Clínica Médica II

  • BIOSSEGURANÇA – AULA

  • Profa. Sandra de Lourdes

Associação Brasileira de Prevenção de Acidentes Trabalhador saudável Paciente vivo NR 32- Segurança e Saúde do Trabalho em Serviços de Saúde

  • Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de Saúde

  • Medidas de Prevenção e novos equipamentos de segurança e proteção

  • São Paulo, 25 de novembro de 2004

Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de Saúde Visão Prática dos recursos de segurança

  • Atividades de risco são as capazes de proporcionar dano, doença ou morte

Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de Saúde Conceitos

  • Risco

  • É a probabilidade de ocorrer um evento bem definido no espaço e no tempo, que causa dano à saúde, às unidades operacionais ou dano econômico/financeiro

Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de Saúde Conceitos

  • É importante que fique clara a diferença entre risco e perigo

  • Existe perigo na manipulação de determinados produtos químicos ou biológicos

  • Porém o risco dessa atividade pode ser considerado baixo se forem observados todos os cuidados necessários e e utilizados os equipamentos de proteção adequados

Classificação de Risco Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego NR de Medicina e Segurança do Trabalho

  • Riscos Físicos (formas de energia como ruídos, vibrações, pressões anormais, radiações ionizantes ou não, ultra e infra-som (NR-09 e NR-15). Avaliação quantitativa

  • Riscos Químicos (substâncias, compostos ou produtos que podem penetrar no organismo por via respiratória, absorvidos pela pele ou por ingestão, na forma de gases, vapores, neblinas, poeiras ou fumos (NR-09, NR-15 e NR-32). Avaliação quantitativa e qualitativa

Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de Saúde Classificação de Risco Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego NR de Medicina e Segurança do trabalho

  • Riscos Biológicos ( bactérias, fungos, protozoários, vírus, etc (NR- 09)

  • As classes dos riscos biológicos são: patogenicidade para o homem; virulência; modos de transmissão; disponibilidade de medidas profiláticas eficazes; disponibilidade de tratamento eficaz; endemicidade

Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de Saúde Classificação de Risco Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego NR de Medicina e Segurança do trabalho

  • Riscos Ergonômicos (são elementos físicos e organizacionais que interferem no conforto da atividade laboral e conseqüentemente nas características psicofisiológicas do trabalhador (NR-17 )

  • www.mtb.gov.br.bits

  • Posto de trabalho inadequado (mobiliário, equipamentos e dispositivos)

  • “Lay-out” inadequado (caminhos obstruídos, corredores estreitos, etc)

  • Ventilação e iluminação inadequadas

  • Esforços repetitivos

  • Problemas relativos ao trabalho em turno

  • Assédio moral

  • Problemas relacionados com a organização do trabalho

Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de Saúde Classificação de Risco Portaria 3.214/78 do Ministério do Trabalho e Emprego NR de Medicina e Segurança do trabalho

  • Riscos de Acidentes (condições com potencial de causar danos aos trabalhadores nas mais diversas formas, levando-se em consideração o não cumprimento das normas técnicas previstas

  • Além dos físicos, químicos e biológicos, destacam-se: arranjo físico, eletricidade, máquinas e equipamentos, incêndio/explosão, armazenamento, ferramentas, etc

Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de Saúde Associação dos Riscos

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Histórico

  • Historicamente, os profissionais de saúde não eram considerados de alto risco para acidentes de trabalho

  • Até a década de 60 quando aumentou o número de profissionais de laboratório de análises clínicas contaminado (hepatite B e tuberculose, 7 e 5 vezes mais freqüentes que na população em geral)

  • A partir dos anos 80, a epidemia da AIDS atenção voltada para os profissionais envolvidos na assistência ao paciente

  • Os principais riscos biológicos envolvem os patógenos de transmissão sangüínea como os vírus das hepatites B e C e o HIV

  • Mais de 30 outros agentes infecciosos podem estar envolvidos em acidentes biológicos nos estabelecimentos de saúde

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Características Gerais

  • Principais agentes: bactérias, vírus, fungos, protozoários.

  • Presentes: em aerossóis, poeiras, alimentos, instrumentos de laboratório, água, culturas, amostras biológicas

  • 18% dos trabalhadores são contaminados com material infecto-contagioso nas atividades relacionadas ao trabalho

  • 25% por via percutanea;

  • 27% por aerossóis e derramamentos;

  • 16% por vidrarias e pérfurocortantes;

  • 13% por aspiração por instrumentos;

  • 13,5% por acidentes com animais;

  • As principais fontes de contaminação no local de trabalho podem estar relacionadas à inalação de aerossóis

  • Todos os procedimentos microbiológicos são potencialmente formadores de aerossóis

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Presença microbiana

  • Alta adaptação à biosfera

  • Um único micróbio em solução simples chega a um milhão em 18 horas

  • Um micróbio pode se dividir em 10 minutos

  • Presença na forma de células, esporos, toxinas e fragmentos moleculares

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Relação entre vias de contaminação e doenças

