Ensaio nº 6 - Determinação da resistência à compressão paralela às fibras da madeira

Ensaio nº 6 - Determinação da resistência à compressão paralela às fibras da madeira

(Parte 1 de 2)

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO ENSAIO Nº 6 DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA A COMPRESSÃO PARALELA ÀS FIBRAS DA MADEIRA

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO ENSAIO Nº 6 DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA A COMPRESSÃO PARALELA ÀS FIBRAS DA MADEIRA

Relatório apresentado como requisito parcial da disciplina de Materiais de Construção Civil do Curso de Engenharia Civil sob orientação do Professor Moacyr Salles Neto, M.Sc

1. INTRODUÇÃO4
2. EQUIPAMENTOS UTILIZADOS5
3. PROCEDIMENTOS UTILIZADOS5
a. Procedimentos segundo a NBR6230/855
4. RESULTADOS6
a. Tabela 1 – C.P 1 – Angelim Vermelho6
b. Tabela 2 – C.P 2 – Angelim Pedra6
c. Tabela 3 – C.P 3 – Cupiúba6
5. EMPREGABILIDADE7
6. CONCLUSÃO8

1. INTRODUÇÃO

Este é o sexto ensaio da turma 0515 na disciplina de Materiais de Construção Civil e nele temos o objetivos de avaliar as cargas de compressão e resistência de tacos de madeira.

Ensaio realizado no dia 21 de outubro de 2009 no laboratório de Materiais de

Construção e Estruturas do CEULP/Ulbra.

Foi-nos posto a mão três C.P’s (Corpo de Prova) para a realização dos testes na prensa

EMIC Linha DL 30.0 – Máquina Universal de Ensaio. Estes C.P’s. 1 (um) Árvore: Angelim Vermelho – Tamanho: 4,7x4,9x15,2 1 (um) Árvore: Angelim Pedra – Tamanho: 4,9x4,7x15,2 1 (um) Árvore: Cupiúba – Tamanho: 4,7x4,5x15,1 Os C.P’s testados foram comprimidos pela prensa até romperem, assim foi possível obter através de software o valor em N e Mpa da força e resistência suportados pelos blocos cerâmicos.

2. EQUIPAMENTOS UTILIZADOS

Os equipamentos utilizados no ensaio de Determinação da Resistência à Compressão paralela às fibras da madeira foram os seguintes: 1 (uma) EMIC – Maquina Universal de Ensaio – Linha DL 30.0 1 (um) Diástimetro 3 (três) Corpos de Prova neste caso Tacos de Madeira. 1(um) Árvore: Angelim Vermelho Tamanho: 4,7x4,9x15,2 1(um) Árvore: Angelim Pedra Tamanho:4,7x4,9x15,2 1(um) Árvore: Cupiúba Tamanho:4,7x4,5x15,1

3. PROCEDIMENTOS UTILIZADOS a. Procedimentos segundo a NBR6230/85 a) Os corpos-de-prova utilizados no ensaio devem possuir as dimensões de

2cm x 2cm x 3cm; b) O número de corpos-de-prova utilizados é de 80, tirados em duas séries superpostas, sendo a metade ensaiada verde e a outra seca ao ar; c) Medir as dimensões dos corpos-de-prova com precisão de 0,01mm e, a seguir, rompê-los entre os pratos da presa a uma velocidade de 100kg/cm²/minuto (10MPa/minuto); d) Registrar a carga de ruptura.

6 4. RESULTADOS a. Tabela 1 – C.P 1 – Angelim Vermelho

Árvore Angelim Vermelho - Dinizia excelsa

Largura 4,7cm

Altura 4,9cm

Comprimento 15,2cm

Resistência 103,4 MPa

Resistência Mínima 76,7MPa

Resultado APROVADO b. Tabela 2 – C.P 2 – Angelim Pedra

Árvore Angelim Pedra - Hymenolobium petraeum

Largura 4,7cm

Altura 4,9cm

Comprimento 15,2cm

Resistência 65 MPa

Resistência Mínima 59,8

Resultado APROVADO c. Tabela 3 – C.P 3 – Cupiúba

Árvore Cupiúba - Goupia glabra

Largura 4,7cm

Altura 4,5cm

Comprimento 15,1cm

Resistência 65,1 MPa

Resistência Mínima 54,4

Resultado APROVADO

Obs: Valores de resistência mínima foram retirados da NBR7190/97 – Projeto de Estruturas de madeira.

5. EMPREGABILIDADE

A necessidade da realização de ensaios técnicos se deve para analisar o estrutura da madeira a ser empregada na obra.

Estes ensaios têm por objetivos principais verificar a capacidade real de resistência de um tronco de madeira, e assim determinarmos qual o melhor material a ser utilizado na obra devido à disponibilidade do mesmo.

Tais ensaios nos mostram como devemos agir na escolha de uma madeira, caso seja para estrutura, revestimento ou outro ela deve obedecer critério técnicos e padrões mínimos de resistência a tração, compressão e outras demais necessidades de utilização, para sua área de uso.

6. CONCLUSÃO

Ao ensaiarmos os 3 corpos-de-prova sendo um Angelim Vermelho outro Angelim

Pedra e por ultimo um Cupiúba, foi possível com a Determinação da Resistência à Compressão paralela às fibras da madeira, verificar qual destes materiais estavam dentro das Normas Brasileiras de Regulamentação NBR 7190/97

O ensaio foi realizado no dia 21 de outubro de 2009 com a turma 0515 no laboratório de Materiais e Estruturas.

Podemos verificar em cada corpo-de-prova a sua capacidade ao resistir à compressão efetuada pela EMIC Prensa Universal de Ensaio – Linha DL 30.0. Os blocos cerâmicos de vedação para alvenaria analisados foram:

• Angelim Vermelho APROVADA 103,4MPa

• Angelim Pedra APROVADA 65 MPa

• CupiúbaAPROVADA 65 MPa

Concluímos então que é de primordial importância realizar ensaios para uma boa elaboração da obra, pois mesmo que as porcentagens de problemas sejam pequenas em relação às quantidades analisadas, pode-se acabar fazendo a escolha errada e adquirindo um material de baixa qualidade e prejudicando uma etapa da obra, pois se as madeiras forem utilizadas para estrutura e não estiverem em perfeito estado e resistência mínima a mesma não poderá ser utilizada. Em nosso ensaio foi possível verificar apenas 3 corpos-de-prova um de cada árvore, procedimento que para uma boa análise deveríamos utilizar segundo a NBR, pelo menos 80C.P.s de cada árvore . Então nosso ensaio é simples mostra de como deve-se realizar ensaios de resistência a compressão em madeira.

7. BIBLIOGRAFIA

NBR7190/97 – Projeto de Estruturas de Madeira http://www.conhecendoamadeira.com/articles/7/1/Angelim-vermelho/Page1.html http://www.conhecendoamadeira.com/articles/57/1/Cupiuba/Page1.html http://www.conhecendoamadeira.com/articles/78/1/Angelim-pedra/Page1.html http://www.abntcatalogo.com.br/norma.aspx?ID=7190

(Parte 1 de 2)

Comentários