufmg.br/.../APOSTILA_PARTE_II_cap_3_Paquimetro.p

5/10/2009 23:32:47

www.fisica.ufs.br/CorpoDocente/.../calibre.htm

5/10/2009 23:38:31

www.efisica.if.usp.br/mecanica/basico/.../paquimetro/ - micrômetro

5/10/2009 23:41:10

Universidade do Vale do Paraíba

FEA

Ciências Biológicas

Paquímetro e micrômetro

Ana Lídia V.G Prado 00720130

Luciana Gazanêo 00810950

Claudemir Caravante 00811859

Comentários