Tipos de concreto

Tipos de concreto

(Parte 1 de 5)

Engenharia do Concreto

O concreto Ø definido como sendo a mistura de um aglomerante (cimento), agregados (areias e britas), Ægua e aditivos, com a finalidade de construçªo de peças para obras civis.

No entanto situaçıes especiais poderªo existir, levando-se em conta as particularidades das peças as quais serªo concretadas. Sendo assim, outros agregados poderªo ser utilizados, como: isopor, argila expandida, vermiculita, hematita, barita, etc. Ainda, adiçıes aglomerantes como: sílica ativa, metacaulim, pozolanas, etc.

Aditivos especiais: retardadores, aceleradores isentos de cloretos, superpastificantes, hiper-pastificantes, incorporadores de ar, impermeabilizantes, hidrofugantes, pigmentos, etc.

Outras adiçıes: fibras de aço, nylon, polipropileno, de vidro, etc.

A princípio o concreto em estado fresco permite ser moldado nas mais diversas formas, texturas e finalidades.

PorØm, um concreto com qualidade necessita de vÆrios cuidados. Vai desde a escolha de seus materiais, a determinaçªo de um traço que garanta a resistŒncia e a durabilidade desejada, a homogeneizaçªo da mistura, sua correta aplicaçªo e adensamento atØ a cura adequada, que garante a perfeita hidrataçªo do cimento.

Tipos de Concreto e Suas Aplicações

1. Concreto Convencional

É utilizado em obras corriqueiras de aplicaçªo normal, ou seja, nªo requer qualquer tipo de equipamento (bomba) para disposiçªo final. Normalmente este concreto Ø de pouca trabalhabilidade, sendo necessÆrio a utilizaçªo de equipamentos de vibraçªo para sua aplicaçªo e para que atenda as exigŒncias de resistŒncia, coesªo e durabilidade do concreto. PoderÆ tambØm ter uma melhor trabalhabilidade com descarga manual, porØm deverÆ ser solicitado como tipo bombeÆvel com descarga convencional.

O concreto convencional, por ter uma difícil trabalhabilidade, requer a utilizaçªo de vibrador de imersªo para que se atenda as exigŒncias e qualidade do concreto aplicado. ConvØm alertar caso nªo se utilize o vibrador para sua disposiçªo final, o concreto ficarÆ comprometido.

O concreto tipo bombeÆvel, com aplicaçªo manual Ø mais fluído, portanto sua aplicaçªo Ø mais fÆcil.

2. Concreto Bombeável

Pode-se definir concreto bombeÆvel como o concreto transportado por pressªo atravØs de tubos rígidos ou mangueiras flexíveis e descarregado diretamente ou próximos dos pontos onde deve ser aplicado. A pressªo pode ser aplicada por meio de pistıes, por meio de ar comprimido ou pela deformaçªo de tubos flexíveis.

O concreto Ø considerado bombeÆvel quando os seus componentes nªo se separam por segregaçªo e quando a resistŒncia ao deslocamento pelo interior da tubulaçªo nªo atinja valores incompatíveis com a capacidade do equipamento.

Como essas propriedades sªo influenciadas pela composiçªo da mistura, a dosagem do concreto para bombeamento exige alguns cuidados especiais:

• Os concretos para bombeamento devem ter boa trabalhabilidade, isto Ø, o

Slump ou Abatimento deve ser maior que 70 m, sendo o mais recomendÆvel, valores entre 80 e 100 m ( Slump = 90 +/- 10 m ).

A Cortesia Concreto adota o Slump = 90 +/- 10 m. Qualquer concreto diferente desta condiçªo consideraremos do tipo especial.

• Ter argamassa suficiente e consumo mínimo de cimento de 270 kg/m3, para lubrificar os tubos internamente e facilitar o deslocamento do concreto dentro do tubo.

• Recomenda-se a utilizaçªo de britas com diâmetro mÆximo atØ 25 m (brita 2), mesmo assim atØ 25%, devendo o restante ter diâmetro mÆximo de 19 m (brita 1). Para prØdios, dependendo da altura ou mesmo da distância de tubulaçªo serªo previstos agregados menores (britas) e/ou Slumps maiores. Ver tabela:

Condição Tipo de Concreto

TØrreo atØ 06 pavimentos Brita 1 ou 1+2 ; Slump = 90 +/- 10 m De 06 a 10 pavimentos Brita 1 ; Slump = 90 +/- 10 m Acima de 10 pavimentos Traços especiais

* A tabela serve de orientação, porém outras situações deverão ser avaliadas, tipo de obra, distância horizontal da linha, nº de curvas necessárias, tipo de bomba utilizada, etc. Que serão avaliados pelos fiscais da Cortesia nas obras.

Observação: Devemos considerar a taxa de armadura da estrutura para a escolha do concreto mais adequado, levando-se em consideraçªo as britas a serem utilizadas.

