Aplicação de injetáveis

Aplicação de injetáveis

(Parte 1 de 4)

DROGARIA xxxxx LTDA

Rua x – xx

xxx – xx - CEP xx

Fone (Fax) xxxx-xxxx-xxxx

C.N.P.J xx.xxx.xxx/xxxx-xx

APLICAÇÃO DE INJETÁVEIS

(Sala de Aplicações)

TODA MEDICAÇÃO INJETÁVEL SERÁ ADMINISTRADA MEDIANTE PRESCRIÇÃO MÉDICA.

Observar os seguintes itens da receita médica: nome e número do CRM do médico, nome do paciente, data, nome do medicamento, dosagem, via de administração e concentração. Siga rigorosamente as orientações contidas na receita e na bula. Não misture medicamentos em uma mesma seringa sem conhecimento ou sem que a receita solicite.

LIVRO DE REGISTRO DO RECEITUÁRIO DE APLICAÇÃO DE INJETÁVEIS

  • Data

  • Nome do paciente

  • Endereço

  • Nome do medicamento administrado, concentração, via de administração, lote, data de validade e fabricante

  • Nome do médico prescritor e respectivo CRM

  • Nome ou assinatura do profissional responsável pela aplicação

VOCABULÁRIO TÉCNICO DO PROFISSIONAL

Anti-sepsia = redução do número de microorganismo e eliminação de sujeiras da pele, através do uso de água e sabão, povidine, álcool iodado, álcool 70 %, água oxigenada e etc..

Contaminação = qualquer material: poeira, sujeiras, bactérias, vírus, fungos, que de alguma forma cheguem a entrar em contato com o medicamento, a sala de aplicação ou o próprio paciente, podendo causar uma infecção.

Desinfecção = processo pelo qual reduzimos o número de microorganismo do ambiente e materiais através de soluções específicas para este fim, como por exemplo, o uso do álcool 70% para desinfecção de bancadas, tesouras, pinças e etc..

Esterilização = processo pelo qual são mortos todos os fungos, vírus e bactérias do material que foi submetido a este processo (ex: medicamentos injetáveis, seringas e agulhas descartáveis).

Medicamento = Toda preparação farmacêutica contendo uma ou mais substâncias, destinada ao diagnóstico, prevenção ou tratamento das doenças e seus sintomas, quer no homem, quer nos outros seres vivos.

TIPOS DE MEDICAMENTOS INJETÁVEIS

Veículos aquosos

Veículos oleosos

Veículos com pó em suspensão

Pó para resuspender / reconstituição

TIPOS SERINGAS E AGULHAS

SERINGAS

Seringa 1ml Insulina

Seringa 1 ml Tuberculina ou Vacina

Seringa 3 ml

Seringa 5 ml

Seringa 10 ml

Seringa 20 ml

Seringa 60 ml

CALIBRE

25 x 8 e 30 x 8 Intramuscular Endovenosa / Soluções aquosas e oleosas

25 x 7 e 30 x 7 Intramuscular Endovenosa / Soluções aquosas

40 x 12 Endovenosa / Soluções aquosas e oleosas

13 x 3,8 Subcutânea Intradérmica / Insulinas Vacinas

13 x 4,0 Subcutânea Intradérmica / Insulinas Vacinas

13 x 4,5 Subcutânea Intradérmica / Insulinas Vacinas

20 x 5,5 Subcutânea Endovenosa / Vacinas Soluções Aquosas

20 x 6,0 Subcutânea Endovenosa / Vacinas Soluções Aquosas

NOTA: Normalmente as agulhas 25X7 ou 30X7 são usadas para soluções oleosas e suspensões (penicilinas) para facilitar a aplicação e evitar entupimentos.

TÉCNICA DE LAVAGEM DAS MÃOS

Sem tocar a pia, as mão são umedecidas e ensaboadas com cerca de 2 ml de sabão líquido, preferencialmente, por aproximadamente 15 segundos ou 5 vezes cada posição a seguir.

1 - Palma com Palma.

2 - Palma direita sobre o dorso da mão esquerda e vice versa.

3 - Palma com palma, entrelaçando-se os dedos.

4 - Parte posterior dos dedos em palma da mão oposta; polpas digitais direitas em contato com as da mão esquerda.

5 - Fricção rotativa do polegar direito com a palma esquerda e vice-versa.

6 - Fricção rotativa em sentido horário e anti-horário com os dedos da mão direita unidos sobre a palma esquerda e vice-versa.

Os pulsos também podem receber fricção rotativa. As mão são secas com papel toalha descartável de boa qualidade (contra-indica-se o uso de toalhas coletivas de tecidos ou em rolo, assim como os secadores elétricos). Fechar a torneira usando papel toalha descartável.

PREPARO DA INJEÇÃO

1. Identifique o material a ser utilizado durante a aplicação confrontando com a receita;

2. Lave bem as mãos e antebraço quando possível antes de preparar a injeção (conforme descrito anteriormente);

3. Seque as mãos com toalha de papel;

4. Aplique um anti-séptico nas mãos (ex.: álcool 70 %);

5. Abra a embalagem da seringa utilizando o local correio de abertura, sempre pelo lado do êmbolo da seringa, para diminuir o risco de contaminação. Certifique-se de que o invólucro não esteja molhado, úmido ou danificado;

6. Conecte a agulha aplicando uma força e rotacionando-a para que ela fique travada. Se houver alguma demora na preparação mantenha a seringa dentro da embalagem;

7. Não toque na agulha, bico da seringa ou na haste (parte que fica dentro do cilindro) durante o manuseio da seringa;

8. Retire o protetor da agulha e aspire o medicamento;

9. Reencape a agulha tomando o cuidado para não tocar a ponta contaminando-a ou se ferindo.

10. Retire o ar da seringa;

11. Troque a agulha;

13. Realize anti-sepsia do local da aplicação com algodão e álcool 70%.

NOTA: Um procedimento correio é usar uma agulha para aspirar o medicamento da ampola ou frasco ampola, e outra para realizar a aplicação, desta maneira diminui o risco de contaminação e de agulhas rombudas, melhorando a eficiência e segurança durante a aplicação.

AMPOLA

1. Realize a desinfecção do gargalo da ampola com algodão e álcool 70 %;

2. Utilize uma proteção (algodão seco) para abrir a ampola;

3. Aspire o conteúdo da ampola para a seringa;

4. Retire as eventuais bolhas da seringa, expulsando o ar e deixando somente o líquido;

5. Troque a agulha para evitar contaminações ou agulhas rombuda;

(Parte 1 de 4)

Comentários