ARTIGO DE REVISÃO

RADICAIS LIVRES: CONCEITOS, DOENÇAS CORRELACIONADAS, SISTEMA DE DEFESA E ESTRESSE OXIDADTIVO.

Diego Roberto Willians

Lis Regiane Favarin

Mauro Cezar Camargo

Natália Cabeza

RESUMO

Os radicais livres são produzidos no nosso organismo pelas células, durante o processo de queima do oxigênio utilizado para converter os nutrientes dos alimentos ingeridos em energia. Mas os processos metabólicos não são a única fonte de radicais livres. O problema surge quando ficamos expostos aos fatores de risco, pois essa exposição pode provocar uma acumulação de radicais livres no nosso corpo e é esse excesso que pode causar alterações irreversíveis nas células ou mutações que podem favorecer o aparecimento e desenvolvimento de células cancerígenas. Uma das melhores formas de se proteger contra a ação dos radicais livres é seguir um regime alimentar rico em nutrientes antioxidantes.

OBJETIVO

Este artigo tem como objetivo mostrar como e porque os radicais livres são formados, e de sua função maléfica para o nosso organismo como danificação nas células do nosso corpo sendo responsável pelo desenvolvimento de muitas doenças causadas pela reação desses radicais com as células do nosso organismo. Mostraremos também várias maneiras de se combater os radicais livres através do uso de substâncias antioxidantes.

Os radicais livres são átomos ou moléculas que possuem um elétron desemparelhado, este elétron é que faz com que estes átomos ou moléculas tornem-os extremamente reativos devido a sua estabilidade.

São formado no interior das células através de reações de óxido-redução e a partir da perda ou ganho de um elétron. Na maioria dos casos os radicais livres são derivados do metabolismo do oxigênio como o superóxido (O2-), o hidroperóxido (HO2-), o hidroxila (OH-) entre outros, devido à presença destes radicais e dos mesmos serem derivados do oxigênio molecular essas espécies são também denominadas “Espécies Reativas do Metabolismo do Oxigênio” [1].

Os radicais livres são em sua maioria radical do metabolismo celular aeróbio de O2 chamado ERMO, que sofre uma redução tetravalente, resultando na formação de água, durante esse processo de redução é que são formadas essas ERMO citadas anteriormente.

Lembrando que esses radicais livres causam lesões biológicas.

Entre as ERMO já citadas a que é considerada mais reativa é a hidroxila (OH-), devido a sua alta reatividade com os metais presentes no organismo, um exemplo de seu papel deletério é que quando um radical hidroxila é produzido próximo ao DNA, ou junto do DNA houver um metal fixado, poderá ocorrer mudanças de base purínicas e pirimidínicas ocasionando com isso a inativação ou mutação do DNA.

Várias doenças podem ser correlacionadas com as ERMO tais como os problemas pulmonares. Entre eles podemos citar alguns exemplos como: efisema pulmonar, displasia broncopulmonar, pneumocineose, asma entre muitos outros males para o nosso organismo. Outro fator que pode ser correlacionado com as ERMO é o caso do envelhecimento causado pelo estresse oxidativo, sendo este um acúmulo de radicais livres que causam danos moleculares as estruturas celulares.

Apesar de que as ERMO em sua grande maioria serem consideradas mediadoras de doenças, sua formação nem sempre será deletéria, como é caso em que elas auxiliam na defesa do nosso organismo contra infecções quando a bactéria estimula neutrófilos a produzirem espécies reativas com a finalidade de destruir os microorganismos [1].

O que podemos observar nos relatos acima é que os radicais livres são causadores de inúmeros males a nossa saúde, males esses que podem ser evitados ou pelo menos controlados.

Uma forma de se combater os radicais livres é a utilização de inibidores que são substâncias antioxidantes naturais e sintéticas que irão bloquear a reação em cadeia produzida por estes radicais, pois o nosso organismo precisa estar estabilizado para que estes radicais livres não se tornem tão maléficos a nossa saúde.

BIBLIOGRAFIA

1. Radicais Livres Conceitos, Doenças Relacionadas, Sistema de Defesa E Estresse Oxidadtivo. A. L. A FERREIRA, L.S MATSUBARA.

2. SOLOMUS. Química Orgânica 1.

Comentários