Aplicação de injetáveis

Aplicação de injetáveis

(Parte 3 de 4)

Contra- indicado para menores de 10 anos e adultos com pequeno desenvolvimento muscular.

Evitar aplicar em:

•Adultos muito magros;

• Crianças abaixo de 10 anos;

• Idosos;

• Injeções muito freqüentes;

• Volume acima de 3,0 ml;

Técnica: Após preparo da medicação e anti-sepsia das mãos conforme descrito anteriormente, orientar a pessoa para manter o braço relaxado ao longo do corpo ou o braço dobrado na altura da cintura;

Verificar visualmente e pelo tato (palpação) se há sinais de endurecimento, marcas de outras aplicações, presença de nódulos, hematomas ou inflamações. Se algum destes sinais forem detectados mudar o local da aplicação. Este cuidado deve ser tomado em qualquer aplicação intramuscular;

Realizar anti-sepsia do local da aplicação com algodão embebido em álcool 70%, com movimentos firmes de cima para baixo, deixar secar, descartar este algodão e manter um algodão seco oposto à mão que esta com a seringa;

Apoiar uma das mãos no ombro, segurando firme o músculo;

Introduza a agulha em ângulo reto (90°) ou ligeiramente inclinada, com um único movimento firme e suave;

Neste momento solte o músculo e puxe o êmbolo para trás para verificar refluxo de sangue;

Se isto ocorrer, retirar imediatamente a agulha e realizar novo procedimento preparando

nova injeção e aplicar em outro local;

Injetar o medicamento lentamente para diminuir o desconforto durante a aplicação;

Após aplicação retirar a agulha com movimento firme e rápido, colocando o algodão seco;

Realizar uma boa compressão para evitar sangramento, se necessário colocar um esparadrapo antialérgico no local.

NOTA: Esteja atento as reações do paciente durante e após a aplicação de qualquer injeção.

REGIÃO DORSO-GLÚTEA OU NÁDEGA (MÚSCULO GLÚTEO MÁXIMO)

Aplicação é realizada nos músculos glúteos, que são amplos e os mais recomendados para aplicação de injeções em adultos e crianças maiores de 2 anos (nas crianças menores o melhor e mais seguro local de aplicação é na coxa).

O profissional deve conhecer o local exato para realizar a aplicação pois esta região é altamente vascularizada e o nervo ciático está presente podendo causar danos graves se a aplicação atingir este nervo.

Aplicar no quadrante superior externo da região glútea, pois é o local mais seguro, longe do nervo ciático, rico em músculos, podendo ser feita profundamente com mais conforto para o paciente e segurança para o profissional.

Não aplicar volumes maiores que 5 ml (quantidade maior deve ser aplicado em dois locais diferentes);

Dê preferência às agulhas 30x7 ou 30x8 para evitar o risco de perda de medicamento por refluxo e formação de nódulos doloridos.

REGIÃO VENTRO-GLÚTEA OU QUADRIL (MÚSCULO GLÚTEO MÉDIO E MÍNIMO)

Aplicação é realizada no terço médio do músculo glúteo lateral, que constitui o quadril. E considerado o local mais seguro e indolor para aplicação intramuscular, porém devido ao desconhecimento por parte do paciente e também do profissional, este local normalmente não é lembrado para realização da injeção.

O local é seguro e ideal para aplicação em adultos, idosos e crianças.

Região Ventro-Glútea

• Local de baixo risco.

• Muito cuidado para identificar a Crista Ilíaca.

Técnica: após preparo da medicação e anti-sepsia das mãos conforme descrito anteriormente, orientar a pessoa para manter-se em uma das posições para realização da aplicação:

Deitado de costas ou de lado com os joelhos levemente dobrados, sentado ou em pé com os joelhos levemente dobrados;

Não aplicar volumes maiores que 5,0 ml;

O local deve ser demarcado apoiando a palma da mão sobre a articulação do quadril;

Com a ponta do indicador, localizar a parte anterior dos ossos ilíaco, facilmente palpável (com treinamento), manter o dedo fixo neste ponto, abrir a mão formando um V entre o dedo indicador e o dedo médio;

No centro deste V é que se deve introduzir à agulha ligeiramente voltada para cima em direção à crista ilíaca;

Após localização realizar anti-sepsia do local, demarcar novamente e aplicar a injeção conforme descrito anteriormente.

Se a aplicação for feita no quadril esquerdo ou caso o aplicador seja canhoto, inverta a posição dos dedos.

REGIÃO ANTEROLATERAL DA COXA (MÚSCULO VASTO LATERAL DA COXA)

Aplicação é realizada no músculo vasto lateral da coxa (músculo alongado que se estende do quadril até o joelho). Embora não seja um dos locais mais confortáveis, é considerado local seguro para aplicação em adultos e principalmente em crianças menores de 2 anos.

Não deve ser local para uso frequente de aplicações.

Não aplicar volumes maiores que 3,0 ml.