  • Via aérea: tuberculose, varicela, rubéola, sarampo, influenza, viroses respiratórias, doença meningocócica

  • Exposição ao sangue e fluidos orgânicos: HIV, hepatites B e C, raiva

  • Transmissão fecal-oral: hepatite A, poliomielite, gastroenterite, cólera

  • Contato com o paciente: escabiose, pediculose, colonização por Estafilococos ( que provocam a maioria das IH)

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Principais grupos expostos

  • Médicos clínicos: 0,5 a 3 exposições percutaneas/ano; 0,5 a 7 exposições mucocutaneas/ano

  • Cirurgiões: 80 a 135 contatos com sangue/ano; 8 a 15 exposições percutaneas/ano

  • Odontólogos: 1 exposição percutanea a cada 5 anos

  • Contaminação acidental pelo HIV:

  • Enfermeiros e pessoal de laboratório – 70% dos casos comprovados e 43% dos prováveis; estudantes de medicina 10 a 12% dos casos prováveis; cirurgiões e dentistas 12% dos casos prováveis

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Principais grupos expostos

  • A equipe de enfermagem é a mais exposta ao material biológico:

  • É o grupo mais numeroso dos serviços de saúde

  • Maior contato direto com os pacientes

  • Os tipos e freqüência de procedimentos realizados favorecem a exposição

  • 71,2% dos acidentes com perfurocortantes ocorrem entre os profissionais de enfermagem (USP, 1998)

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Principais grupos expostos A equipe de enfermagem é a mais exposta ao material biológico:

  • RISCO BIOLÓGICO - De onde ele vem?

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Como se estabelece a exposição?

  • Veículo ou Material biológico

    • Sangue, secreção vaginal e sêmen e tecidos
    • líquidos de serosas (peritoneal, pleural, pericárdico), líquido amniótico, líquor, líquido articular e saliva
    • suor, lágrima, fezes, urina, escarro
    • ar

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde como se estabelece a exposição?

  • Tipo de exposição

    • Pérfuro-cortante
    • Mucosa
    • Pele íntegra
    • Inalação de gotículas/aerossóis

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Principais grupos expostos A equipe de enfermagem é a mais exposta ao material biológico:

  • Freqüentemente o acidente não é notificado

  • Acidentes com pérfurocortantes representam 1/3 de todos acidentes envolvendo profissionais de enfermagem

  • Retirada de sangue, flebotomia, punção venosa periférica, sutura cirúrgica, reencapamento de agulhas, são os momentos de maior risco

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Riscos de aquisição da doença

  • Tipo de exposição

  • A quantidade necessária para causar doença (carga do agente) - Virulência

  • Patogenicidade do agente infeccioso

  • Existência da profilaxia pós-exposição

  • Prevalência local da doença

  • Suscetibilidade do profissional de saúde

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Imunização: doenças imunopreviníveis

  • Hepatite B

  • Varicela

  • Sarampo

  • Influenza

  • Caxumba

  • Rubéola

  • Tétano

  • Hepatite A

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde Classificação dos patógenos por risco biológico

Riscos Biológicos em Serviços de Saúde o que usar na manipulação de medicamento?

  • Uso de EPC (cabine de segurança biológica classe I,II ou III

  • Uso de EPIs( protetor respiratório, óculos, luvas, protetores)

  • Vestuário (avental, touca)

  • Procedimentos operacionais descritos

Riscos Químicos e Biológicos em Serviços de Saúde Riscos presentes na produção e preparo de medicamentos

Cenários de produção de medicamentos e injetáveis

  • Central de diluição de misturas injetáveis (farmácia hospitalar)

  • Indústria Farmacêutica

  • Cabine de Segurança Biológica

Cabines de segurança biológica Finalidades

  • Proteção do pessoal e ambiental contra os agentes perigosos dentro da cabine

  • Proteção do produto ou do processo contra os contaminantes localizados fora da cabine

  • Proteção contra a contaminação cruzada dos agentes dento da cabine

  • Primeira cabine – 1943 ( Van den Ende)

  • Filtro HEPA - 1962

Medicamentos e drogas de risco também podem contaminar o ambiente e o manipulador (com manipulação aguda ou crônica)

  • Corantes e Fixadores

  • Saneantes e Desinfectantes

  • Solventes

  • Quimioterápicos/ Antineoplásicos

  • Antibióticos

  • Hormônios

  • Anestésicos

CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE PODEM DETERMINAR O RISCO OCUPACIONAL (AMERICAN SOCIETY OF HEALTH FARMACISTS – ASHP)

  • GENOTOXICIDADE (mutagenicidade)

  • CARCINOGENICIDADE (indução tumoral em modelo animal, pacientes humanos ou ambos)

  • TERATOGENICIDADE (alterações sobre a reprodução, alterações da fertilidade, má-formações congênitas no feto)

  • TOXICIDADE SÉRIA E SELETIVA SOBRE ÓRGÃOS E SISTEMAS (em baixa dose em modelo animal e em pacientes tratados)

Sistemas mais sensíveis aos antineoplásicos

  • Sistema Respiratório

    • lesão de células do trato respiratório
    • enfisema
    • irritação
    • broncoconstrição
    • dispnéia
    • alergia
  • Trato Gastrointestinal

    • Alteração das membranas celulares
  • Pele

    • rubor
    • edema
    • prurido
    • alergia
  • Fígado

    • acumulação excessiva de lípídios
    • necrose
    • colestase

RISCO BIOLÓGICO O que fazer em caso de exposição?

