Resumo Expansão Marítima

Resumo Expansão Marítima

A EXPANSÃO MARÍTIMA EUROPÉIA

1 – O fim da crise do século XIV e a retomada do crescimento econômico europeu

  1. O crescimento populacional  a Peste Negra matou cerca de 35% da população européia durante o século XIV e causou enormes prejuízos econômicos e sociais. A Europa só recuperaria a sua população cem anos depois.

  2. As trocas comerciais entre o Ocidente e o Oriente Médio  o comércio irá exercer um papel cada vez mais importante na vida européia.

  3. A busca dos europeus por metais preciosos (“os homens que dispõe de ouro compram cada vez mais mercadorias. É natural que se busque ouro.”)  a crise econômica atingia os preços e causava o aumento da inflação. A busca por metais amoedáveis (ouro e prata, principalmente) será cada vez mais sangrenta.

2 – A unificação portuguesa

  1. Portugal se torna independente do reino de Castela (atual Espanha) e se unifica a partir da luta contra os mouros  no início da unificação portuguesa a península ibérica estava dominada pelos árabes mulçumanos – os mouros – e os reinos ibéricos se uniram na intenção de expulsar os árabes da Europa. Essa guerra ficou conhecida como Reconquista, pois se tratava de retomar o domínio cristão das mãos árabes, que significavam outra cultura, outra língua, outra religião e outro Deus.

  2. A Revolução de Avis e a mudança na expansão marítima  morre d. Fernando, rei de Portugal, sem deixar herdeiro masculino e a provável sucessora seria sua filha d. Beatriz que era casada com o rei de Castela. Caso d. Beatriz assumisse o trono português, a união com o reino de Castela seria a conseqüência mais provável.

  3. A luta interna divide as classes sociais  de um lado temos a alta nobreza querendo aumentar suas terras com a união com Castela e de outro a pequena nobreza e a burguesia temerosas de que seus negócios regredissem com a possível união e o retorno a uma fase mais voltada para a questão da terra.

  4. Vitória de d. João, mestre de Avis  a população se une contra a possível anexação de Portugal por Castela e os setores ligados à pequena nobreza e a burguesia saem vencedores. É inaugurada uma fase de expansão do comércio em contraposição ao retorno ao feudalismo pretendido pela alta nobreza.

3 – O comércio africano

  1. A concorrência com as cidades italianas  o mar Mediterrâneo era a rota comercial mais importante por onde passavam as mercadorias vindas do Oriente e era monopolizado pelas cidades italianas de Gênova e Veneza. Quem quer que tentasse furar este monopólio se enfrentaria com os italianos.

  2. As rotas das caravanas comerciaisCeuta, Argel e Tanger são algumas das importantes cidades comerciais do norte da África que os portugueses pretendem tomar do controle árabe.

  3. Os interesses de Portugal  domínio das cidades mercantis; produção de cereais para o reino; pecuária de cavalos e cabras.

  4. A conquista de Ceuta (1415)  não representou um domínio comercial português, pois as cidades foram isoladas pelos árabes.

  5. As derrotas no norte da África forçam uma reorientação para o Oceano Atlântico  após tomarem as cidades comerciais africanas, os portugueses não conseguem o retorno esperado e voltam-se para as ilhas do Atlântico (Canárias e Madeira), começando aí uma importante produção açucareira com mão de obra escrava.

Comentários