Técnica: após preparo da medicação e anti-sepsia das mãos conforme descrito anteriormente, orientar a pessoa para manter-se em uma das posições para realização da aplicação: deitado ou sentado com a coxa apoiada no assento e relaxada;

Marcar o local dividindo a coxa em três partes iguais. A aplicação deve ser realizada no terço médio na parte externa, no meio da coxa onde a massa muscular é maior;

Após localização realizar anti-sepsia do local, segurar o músculo entre o polegar e indicador e realizar aplicação introduzindo a agulha (25x7) em ângulo de 90°, no caso de adultos obesos e com músculos desenvolvidos ou então inclinada (voltada para o joelho) de cima para baixo em pessoas magras e crianças;

Região Lateral Externa da Coxa

• Local de menor risco para crianças pequenas

• Indicado para adultos e crianças.

• Aplicar a agulha inclinada na direçâo do juelho.

TÉCNICA EM Z

Está técnica é muito usada em aplicações intramusculares de medicamentos oleosos (ex.: anticoncepcionais) ou a base de ferro, pois evita o refluxo (evitando perda de medicamento), nódulos, ou inflamações quando ocorre retomo destes tipos de medicamentos. O local ideal para realizar esta técnica é a região dorso-glútea.

Técnica: após preparo da medicação e anti-sepsia das mãos conforme descrito anteriormente, puxar firmemente a pele para baixo ou para o lado com a parte lateral da mão;

Introduzir a agulha com movimento firme mantendo a pele puxada;

Verificar se existe refluxo de sangue aspirando lentamente, caso não ocorra, aplicar lentamente;

Retirar a agulha e somente depois soltar a pele. Desta maneira a pele fechará a saída impedindo o retomo do medicamento injetado.

Outra alternativa é usar a lateral da mão ou puxar a pele para o lado ou para baixo. Voltando à posição relaxada, a pele vedará a saída do líquido injetado para fora do músculo.

ACIDENTES QUE PODEM OCORRER COM INJEÇÕES INTRAMUSCULARES

Abcessos sépticos - causados pela falta de anti-sepsia. O local é contaminado apresentando pus e inflamação. Higiene e anti-sepsia antes e depois da aplicação são procedimentos importantíssimos.

Dor - as aplicações costumam ser muito doloridas quando feitas rapidamente, quando o volume de medicamento for inadequado para tamanho do músculo, quando o local for impróprio para aplicação ou quando o músculo estiver contraído.

Endurações - são causadas pela aplicação repetida no mesmo local, deixando a região "empedrada". Nestes casos é aconselhável a mudança do local pois o medicamento reflui tomando sua absorção muito difícil. Massagens e compressas quentes são indicadas.

Embolias - são ocorrências extremamente perigosas causadas pela injeção de substâncias indevidas (oleosas, suspensões, ar, pedaços de coágulos entre outras) em veias ou artérias, causando a obstrução de pequenos vasos sanguíneos, levando a necrose (morte) da área atingida. Cuidado! Não esqueça de puxar o embolo para verificar se não foi atingido nenhum vaso acidentalmente antes da aplicação.

Hematomas - são manchas arroxeadas que aparecem no local da aplicação, causadas pelo extravasamento de sangue dos vasos sanguíneos para os tecidos (pele), devido a um traumatismo. Normalmente quando isto ocorre alguns dias são necessários para seu desaparecimento total.

Lesões Nervosas - causadas quando as aplicações são feitas próximas de nervos motores, podendo causar sérios problemas desde dores intensas até comprometimento de movimentos. O conhecimento da anatomia dos locais exatos de aplicação evita este tipo de acidente.

Nódulos - são causados quando aplicação é realizada com agulha menor que a indicada, introduzida parcialmente, ou grande inclinação, tomando a injeção muito superficial. Para evitar este tipo de problema verificar o tamanho ideal de agulha e tomar cuidado principalmente com medicamentos oleosos.

Reaçôes alérgicas ou Choque Anafïlático - são causadas pela injeção de medicamento ao qual o paciente é alérgico, podendo ir desde reações que provocam vermelhidão e prurido (coceira) pelo corpo, até reações complexas e graves como o choque anafilático, que quando ocorre necessita urgência de atendimento hospitalar. A reação pode começar durante ou após aplicação, podendo o paciente apresentar: boca seca, formigamento da língua, respiração ofegante, pressão baixa, pele úmida e fria.

Este é um dos motivos em não realizar aplicações sem receituário médico. A prevenção também pode ser feita realizando-se o teste alérgico (preferencialmente em Hospitais e Clínicas Especializadas) que seguem padrões recomendados, sendo por este motivo proibidos de serem feitos em farmácias.

Tonturas e desmaios - podem ocorrer em qualquer tipo de aplicação devido à ansiedade, falta de alimentação ou medo com a expectativa da dor, antes ou após aplicação.

Normalmente não tem maiores consequências, mas ocorrendo deve-se colocar a pessoa sentada em lugar ventilado para recuperá-la do mal-estar.

Se os sintomas não desaparecem rapidamente ou ocorrer desmaio acionar rapidamente assistência médica.

(Parte 3 de 4)

Comentários