  • 1º passo: Cuidados locais

  • 2º passo: Registro e notificação

  • 3º passo: Avaliação da Exposição

  • 4º passo: Avaliação da Fonte

  • 5º passo: Manejo específico HIV, hepatite B e C

  • 6º passo: Acompanhamento clínico-sorológico

  • MS, Manual de Condutas em exposição ocupacional a material biológico,1999

  • MS, Recomendações para terapia ARV, 2002/2003

RISCO BIOLÓGICO Como minimizar o risco?

  • Conhecimento/ Conscientização

  • Equipamentos de Proteção Individual

  • Precauções padrão e especiais

RISCO BIOLÓGICO Conhecimento/ Conscientização

  • Conhecer os possíveis agentes etiológicos e os meios de transmissão

  • Lavagem das mãos, SEMPRE

  • Imunizações

  • Manuseio e descarte de pérfuro-cortantes ADEQUADOS

  • Conhecer a rotina para atendimento de acidentes com material biológico

  • Conhecer as limitações da profilaxia pós- exposição

RISCO BIOLÓGICO Equipamentos de Proteção individual

    • Luvas (de procedimento, estéreis)
    • Máscaras (cirúrgicas, N95)
    • Capotes (limpos, estéreis, plástico, descartáveis), Jaleco
    • Protetor facial
    • Sapato, botas

RISCO BIOLÓGICO Precauções

  • Precauções Padrão

  • Precauções respiratórias com gotículas

  • Precauções respiratórias com aerossóis

  • Precauções de contato

RISCO BIOLÓGICO Precauções padrão

  • Precauções com materiais biológicos devem ser usadas para TODOS pacientes

  • Precauções de barreira - previsão de contato com material biológico de QUALQUER paciente

  • Luvas são necessárias para tocar material biológico, mucosas ou pele não intacta de todo paciente e para proceder acesso venoso.

  • Máscaras e protetores oculares – previsão de respingo de material biológico

  • Capotes são necessários se houver respingos generalizados

RISCO BIOLÓGICO Precauções padrão

RISCO BIOLÓGICO Precauções padrão – Uso de Luvas de Procedimentos e Estéreis

RISCO BIOLÓGICO Precauções padrão USO CORRETO DE EPI’S

RISCO BIOLÓGICO Precauções padrão

  • Lavagem das mãos é sempre necessária após contaminação com material biológico e imediatamente a retirada das luvas.

  • Lavagem das mãos (sempre que estiverem sujas) antes e após:

  • ATENÇÃO:

  • »Contato direto com o paciente; »Efetuar procedimentos terapêuticos e diagnósticos, mesmo ao usar luvas; »Entre procedimentos no mesmo paciente; »Realizar trabalhos hospitalares, atos ou funções fisiológicas; »Manipular materiais e equipamentos; »Contato direto acidental com sangue e fluidos; »Término da jornada de trabalho; »Retirada de luvas.

RISCO BIOLÓGICO Precauções Respiratórias com Gotículas – Ex. Sarampo

  • Quarto privativo

  • Máscara cirúrgica para profissional de saúde ao entrar no quarto

  • Máscara cirúrgica para o paciente em caso de transporte

RISCO BIOLÓGICO Precauções Respiratórias com Aerossóis – Ex. TB

  • Quarto privativo com porta fechada

  • Máscara N95 para profissional de saúde entrar no quarto

  • Máscara cirúrgica para o paciente em caso de transporte

RISCO BIOLÓGICO Precauções de Contato – Ex. Escabiose

  • Quarto privativo

  • Capote e luva para contato com pele e mucosas do paciente

  • Estetoscópio, esfignomanômetro, termômetro de uso individual (realizar desinfecção após o uso)

  • Conter secreções em caso de transporte

BIOSSEGURANÇA

  • SÓ VOCÊ, PODE AJUDAR A PROPAGAR ESTA IDÉIA.

  • SÓ VOCÊ, PODE EXECUTAR ESTA IDÉIA.

  • SÓ VOCÊ, COM ESTA ATITUDE PODERÁ REDUZIR A INFECÇÃO HOSPITALAR.

  • PARABÉNS PELA COLABORAÇÃO!!!!!

Comentários