Processos corrosivos

Processos corrosivos

  • “DETERIORAÇÃO DE UM MATERIAL, GERALMENTE METÁLICO, POR AÇÃO QUÍMICA OU ELETROQUÍMICA DO MEIO AMBIENTE, ALIADA OU NÃO A ESFORÇOS MECÂNICOS”.

  • necessariamente na presença de água no estado líquido;

  • temperaturas abaixo do ponto de ebulição da água, sendo a grande maioria na temperatura ambiente;

  • formação de uma pilha ou célula de corrosão, com a circulação de elétrons na superfície metálica.

  • ausência da água líquida;

  • temperaturas, em geral, elevadas, sempre acima do ponto de ebulição da água;

  • interação direta entre o metal e o meio corrosivo;

  • A corrosão química é um produto da era industrial e ocorre em equipamentos que trabalham aquecidos, tais como: fornos, caldeiras, unidades de processo etc.

3.1 Ensaios de corrosão atmosférica: exposição dos corpos de prova à ação das intempéries

  • 3.1 Ensaios de corrosão atmosférica: exposição dos corpos de prova à ação das intempéries

3.2 Ensaios acelerados de corrosão: submeter os corpos de prova à ação de diferentes condições atmosféricas em câmaras de simulação.

  • 3.2 Ensaios acelerados de corrosão: submeter os corpos de prova à ação de diferentes condições atmosféricas em câmaras de simulação.

Atmosfera

  • Atmosfera

  • Águas naturais

  • Solo

  • Produtos químicos

URBANA:

  • URBANA:

  • É caracterizada pela emissão de gases provenientes da queima de combustíveis fósseis (CO2, SO2, NO2, NO)

RURAL:

  • RURAL:

  • É uma atmosfera caracterizada pela alternância de chuvas e período de estiagem.

  • Não há produção de poluentes em níveis críticos por não apresentar atividade industrial, podendo ocorrer emissão acentuada de dióxido de carbono por ação humana (queimadas).

  • A alta umidade relativa do ar associada às bruscas variações de temperatura intensificam o processo corrosivo.

MARÍTIMA:

  • MARÍTIMA:

  • Proximidade da zona de rebentação das ondas (gotículas de água – névoa salina);

  • Transporte da névoa salina por ação dos ventos e precipitação por ação da gravidade;

  • Fatores de influência:

      • Topografia/Geografia
      • Intensidade e direção dos ventos
      • Tipos de maré (ondas fortes ou fracas)
      • Alta higroscopicidade dos sais

INDUSTRIAL:

  • INDUSTRIAL:

  • É caracterizada pela emissão de grandes quantidades de umidade, vapores, gases e material particulado.

  • Os equipamentos e estruturas ficam, desta forma, expostos ao intemperismo, a gases corrosivos e a material particulado higroscópico, que depositados sobre a estrutura, retém o meio agressivo por mais tempo em contato com a mesma.

A água pode apresentar alguns contaminantes e impurezas que influenciam no processo corrosivo, dentre eles podemos mencionar:

  • A água pode apresentar alguns contaminantes e impurezas que influenciam no processo corrosivo, dentre eles podemos mencionar:

  • Sais dissolvidos – cloretos, carbonatos e bicarbonatos

  • Gases dissolvidos – O2, N2, H2S, SO2, SO3, NH3, Cl2, CO2

  • Matéria orgânica

  • Sólidos suspensos

  • Microorganismos

O comportamento do solo como meio corrosivo deve ser considerado de grande importância, levando-se em consideração as enormes extensões de:

  • O comportamento do solo como meio corrosivo deve ser considerado de grande importância, levando-se em consideração as enormes extensões de:

  • tubulações enterradas

  • oleodutos, gasodutos

  • adutoras

  • minerodutos

  • tanques de armazenamento de combustíveis

Características Físico – Químicas do solo:

  • Características Físico – Químicas do solo:

  • Presença de água

  • Presença de sais solúveis

  • Presença de gases

  • Acidez

  • Resistividade elétrica

Condições operacionais do solo:

  • Condições operacionais do solo:

  • Condições climáticas (chuvas, temperatura, umidade relativa da atmosfera e ventos)

  • Emprego de fertilizantes

  • Despejos industriais

  • Profundidade

  • Aeração diferencial (solos arenoso, argiloso, humífero e calcário)

  • Contato bimetálico (formação de pilha galvânica)

  • Eletrólise do material metálico (ação de correntes de fuga)

Em equipamentos utilizados em processos químicos deve-se considerar a possibilidade de deterioração do material metálico.

  • Em equipamentos utilizados em processos químicos deve-se considerar a possibilidade de deterioração do material metálico.

  • Dentre os fatores de influência podemos citar:

  • Pureza do metal

  • Contato entre metais dissimilares

  • Natureza da superfície metálica (composição)

  • Pureza do produto químico

  • Concentração

  • Temperatura

  • Aeração

Considerando a aparência ou forma de ataque e as diferentes formas da corrosão e seus mecanismos podemos ter:

  • Considerando a aparência ou forma de ataque e as diferentes formas da corrosão e seus mecanismos podemos ter:

  • morfologia (uniforme, alveolar etc)

  • causas ou mecanismos (aeração diferencial, eletrolítica etc)

  • fatores mecânicos (atrito, sob tensão etc)

  • meio corrosivo (atmosférica, solo, águas etc)

  • localização do ataque (por pite, intergranular etc)

A caracterização da corrosão segundo a morfologia auxilia de forma substancial o esclarecimento do seu mecanismo de ocorrência e na aplicação de medidas adequadas de proteção.