3. Concreto Especial

Tomaremos como definiçªo de concretos especiais àqueles excluídos das condiçıes acima citadas. Concretos com diferentes slumps, com consumos mínimos e mÆximos de cimento, com fator Ægua/cimento determinados, com FCj, com outras matØrias-primas nªo usuais, com resistŒncias à traçªo na flexªo, com módulo de deformaçªo/elasticidade, para determinadas condiçıes e particularidades de estruturas, aditivos especiais, adiçıes, etc., a qual citaremos a seguir:

3.1 Concreto Magro

Característica: baixo consumo de cimento sem funçªo estrutural.

Utilização: Como camadas de proteçªo, envelopamento de tubos, enchimentos de camadas, base de blocos, lastros, contra-pisos, etc.

3.2 Concreto Aparente

Característica: Normalmente com slump maior que 90 m, concreto mais argamassado para melhor acabamento. PoderÆ ser previsto a utilizaçªo de super ou hiper-plastificante.

mínima de 5 dias

Necessitam na execuçªo alguns cuidados: vedaçªo total das fôrmas; utilizaçªo de fôrmas resinadas e/ou plastificadas; escolha de um bom desmoldante; e cura

Utilização: em estruturas prØ-moldadas, prØ-fabricados aparentes, estruturas de edificaçıes, murais e painØis, lajes aparentes, telhas de porte, fachadas, elementos decorativos, etc.

Condiçªo bÆsica Ø ter boa trabalhabilidade, plasticidade e textura homogŒnea.

3.3 Concreto Extrusado ou Maquininha

Característica: Possuem baixo slump (10+/-10mm), normalmente utiliza-se pedrisco no traço de concreto, nªo trabalhÆvel em uso corrente (normal).

Este tipo de concreto deverÆ ser fornecido por consumo de cimento, pois a resistŒncia final dependerÆ das condiçıes de extrusªo e compacidade do equipamento a qual o concreto serÆ submetido (grau de adensamento).

Utilização: Tem sua utilizaçªo em laminados por equipamento de extrusªo, que mantØm o concreto confinado ou colocado em fôrmas sobre mesas vibratórias.

Normalmente onde se utiliza este tipo de concreto sªo guias e sarjetas, painØis e lajes laminadas, telhas laminadas, defensas e em raras exceçıes em algumas fôrmas deslizantes, caixas d Ægua, etc. Para guias existe um equipamento de extrusªo que chamamos de maquininha e na medida que caminha o equipamento vai extrusando o concreto e deixando-o na fôrma.

3.4 Concreto Auto-adensável

Característica: Tem como característica principal um concreto fluído, de alto slump de serviço de 160 m a 230 m, com alta trabalhabilidade e fÆcil aplicaçªo. Necessita a utilizaçªo de vibraçªo. Pode ser previsto a utilizaçªo de aditivos superplastificantes.

Utilização: Em peças com alta taxa de armadura, parades de diafragma, elementos estruturais: pavimentos, lajes, tubulıes, fundaçıes (com equipamento hØlice contínua), blocos, vigas de transiçªo, paredes, cortinas, etc.

Em parede de diafragma, tubulıes ou estruturas submersas em Ægua parada, o concreto necessita slump superior a 200 m, a aplicaçªo se dÆ por diferença de densidade em relaçªo à Ægua ou lama betonítica, a Ægua Ø expulsa, ficando em seu lugar o concreto. Neste caso Ø recomendÆvel o uso de trombas ou funis para aos poucos o concreto ocupar o lugar da Ægua de baixo para cima, nªo ocorrendo problemas de contaminaçªo do concreto.

3.5 Concreto Rheodinâmico

Característica: Concreto com baixo slump inicial ou sem slump (concreto seco). Necessita de quantidade mínima de Ægua para hidrataçªo do cimento, que com a utilizaçªo de aditivo de base Øter policarboxílico (hiperplastificante), torna o concreto auto-adensÆvel, sem necessidade de vibraçªo. Slump superior que 240 m. PoderÆ utilizar tambØm aditivo modificador de viscosidade.

Utilização: Desenvolvido para concretos de Alto Desempenho e Alta Resistência. AplicÆvel em estruturas prØ-moldadas, em prØ-fabricados, estruturas convencionais, lajes, blocos, pilares, vigas, com alta taxa de armadura ou nªo, visando maior resistŒncia inicial e final, peças onde necessite ótimo acabamento e/ou durabilidade, algumas recuperaçıes estruturais, onde necessite concreto com muita trabalhabilidade sem necessidade de vibraçªo. Ainda em estruturas que nªo possuem acesso para vibraçªo ou acabamento.

3.6 Concreto Leve

! Concreto com Argila Expandida – Dens. 1600 a 1800 kg/m3

Característica: Sua característica Ø reduçªo de peso atravØs da utilizaçªo de agregado graœdo tipo Argila Expandida, concreto com densidades que variam de 1600 a 1800 kg/m3 e resistŒncias de 7,5 a 25,0 MPa. O concreto com britas possue densidades que variam de 2250 a 2500 kg/m3.

(Parte 1 de 5)

Comentários