  • A caracterização da corrosão segundo a morfologia auxilia de forma substancial o esclarecimento do seu mecanismo de ocorrência e na aplicação de medidas adequadas de proteção.

  • Considerando os diversos tipos de corrosão, podemos ressaltar:

Quando a corrosão se processa de modo uniforme em toda a superfície atacada. Esta forma é comum em metais que não formam películas protetoras, como resultado do ataque.

  • Quando a corrosão se processa de modo uniforme em toda a superfície atacada. Esta forma é comum em metais que não formam películas protetoras, como resultado do ataque.

A corrosão se localiza em regiões da superfície metálica e não em toda sua extensão, formando placas com escavações.

  • A corrosão se localiza em regiões da superfície metálica e não em toda sua extensão, formando placas com escavações.

A corrosão se processa na superfície metálica produzindo sulcos ou escavações semelhante a alvéolos apresentando fundo arredondado e profundidade geralmente menor do que o seu diâmetro

  • A corrosão se processa na superfície metálica produzindo sulcos ou escavações semelhante a alvéolos apresentando fundo arredondado e profundidade geralmente menor do que o seu diâmetro

Quando o desgaste se dá de forma muito localizada e de alta intensidade, geralmente com profundidade maior que o diâmetro e bordos angulosos. A corrosão por pite é freqüente em metais formadores de películas protetoras, em geral passivas, que, sob a ação de certos agentes agressivos, são destruídas em pontos localizados, os quais tornam-se ativos, possibilitando corrosão muito intensa.

  • Quando o desgaste se dá de forma muito localizada e de alta intensidade, geralmente com profundidade maior que o diâmetro e bordos angulosos. A corrosão por pite é freqüente em metais formadores de películas protetoras, em geral passivas, que, sob a ação de certos agentes agressivos, são destruídas em pontos localizados, os quais tornam-se ativos, possibilitando corrosão muito intensa.

A corrosão se processa entre os grãos da rede cristalina do material metálico, o qual perde suas propriedades mecânicas e pode fraturar quando solicitado por esforços mecânicos.

  • A corrosão se processa entre os grãos da rede cristalina do material metálico, o qual perde suas propriedades mecânicas e pode fraturar quando solicitado por esforços mecânicos.

A corrosão se processa nos grãos da rede cristalina do material metálico, o qual perdendo suas propriedades mecânicas poderá fraturar à menor solicitação mecânica, tendo-se também corrosão sob tensão fraturante.

  • A corrosão se processa nos grãos da rede cristalina do material metálico, o qual perdendo suas propriedades mecânicas poderá fraturar à menor solicitação mecânica, tendo-se também corrosão sob tensão fraturante.

A corrosão se processa sob a forma de finos filamentos, mas não profundos, que se propagam em diferentes direções e que não se ultrapassam. Ocorrem geralmente em superfícies metálicas revestidas com tintas ou metais ocasionando o deslocamento do revestimento.

  • A corrosão se processa sob a forma de finos filamentos, mas não profundos, que se propagam em diferentes direções e que não se ultrapassam. Ocorrem geralmente em superfícies metálicas revestidas com tintas ou metais ocasionando o deslocamento do revestimento.

A corrosão se processa de forma paralela à superfície metálica. Ocorre em chapas ou componentes extrudados que tiveram seus grãos alongados e achatados criando condições para inclusões ou segregações presentes no material. O produto de corrosão, volumoso, ocasiona separação das camadas.

  • A corrosão se processa de forma paralela à superfície metálica. Ocorre em chapas ou componentes extrudados que tiveram seus grãos alongados e achatados criando condições para inclusões ou segregações presentes no material. O produto de corrosão, volumoso, ocasiona separação das camadas.

A corrosão se processa no ferro fundido cinzento em temperatura ambiente e o ferro metálico é convertido em produtos de corrosão, restando a grafite intacta. Observa-se o escurecimento da área corroída característico da grafite.

  • A corrosão se processa no ferro fundido cinzento em temperatura ambiente e o ferro metálico é convertido em produtos de corrosão, restando a grafite intacta. Observa-se o escurecimento da área corroída característico da grafite.

Ocorre em ligas de cobre e zinco (latões), observando-se o aparecimento de regiões com coloração avermelhada contrastando com a característica amarela dos latões. (Corrosão preferencial)

  • Ocorre em ligas de cobre e zinco (latões), observando-se o aparecimento de regiões com coloração avermelhada contrastando com a característica amarela dos latões. (Corrosão preferencial)

Ocorre penetração do hidrogênio atômico no material metálico com posterior formação de hidrogênio molecular, exercendo pressão e originado a formação de bolhas.

  • Ocorre penetração do hidrogênio atômico no material metálico com posterior formação de hidrogênio molecular, exercendo pressão e originado a formação de bolhas.

Ocorre em torno do cordão de solda em aços inoxidáveis não-estabilizados ou com teores de carbono maiores que 0,03% e a corrosão se processa intergranularmente.

  • Ocorre em torno do cordão de solda em aços inoxidáveis não-estabilizados ou com teores de carbono maiores que 0,03% e a corrosão se processa intergranularmente.

O processo de ensaio se caracteriza pela utilização básica de três produtos:

  • O processo de ensaio se caracteriza pela utilização básica de três produtos:

  • Líquido Removedor, para a pré-limpeza da superfície de ensaio.

  • Líquido Penetrante, para penetrar nas descontinuidades abertas à superfície e formar as indicações.

  • Revelador, que irá evidenciar e revelar a descontinuidade.

Comentários